DNG – Capítulo 229

Meu Exército de Aranhas Fodas

Han chegou sem problemas até a área marginal de Andrômeda. A última vez que sua espaçonave passou perto daquele local, eles receberam um sinal gravitacional fraco. O sinal era um aviso automático, alertando as naves para não se aproximarem.

O alerta automático foi provavelmente ativado porque a situação era urgente demais no momento do ocorrido, e o emissor talvez não tenha tido tempo de inserir mais detalhes no conteúdo do aviso. Ele ou ela deveriam ter apenas pressionado o botão predefinido da central de comando, enviando um alerta para informar a todos os que estivesse próximos.

Pela força do sinal, Han conseguia presumir que este alerta tinha um longo alcance, porém já havia se tornado muito fraco. Se Han não tivesse modificado sua nave ao extremo e enchido ela com vários radares matriciais, não teria detectado o sinal. Se tratando de outras naves, certamente não seriam capazes de detectar este tipo de sinal fraco.

Nos últimos dias, quando estava na Terra, ele tinha a impressão que havia alguém o seguindo. A fim de verificar se realmente aquele palpite estava correto, ele veio até Andrômeda. Se estivesse mesmo certo, os inimigos provavelmente se instalariam do lado de fora de Andrômeda e o atacariam nesta área de mineração deserta. Porém, Han já estaria preparado e não iria permitir que o inimigo alcançasse seu objetivo.

Supondo que o palpite de Han estivesse errado, ele iria apenas verificar a origem daquele sinal de alerta e isso não lhe custaria nada.

Este planeta de mineração estava praticamente sozinho na galáxia, com a maior parte da sua superfície já em ruínas, resultado da mineração de longo prazo que ocorreu ali no passado. Agora que os minerais mais valiosos foram extraídos, o planeta foi naturalmente abandonado.

O sinal de alerta vinha das profundezas de uma cratera. Claramente, a mineradora havia usado uma máquina de mineração gigantesca, que cavou um buraco enorme de aproximadamente 1.000 km de diâmetro e 300 km de profundidade. Vendo aquilo do espaço, parecia que o planeta havia sido atingido por um canhão gigante.

Han parou naquele planeta deserto e saiu da nave no fundo daquela cratera gigante. O sistema de varredura múltiplo não foi desligado, e continuava sendo controlado remotamente por Giro-Giro, permanecendo assim plenamente operacional.

Este planeta não tinha nome, mas ainda continha um pouco de oxigênio na atmosfera devido aos procedimentos de terraformação pelos quais passou. Mesmo se por acaso o traje de batalha de Han não tivesse um sistema respiratório, ele ainda poderia sobreviver, só que a respiração não era suave e o ar tinha um cheiro pungente.

Han liberou a Garra do Demônio, Raposa Prateada e a Garra Fantasma, ordenando que explorassem.

Muito em breve, Han chegou ao centro daquele fosso. Ele viu que havia uma escavadeira antiga perto do centro, apoiada de forma estranha no chão. Era um modelo da Aliança Interestelar, que parecia uma montanha e pesava milhares de toneladas.

O alerta era transmitido por esta escavadeira. A porta para a cabine não estava fechada, por isso, curiosamente, Han entrou.

As pessoas já haviam presumivelmente fugido após a emissão do sinal de alerta. Ainda havia vestígios de comida e utensílios na cabine de comando, bem como um plano de mineração, planejamento de turnos e algumas fotos de famílias.

Han franziu um pouco a testa e murmurou para si mesmo:

— O que aconteceu? Os operadores desta escavadeira deixaram tudo para trás e saíram correndo?

Giro-Giro respondeu:

— Mestre, algo não está certo. Em um buraco tão profundo, mesmo que os operadores quisessem correr, não seria mais rápido pegar um Speeder? Porém, os dois Speeders na parte de trás da escavadeira ainda estão lá.

Han assentiu com a cabeça e saiu da escavadeira. Tudo parecia normal demais para um campo de mineração, mas por que os operadores não usaram os Speeders para escapar? Isso era um pouco estranho.

— Venha, vamos ativar ela juntos e ver se conseguimos mover essa coisa gigante, — disse Han.

Quando a escavadeira foi tirada do lugar, Han notou que havia na verdade um buraco abaixo da máquina. Então, parecia que os operadores correram depois de colocarem a escavadeira ali pois queriam bloquear o buraco para evitar que coisas saíssem de dentro dele.

*Shua*

Raposa Prateada foi muito rápida, correu para o buraco e pegou algo para mostrar a Han. Ele viu a coisa nas garras dela e imediatamente sorriu. Era na verdade uma aranha estrelada bebê.

Aranhas estreladas também eram um tipo de bestas estelares, porém, um relativamente fraco, e os criadores de bestas geralmente não prestavam muita atenção nelas. Porém, havia uma pessoa que adorava usá-las para criar bestas genéticas, e essa pessoa era Wuyun, o professor de biologia genética de Han. Ele era um viciado que uma vez vasculhou a galáxia a procura de livros antigos sobre biologia genética. Ele obteve um livro estranho e, a partir de então, aprendeu a usar as relativamente fracas aranhas estreladas para criar bestas de fusão de nível superior.

