Arifureta – Volume 2 – Capítulo 2 (Parte 4 de 18)

Ela não possuía intenção de roubar Hajime de Yue. A ideia nem sequer passou pela sua mente, honestamente. Mesmo deixando os sentimentos por Hajime de lado, Shea realmente respeitava Yue, e queria se aproximar dela. Seus sentimentos eram influenciados muito provavelmente pelo fato de que Yue e Hajime eram os únicos “camaradas” que ela já encontrara. Simplificando, Shea só queria ser amiga deles. Dessa forma ela poderia ficar perto do homem que amava, e a garota que também amava o homem que ela amava. Esse era o futuro que ela sonhava.

A pergunta mesmo era porque Yue consentiu em fazer tal promessa. Não havia nada para ela. Algo como 20% da promessa foi só porque ela sentia um pouco de simpatia por Shea. Quando ouvira anteriormente a história de Shea no fundo do Desfiladeiro Reisen, ela inicialmente pensou que Shea fora muito mais abençoada do que ela. Porém, mesmo assim, ela não podia deixar de sentir que Shea realmente era uma “camarada”. E esse sentimento vago de camaradagem levou Yue a mimar Shea só um pouco.

Os 80% restantes era… simplesmente porque ela era teimosa. Shea havia tomado vantagem disso para atrair Yue a fazer a promessa. Ela havia tramado dessa forma: “Se acha mesmo que estou apenas no caminho, então me tire à força. Se não consegue, então isso só prova que mereço estar com Hajime-san”. Shea esperava instigar Yue em concordar usando seus sentimentos por Hajime. Se fosse qualquer garota exceto Shea, Yue não se importaria. Todavia, ainda que um pouco, Yue ainda aceitou Shea como uma camarada. E quando ela viu quão zelosa Shea estava com o treinamento, mostrando quão forte seus sentimentos eram, Yue não pôde recuar. Como resultado, a promessa fora feita, e Shea ganhado.

— …Haaah. Tudo bem. Manterei minha promessa.

— Sério!? Não tem como voltar atrás agora! Você vai ter que me ajudar!

— ……Está bem.

— Você ainda não parece muito convincente, mas… vai realmente me ajudar, não é?

— …Tão irritante. — A contragosto, de muita má vontade, Yue concedeu a vitória para Shea. Shea ainda estava um pouco preocupada com a resposta de Yue, mas pelo que parecia, Yue era como Hajime no que ela nunca voltaria com a palavra.

Estava quase na hora de Hajime terminar o treinamento dos outros Haulia também. Shea, que estava sorrindo alegremente, e Yue, que estava infeliz com a cara fechada, foram até onde Hajime estava.

Elas encontraram Hajime encostado em uma árvore próxima, com os braços cruzados e os olhos fechados. Quando sentiu suas presenças, ele abriu os olhos e se virou para olhar para elas. Ele achou curioso por elas usarem expressões completamente diferentes, e levantou a mão para elas em saudação.

— Opa. Como foi? Vocês duas terminaram o duelo ou o que quer que seja? — Hajime sabia que elas possuíam uma espécie de aposta nessa competição de algum tipo. Seria estranho se não tivessem, já que ele foi aquele que elaborou o martelo de Shea. Ele ainda se lembrava da noite em que Shea foi até ele, implorando para fazer para ela uma arma que poderia ajudá-la derrotar Yue. Yue mesmo não teve objeções quanto a isso, e tudo o que elas diziam a Hajime quando ele perguntava era que havia uma aposta de algum tipo que fizeram. Ele imaginou que mesmo com uma arma poderosa Yue não teria problemas em ganhar, então ele fizera o martelo para Shea.

Afinal, 9 de 10 vezes Yue teria ganhado. Hajime vira bem o quão forte Yue era no abismo. Mesmo que ela possuísse a mesma capacidade de manipular sua mana livremente, Shea vivera uma vida pacífica até agora.

Contudo, a julgar pelas suas expressões, parecia para Hajime que o seu palpite fora impreciso. Ele ficou admirado internamente com o fato de que Shea havia sido capaz de vencer. Ainda radiante, Shea começou a falar com Hajime.

— Hajime-san, Hajime-san! Escute isso! Finalmente venci Yue-san! Foi incrível! Cara, quem me dera pudesse mostrar a você quão legal eu estive! Quando Yue-san soube que perdeu, ela… Guooh!? — Com gestos abrangentes, ela começou a recontar animadamente os detalhes de sua luta. Irritada pela forma que Shea estava se deixando levar, Yue saltou e desferiu uma bofetada tão poderosa que mandou Shea voando pelo ar. Ela caiu no chão com um tum e ficou se contorcendo estranhamente. Yue bufou de infelicidade e deu as costas para Shea, ao mesmo tempo que Hajime sorria sabidamente antes de se virar para Yue.

