API – Capítulo 122

Desaparecimento de Paul

— Eu quero todas as informações que você tem sobre Paul, a terceira vítima dos ataques da besta. Quanto mais detalhes, melhor. — Kieran disse.

Entre as cinco vítimas, Paul foi o que mais chamou a atenção de Kieran e o fez pensar sobre os incidentes. Claro, devido ao fato de haver poucas informações comprovadas, Kieran não queria continuar especulando, afinal, ele poderia chegar a conclusões equivocadas e influenciar seu julgamento. Colocar a carroça na frente dos bois era algo terrível quando o assunto era análise de provas, sendo até mesmo pior que hábitos ou maneirismos na hora de analisar e interpretá-las.

— Paul? Tudo bem, espere um pouco. — Manda-Chuva parecia duvidar do pedido de Kieran.

Todas as cinco vítimas foram investigadas por ele, mas nada parecia incomum nelas. Ainda assim, isso não o impediu de cumprir o pedido de Kieran.

Dez minutos depois, Manda-Chuva voltou com dois sacos grossos de couro de vaca nas mãos.

— Aqui está toda a informação que eu tenho sobre Paul, desde o momento em que ele entrou no orfanato até o momento de sua morte. Tudo foi registrado aqui. Isso é tudo que eu tenho por agora. Você precisa saber alguma coisa sobre as outras vítimas? — Manda-Chuva disse, batendo nos sacos de couro.

— Não agora, obrigado. — Kieran agradeceu Manda-Chuva com um sorriso antes de abrir os sacos.

As informação foram organizada por datas. Todos os vinte anos da vida de Paul foram organizados em ordem cronológica. Um dos sacos continha os registros de Paul entrando no orfanato quando menino, da época de sua adolescência e, eventualmente, jovem e adulto. Incluía, mas não se limitava a seus anos de escola, atividades de clube e vida amorosa.

O outro saco continha registros de pequenas coisas sobre Paul, incluindo seus relacionamentos fora da escola e as pessoas que ele conhecia. Kieran passou por ambos, mas não encontrou nada de anormal.

Paul não era o aluno mais brilhante da classe, mas suas notas eram bastante decentes. Além de ser um órfão e um solitário que tinha dificuldade em se comunicar com os outros, ele não era diferente de um cara comum. Ele tinha ídolos que admirava quando era jovem que terminou sem um motivo. Depois da faculdade, ele começou a trabalhar em dois empregos para cobrir suas despesas cada vez maiores. Por causa de suas boas notas, ele se qualificou para uma bolsa escolar.

Além do fato de que precisava se sustentar porque era órfão, não havia nada que se destacasse. Kieran não queria desistir. Ele checou cada página com cuidado, até a última página, o ponto final da vida de Paul. Na última página, havia uma foto de um pedaço do braço esquerdo dele. O braço estava incompleto. Não havia palma nem parte superior do braço, apenas um antebraço mastigado.

O antebraço foi mutilado pela besta. Apenas algumas letras tatuadas rasgadas podiam ser vistas claramente. Foram os traços daquela tatuagem que permitiram ao público identificar o antebraço sendo de Paul.

Kieran não ficou surpreso que o antebraço de Paul tivesse um sinal sobre isso. Esse sinal realmente se encaixa no palpite inicial de Kieran. No entanto, quando Kieran cerrou os olhos para dar uma olhada nas letras, percebeu algo. Ele reconheceu essas palavras. Não por causa do pacote de idiomas temporário, mas por causa de seu [Conhecimento Místico].

Kieran podia ler as letras no antebraço usando seu [Conhecimento Místico]. Ele era capaz de pronunciá-las, mas não conseguia entender o que elas significavam, porque a tatuagem estava incompleta. Era apenas uma parte de um símbolo ou sinal maior.

Cada palavra legível pelo [Conhecimento Místico] era complicada e tediosamente longa. Não havia apenas letras, mas também símbolos, alguns deles desconhecidos para pessoas comuns. Assim como em outras línguas, a menor mudança nas palavras poderia alterar completamente o significado delas.

