API – Capítulo 98

Bazar secreto

Depois de uma noite de descanso para aliviar sua fadiga mental, Kieran teve que comer miojo mais uma vez para encher seu estômago. A comida estava ruim como sempre, era o mesmo que mandar sua língua direto para o inferno. Depois de fazer sua rotina diária, ele entrou no jogo mais uma vez.

Quando ele entrou, estava do jeitinho como Sem-lei tinha previsto. A GdG entre Cidade do Vapor e as Carruagens de Ferro tinha parado, assim como os disparos e explosões constantes.

Quando Kieran caminhou em direção à porta do lobby, descobriu que as notificações eram diferentes dessa vez.

[Você deseja sair do lobby? Sim/Não]

— Sim.

[Você deseja camuflar sua aparência? Sim/Não]

— Sim.

Depois de concordar com as duas opções, a porta de ferro diante de Kieran se abriu lentamente. Quando a porta começou a se mover, um raio de sol banhou Kieran em calor, e ele sentiu uma brisa fresca passar por ele.

Kieran arregalou os olhos quando viu o que tinha atrás da porta.

Embora Sem-lei já tenha explicado em detalhes como o mundo era, Kieran ficou de boca aberta do mesmo jeito.

Sob o sol deslumbrante, a bandeira de duas caudas no grande castelo antigo se movia contra o vento. As janelas dos arranha-céus refletia a luz do sol, iluminando a movimentada rua.

Um trem movido a vapor, com várias cabines, corria nos trilhos, indo e voltando entre as ruas.

Havia todo tipo de pessoas vestidas estranhamente nas ruas. Algumas pessoas estavam desarmadas, enquanto outras tinham espadas na cintura ou armas de fogo nos ombros. Alguns vestiam longas túnicas negras, enquanto outros usavam escudos tão altos quanto uma pessoa adulta.

No entanto, sob a proteção do sistema, todos os jogadores estavam com os rostos borrados. Mesmo se alguém tivesse uma visão excepcional, ainda não seria capaz de ver os rostos dos jogadores sob essa camada de ocultação.

Kieran também estava protegido por essa função, assim como todo mundo. Carregando uma mochila enorme, ele virou e olhou para sua própria casa. Parecia o mesmo do lado de fora, então ele não ficou pensando muito nisso. Seja olhando de fora ou de dentro, ainda não era nada além de um depósito quebrado. Poderia até ser considerado abandonado.

Sim, a casa dele parecia um depósito abandonado para qualquer um que olhasse para ela. Havia também uma placa de rua dizendo “Rua Wallway, 13”.

Depois de memorizar seu próprio endereço, Kieran partiu para o local designado de sua reunião com Sem-lei. Ele não iria a pé, obviamente, então pegou o transporte público que havia visto momentos antes, o veículo que parecia um trem movido a vapor.

Era apenas semelhante a um, pois além de sua frente movida a vapor, o resto não parecia nada com um trem, certamente não quando se tratava de velocidade ou conforto.

Kieran embarcou no veículo em uma estação. Caminhou até uma cabine vazia e espaçosa e se sentou em um sofá amplo e confortável. Se sentiu tão confortável que acabou fechando os olhos relaxando.

No entanto, o conselho de Sem-lei ainda estava em sua mente. Kieran precisava colocar rapidamente o endereço de seu destino na tela de LED e esperar o condutor encontrar a rota mais rápida.

Mesmo quando os jogadores estavam fora da masmorra, eles não ganhariam habilidades de teletransporte para ir para onde quisessem. Além de caminhar, a única outra maneira de chegar a outro lugar era pegando o transporte público.

Era a única opção oferecida aos jogadores, mas felizmente era gratuita. Se um jogador tivesse tempo suficiente, poderia cruzar a cidade inteira sem pagar um centavo sequer.

Kieran não tinha o luxo desse tempo sobrando, mas ele, ainda assim, não se importava de apreciar a paisagem.

As imagens passavam rapidamente, formando uma linha de luz de arco-íris. Se a Percepção D+ de Kieran não lhe concedesse uma visão excepcional, não conseguiria ver nada do lado de fora na velocidade em que estava viajando. Apesar disso, Kieran teve o privilégio de aproveitar cada um dos edifícios e vistas fora de sua janela. De frente com uma paisagem diferente do que estava acostumado, Kieram apreciava com satisfação, já que não tinha mais ninguém além dele na espaçosa cabine.

Após cerca de quinze minutos de viagem, o condutor notificou seu único passageiro.

[Jogador 2567 chegou ao seu destino. Por favor, desembarque!]

A repentina notificação que surgiu em sua visão o impediu de apreciar ainda mais a paisagem ou aquele confortável sofá. Ele se levantou, pegou sua mochila e saiu do trem.

