Arifureta Zero – Volume 1 – Capítulo 2 (Parte 19 de 22)

— Haaah… Haaah… Puxa vida, minha barriga dói! O-kun, você acabou de levar um sermão de uma garotinha! Ahahahahah!

— Ca-cale a boca! Além disso, você é a…

— Onii-chan!

— Ugh. — Oscar gemeu. Lágrimas escaparam pelo canto dos olhos de Miledi.

Oscar ajustou os óculos e ficou de pé. Ele se recuperara totalmente. Ele fechou o guarda-chuva, depois se virou para Miledi, que ainda estava rindo.

— Miledi.

— Ahahahaha. C-Corrin-chan, você é a melhor! Você adivinhou! C-caramba, dói respirar.

— Miledi.

Ela parou de rir quando ouviu a seriedade na voz de Oscar. Com lágrimas ainda nos olhos, ela olhou para ele.

— Miledi, não acho que a decisão que tomei naquela hora foi errada. Você me fez uma pergunta séria, e quis te dar uma resposta séria.

— O-kun.

— É por isso que não vou me desculpar. Ainda assim, preciso dizer algo.

Miledi inclinou a cabeça, confusa.

— Obrigado. — Os olhos dela se arregalaram.

— Obrigado por nos salvar. Obrigado por me emprestar sua força. Estou em dívida com você. De verdade, obrigado.

— O-oh… N-não tem de quê?

Miledi não esperava isso. Ela corou um pouco, desacostumada com tais agradecimentos diretos. A ponta de suas orelhas ficou vermelha.

Corrin olhou para os dois, com seus olhos transbordando com o tipo de curiosidade que apenas uma criança poderia possuir.

Oscar e Miledi se entreolharam desajeitadamente por alguns segundos.

— Hum-hum, enfim. Estou recuperado agora, então devemos voltar à superfície. Você disse que esse artefato se chamava Olhos de Ehit, não é? Tenho que começar a analisá-lo para arranjar uma maneira de voltar Dylan e Katy ao normal.

— É-é. Vamos fazer isso.

Eles olharam para o lado, ambos terrivelmente conscientes do olhar de Corrin. Então, naquele momento, eles ouviram algo.

— Gyaaah… Gaaah… — Pareceu como um gemido aflito.

Oscar e Miledi trocaram olhares de descrença. Miledi afastou algumas das pedras com um movimento da mão, e eles encontraram Forneus deitado debaixo delas. Por algum milagre, ele ainda estava vivo.

— S-s-s-seus desgraçados… Enfrentem a ira de Ehit! — Ele tossiu sangue com cada palavra.

Oscar não conseguia acreditar que ele ainda estivesse vivo.

— Como… Como raios conseguiu sobreviver a isso? — murmurou ele. Miledi apenas olhou boquiaberta, incrédula, enquanto Corrin soltou um pequeno grito.

Seu corpo do pescoço para baixo fora esmagado, e a cabeça dele tampouco saíra ilesa. Além disso, seu crânio afundou, e seus olhos estavam prestes a sair de sua cavidade. Mesmo assim, a despeito de tudo isso, ainda respirava. Ele olhou para Oscar com um olhar de puro ódio.

— Nossas vidas pertencem a Ehit… Vivemos por ele… e morremos por ele! Esse é o único sentido às nossas existências! Como podem não perceber isso! — Linhas tênues de mana começaram a rodopiar ao seu redor.

Foi sua fé fanática que o manteve vivo? Independentemente de como havia sobrevivido, o fato era que ele parecia assustador.

— Morram, morram, morram! Hereges, inimigos de Ehit… Vocês não merecem a vida! — Ele não estava mais são. Embora estivesse à beira da morte, sua expressão estava em êxtase.

Ele ao menos ainda é um humano?

— Oh, Senhor Eeeeeeeeeeeehit, meu exaltado deus! Observe meus momentos finais! Saiba que até o fim, eu, Forneus Abyssion, fui seu servo fiel!

— Isso não é bom. Miledi!

— Morra já!

Oscar teve um péssimo pressentimento sobre toda a situação. Confiando em seus instintos, Oscar ergueu seu guarda-chuva e disparou uma agulha em Forneus. Ao mesmo tempo, Miledi lançou um feitiço gravitacional.

A agulha perfurou a cabeça de Forneus com um thuc molhado. Miledi a levou ainda mais longe com sua magia, para garantir que o golpe fosse fatal.