É claro que as aranhas estreladas modificadas ainda não podiam ser comparadas com as Bestas Divinas Blindadas, mas eram superiores no que tange à facilidade de se encontrar matérias-primas, e poderiam ser produzidas em massa.

Han estimou por baixo que Wuyun teria milhões de aranhas estreladas, porém só havia feito pouco mais de cem Bestas Divinas Blindadas em sua vida, das quais dez foram perdidas por Han, aliás. Quando Wuyun ouviu as más notícias, ficou estressado e com cara de poucos amigos por um bom tempo.

Assim, era possível dizer que, embora as Bestas Divinas Blindadas fossem a maior criação de Wuyun, a verdadeira força que o mantinha seguro eram aquelas aranhas estreladas. As técnicas de Wuyun eram muito poderosas, permitindo que as aranhas continuassem a se reproduzir. Essa mera informação definitivamente causaria uma reviravolta no campo da biologia genética, sendo algo original.

De um modo geral, as bestas de fusão genética eram produtos de recombinação genética e eram inférteis, mas Wuyun conseguia fazer com que as aranhas maiores fizessem nascer pequenas aranhas, e deixar que as pequenas aranhas dessem à luz aranhas menores quando crescessem.

Nas grandes montanhas em que Wuyun residia, se alguém cavasse uma entrada, seria um erro verdadeiramente aterrorizante, porque o interior delas estava repleto de aranhas! Essa era a verdadeira razão para as pessoas terem medo de Wuyun. Ele era alguém que tinha um exército na ponta dos dedos!

Han sorriu, pensando que, já que estava ali, poderia muito bem entrar e pegar algumas aranhas estreladas para brincar mais tarde. E se ele realmente se deparasse com um tipo relativamente raro, também poderia aplicar a técnica de Wuyun e criar um exército de aranhas! Mua há há!

Quanto a capturar as espécies normais, seria uma perda de tempo.

— Vá, vamos pegar algumas aranhas. — Han acenou com a mão e conduziu suas bestas caverna adentro.

As aranhas estreladas corriam bem rápido, sem se atrever a lutar contra o bando de Han. Elas eram como carneirinhos indefesos diante de um lobo. Algumas inclusive nem se atreviam a sair correndo, ficando paradas no lugar enquanto tremiam, incapazes de lutar.

Os três ajudantes de Han eram bestas valentes de primeira linha. Mesmo as bestas genéticas que tinham a parte do cérebro responsável pelo medo removidas ainda teriam receio de enfrentar esses três, para não mencionar essas aranhas mais fracas.

— Apenas peguem as maiores e soltem as pequenas.

Han ordenou, e as três bestas atacaram as aranhas dentro da caverna.

As aranhas estreladas eram mais adeptas em escavação, e o planeta inteiro provavelmente estava tomado por seus lares. Han ficaria com preguiça de ter que fazer aquilo pessoalmente, então ele apenas disse aos três companheiros para irem encontrar as mais poderosas.

— Giro-Giro, diz aí, o que pode ser considerado um demônio? — Quando as três bestas foram trabalhar, Han começou a discutir sobre demônios com Giro-Giro.

Se ele não compreendesse o que os demônios eram, não seria capaz de dominar a quinta habilidade suprema dos Seis Caminhos do Zero. Além de treinar e estudar desesperadamente, ele também gostava de pensar e discutir.

— No meu ponto de vista, os demônios são apenas pessoas más.

Han assentiu. Giro-Giro ainda era muito simplório. Esse tipo de resposta era a que viria de uma criança de três anos, completamente inútil para Han. Ele apenas continuou refletindo sobre o que realmente constituía um demônio, mas ficou irritado por não chegar a lugar algum e foi ler um pouco. Wuyun, Andarilho Noturno e o velho Mo deram anotações de suas pesquisas para Han, que costumava dar uma olhada de vez em quando.

Depois de algumas horas, as três criaturas ainda não haviam retornado, o que deixou Han um pouco ansioso. Não seria apenas um grupo de aranhas estreladas de baixo nível? Com a força dos três subordinados dele, não deveria demorar tanto tempo.

Naquele momento, a pequena Raposa Prateada voltou, extremamente agitada.

*Boing*

*Boing*

Ela pulou para cima e para baixo com um ar de empolgação.

Han parou o que estava fazendo e perguntou apressadamente:

— Que foi? Vocês acharam as grandes?

A criaturinha continuou balançando a cabeça, apontando sua garra para a frente, fazendo sinal para que Han a seguisse.

— Pois bem! Pelo bem do meu exército de aranhas fodas, mostre o caminho!

*Shua*

Em um piscar de olhos, Han seguiu a animada Raposa Prateada para o fundo do buraco das aranhas.

Vermillion
Primeiro de seu nome, Nascido do Caos, o Que a Tudo Lê, Spymaster nas horas vagas, Father of Fakes, Professor de Inglês, Um dos Três, Editor do Qidian, Tradutor de TA, Soberania e DNG, Marido Raiz.

1 Comentário

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!