O trem não partiu imediatamente após o desembarque de Kieran. Partiu depois de cerca de três minutos depois. Se Kieran ainda estivesse a bordo do trem, o condutor teria que refazer a viagem por causa dele.

Kieran olhou em volta e viu Sem-lei não muito longe do ponto. Ele era muito reconhecível, apesar da camada de borrão em seu rosto. Seu corpo forte e bronzeado e o charuto na boca eram chamativos demais.

— 2567, estou aqui! — Sem-lei disse acenando com a mão.

Ele tinha visto Kieran também. Não importa o quão comum Kieran parecesse, os dois estavam em uma masmorra em equipe há pouco tempo, então Sem-lei foi capaz de dizer quem era no momento em que os olhos de Kieran pousaram sobre ele.

— Então, como foi sua viagem? Foi a sua primeira vez de trem, certo? Encontrou alguma novinha? Confie em mim, se você quiser que algo de bom aconteça, você deve se sentar perto da janela…

Sem-lei foi até Kieran e o agarrou pelos ombros, obviamente enchendo o saco como sempre.

Kieran rapidamente retirou as mãos de Sem-lei e deu dois passos para longe dele, colocando alguma distância entre os dois.

— Ei, eu pensei que nós fossemos amigos! Ou sua viagem foi uma merda? Não se preocupe, eu sou o garanhão das novinhas no trem! Eu vou te mostrar um novo lado da vida!

Sem-lei fingiu estar magoado, mas instantaneamente ligou seu modo ladainha novamente, indo tão longe a ponto de se dar um título absurdo.

Kieran manteve uma distância de pelo menos dois metros enquanto caminhavam em direção a um prédio de dois andares não muito longe dali.

Embora não soubesse que tipo de lugar hospedaria o bazar secreto, baseado em seu nome, Kieran não conseguia imaginar nenhum lugar grande o suficiente para acomodar a quantidade de jogadores participantes.

Enquanto Sem-lei continuava tagarelando sem parar, Kieran notou pelo menos dez jogadores entrando no prédio, e ainda mais jogadores indo na mesma direção.

Kieran chegou na frente do prédio rapidamente. Pelo lado de fora não parecia nada especial. A decoração comum fazia parecer mais com uma lanchonete ou um café. Se não fosse pelo robô de três metros de altura e pelo funcionário na entrada, ninguém prestaria atenção nesse lugar.

— 10 pontos para entrar! — O robô disse e uma opção de negociação apareceu na frente de Kieran.

Kieran aceitou a negociação. Ele já sabia que teria que pagar para entrar. A mão esquerda do robô imprimiu um bilhete de entrada do tamanho de um chip.

O que chamou a atenção de Kieran foi a mão direita do robô e as armas em seu ombro. Havia uma metralhadora giratória de seis canos na mão direita e dois canhões móveis nos ombros.

— Esse é a menina dos olhos do Agente! — Sem-lei apresentou o robô quando ele alcançou Kieran. — Olá, Jensen! — Sem-lei cumprimentou o robô.

—Bom dia, senhor Sem-lei. — O robô respondeu, fazendo um gesto educado.

Quando o robô os recebeu, os cinco olhares que a Percepção de Kieran havia captado encarando-o desapareceram. Parecia que Jensen não era a única linha de defesa ao redor do lugar.

Kieran e Sem-lei entraram na loja. Kieran rapidamente examinou os arredores, não havia ninguém lá, nem no segundo andar. Ele ativou inconscientemente seu [Rastreamento], e uma série de pegadas apareceram em sua visão. As pegadas levavam para uma pintura a óleo na parede antes de desaparecerem. A pintura era da altura de um homem adulto e representava uma porta.

— O que é isso? — Kieran perguntou surpreso.

— Segue o fluxo. — Sem-lei respondeu com um sorriso enquanto caminhava em direção à pintura. Ele bateu na porta da pintura três vezes.

Uma batida seguida por duas contínuas, e a porta dentro da pintura se abriu. Sem-lei entrou, Kieran o seguiu logo após.

Foi Sem-lei quem o trouxe ali, então com certeza não era uma armadilha, mas Kieran ainda inspecionou a porta por hábito.

Nem mesmo seu [Rastreamento] e [Conhecimento Místico] conseguiram fornecer informações.

Kieran franziu a testa enquanto estendia cuidadosamente a mão para dentro da pintura. Sua mão parecia passar por um véu de água. Antes que pudesse sentir o véu, uma força desconhecida sugou-o para dentro da pintura. Instantaneamente, a loja deserta ficou vazia novamente.

Erudhir
"Se olhar ao redor e não souber quem é o alvo, então o alvo é você."

4 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!