Nenhum humano deveria ser capaz de sobreviver a isso. Claro, nenhum humano deveria ter sido capaz de sobreviver ao primeiro ataque de Miledi também. Contudo, o ódio intenso de Forneus o manteve ligado à mortalidade por alguns segundos a mais.

— Glória ao Senhor Ehit! — Existia uma agulha enfiada em sua cabeça, e ainda assim era capaz de falar.

Oscar e Miledi observavam enquanto sua mana se dispersava em névoa.

Um segundo depois, uma enorme explosão abalou o teto. Ou melhor, depois dele. Pelo que Oscar percebeu, a explosão viera do piso de cima. O túnel tremeu com a força da explosão.

Mais explosões sacudiram o edifício demolido. Elas foram menores que o do piso superior, mas ainda destruíram as paredes do edifício.

— Capacidade dez, Solo Consagrado, ativar! — Pedras caíram do teto. Oscar mobilizou imediatamente uma barreira para proteger ele e Corrin.

O rosto de Miledi se alterou para uma careta quando viu as rachaduras aumentando no teto.

— O-oh, não, o teto vai desmoronar! — Miledi se ergueu. Rodeada por um tornado rodopiante de mana azul, ela tentou reverter a gravidade para o andar de cima.

— Gaaah… H-há muitas para segurar! — Parecia que a explosão anterior destruíra as fundações do piso inteiro.

A mana de Miledi se esvaía em uma taxa extraordinária enquanto mantinha juntos quinhentos metros quadrados de piso.

— O-kun, não serei capaz de manter isso por muito tempo! Você tem que se apressar e tirar Dylan e os outros daqui!

— Mas e quanto aos Olhos de Ehit!?

— Por que acha que estou tentando segurar o teto!? Não temos tempo para carregar essa coisa, então terá que fortalecê-lo o suficiente para não quebrar!

Miledi poderia ter evacuado todos facilmente antes do teto desmoronar, mas ela tentou segurá-lo em vez disso para ganhar tempo para Oscar tirar em segurança o artefato.

Considerando quão grande era, seria difícil para Oscar carregá-lo pela passagem que entrou. E definitivamente não caberia na escadaria improvisada que fizera. Além disso, não existia tempo para transmutar uma passagem maior.

Ele sabia que não poderia utilizar tampouco a passagem que Miledi fizera para o sexagésimo sexto piso. O piso de cima que colapsara não afetaria apenas esse piso, mas também o debaixo.

Em outras palavras, a única maneira para Oscar proteger os Olhos de Ehit era transmutar uma caixa à sua volta que fosse suficientemente forte para resistir ao impacto. Eles poderiam recuperá-lo mais tarde.

— Certo. Só me dê vinte segundos!

— Nnnnnngh. Vou tentar! — Miledi abaixou os Olhos de Ehit para perto de Oscar.

Ele colocou as mãos no chão na frente do artefato e começou a transmutar.

Ele lamentava não ser capaz de levá-lo de volta e salvar Dylan e Katy juntamente, mas ele afastou esses pensamentos.

— Vou tornar mais duro do que qualquer coisa em Tortus. — O guarda-chuva de Oscar foi criado a partir da liga mais resistente do planeta. Ele misturara azantium com vedapedra e mais alguns outros metais essenciais. E agora ele iria derretê-lo para revestir o túmulo de pedra que erguera ao redor dos Olhos de Ehit. Isso, combinado com a ativação de Solo Consagrado, seria definitivamente suficiente para suportar o teto desmoronando.

Maldito seja por me obrigar a fazer isso, Forneus. Oscar realmente não queria se separar de seu estimado guarda-chuva, mas não tinha escolha.

— Graaaaaaaaah! — Pouco antes de transmutá-lo, Oscar ouviu um grito peculiar.

— O que foi isso!? — O recinto tremeu quando alguma coisa bateu contra as paredes do edifício.

Um segundo depois, uma parede inteira saiu voando.

Um dragão de terra de três cabeças emergiu dos escombros. Possuía apenas quatro metros de comprimento, mas o perigo que representava era imenso.

— Espera, o que raios esse monstro está fazendo aqui!?

O dragão olhou para Miledi, reagindo a sua voz. Ela gemeu de uma forma bastante máscula.

KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

3 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!