Arifureta Zero – Volume 1 – Capítulo 2 (Parte 14 de 22)

— E-está bem! — Corrin se agarrou no pescoço de Oscar enquanto ele enfiava o guarda-chuva no chão em sua frente.

O chão a poucos metros da sua frente congelou.

Essa era a quarta habilidade do seu Guarda-chuva Negro: Congelamento Instantâneo. Essa era apenas uma adaptação direta da magia de gelo intermediária, Congelamento Instantâneo. Desde que ele mantivesse o feitiço, congelaria toda uma área definida na frente da direção que ele estivesse.

— Dessa vez, não! — Os cavaleiros não sabiam o que Oscar estava armando, mas não ficariam esperando para saber. Aqueles ainda de pé lançaram Zagaia Carmesim até ele. Oscar se viu perante um fogo cruzado de lanças mágicas.

Usando suas Botas de Ônix para melhorar a força de sua perna, Oscar saltou em frente. As zagaias bateram na parede atrás dele, explodindo com uma torrente de chamas.

Os cavaleiros dispararam outra barragem contra ele, e dessa vez Oscar dobrou as costas pouco antes que as zagaias o atingissem, fazendo elas passarem inofensivamente por cima de sua cabeça.

Normalmente se flexionar tanto para trás o faria cair, ou ao menos o faria parar para recuperar o equilíbrio. Em vez disso, o chão que ele congelou o permitiu continuar deslizando.

— Maldições, alguém pare ele! — Os cavaleiros observavam enquanto Oscar deslizava pelo campo de gelo que fizera. Ele se movia a uma velocidade alarmante. Na hora em que ele parecia prestes a ficar sem gelo para deslizar, seu guarda-chuva criaria mais para ele.

Os cavaleiros disparavam feitiços, mas ele se revelou difícil de acertar. Sua velocidade e postura incomum ajudaram a evitar cada feitiço lançado em sua direção.

Eventualmente, seu deslize louco o levou direto a Forneus.

— Hiii! Fique longe de mim! Seus tolos, façam algo sobre ele! — As pernas de Forneus cederam e ele caiu de costas.

— Não vou deixar você… Raio Celestial! — Uma onda de choque de luz dividiu o chão entre Oscar e Forneus. Ela deixou sulcos profundos no solo.

Contudo, Oscar se recompôs e saltou no ar.

— Tolo, agora você está acabado!

— Você não pode esquivar no meio do ar!

Mais dois cavaleiros liberaram seus Raios Celestiais. Eles vinham até Oscar de ambos os lados, o pegando em um ataque em pinça.

— Na verdade, posso. — Oscar não parecia nada preocupado.

Ele saltou uma segunda vez, se impulsionando ainda mais para o ar.

Essa era outra característica de suas Botas de Ônix, Apoios de Luz. Ele encantara as botas com um dos feitiços de luz mais básico, Escudo Sagrado. Exceto que ele inverteu o efeito, permitindo que suas botas criassem plataformas feitas de luz para saltar, mesmo no meio do ar.

— O quê!?

— Impossível!

Os Raios Celestiais se cruzaram debaixo dele e se chocaram nas paredes opostas.

Oscar brandiu seu guarda-chuva em um dos cavaleiros, fazendo lâminas de vento sair dele. A armadura do cavaleiro o salvou da morte instantânea, mas as lâminas de vento ainda eram poderosas o bastante para cortar o metal e deixá-lo sangrando.

Então, Oscar pousou bem perto de Forneus.

— Não se mexa. Mova sequer um dedo, e eu corto a sua cabeça.

— B-bastardo, quem você acha que… Hiii! — Forneus tentou protestar, mas rapidamente ficou em silêncio quando Oscar transformou a ponta do guarda-chuva em lâminas e colocou contra seu pescoço.

— Vocês cavaleiros não querem que seu bispo morra, certo? Então é melhor não se moverem. Ping, você também. — Os cavaleiros congelaram no lugar. Ping e seus amigos estavam tentando sair de fininho na confusão. No entanto, eles congelaram de terror quando as correntes de Oscar saíram do chão na frente deles.

Depois de verem Oscar surrar todo um esquadrão de cavaleiros com uma garotinha nos braços, eles estavam absolutamente aterrorizados com ele.

— Vamos, Bispo Forneus… me diga.

— D-dizer o quê?

— Não é óbvio? Onde Dylan e Katy estão. As duas outras crianças que você roubou do orfanato. Na verdade, se você tem quaisquer outras crianças lá dentro, liberte-as também.

