CdC – Capítulo 42

O Mestre do Altar que foi trolado

 

— Faz sentido que você tenha escolhido ser um cultivador asceta, já que existem muitas coisas necessárias do mundo normal. No futuro, não importa se for material para treinamento, lugar para cultivar, ou ingredientes medicinais que possam ser comprados das pessoas normais, tudo isso custa uma fortuna. Afinal, no dizer: “saúde, amor, sorte e lar”, saúde vem em primeiro. — Mestre dos Medicamentos gargalhou. É claro que por “saúde” ele não quis dizer o dinheiro das pessoas normais, mas todos os tesouros naturais, ervas medicinais, medicamentos de alta qualidade, e armas divinas usadas comumente por cultivadores que mantinham a “saúde” de quem as tinha. — Eu não sei como os outros do grupo fazem dinheiro, mas eu posso dizer como eu ganho o meu. Afinal, as riquezas do mundo mortal não são indispensáveis para mim. — Mestre dos Medicamentos continuou. — Depois que você conseguir estabelecer sua fundação com sucesso, eu vou te ensinar algumas formas de refinar xaropes que são inúteis para cultivadores, mas bastante procurados pelas pessoas normais. Daí, quando for a hora eu te ensino como agir como um idiota pretensioso, opa, quero dizer… como fazer um monte de dinheiro.

Os olhos de Shuhang brilharam:

— Então o que eu preciso fazer pelo senhor? — Shuhang já sabia bem sobre os costumes do grupo. A reciprocidade vinha depois de um favor. Mesmo ontem, quando Rio do Norte quiz “presentear” Shuhang com as técnicas para estabelecer a fundação, era apenas um “investimento”.

— Haha! Jovem amigo Shuhang, você é mesmo bem rápido para aprender como lidar com as trocas do Grupo das Nove Províncias. — Mestre dos Medicamentos sorriu. — Lembrando daqueles anos quando eu estabeleci minha rotina para ganhar dinheiro, não tinha nem sido pelo dinheiro, mas para conseguir vinte diferentes tipos de ervas medicinais do fundo do mar a cada ano… Quando você começar, você será responsável por refinar alguns para o comércio, então, apenas me dê os vinte ingredientes e quarenta por cento das riquezas mundanas que você receber ao ano. Os outros sessenta por cento irão contar como salário por contratar você. Já para os detalhes, falaremos sobre eles depois que você tiver sucesso na sua fundação.

Shuhang não sabia quanto era os sessenta por cento que Mestre dos Medicamentos estava se referindo, então ele alegremente aceitou os termos, e os dois continuaram conversando enquanto caminhavam.

Logo, eles chegaram em um pequeno beco na Rua Auspiciosa, onde um tal de “Song” brincou de salvar donzelas no dia anterior.

— Hmm? — Mestre dos Medicamentos parou de repente.

Então, Mestre dos Medicamentos rapidamente virou a cabeça na direção de um ponto escuro no beco, com um olhar feroz e perigoso como uma espada afiada que poderia fatiar a alma de alguém.

— Qual o problema, sênior? — Shuhang perguntou perplexo.

Logo depois, Mestre dos Medicamentos se virou de novo e sorriu:

— Nada, apenas uns stalkers irritantes. Toda vez que eu saio, tem alguém que gosta de enviar um júnior atrás de mim, esperando que eu os ajude a refinar alguma coisa, ou se eles tiverem a sorte de me achar enquanto procuro ingredientes medicinais, esperam descobrir os meus locais de coleta. É justamente porque esses idiotas são irritantes demais que toda vez que eu encontro algum lugar para colher ervas, nem mesmo os mais normais orvalhos da manhã da grama misteriosa são deixados para trás… Eu não vou deixar para eles nem mesmo um fio de cabelo sequer.

Mestre dos Medicamentos era algum tipo de detector de tesouros humano? Sempre encontrando lugares para colher ervas medicinais? Se não, como poderiam haver pessoas especialmente destacadas para seguir os passos dele?

Parece que o Mestre dos Medicamentos tinha muita raiva desses stalkers.

Nas profundezas do beco, uma sombra se escorava fracamente contra a parede, ambas as mãos tremendo enquanto ele pegava um cigarro, acendendo-o silenciosamente.

Não era outra pessoa se não o Mestre do Altar, cujas experiências de vida poderiam ser compiladas e transformadas em um conto de tragédia.

— Mas que presença assustadora. Isso é quase a pressão exercida pela diferença de qualidade entre o qi e o qi verdadeiro.

No instante em que Mestre dos Medicamentos o encarou, ele sentiu como se estivesse prestes a morrer.

Mestre do Altar tinha seguido os rastros de Shuhang e tinha chegado até Jiangnan. Ele esperava conseguir uma das almas penadas que Shuhang e Pena Macia tinham.

Só que ele já havia esquecido sobre a que Pena Macia tinha levado.

A garota viajou para longe levando um dos fantasmas, já que tinha jurado conseguir um deles. Ainda por cima, ela era poderosa, e vinha de uma família influente. Mestre do Altar sabia que mesmo que ele implorasse e oferecesse todos os seus bens, a garota sequer olharia para ele. Obter a alma penada dela era praticamente impossível.