— Então? Como foi? — Ele estava mais interessado no conteúdo do combate do que o seu resultado. Falando francamente, ele achava difícil de acreditar que Shea pudesse ter derrotado Yue. Por esse motivo, ele queria ouvir a avaliação de Yue sobre ela. A expressão de Yue implicava claramente que não queria falar sobre isso, não obstante ela respondeu relutantemente.

— …Sua aptidão para magia é a mesma que a sua.

— Isso é que é uma surpresa. Que desperdício, tendo em conta suas capacidades… Então? Não pode ser só isso, não é? Afinal de contas, ela consegue usar esse martelo enorme.

— Sim. Ela é mesmo boa em magia de fortalecimento. Insanamente boa, até. Ela é um monstro por si mesma.

— …Uau. Quão forte comparado conosco?

Hajime entrecerrou os olhos de curiosidade. A avaliação por Yue de Shea era muito maior do que esperava. E a sua expressão amarga respondia a pergunta de Hajime muito melhor do que qualquer palavra poderia. Depois de um momento pensando nisso, Yue encontrou o olhar de Hajime e lhe deu uma resposta mais concreta.

— Talvez quase 60% de sua força, Hajime… Quando você não está usando Romper Limite, no entanto.

— Sério? Isso é o mais forte que ela consegue ser por si mesma?

— É… Por enquanto, contudo. Ela pode ficar mais forte com mais treino.

— Uau. Isso é bastante louco.

Embora não demonstrasse, Hajime ficou chocado com quão monstruosa a força de Shea era. Ele olhou para o monstro em questão.

60% de sua força sem Romper Limite ainda significava que todas as estatísticas de Shea poderiam bater facilmente 6.000. Isso era mais que 1,5 vezes as estatísticas de um herói comum usando Romper Limite. Chamar a sua força de monstruosa não era eufemismo. Não admira que ela tivesse conseguido acertar um golpe em Yue. Nunca poderia ser imaginado com a aparência que ela tem agora, no entanto, pensou Hajime, enquanto observava as lágrimas nos olhos de Shea enquanto ela segurava a bochecha.

Meio perplexo, meio espantado, ele observou como ela finalmente notou o seu olhar, se levantou, e se aproximou enquanto se esforçava para manter as emoções sob controle.

A poucos metros dele, ela ajeitou as costas e os ombros. Seu cabelo azul-claro esvoaçava ao vento e suas orelhas de coelho estavam em pé. Esse seria o pedido mais importante de sua vida. Ou talvez… confissão fosse a melhor palavra para isso. Tremendo e com a expressão tensa, ela não obstante deu alguns passos em frente mais determinado. Por fim, ela olhou para ele bem nos olhos, e Hajime viu a determinação ardendo dentro deles.

— Hajime-san. Por favor, me deixe acompanhá-los em sua jornada. Por favor!

— Não.

— Sem mais nem menos!?

Considerando o clima, Shea esperava que ele ao menos ponderasse seu pedido um pouco antes de responder. Ela arregalou os olhos de surpresa com sua resposta súbita. Hajime apenas olhou para ela com uma expressão que apenas gritava “de onde tirou isso?”.

O choque deu lugar a raiva. Você poderia ao menos levar o meu pedido um pouco mais a sério!

— V-você é tão cruel, Hajime-san. Estava sendo tão séria, e você disse não dessa forma…

— Não parecia tão sério para mim. Além disso, o que vai fazer em relação a Cam e os outros? Não espere que eu os leve comigo.

— N-não, nada disso! Quis dizer só eu! Eu te pedi antes também, lembra? Naquela hora você disse que não querer ser um fardo para minha família não era um bom motivo para me levar, mas agora…

— Mas agora o quê?

Shea se agitou desajeitadamente. Seus dedos tremiam e um leve rubor surgiu em suas bochechas. Que astuta. Ela realmente era uma mestra em sua arte. Infelizmente para ela, Hajime apenas olhou de forma suspeita. Ao lado dele, Yue olhava furiosamente para ela.

— Mas agora… Estou pedindo para ir com vocês porque eu quero, então…

— Hã? Por que quer vir com a gente? Você nem será mais um peso para sua família com o quão forte ficou. Raios, você até poderia enfrentar qualquer tipo de inimigo que aparecesse na superfície.

— E-eu sei, mas…

— …… — Ela se agitou silenciosamente por alguns minutos antes de Hajime finalmente ficar impaciente e sacar Donner. Percebendo que tinha que dizer alguma coisa logo, Shea reuniu sua coragem rapidamente e abriu a boca, decidindo deixar seus sentimentos falarem por ela.

KakaSplatT
☦ Death To The World ☦

6 Comentários

  1. Eu queria tanto q o hajime tivesse ignorado esses coelhos irritantes, ia poupar muito tempo e nos não íamos ter essa coelha talarica enchendo o saco

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!