— Libertá-las? — Forneus estava tremendo de medo até agora, mas um pouco de raiva apareceu em sua voz.

— É, você me ouviu. Não faço ideia do que está planejando fazer com elas, mas seja o que for, não deve ser bom. Devolva as crianças da cidade aos seus pais.

Forneus ia protestar, mas depois hesitou. Depois de um tempo de deliberação, um sorriso detestável dividiu seu rosto e ele assentiu.

— Muito bem. Essas crianças foram escolhidas para esse dever pelo próprio Ehit. Não há nada para “libertar” elas… Mesmo assim, se realmente quer vê-las tanto assim, vou trazê-las para fora. Aproveite sua pequena reunião!

— O que está tramando?

— Só estou aqui para assistir sua reunião comovente. Veja como sua família foi transformada em parte do exército leal de Ehit! — Os olhos de Forneus se arregalaram. Seu olhar não estava direcionado a Oscar, mas para um dos cavaleiros.

— Não se mexa! — O aviso de Oscar foi desnecessário. O cavaleiro não estava tentando se mexer. No entanto, sua boca esteve se mexendo esse tempo todo. Como seu capacete cobria o rosto, contudo, Oscar não notou. Nem reparou no círculo mágico gravado no interior do capacete dos cavaleiros brilhando.

Ele estava usando Telepatia para se comunicar com as pessoas dentro do edifício.

Sem o conhecimento de Oscar, eles já haviam libertado a arma suprema. E assim, seu aviso chegou tarde demais.

O cavaleiro não se mexeu, mas a porta do edifício sim. Ela se abriu.

— Grooooooooorrr! — E, por trás dela, a voz de uma besta ecoou pelo recinto.

— O que é isso!? — Oscar se virou para a fonte do barulho, mas uma massa enorme de metal preencheu sua visão.

— Ah!? — Felizmente, ele deu um jeito de erguer o guarda-chuva para se defender bem a tempo.

O pedaço de metal colidiu em seu guarda-chuva com um baque forte, e o choque do impacto percorreu seu braço. A força dele o mandou voando para trás.

Se ele não tivesse reforçado seu guarda-chuva, e não tivesse o peso de oito quilos, Oscar duvidava se teria sido capaz de bloquear realmente a massa. Mesmo que ele pudesse sair vivo do impacto, poderia ter matado Corrin.

Corrin gritou, e Oscar mandou suas correntes atravessar o chão.

Ele transmutou remotamente o chão abaixo deles para amortecer a queda. Depois, usou os feitiços Apoios de Luz e Corrente Ascendente das botas que encantara para ajustar sua posição no meio do ar, com ele caindo de costas, protegendo Corrin. Seu casaco amorteceu ainda mais o impacto, tornando o pouso perfeitamente suave.

Eventualmente, ele rolou para trás e ficou de pé, enfiando a ponta do guarda-chuva no chão para pará-lo.

— Raaaaaaaaah! — Ele ouviu outro rugido, esse muito mais perto.

— Huh!? Capacidade dez, Solo Consagrado! Ativar! — Normalmente, Oscar não precisava falar o nome de suas capacidades para ativá-las, já que ele poderia controlar mana diretamente e tudo mais. Contudo, ele estava tão nervoso que se esqueceu disso e falou de qualquer jeito.

O que quer que eles tivessem soltado era incrivelmente rápido. Conseguira acompanhar Oscar depois de jogá-lo longe. Então, seguiu impiedosamente com outro ataque.

Luz dourada rodeou seu guarda-chuva, e uma barreira em forma de cúpula o cercou.

Golpes poderosos o suficiente para sacudir a terra se chocaram nela. Três deles no total.

Parecia haver mais do que um do que quer que Oscar estivesse enfrentando. Espadas e maças bateram contra a barreira, e pequenas fissuras se formaram nos pontos de impacto.

— Ngh! Tão fortes… Quem diabos são essas pessoas!? — Do outro lado da barreira, Oscar finalmente deu uma boa olhada em seus adversários.

Eles pareciam humanos, mas diferentes de qualquer humano que já vira. Seus músculos eram volumosos, expiravam muita fumaça branca, e seus olhos estavam raiados de sangue.

Aquele bem em frente de Oscar foi quem o enviara voando no começo. Ele estava empunhando um martelo de guerra gigante, o qual reconheceu como o pedaço de metal que tentara matá-lo.

KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

4 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!