Já a ideia de roubar? Mestre do Altar nunca nem considerou isso. Ele sentiu que mesmo se dez deles atacassem simultaneamente, todos iriam apanhar feio da garota.

Contrariamente, aquele misterioso e profundo “Sênior Song” não parecia se importar muito com a alma penada. Quando eles pegaram os fantasmas, foi apenas depois da insistência constante de Pena Macia que ele tinha aceitado uma delas. Parece que esse “Sênior Song” era tão poderoso que podia esnobar almas penadas. Nesse caso, talvez ele tivesse a chance de tentar barganhar.

Mestre do Altar tinha um pequeno traço de esperança, enviando secretamente homens atrás de Shuhang.

Ele também tinha ordenado seus subordinados para recolher informações sobre ele, para ver se esse sênior tinha alguma necessidade, então ele poderia tentar juntar algo para agradá-lo em troca do fantasma.

Um dia depois, as informações pessoais do “Sênior Song” tinham sido recolhidas pelos subordinados.

Song Shuhang, homem, dezoito anos. Faculdade de Engenharia Mecânica da Universidade de Jiangnan, Escola de Design de Produção. Calouro do 19º Departamento, Sala 43. Ensino Médio na escola Linluo. Atualmente residindo no campus da universidade.

Um jovem bastante normal. O perfil pessoal também destacava que ele não tinha antecedentes e era um rapaz legal que gostava de ajudar os outros.

Quando o Mestre do Altar viu o perfil daquele misterioso “Sênior Song”, ele tinha ficado absolutamente chocado.

Ele não estava lendo errado, não é? Talvez ele tivesse confundido… Esse perfil, era realmente um perfil de um cultivador, e não de um estudante universitário normal?

Será que é um perfil falso? — Esse foi o primeiro pensamento que veio a mente do Mestre do Altar.

Ele encarou o perfil por um longo tempo. A foto ¾ no topo mostrava um sorriso caloroso em preto e branco, que sem dúvida pertencia ao “Sênior Song”. Mestre do Altar segurava aqueles papéis, perdido em pensamentos.

Sua mente estava em uma confusão espetacular. Centenas de milhares de pensamentos surgiam. No fim, ele decidiu ir pessoalmente até Song Shuhang.

Ele queria confirmar se era uma informação falsa que o subordinado tinha conseguido. Então, Song Shuhang era um cultivador poderoso ou um mero mortal?

Se o “Sênior Song” fosse realmente um mero mortal, pegar de volta a alma penada seria fácil como estalar os dedos. E quando isso acontecesse, Mestre do Altar tinha feito um juramento feroz para si mesmo: Se Shuhang fosse realmente um mero mortal, ele iria pessoalmente esfolar o cara vivo, e depois extrair sua alma para transformá-la em um fantasma ressentido! Essa era a única forma de aliviar o ódio que ele sentiria por ter sido aterrorizado durante esses dias.

Então ele viajou pessoalmente até o campus da Universidade Jiangnan.

Quando chegou nos arredores, ele coincidentemente viu Shuhang caminhando com um cara estiloso do lado.

Ele os seguiu com muito cuidado, escondendo sua presença diligentemente. Afinal, antes de confirmar se Shuhang era um sênior poderoso ou um mero mortal, ele precisava fazer as coisas direitinho.

Ele pensou que estava se escondendo bem, para que nem Shuhang, nem o cara estiloso ao lado dele não o notassem. Primeiro, ele iria observar Shuhang por alguns dias, então encontrar uma chance de testar se Shuhang era um cultivador ou um mortal, ou pelo menos foi assim que o Mestre do Altar planejou.

Entretanto, justo quando ele tinha certeza que estava bem escondido, o carinha estiloso andando ao lado de Shuhang se virou e o encarou.

Aqueles olhos esfumados eram afiados como lâminas. Aquele olhar era como uma águia no topo das nuvens olhando para uma pequena presa encolhida entre o gramado.

Ou mesmo como se um demônio primordial estivesse zombando de uma formiga na ponta de seus dedos.

Absolutamente aterrorizante.

De onde aquele cara tinha saído?

Mestre do Altar era originalmente um cara covarde e cheio de precauções. Para alguém como ele, tão mais ele vivesse, mais cauteloso ele se tornava.

Ele tinha sido feito de bobo. Completamente trolado.

Depois de fumar um cigarro, as mãos trêmulas do Mestre do Altar gradualmente se acalmaram. Não importa o quão assustado ele estivesse, ele ainda tinha que encarar o que vinha pela frente.

Depois de apagar a bituca do cigarro, Mestre do Altar se forçou a ficar calmo.

Dessa vez, depois que eu conseguir a alma penada de volta, eu vou voltar para casa na região setentrional e voltarei a cultivar propriamente. Entretanto, eu ainda devo esperar pelo momento em que Song Shuhang e aquele cara estiloso se separem, então irei procurar por uma oportunidade de fazer a minha jogada.

Nega Fulor
Leitora compulsiva. Escritora obsessiva. Artista nas horas vagas.

4 Comentários

  1. Esse mestre do altar seria mais feliz sem saber que Shuhang era humano normal… Agora só vai sofrer mais e mais 😂😂

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!