As palavras “queimar” e “congelado” tinham catorze letras e apenas duas pequenas diferenças, o que significa que as restantes doze letras eram exatamente iguais. Era por isso que palavras como a da tatuagem do antebraço de Paul eram místicas e difíceis de aprender. Kieran sentiu um pouco estranho sobre sua nova descoberta.

Paul poderia ser a pessoa por trás dos ataques da besta e aquele que criou o círculo mágico? — Kieran pensou antes de finalmente balançar a cabeça.

Ele acreditava que as informações do Manda-Chuva eram precisas. Se Manda-Chuva dissesse que Paul não era parente de Sphendix, então eles não eram parentes, nem abertamente nem secretamente.

A menos que Paul fosse capaz de mudar completamente o rosto, ele não seria capaz de enganar o informante do Manda-Chuva na Sphendix.

Mais importante ainda, se o palpite de Kieran estivesse certo, significava que Paul devia ter um certo nível de [Conhecimento Místico] e conhecia um ou talvez até algumas estruturas básicas de círculos mágicos.

Parecia impossível para um órfão de apenas vinte anos de idade conhecer tudo isso. Uma pessoa lenta teria que trabalhar ainda mais na escola para manter boas notas, e dadas as circunstâncias, o esforço extra de aprender [Conhecimento Místico] e trabalhar em dois empregos para sobreviver já excedia a força mental e física de uma pessoa comum.

Kieran tinha um passado similar, então ele também tinha experimentado isso. Quando ele era jovem, tinha sido grato apenas por ser capaz de fazer o dever de casa, não importando de tirar boas notas.

Eventualmente, Kieran deixou a escola para trabalhar em tempo integral.

Aprender [Conhecimento Místico] era ainda mais difícil. O Nível Mestre da habilidade de Kieran permitiu que ele soubesse muito bem como era difícil para a mente comum aprendê-lo.

O [Conhecimento Místico] era complicado e difícil de dominar. Mesmo que alguém esteja totalmente concentrado enquanto aprende, seria extremamente difícil alcançar um certo nível pela idade de Paul, quanto mais saber como criar círculos mágicos. Criar círculos mágicos não era algo que se pudesse aprender sozinho. Um mentor tinha que estar lá para guiá-los. Mesmo o Nível Mestre de Kieran não incluía nada relacionado a encantamentos, que eram necessários para ativar um círculo mágico.

Em outras palavras, alguém deve ter ensinado Paul.

Alguém ensinou tudo a Paul? Ou Paul viu alguém e foi influenciado por ele e fez uma tatuagem no braço?

O pensamento floresceu instintivamente na mente de Kieran enquanto ele rapidamente examinava os detalhes e olhava para as fotos de Paul novamente.

Ele queria descobrir quem poderia ter ensinado e influenciado Paul e confirmar o que significavam as letras em seu braço.

Mas os resultados foram decepcionantes. As informações coletadas não apontavam para ninguém que Paul era próximo, ou alguém que poderia ter tido a chance de ensinar Paul e influenciá-lo. Embora houvesse muitas fotos de Paul, na maioria delas ele usava um terno e sapatos de couro. Todos pareciam oficiais. Nenhum deles foi retratado em sua vida diária.

Antes disso, a personalidade solitária de Paul parecia bastante normal, considerando que ele era órfão. No entanto, a descoberta das palavras no braço de Paul mudou tudo.

A tatuagem foi coberta de propósito? — Kieran não tinha certeza sobre isso.

Ele esfregou a têmpora para aliviar sua dor de cabeça.

Ele achava que tinha chegado em algum lugar, mas todas as pistas o levaram de volta ao seu ponto de partida. Mais do que isso, eles até descartaram suas especulações anteriores.

— Por que Paul fez o que fez? — Kieran perguntou a si mesmo em voz baixa.

Erudhir
"Se olhar ao redor e não souber quem é o alvo, então o alvo é você."

2 Comentários

  1. O que será que estava escrito em seu braço? Sera que ele realmente está morto? Perguntas e mais perguntas surgem…

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!