ALdCS – Capítulo 74

Segunda Tática para Matar um Dragão: Um Poderoso Alazão (Parte 2)

Eu levantei minha cabeça, derramando uma garrafa inteira de vinho na minha garganta antes de ficar satisfeito o suficiente para limpar minha boca.

Ao meu lado, Igor me olhou com espanto e gritou:

— Grisia, pare de beber! Você já bebeu três garrafas! Droga, droga! Se Woodrow descobrir que eu deixei você ficar bêbado, ele vai me matar com certeza…

Eu girei minha cabeça para olhá-lo e articuladamente disse:

— Em um ninho de mafagafos haviam sete mafagafinhos, quem amafagafar mais mafagafinhos, bom amagafanhador será. Um prato de trigo para três tigres tristes. E aí? Quem é que está bêbado?

— Tudo bem… você não está bêbado. — Igor coçou a cabeça, levantou-se e continuou — Continue bebendo, mas não se atreva a ficar bêbado! Eu irei primeiro com a minha espada para a loja de armas ao lado. Além disso, vou ajudá-lo a pagar suas bebidas por enquanto, mas depois, quando terminarmos nossas missões e você conseguir sua parte, você terá que me pagar!

— Se assim for, então eu não vou mais beber! — Eu gritei em voz alta com surpresa.

—…

Depois de sair da taverna, eu resmunguei indignado:

— Você não pode pagar apenas por um pouco de vinho?

— Você já bebeu três garrafas, não foi só um pouco de vinho! O vinho que você pediu custa um ducado de prata cada garrafa…

Mesmo que eu quisesse dizer que eram apenas três ducados de prata, eu não conseguia nem falar as palavras em voz alta. Uma garrafa de vinho custa um ducado de prata! Eu tinha acabado de entortar três ducados de prata… Eu ainda não tinha recebido minha parte das recompensas da missão, mas eu já havia incorrido em uma dívida de três ducados de prata!

Unicórnio miserável, onde você está?

Meus cem ducados de ouro, onde você está?

Neste momento, Igor começou a rir alto antes de dizer:

— No entanto, eu realmente não esperava ver você entortar o caneco tão bem! Já que temos uma missão para completar no momento, eu não posso me juntar a você para uma rodada, mas algum outro dia quando não tivermos missões, vamos beber até o coração criar asas!

— Beleza! Mas, é você quem irá pagar? — Eu perguntei ansiosamente.

—… você realmente não é um avarento normal. Você ama o dinheiro ainda mais do que Iacchi, e ele é um ladino! — Igor terminou de resmungar e então disse ruidosamente — Aquele que ficar bêbado primeiro paga, está bem assim?

— Sem problemas.

Como eu tinha perdido minhas memórias, eu não sabia exatamente quanto vinho eu podia beber antes de ficar bêbado, mas eu tinha uma estranha sensação de autoconfiança…  — Se é uma competição de bebida, eu definitivamente não vou perder para ninguém!

— Aqui estamos nós. — Igor parou em seus passos e virou a cabeça, me dizendo — Você não tem interesse em armas, certo? Se você se sentir entediado, a rua oposta a esta vende cajados. Você pode ir em frente e escolher um novo. A equipe pagará primeiro com o nosso fundo de equipe, embora no futuro possamos deduzi-lo de suas recompensas… Nossa! Sua expressão está dizendo que se você tiver que pagar por isso do seu próprio bolso, você não vai comprar. É isso mesmo?

Eu vigorosamente balancei a cabeça.

Aturdido, Igor disse:

— O clérigo de uma equipe não pode sair sem um cajado. Ah, esquece! Junte-se a mim aqui primeiro e depois iremos juntos à loja de cajados. Você não se lembra de nada agora, então eu tenho medo que o dono de lá te engane… aff! Mesmo que isso não seja muito provável, já que você ama muito dinheiro… Tanto é que você pode até esquecer que perdeu suas memórias.

— O quê?! Eu realmente perdi minhas memórias! — Eu grandemente proclamei.

— Eu realmente não posso dizer. Você nem parece estar preocupado! — Igor conversou comigo com a cabeça virada enquanto entrava na loja de armas.

Eu dei de ombros e respondi:

— Eu sinto que não há nada para se preocupar, e que meus companheiros definitivamente virão e procurarão por mim.

— Acho que sim…

No minuto em que entramos na loja de armas, o dono se adiantou imediatamente para nos cumprimentar, com os olhos olhando para mim e Igor. Imediatamente, ele começou a atender Igor, me ignorando completamente. Devo dizer que ele tem um olho por dinheiro ou um bom olho para os guerreiros? Com apenas um olhar, ele imediatamente determinou que eu não era alguém que usa uma espada em sua profissão, assim ele nem se incomodou em me cumprimentar.

Vendo que Igor estava falando entusiasticamente com o dono, eu fui andar pela loja de armas sozinho. Até onde pude ver, as armas da loja ainda eram basicamente espadas e adagas. Armas como espadas pareciam muito familiares para mim, mas as adagas pareciam completamente estranhas… — Eu realmente uso um cajado?

