Arifureta – Volume 1 – Capítulo 4 (Parte 18 de 18)

— Vamos parar por aqui — murmurou ele friamente. Ao mesmo tempo, ele recuperou sua postura quase que instantaneamente, e bloqueou o ataque desesperado de Kouki com um movimento preguiçoso de sua espada. Depois disso, ele saltou para trás e embainhou sua arma.

— Hã? Hum? — Kouki olhou para ele vagamente, e o guarda-costas apenas olhou para ele friamente.

— Ei, você tem noção do que está indo enfrentar?

— H-Hmm, vamos lutar contra monstros, demônios e coisas assim… Aquelas que estão fazendo todas essas pessoas sofrerem.

— Monstros, demônios e coisas assim, hein? E acha que dá conta delas com ataques tão covardes? Não parece para mim. Tu é quem deve ser aquele que nos guiará na batalha? Não me faça rir. — O homem atirou as palavras de Kouki de volta em seu rosto e criticou seus defeitos sem nenhum pingo de escárnio ou ridículo em sua voz. Ele falou mecanicamente, afirmando a verdade nua e crua. Mesmo Kouki não conseguiu aceitar tantas humilhações assim.

— Não acha que é rude chamar meus ataques de covardes? Estou falando sério sobre…

— Um garoto que tem medo de se machucar ou de machucar os outros não pode fazer nada. Não abra sua boca quando você nem sequer veio até mim com a intenção de me matar. Você não pode alegar estar falando “sério” com essa sua resolução meia-boca.

Kouki fechou a boca, repentinamente sem palavras. Ele se recuperou suficientemente rápido e estava prestes a replicar com algo como “Não estou com medo!”, mas o guarda-costas já havia se virado e estava se afastando.

O rei e os sacerdotes começaram a gritar de repente, dizendo coisas como: “Como se atreve a agir tão rudemente para com o nosso herói!” e “Como pode considerar essa luta terminada quando ele nem sequer teve a oportunidade de te mostrar suas habilidades!”, e assim por diante. Apoiado por eles, Kouki estava prestes a começar a protestar de novo, mas antes que pudesse, Ishtar acalmou a multidão com sua voz velha.

— Como pode ver, nosso herói ainda está no meio do seu desenvolvimento. É uma pena, mas ele simplesmente não tem experiência suficiente ainda. Não espero que sua nação chegue a uma conclusão de imediato. Devo assumir que suas palavras destinadas ao nosso estimado herói foram para o bem dele. Espero que possamos deixar as coisas assim. Senão, como o papa da Santa Igreja, terei que sancionar uma inquisição contra você. Compreende o que isso significaria, certo, Imperador de Hoelscher, Gahard?

— …Tsc, então você descobriu. Que velhote astuto.

O guarda-costas manteve sua voz baixa, então ninguém pôde ouvir a sua blasfêmia. Então, ele se virou e tirou o brinco da sua orelha direita. Quando o fez, ele foi cercado por uma névoa cinza espessa. Quando ela se dissipou, uma pessoa completamente diferente estava ali no seu lugar.

O imperador era um homem de aparência selvagem nos seus quarenta e poucos anos. Ele tinha cabelos prateados mantidos curtos, e olhos azuis penetrantes que lembravam os de um lobo. Ele era razoavelmente bonito e possuía músculos que revestiam todo o seu corpo. A sala inteira eclodiu em alvoroço.

— S-Senhor Gahard!?

— O Imperador em pessoa!?

O homem com quem Kouki havia lutado era ninguém menos que Gahard D. Hoelscher, o Imperador de Hoelscher. Eliheid massageou suas têmporas quando fez uma pergunta, parecendo pasmado.

— Que raios está fazendo, Senhor Gahard?

— Ora, ora, se não é Sua Alteza Eliheid. Peço desculpas por não o cumprimentar mais cedo. Peço desculpa também por esse disfarce. Eu só queria verificar a força desse herói com os meus próprios olhos. Afinal de contas, sua existência desempenhará um papel fundamental em nossas batalhas por vir. Por favor, perdoe minha insolência.

Embora ele tenha se desculpado profundamente, Gahard não parecia tão arrependido pelo que havia feito. Eliheid simplesmente suspirou e balançou a cabeça enquanto dizia “Esqueça” em resposta ao homem. Kouki e os outros estudantes estavam muito confusos. Mesmo pondo de lado o jogo de pés e habilidades de combate incríveis do imperador, todos estavam tratando seu aparecimento surpresa como se fosse uma ocorrência diária.

