CdC – Capítulo 60

Medo e… Prazer?

 

—  Entre. — Mestre do Altar respondeu em voz baixa.

No entanto, ele só ouviu um “Dong” do lado de fora e nenhum outro som.

Mestre do Altar franziu a testa e tirou uma adaga do casaco. Então, ele se aproximou cautelosamente da porta e olhou para fora pelo olho mágico.

Do lado de fora da porta, o subordinado que ele tinha enviado estava encostado na porta, imóvel. Não havia ninguém atrás dele.

Ele conseguiu?

No entanto, Mestre do Altar sentia que algo estava errado. Ele abriu a porta rapidamente com os músculos tensionados, pronto para lutar.

Quando a porta se abriu, o subalterno, que estava encostado na porta, caiu de repente sobre ele. Mestre do Altar estendeu as mãos e arrastou-o para o quarto.

Ele olhou em volta com cuidado mais uma vez para se certificar de que não havia mais ninguém.

— O que está acontecendo? — ele olhou para o subordinado em seus braços e perguntou com a voz áspera.

Mesmo antes de ele terminar de perguntar, o Mestre do Altar sentiu que havia algo de errado com este cara, pois ele apenas se contraiu e caiu no chão suavemente.

Mestre do Altar imediatamente pressionou o pulso de seus subordinados para sentir seus batimentos, apenas para descobrir que seu pulso havia parado de bater e o qi e o sangue se dissiparam em seu Canal do Coração… Ele estava morto como um cão sem dono! Sem nem mesmo últimas palavras!

Ele franziu a testa e verificou o estado do corpo. Não havia cicatrizes ou traços de batalha em seu corpo, apenas um pouco de sangue em sua máscara.

Mestre do Altar removeu cuidadosamente a máscara com a adaga apenas para ver o rosto azul do subalterno. Seus olhos estavam vermelhos e inchados, e uma corrente de sangue fedorento escorria de sua boca.

Havia um cheiro ruim no sangue. Mestre do Altar de repente se sentiu tonto quando sentiu o cheiro.

— É veneno!

Seu subalterno foi envenenado até a morte, e esse veneno era extremamente tóxico! Ele havia se misturado ao sangue e o cadáver tinha se tornado tóxico. Agora, até cheirar o sangue dele pode envenenar alguém!

Mestre do Altar rapidamente engoliu uma pílula desintoxicante e circulou o qi verdadeiro por todo o corpo para remover as toxinas.

Até mesmo o cheiro já era tão tóxico. Quão perigoso seria o veneno original?

Aquele Song Shuhang não era uma pessoa comum afinal de contas.

Porra, “Um calouro na Universidade Jiangnan”? “Um jovem que acabara de completar dezoito anos?”, “Seus pais ainda estavam vivos e ele era gentil com todos?” … Todas essas informações eram falsas.

Especialmente o maldito “gentil a todos”! Como uma pessoa que usa um veneno tão horrível pode ser gentil?

Certeza que o Song Shuhang acabou de usar a informação falsa para esconder sua verdadeira identidade, e estava apenas… experimentando a vida mundana de um mortal!

Filho da mãe, por que ele tinha que deixar a informação tão realista? Caralho!

— Droga, as toxinas não vão sair! — Mestre do Altar rangia os dentes. As toxinas haviam se enraizado em seu corpo e eram difíceis de remover. Se ele quisesse remover esse veneno de seu corpo, ele talvez precisasse entrar em reclusão.

Mas agora, ele não tinha tempo.

Subordinado estúpido! Como ele se atreveu a vir até aqui depois de ser envenenado? Qual a diferença dele pra um porco?! Ele estava literalmente mostrando o caminho para o inimigo!

Talvez Song Shuhang tenha perseguido seu subordinado até chegar nesse lugar.

Ele não deveria mais ficar aqui!

Mestre do Altar reuniu suas coisas o mais rápido possível.

Antes de sair, ele borrifou um pouco de pó dissolvente de cadáver no corpo do subalterno para destruir todos os vestígios.

Depois de terminar tudo, Mestre do Altar cobriu a boca e o nariz, depois saltou pela janela. Ele pulou do hotel sob o disfarce da noite.

Aqui estava o Plano B. Ele encontraria outra maneira de contatar esse “Sênior Song” para fazer uma troca pela sua alma penada depois que ele conseguisse remover as toxinas em seu corpo.

A noite… ainda era longa.

No escuro da noite, alguém estava feliz, alguém estava puto, e alguém estava triste… as vicissitudes da vida!

6 de junho, 5h da manhã


Song Shuhang abriu os olhos, cheio de energia. Então, ele franziu a testa assim que ele abriu os olhos.

Depois de ter seu corpo temperado, seu olfato ficou mais aguçado do que o das pessoas comuns. Havia um leve cheiro de sangue no ar.

Além disso, a porta do quarto estava aberta. Em junho, Song Shuhang e seus colegas de quarto nunca deixavam a porta do quarto aberta quando estavam dormindo, pois, os mosquitos estavam desenfreados nessa estação. Ninguém dormia com a porta aberta se não quisesse se servir de comida pra pernilongos.

— Meus colegas de quarto voltaram? — Shuhang perguntou.

No entanto, olhando em volta, ele não encontrou nenhum de seus amigos.

Olhando pelo quarto, ele também pôde ver a porta francesa da varanda aberta.

— Foi um ladrão? — Song Shuhang ficou nervoso. Assaltos na verdade eram comuns nos dormitórios dos meninos, especialmente aqueles no segundo andar que eram os favoritos dos ladrões.