Incapaz de me conter, peguei uma espada e desferi um golpe habilmente. — Parece familiar, talvez eu realmente use espadas… Hã! Cadê a espada?

Confuso, olhei para minhas mãos vazias. — Eu não estava segurando uma espada nas minhas mãos agora? Como poderia ter desaparecido depois que eu simplesmente brandi duas vezes?

— Ah! — Igor gritou de repente em voz alta, e então ouviu-se um som estridente de metal batendo no chão.

Eu olhei para trás. — Oh!  Então a espada voou das minhas mãos e acertou a nuca de Igor… Por sorte, foi o pomo que bateu na cabeça dele!

— Grisia, o que você jogou em mim… Droga!

Igor esfregou a cabeça dolorosamente, virou-se, olhou para a espada no chão e depois olhou para mim, incrédulo. Eu imediatamente fiz a expressão mais inocente do mundo para encará-lo, e então usei meu tom mais triste e disse arrependido

— Sinto muito, minha mão escorregou momentaneamente.

— Seu deslize quase me tirou a vida… clérigo! Você não tem permissão para tocar em nenhuma espada. — Igor, infelizmente, me avisou, e então ele virou a cabeça para trás para continuar sua negociação com o dono da loja.

Eu me aproximei, levantei a espada e coloquei de volta em seu lugar original. Depois disso, não ousei tocar em uma única arma… — Talvez minha arma seja realmente um cajado, afinal!

Pelo menos, se o cajado escorregar da minha mão e bater em alguém, isso não causará a morte de ninguém.

Não ser capaz de tocar em nada realmente me entediava. Olhando para Igor, que ainda estava em um debate acalorado com o dono da loja, eu pensei que eles provavelmente ainda teriam que pechinchar sobre o preço por um longo tempo. Então eu gritei:

— Igor, eu vou indo na frente olhar os cajados primeiro.

— Ok, mas não compre nenhum ainda! — Igor nem sequer olhou para mim quando ele respondeu.

— Tudo bem.

Depois que prometi isso, saí da loja de armas e fiz uma busca. Imediatamente, descobri que em frente à loja de armas havia outra loja que tinha um falso cajado de madeira pendurado em cada lado da porta. Essa deveria ser a loja que Igor havia mencionado anteriormente.

Eu comecei a atravessar a rua, mas de repente, senti minha manga sendo puxada… — Quem é esse!?

Realmente me chocou que alguém pudesse de repente aparecer perto de mim… Eu podia ver em todas as direções, então ninguém deveria ser capaz de chegar tão perto e ser despercebido!

Eu me virei e olhei para a pessoa, mas por causa disso eu não consegui mais manter minha guarda. A pessoa que puxou minha manga só alcançou o meu peito em altura, tinha um rosto redondo, tinha o cabelo chegando até a cintura e usava uma saia longa… — É obviamente uma garotinha!

Talvez eu tivesse ficado muito obcecado em procurar a loja de funcionários em frente à rua, então foi por isso que eu não tinha notado ela!

Baixei a cabeça para olhar para ela e, com uma voz gentil, perguntei:

— Olá, qual é o seu nome?

A garotinha timidamente respondeu:

— Escarlate.

 Escarlate… Que nome estranho. — Continuei perguntando:

— Você quer que eu faça alguma coisa por você, Escarlate?

— Irmãozão… vem comigo!

Escarlate de repente parou de puxar minha manga, em vez disso, usando as duas mãos para puxar minha mão direita, e assim ela começou a me arrastar com força. Eu rapidamente expliquei a ela:

— Espere, espere um minuto, eu estou esperando pelo meu companheiro, então eu não posso simplesmente sair com você.

No entanto, Escarlate não desistiu e, sinceramente, me puxou junto. Ao mesmo tempo, ela continuou exclamando:

— Vem comigo, vem comigo…

Claro que não podia ser arrastado por uma garotinha; Mesmo que eu seja um clérigo fraco, eu nunca permitiria isso! No entanto, Escarlate estava muito determinada, então nós dois ficamos presos neste impasse por algum tempo. Finalmente, os olhos de Escarlate que estavam cheios do elemento água conseguiram me derrotar com sucesso.

Eu então arrastei ela comigo para a loja de armas. Eu coloquei minha cabeça lá dentro. Igor ainda estava negociando com o dono da loja, e parecia que isso não terminaria por um bom tempo. Eu gritei para ele:

— Igor, vou sair primeiro. Vamos nos encontrar mais tarde na loja dos cajados, está bem?

— Tudo bem. — Igor novamente nem se incomodou em virar a cabeça para responder, e continuou discutindo com o dono da loja.

Depois de conseguir o acordo, eu cruzei os braços, olhei para baixo em direção a Escarlate e disse bruscamente:

— Tudo bem então! Agora eu estou todo ouvidos, você pode me levar para onde quer que você queira me levar, está feliz?

Escarlate imediatamente sorriu, e o elemento água em seus olhos também desapareceu sem deixar vestígios.

