API – Capítulo 23

Mudança súbita

A experiência de Hank no campo de batalha salvou sua vida.

*Bang!*

O tiro tinha vindo de outra parte das ruínas, não muito longe deles.

— Ele está lá! — Embora não soubessem como Kieran, que devia estar morrendo em seu esconderijo, poderia ter se materializado em um local diferente e atirado neles, eles sabiam o que fazer a respeito.

Os três miraram suas armas naquele ponto e dispararam. Os soldados impediram que Kieran tivesse a chance de disparar uma segunda vez. Ele rolou rapidamente para o lado e entrou em outra parte das ruínas.

A luz do sol brilhava nas ruínas, formando raios de luz que atravessavam as sombras atrás das paredes. Aquilo criava um contraste; onde o sol brilhava, era quente e claro; sob a sombra, estava escuro e frio.

Kieran se escondeu na sombra fria enquanto tentava evitar os tiros. Ele franziu a testa. Após uma inspeção cuidadosa de seus inimigos, Kieran identificou o líder do esquadrão. Ele nunca pensou que erraria um tiro nele.

[Tiro: errou, alvo evadiu, infligido 0 dano no alvo…]

— Então, isso que é ser um elite, hein? — Kieran disse com uma voz suave enquanto uma parte dele tremia.

Era a primeira vez que ele encontrava um inimigo que conseguia prever suas ações. Embora Kieran não tivesse certeza se o líder do esquadrão poderia prever todas as suas ações, uma vez em dez já era suficientemente impressionante.

Ele passou a fazer outra jogada. Ele ficou com um pouco de medo, mas ele tinha que se concentrar em seu objetivo. Além disso, ele não acreditava que todos os soldados possuíssem o tipo de instinto que seu líder tinha. Kieran ativou novamente [Furtividade] e entrou nas sombras.

Depois de algumas voltas em torno da área, sua camisa tornou-se o seu melhor equipamento de camuflagem, e [Furtividade] tornou-o ainda mais difícil de detectar.

Ele pegou o rifle de precisão improvisado novamente. Desta vez, ele não mirou no líder do esquadrão, mas sim nos soldados.

Eles já estavam alertas para o próximo tiro de Kieran. Eles haviam se escondido entre as ruínas e se protegido enquanto esperavam encontrar o atirador. No entanto, a luz do sol era muito forte e dificilmente podiam ver alguma coisa. Era um ótimo lugar para Kieran utilizar o rifle de precisão. Mesmo um idiota poderia dizer isso.

— Senhor! — Hendrall se virou para o líder.

Hank sabia o que ele estava prestes a dizer: que eles deveriam utilizar as armas grandes ou fugirem. Os explosivos estavam fora de questão. Hank sabia disso perfeitamente.

Quanto a recuar? Hank hesitou. Ele não queria que Zarukhar ficasse desapontado com ele. Se ele deixasse Zarukhar desapontado, então a opinião do Major sobre ele mudaria drasticamente, e Hank poderia até ser desertado pelo Major, para não mencionar tirá-lo da zona de guerra.

Ele não queria que isso acontecesse.

*Bang!*

Enquanto Hank estava lutando contra seus próprios pensamentos com todas as suas forças, outro tiro foi disparado. Hendrall, que tinha acabado de falar, teve a cabeça explodida.

O sangue quente e as partes do cérebro salpicaram o rosto de Hank. Os dois homens restantes pareciam patos sentados. Hank voltou aos seus sentidos e limpou o rosto.

Por que ele seguia Zarukhar em primeiro lugar? Era para sobreviver? E agora o quê?

Todos caíram como patos na armadilha de Kieran. Eles estariam mortos mesmo antes que a maldita guerra terminasse. Era uma armadilha o tempo todo. Uma armadilha do mal. Tendo observado a técnica de tiro de Kieran, Hank já tinha uma ideia geral de quem ele pudesse ser.

Suas habilidades com armas podiam ser melhores do que as de um novato, mas ele ainda estava longe de ser um verdadeiro atirador de elite. Se Kieran fosse um soldado de elite, Hank teria morrido há muito tempo.

Quanto às suas habilidades secretas, talvez elas merecessem um elogio, mas ainda eram bastante básicas em comparação com um verdadeiro soldado de reconhecimento.

Se não fosse pela vantagem do terreno, Hank poderia ter facilmente matado Kieran antes que ele pudesse atirar. Tudo havia sido planejado. Um plano para enganar Zarukhar e enviá-los para o inferno.

A raiva encheu seu coração. Ele desejava poder destruir Kieran com as próprias mãos, desejava que ele pudesse capturá-lo vivo e quebrar cada um de seus membros. Mas ele sabia qual era a sua prioridade.

Ele tinha que sair do campo de batalha.

— Metralhador, dê cobertura! — Hank gritou pelo walkie-talkie.

— Sim… Sim, senhor! — A voz covarde do homem atingiu os ouvidos de Hank do outro lado do walkie-talkie.

Isso deixou Hank ainda mais irritado. Assim que o metralhador recebeu seu pedido, ele estava a caminho. Hank já podia vê-lo se aproximando.

O metralhador teve que se mover estrategicamente para evitar os tiros, já que ele ainda estava carregando uma metralhadora leve e uma caixa de munição. Ele foi bastante rápido, mesmo em comparação com o resto das tropas de Hank.

