DCC – Capítulo 122

Alésia está envolvida!?

 

É claro que o que eu disse provocou um certo rebuliço entre a comitiva. Todos eles sussurravam muito eufóricos, e me olhavam agora com uma nova perspectiva.

— Nunca fez credenciamento para entrar no palácio?

— Eu nunca ouvi falar de ninguém que não precisasse de credenciamento….

— Eu ouvi dizer que os convidados VIPs do imperador passam direto para o salão de festas interno. Sequer ficam no jardim.

— Então essas meninas…

— Cof… Cof… — O primeiro ministro pigarreou chamando a atenção do restante da comitiva. Todos eles se calaram imediatamente percebendo que estavam sendo indiscretos. — Claro, como queira, — ele disse curvando-se polidamente e tomando a dianteira sem mais delongas.

Andar de saltos realmente era um porre. Eu não sei como as pessoas ainda se sujeitavam a isso. Era desconfortável e extremamente não funcional. Mas eu precisava assumir que minhas botas vermelhas eram lindas. Então eu apenas ergui meu corpo 1 centímetro do chão e comecei a fingir que subia as escadas enquanto flutuava discretamente.

Na entrada, havia uma fila de funcionários do palácio recebendo as comitivas e os demais convidados. O primeiro ministro Binks apresentou um brasão amarelo que indicava uma liderança planetária. O funcionário logo acessou o banco de dados com as especificações dos nomes informados por Belchior para entrar no festival. Pouco a pouco, todos os membros da comitiva foram sendo credenciados, inclusive Briane, que recebeu um crachá informando que ela era de nobreza hereditária de Belchior III, ou seja, brasão azul. Quanto todos eles terminaram, faltava apenas eu e as meninas. O funcionário estava marcando coisas distraidamente em sua tela pessoal.

— E vocês são?

— Você pode anexar algum credenciamento para as minhas amigas? — eu disse esperando alguma atenção do funcionário.

— Humpf. Mais um achando que aqui é festinha do próprio quintal… — ele disse, ainda olhando para a própria tela. — Escute moça, eu não sei que nível de nobreza você acha que tem para achar que pode… pode…

O cara travou.

Ele tirou os olhos da tela e olhou para mim. Imediatamente eu pude ver os dados que ele estava recebendo, informando a ele quem eu era. E ele simplesmente travou. Mas é claro que o nível de eficiência para esse tipo de recepção não era só isso. Praticamente no mesmo segundo em que ele recebeu as informações de que eu tinha chegado, outros funcionários de ranking maior também receberam, e quase imediatamente substituíram o funcionário anterior para me atender.

— Há algo em que possamos ajudar a jovem senhorita? — O primeiro a chegar se ajoelhou no chão e perguntou com a cabeça baixa.

A mudança repentina da postura dos recepcionistas deixou a comitiva de Belchior completamente em choque. Já eu fiquei pensando na má sorte do cara que não me atendeu imediatamente.

— Eu quero uma credencial para as minhas amigas, — eu disse objetivamente.

— Posso perguntar que tipo? — o funcionário disse ainda de joelhos.

— Que tipos há para escolher? — eu devolvi a pergunta.

— A senhorita pode escolher entre as credenciais comuns, para nobres pagantes que vêm ao festival fazer contatos, pode decretar que são uma nova comitiva apenas para vocês, que lhes dará direito há um requerimento direto com o imperador caso desejem, ou pode diretamente oferecer o passe VIP para o primeiro salão de festas dentro do palácio.

— Então eu quero credenciais de uma comitiva autônoma, iremos acompanhar Belchior III. Então prepare nosso lounge ao lado do deles. Por favor, providencie, — eu disse rapidamente.

— Sim, senhorita! — ele disse e imediatamente desapareceu da nossa frente. Em seguida, outros funcionários apareceram, cada um respectivamente fazendo o credenciamento pessoal das meninas. Todo o processo foi extremamente rápido.

— Muito bem, vamos? — eu disse animada, tentando fazer de conta que não estava vendo os olhares chocados do restante da comitiva de Belchior III e das meninas. Fora o primeiro ministro Bink, o Comandante Anderson e Briane, mais ninguém sabia que eu tinha um brasão dourado, o que era literalmente muuuita coisa.

Marco Gionardi:


— A moça já chegou, alteza, — um mensageiro me informou.

— Sim, isso eu já sei. Agora me dê alguma informação útil! — eu reclamei.

Eu estava sentado no trono do palco central e estava recebendo um guarda que me trazia notícias entre uma comitiva e outra. Não é por que eu tinha que dedicar parte da minha atenção em conversar com essas pessoas inferiores, que eu não estava completamente focado em todas as pessoas que chegavam, suas intenções e seus planos. Esse era meu papel aqui afinal.

— Ainda não identificamos porque ela veio separada de Henry Siever. Ela solicitou a formação de uma comitiva independente para ela e mais quatro acompanhantes, além de um lounge ao lado de Belchior III.

— Só isso? — eu perguntei. Era uma pergunta retórica, depois de tudo. Eu sabia que ele não tinha mais nada para me reportar sobre ela. Eu acenei a mão e o guarda se retirou instantaneamente. A próxima comitiva estava se preparando para subir em frente ao meu trono. — O que é isso que eles estão planejando? Parece que alguém vai atacá-los… Por acaso… Kanis? Mas Kanis já chegou e eu não percebi nada de errado com as intenções deles. Também não parece ter nenhuma desarmonia entre ela e Henry. Eles terem chegado separados faz parte do plano de contra-ataque deles? O que está havendo, afinal?

Eu estava começando a ficar de mal humor. Supostamente eu deveria saber de tudo ao meu redor. E eu não sabia. Havia apenas quatro possibilidades de uma coisa dessas ser possível: a primeira era de um onisciente mais poderoso que eu estar acobertando algum esquema de Kanis, o que obviamente era impossível. A segunda era que fosse um obliterante; difícil, mas não impossível. A terceira era que na verdade Belchior III estava tramando contra Kanis. Mas eu não sentia nenhuma emoção de ataque, apenas um sentimento de acuação. E a quarta era que, de acordo com os relatos que eu estive recebendo recentemente, Dhar estivesse metendo a mão nos assuntos do império de novo.

Mas essa possibilidade era ínfima! Por que Dhar se daria ao trabalho de meter a mão nos negócios de planetas pequenos do quadrante 24? Se bem que… tentar desestruturar o império das bordas para o centro fazia bem a cara dele. E Alésia estava envolvida.

Alésia estava envolvida!?

Eu senti meu coração bater mais forte quando cheguei nesse pensamento. É claro que havia merda nessa história. Alésia estava no meio. E ela ainda insistia na birra de ficar ao lado de Henry.

Humpf. Eu só podia lamentar pela má sorte de Belchior III então. Definitivamente eles iriam sofrer bastante no futuro por estarem se aliando àquela pequena praga. Pior ainda para Kanis, que tinha tido a imprudência de escolher ela como inimiga.


Nega Fulor
Leitora compulsiva. Escritora obsessiva. Artista nas horas vagas.

6 Comentários

      1. Jesus arrepiei agr, me senti muito imerso lendo seu trabalho. Agradeço MT por escrever dcc, realmenre acompanhar a trajetória da MC é toda sua dificuldade e o modo como você escreveu foi sem dúvidas brilhante, esperando absolutamente por mais uhuu

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!