Eu fui arrastado ao longo de todo o caminho por Escarlate, e viramos em um número incontável de esquinas. Por sorte, notei que minha memória parecia ser muito boa. Mesmo quando viramos à esquerda três vezes, viramos à direita cinco vezes e depois passamos pela terceira rua da interseção de cinco vias da esquerda, ainda me lembrava de todo o caminho.

Mesmo que eu me lembre do caminho, ele não vai funcionar se eu for longe demais, já que eu ainda tenho que procurar pelo unicórnio… Não, quero dizer, eu tenho que procurar o Igor!

Eu curiosamente perguntei:

— Escarlate, onde você está me levando?

Escarlate soltou uma gargalhada como sinos de prata e me puxou para outro beco, antes de finalmente parar e apontar para a frente. Ela disse suavemente:

— Veja por si mesmo, irmãozão.

Eu me virei para “olhar” para onde Escarlate apontava… Mesmo que ainda houvesse alguma distância entre nós, eu vi o que Escarlate queria me mostrar claramente. Embora eu tivesse perdido minhas memórias e não tivesse ideia se já tinha visto algo assim antes, quando olhei para ele, quase imediatamente soube o que era…

Era um unicórnio.

Ele estava no porão de uma casa, e o elemento sagrado que irradiava era tão forte que era surpreendente. Embora houvesse muitos elementos diferentes nos separando, eu ainda podia ver claramente sua forma. Sua forma, na verdade, parecia um cavalo, mas era um pouco mais fina e elegante do que um cavalo normal.

A diferença mais óbvia entre ele e um cavalo comum era o chifre na cabeça. O elemento sagrado do chifre era tão forte que tive a sensação de que eu não conseguiria “olhá-lo” por longos períodos de tempo, e a forma também estava um pouco embaçada.

Então, de repente, levantou a cabeça e olhou em minha direção… — Não! Ele está olhando para mim.

Ele olhou para mim, assim como eu estava olhando para ele.

Depois de algum tempo, finalmente me recuperei do choque de ver um unicórnio pela primeira vez. Eu abaixei minha cabeça e disse:

— Ele pediu para você procurar por mim? Escarlate… Escarlate?

Não havia ninguém ao meu lado.

Fiquei atordoado, mas não me senti particularmente surpreso. Afinal, eu era atualmente alguém sem memórias. Havia muitas coisas que eu não entendia. Talvez ser capaz de conjurar uma garotinha seja na verdade uma habilidade especial de unicórnios.

Eu andei em direção ao unicórnio e entrei em uma casa. O interior estava bastante arruinado, com detritos por toda parte e teias de aranha em quase tudo. O chão também estava coberto por uma espessa camada de poeira, como se ninguém tivesse vindo aqui por algumas centenas de anos. Não é de admirar que ninguém tenha pensado em vir aqui procurar o unicórnio, mas… Como o unicórnio caiu no porão?

Como eu já podia “ver”, eu sabia que estava originalmente no chão. Mas no momento em que me notou caminhando em direção a ele, ele se levantou e continuou andando em círculos no porão, parecendo muito excitado.

Apressei meus passos ainda mais, encontrei as escadas que levavam ao porão e corri em direção ao local onde o unicórnio estava em um único movimento.

É só na minha frente, a apenas cinco passos de distância… Não, ele se aproximou mais dois passos novamente.

Embora eu não pudesse nem mesmo determinar se Sybil era bonita ou não, eu sabia que esse unicórnio diante dos meus olhos era definitivamente extraordinariamente bonito, e que definitivamente deveria ser um animal de elegância branco como a neve.

 Espere um minuto, branco como a neve? — Eu ainda tenho alguma memória de neve, deve ser algo formado a partir da condensação da água, mas o que é “branco”?

Neste momento, o unicórnio de repente deu um passo à frente novamente, de pé diante de mim, mesmo cutucando sua cabeça contra mim.

— Você gosta de mim, não é?

Sorri e até estendi a mão para acariciar o lado do pescoço. Ele arqueou o pescoço, parecendo que estava gostando muito, e então baixou a cabeça para lamber minha mão…

— Isso faz cócegas, não faça isso, hahaha! Você não gosta apenas de virgens? Eu não sou um… — Parei de repente — Espere um minuto…

Será que… eu sou puro, inocente e… virgem?!

O unicórnio, então, ainda mais intimamente começou a esfregar sua cabeça contra o meu peito, sua cabeça inteira aninhada contra mim.

— Cavalo estúpido, vá embora! Eu não sou virgem!

O unicórnio, no entanto, começou a lamber meu rosto… — Bastardo, eu sou tão puro que você está disposto a me lamber?

Ah é! Talvez eu tenha apenas dezoito anos.

De repente, pensei nisso e resmunguei para mim mesmo:

— Se for assim, então não seria surpresa se eu fosse virgem… É isso! Definitivamente, tenho apenas dezoito anos… não! Eu posso ter apenas dezesseis anos!

Deodoro
Tradutor nas horas vagas. Só joga no hard.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!