— Ishtar, Vossa Santidade. Como você discerniu tão sabiamente, minhas palavras não eram nada mais que conselhos para o nosso jovem herói. Eu nunca sonharia em menosprezar o guerreiro escolhido de Ehit. Peço desculpa se pareci brusco; é simplesmente um mau hábito que adquiri com meus compatriotas.

A resposta de Gahard foi tão insincera que nem sequer poderia ser considerada uma desculpa. Ainda assim, a expressão calma de Ishtar não vacilou, e ele curvou a cabeça ponderosamente.

“Contanto que tenha entendido” foi a única resposta que ele pronunciou.

O evento todo foi então resolvido, e os dois governantes começaram a debater os assuntos de Estado. Eliheid conseguiu extrair pelo menos uma promessa superficial de que iriam apoiar o novo herói “baseado na promessa que ele havia demonstrado”, desse modo concluindo a principal razão para sua visita.

Mais tarde naquela noite, em seus aposentos particulares, Gahard disse aos seus subordinados o que ele realmente pensava.

— Cara, esse fedelho não presta. Ele mal saiu das fraldas. O jeito como ele fala, está claro que ele realmente acredita em toda essa bobagem que ele vomitou sobre ideais e justiça. E o pior é que ele tem justamente a força e carisma suficiente para as pessoas acreditarem nele. Ele é o tipo de pessoa que mataria sem hesitação em favor de seus “ideais”.

— Concordo. Não consigo acreditar que ele pôs honestamente demônios e monstros juntos no mesmo nível. Se tivesse sido uma decisão consciente, então não seria assim tão ruim, mas…

— É, ele claramente não estava pensando em nada quando disse isso. Na verdade, ele é do tipo que provavelmente pensa que a ignorância é uma bênção. Estou espantado por ele ter conseguido viver tanto tempo com essa mentalidade. Talvez seu mundo original fosse um onde isso era aceitável, ou talvez tenha sido só a sua força que o carregou até agora. Seja como for, ele não é nada além de problemas. Infelizmente, não podemos falar contra ele porque ele é o guerreiro escolhido de Ehit. Por ora, não temos uma alternativa senão concordar com esses caprichos do fedelho. — Do ponto de vista do imperador, Kouki não era nenhum herói. Gahard deu de ombros, mas quando pensou em quão forte Kouki estava apesar de só aprender como lutar há uns meses, ele ponderou que talvez houvesse algum potencial nele ainda.

— Bem, talvez ele faça jus ao seu nome depois de lutar com alguns demônios. Podemos fazer nossas últimas avaliações depois. Por enquanto, só temos que nos assegurar de não sermos apanhados nas maquinações desses sacerdotes malditos. Sejam cautelosos com esse papa astuto.

— Sim, meu senhor.

Desconhecendo a verdadeira avaliação que havia recebido, Kouki estava fora dos portões do palácio junto com os outros para ver o imperador no dia seguinte. Parecia que ele estava partindo imediatamente uma vez que ele havia terminado o que veio fazer. Ele realmente era um governante vivaz.

Em aparte, parecia que o imperador tinha encontrado Shizuku durante seu treinamento matinal e havia ficado bastante enfeitiçado por ela. Ele até a tinha convidado para ser sua amante. Shizuku havia recusado educadamente, ao qual o imperador tinha simplesmente rido e dito: “Bem, pense nisso”. Não havia se transformado em um problema sério, mas Kouki também esteve lá para testemunhar o evento. Quando o imperador o avistou, ele tinha simplesmente rido desdenhosamente. Foi então que todos os presentes haviam percebido que esses dois nunca iriam se dar bem.

Nem é preciso dizer que Shizuku apenas suspirou.


KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

12 Comentários

  1. Obrigado por terminar mais um capítulo! E não acho que esse imperador esteja errado em relação ao Kouki…

  2. Kouki eh aquele personagem full forcado, que nao agrada ninguem, pior que tem mts obras que o protagonista eh assim eu passo longe, e tao irreal do que realmente ir para um mundo pararelo, eu espero que ele seja o manipulador do grupo, e um dia a mascara dele caia, personagem 100% bonzinho, amigo da justica e tals, da ate ansia! E ele eh muito forcado (nao tenho cedilha no teclado sorry)

      1. Sim sim os Kouki da real life, sempre tem uns podres, eu simplesmente nao suporto, pq parece ate ser falso haha a pessoa vive se policiando para ser visto como o bonzinho

  3. Hahahaha, tomou otário! Aí aí, esse Imperador, certamente, não teria o direito nem de levantar a voz na presença do Hajime, é até injusto (e cômico) comparar. Obrigado pelo capítulo!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!