Taporra! — Song Shuhang deu um pulo. Ele deveria ter sido mais vigilante! Em seu armário, havia um monte de porções de ervas medicinais para refinar o líquido de aperfeiçoamento corporal, algo que não se podia obter com dinheiro.

Se essas ervas medicinais fossem roubadas, ele choraria de dor no coração.

Quando ele se levantou, os olhos de Song Shuhang estavam fixos no chão, havia uma lâmina sem cabo ali. Era tão afiada quanto uma navalha, brilhando com uma luz fria.

Esse tipo de lâmina deve ser usado apertando-a entre os dedos ou junto com outras ferramentas. É necessária uma certa técnica para ser usada. Apenas especialistas poderiam lidar com isso. Essa faca definitivamente não era para cortar frutas. Em vez disso, era uma arma letal, para matar sem derramar sangue.

Um ladrão não precisava e não podia usar uma arma tão especial e letal.

Além do cheiro de sangue no ar… Não era um ladrão!

Se não fosse por dinheiro, então ele tinha vindo tomar a vida de alguém?

Quem ele queria matar?

Ora… Quem mais poderia ser…

Havia apenas ele no dormitório. Além disso, seus colegas de quarto eram apenas estudantes universitários comuns e dificilmente atrairiam um assassino.

Alguém queria matá-lo!

Em um flash, Song Shuhang sentiu seu coração congelar.

Ele pegou a lâmina no chão, sua mente inundada de pensamentos. Ele não conseguia se acalmar.

Quando alguém veio para matá-lo ontem à noite, ele estava dormindo como um tronco! Só de pensar nisso, ele ficou apavorado. Embora ele não soubesse por que o sujeito não o matou, ele quase foi morto.

Mesmo se ele tivesse iniciado o Estabelecimento da Fundação, ele ainda era um estudante universitário comum dois dias atrás. Seria estranho se ele pudesse ficar calmo depois de descobrir que alguém estava tentando matá-lo!

No entanto, Song Shuhang só se deixou entrar em pânico por três respirações (unidade de medida de tempo no universo do cultivo), então ele ativou a [Escritura da Meditação do Eu Verdadeiro] e se forçou a se acalmar.

— Eu não tenho medo da morte desde que eu escolhi ser um cultivador. Song Shuhang abriu os olhos e ficou mais determinado.

Como ele disse isso em voz alta e reforçou a sua determinação como um cultivador, a [Escritura da Meditação do Eu Verdadeiro] dentro dele sofreu um grande avanço e atingiu um nível mais alto. O ‘Eu Verdadeiro’ em sua consciência transcendeu o mundo mundano. Foi assim que seu ‘Eu Verdadeiro’ redescobriu a si mesmo. Ele não era mais uma pessoa comum, mas um cultivador!

Quando ele abriu os olhos novamente, Song Shuhang pressionou o peito suavemente.

Os batimentos cardíacos… ainda estavam um pouco rápidos, mas ele não estava mais com medo. Ele sentiu algo que veio da profundidade do seu coração: prazer!

Um assassino desconhecido e a sensação de encarar a morte fizeram com que ele se sentisse… muito animado!

Mesmo que ele realmente fosse o alvo do assassinato, ele na verdade se animou e se divertiu com algo que nunca aconteceria com um estudante universitário comum.

Por um segundo, Song Shuhang ficou um pouco cético, imaginando se havia algo errado em sua cabeça.

Se esse cara quisesse tirar minha vida, talvez… ele tivesse algo a ver com aquele sujeito que estava coletando informações sobre mim na escola anteontem.

Enquanto ponderava, Shuhang brincou com a lâmina sem cabo que se movia entre os dedos como uma borboleta dançante.

Ele tinha pensado sobre a identidade do cara quando Zhu Geyue lhe disse que alguém estava investigando seu passado.

— Não poderiam ser os marginais. Afinal, eles eram apenas estudantes comuns e viviam sob o domínio da lei. É impossível para eles contratar um assassino para me matar apenas por um pequeno conflito: se os bandidos tivessem tal poder, teriam unificado o mundo inteiro sob seu domínio.

E ele provavelmente não era um dos stalkers que seguiam o Mestre dos Medicamentos, já que a maioria dos stalkers queria pedir ao Mestre dos Medicamentos algum favor. Um extremista pode ter a ideia de me sequestrar para ameaçar o Mestre dos Medicamentos, mas a possibilidade disso é muito baixa.

Então… deve ser alguém que tenha algo a ver com a Pena Macia. — Song Shuhang tirou seu pingente, olhando para a ‘Miçanga de Gelo Aprisionadora de Espíritos’.

Ar fresco era liberado da miçanga de gelo em ondas, que matinha sua mente clara e enchia sua cabeça com pensamentos selvagens.

Pensando em Pena Macia, Song Shuhang lembrou de algo que estava o preocupando muito.

Nega Fulor
Leitora compulsiva. Escritora obsessiva. Artista nas horas vagas.

8 Comentários

  1. Só foi pensar em Pena Macia que começou a ter pensamentos selvagens?
    Esses jovens… ( ͡° ͜ʖ ͡°)

  2. aí, como eu iria querer essa miçanga/ar condicionado portátil, pra minha vida ou melhor pra esse inferno de calor.
    Obrigado pelo capítulo Nega Fulor

  3. Uma duvida que sempre esteve na minha mente pelo unidade de medida do tempo usado no universos do cultivo: Um pessoa com asma seria capaz de controlar o tempo?

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!