Dá pro gasto! — Hank o viu e compreendeu por que ele foi para o seu esquadrão.

— Recuar! — Hank sinalizou para seus outros dois homens.

Os dois se protegeram e recuaram. Hank estava logo atrás deles. Ele sabia que Kieran não perderia essa chance. Era a última que ele teria. Hank pegou a granada na cintura.

PODE VIR! — Ele pensou enquanto cerrava os dentes.

Ele queria mostrar a Kieran sua ira.

*Bang!* *Bang!* *Bang!*

Foram disparados vários tiros e Hank caiu no chão, sentindo dor no corpo. Ele observou seus outros dois homens caírem em uma poça de sangue e viram um sorriso no rosto do metralhador enquanto ele corria em direção a eles.

Era o sorriso de um gato que acabara de pegar um rato.

— Que porra é essa? — Hank olhou para o metralhador com uma expressão incrédula.

O metralhador respondeu com uma série de tiros.

*Bang!* *Bang!* *Bang!* *Bang!*

Quando o som dos tiros parou, o corpo de Hank foi destruído pela chuva de balas.

Kieran ficou surpreso ao testemunhar a cena. Ele dirigiu automaticamente o seu rifle improvisado para o metralhador, mas, o homem não estava mais lá. Kieran teve um mau pressentimento sobre isso. Sem mais delongas, ele rapidamente deixou seu esconderijo e se dirigiu para o próximo.

Kieran não entendeu o porquê o metralhador atirou contra seus próprios homens, mas sabia que não eram apenas os soldados que haviam sido enganados. Ele também foi.

Quando Kieran matou o primeiro metralhador, o olhar covarde e desamparado do ajudante o enganaram. Ele pensou que o ajudante era inofensivo e tinha voltado sua atenção para o resto dos soldados. Quem teria pensado que ele seria o mais perigoso, ainda mais forte do que o líder do esquadrão o qual ele tentou matar.

Foi este o plano do Major o tempo todo? — Enquanto Kieran permanecia no modo [Furtividade], ele pensou na situação toda.

Ele não conseguiu chegar a uma conclusão, então ele esvaziou sua mente. Havia muitas coisas inexplicáveis ​​a considerar.

Embora Kieran tenha falado com o Major antes, ele só conseguiu sentir que o homem era ganancioso. Ele não tinha detectado nenhum sinal de lunatismo no Major. O homem não tinha motivos para agir desse jeito.

O que diabos está acontecendo aqui? — O coração de Kieran estava cheio de incerteza, mas ele não parou.

Dez segundos depois, ele alcançou seu novo esconderijo e soltou um longo suspiro de alívio. Embora ele não conseguisse ver o que estava acontecendo, ele estava certo de que o metralhador desaparecido já estava em seu esconderijo anterior.

Depois que o homem atirou, Kieran teve um pressentimento de que ele o perseguiria. Era exatamente como Kieran esperava. Depois que ele soltou um longo suspiro, uma voz veio de seu esconderijo anterior.

— Olá, senhor! Eu acho que deveríamos ter uma boa conversa!

Parecia genuíno e sério, mas Kieran não respondeu. Ele começou a se mover novamente em direção ao seu próximo esconderijo. Ele estava muito cauteloso com o homem. Afinal, ele acabou de matar três de seus companheiros com uma metralhadora.

Quando Kieran se moveu a cerca de dez metros de seu esconderijo, ele ouviu o som de passos. O som acelerado significava que o cara estava correndo para alcançá-lo. Quem mais estaria na área além deles dois? Kieran deu ao cara um novo apelido digno de suas ações. O traidor tinha um conjunto de excelentes habilidades de rastreamento.

Depois de perceber que poderia ser ele, Kieran rapidamente mudou seu rifle de precisão de volta ao estilo de rifle de assalto da arma, e mirou na direção dos passos. Assim que a figura do homem apareceu, ele apertou o gatilho.

*Bang!* *Bang!* *Bang!*

As luzes saindo do cano da arma e a fumaça do barril preencheram o lugar.

Mas ele não acertou nada. Kieran não precisava verificar o registro de batalha para saber que ele havia atirado em um casaco vazio.

Porra! — Ele percebeu que aquilo era uma distração e rapidamente se virou.

Havia uma longa e estreita passagem atrás dele, formada pelos pedaços de concreto caídos e as vigas de madeira. A passagem tinha uma boa visão do outro lado do seu esconderijo. A entrada era onde Kieran tinha atirado.

Quando Kieran se virou, ele não viu ninguém atrás dele.

Caralho! — Ele percebeu por que o traidor tirou o casaco. Ele não tinha a intenção de emboscar Kieran por trás, mas apenas fazê-lo se virar.

O homem estava escondido atrás do casaco, sem se mover. Ele estava apenas esperando Kieran se virar para se aproximar dele. Quando Kieran se virou para a frente novamente, já era tarde demais.

— Bom dia senhor! — Uma voz familiar soou.

Kieran sentiu como se estivesse caído em um abismo gelado. O frio o atingiu da cabeça aos pés.

Erudhir
"Se olhar ao redor e não souber quem é o alvo, então o alvo é você."

10 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!