DCC – Capítulo 212

O lado da escuridão

 

O resultado da pesquisa chegou quase instantaneamente. Sophia, usando a Sabedoria como fonte de pesquisa, recuperou várias imagens de várias semanas atrás. Nessas imagens, vários Jomons desconhecidos tinham invadido a casa de Daril e Alya e levado os dois com eles sem dar mais explicações. Eles rapidamente desapareceram sem deixar mais nenhum rastro da presença deles em Sátie.

Mesmo essas filmagens tinham sido resgatadas apenas por causa da Sabedoria, elas não existiam em mais nenhum lugar. Essas pessoas eram definitivamente profissionais. Sequer os equipamentos de filmagem e gravação de dados de uso pessoal não foram usados. Parecia até mesmo que… eles sabiam sobre a Sabedoria.

Naquele momento minha visão escureceu e eu senti a força das minhas pernas fugir. Mikal percebeu imediatamente que eu não estava bem e correu para me apoiar.

Sophia, pesquise o paradeiro do meu irmão Alan. — eu comandei mentalmente ainda muito nervosa.

O console Sophia mais uma vez apresentou o mesmo resultado, com apenas algumas imagens resgatadas pela Sabedoria. Alan tinha sido levado da mesma forma que nossos pais por um grupo de Jomons.

O modus operandi deles era absolutamente semelhante e bem planejado. Eles não haviam trazido consigo nenhum aparelho como Link pessoal, e sequer o sistema de navegação as naves deles tinha sido ligado. Eu não consegui rastrear nenhuma nave vindo a este planeta pertencente a Jomons.

A minha fraqueza e desespero logo virou raiva. Eu sempre tinha sido cuidadosa com relação a identidade dos meus pais. Eu nunca tinha sequer pronunciado o nome do meu planeta natal em voz alta na frente de ninguém.

E mesmo que eventualmente alguém descobrisse que eu era de Sátie, era impossível descobrir sobre a minha família. Até este momento, apenas três pessoas sabiam que eu era uma Brard nascida em Sátie, e quem era a minha família e onde eles moravam. E essas três pessoas eram precisamente Henry, Marco e… Mikal.

— Mikal… — eu chamei. Mikal podia sentir minhas emoções graças a intimidade que construímos pela nossa amizade, mas não podia ler meus pensamentos.

— O que precisa? — ele disse prontamente.

Ele sabia que algo tinha acontecido e eu podia sentir a preocupação emanando dele. Ele parecia sincero em relação a mim como sempre. Meu coração doía só de pensar na possibilidade de ter sido enganada por ele.

— Você sabe alguma coisa sobre as pessoas que levaram meus pais? — eu perguntei quase aos sussurros. Eu não tinha força de verbalizar essa questão para ele.

Mikal franziu a testa e me olhou com os olhos apertados. A mão dele tremeu levemente e eu senti o aperto no braço que ele usava para me apoiar aumentar por um breve momento.

— Não. — Ele respondeu secamente. Ele não deu mais explicações.

Meu coração estava apertado e eu sentia uma leve falta de ar. Eu não conseguia rastrear nem a origem daquelas pessoas, nem o destino. Parecia que até mesmo o rosto deles era falso.

Teria sido Marco? Mas ele não quebraria o acordo que tinha comigo sobre não interferir diretamente nas minhas escolhas, e isso incluía não me ameaçar com meus pais! Até mesmo quando ele usou Henry para me manipular, ele não me obrigou a fazer nenhuma escolha. O custo benefício não faria sentido para ele sequestrar minha família.

Além disso… era impossível que tivesse sido Henry. Henry estava preso e tinha tido o livre arbítrio reprimido por Marco. Marco não queria que Henry deixasse Keret livremente em hipótese alguma. De qualquer forma, se tivesse sido Henry, ele não teria enviado pessoas daquela forma para lidar com meus pais. Ele no mínimo teria alguém para dar algumas explicações em vez de leva-los sem mais nem menos.

Isso era um pesadelo.

E já havia passado tanto tempo… Eu sequer tive a ideia de manter Sophia de olho no sistema de segurança ao redor de meus pais pra me informar quando algo acontecesse.

Se algo acontecesse com eles, a culpa era minha! Eu não tinha pensado adequadamente em como protege-los. Eu tinha pensado que apenas deixa-los em paz para que vivessem suas vidas sem preocupações fosse suficiente… eu tinha sido tão idiota.

— Mikal… — eu chamei mais uma vez.

— Diga, — ele respondeu, dessa vez, sem a prontidão e o tom de voz de quem estava disposto a colocar a mão no fogo por mim.

— Você realmente não enviou nenhum relatório enquanto ainda estava reportando ao Conselho Imperial?

Mikal hesitou por um momento. Eu respirei fundo tentando recuperar minhas forças depois daquele choque. A esposa nova de meu pai ainda estava parada na porta da casa nos olhando com uma expressão confusa.

Quando um Jomon apareceu na porta da casa dela, ela ficou espantada e tinha parado de balbuciar, e eu falei com Mikal, eu tinha usado o idioma imperial, então ela não fazia ideia sobre o que estávamos conversando.

Mikal tinha me garantido que ele não tinha passado nenhum relatório sobre nós, sobre mim para o Conselho Imperial e eu tinha acreditado nele. Mas por que ele tinha hesitado? Por que ele não negou diretamente? Eu me libertei do apoio de Mikal e me virei para ele esperando uma resposta.

Será que no tempo em que estivemos em Maskin… ele viajou para fora do planeta várias vezes. Primeiro Adler era a nave mais rápida que existia e eu fiquei inconsciente durante um bom tempo. Ele tinha tido todas as oportunidades do mundo para ir e voltar do Quadrante 01 sem que eu percebesse. E eu nunca tinha pensado em investigar sobre isso.

Ele disse que não enviou nenhum relatório e eu acreditei nele…

Por que eu tinha a Sabedoria… eu iria saber no momento em que ele enviasse um relatório falando sobre mim…

Mas… Mikal sabia sobre a Sabedoria. E se ele soubesse desde o começo? E se ele tivesse sabido essa informação e tivesse sido por isso que ele colou atrás de mim?

E… se enquanto eu estivesse inconsciente, ele tivesse desligado o sistema de navegação da Primeiro Adler e tivesse ido reportar diretamente sobre mim para o Conselho Imperial? Ou… se ele tivesse feito realmente isso e tivesse realmente sido capaz de me enganar durante todo esse tempo, se ele realmente tinha uma forma de burlar minhas investigações com a Sabedoria… então ele não estaria associado a mesma organização que Esdras Portos? Então ele não estaria associado a Dhar?

— Responda, você enviou ou não algum relatório sobre mim durante o tempo que estivemos juntos? — Eu perguntei mais uma vez.

Mikal abaixou os braços que ainda estavam parados na mesma posição em que estiveram quando estava me apoiando. Ele endireitou a coluna e me olhou de cima com uma expressão séria e vazia.

— Você já tirou todas as conclusões que precisa sobre isso, então eu ainda preciso responder? — ele disse

Meu coração apertado se partiu naquele momento. Ele… tinha realmente me traído? E eu tinha o mantido do meu lado durante todo esse tempo? Eu olhei para a expressão vazia no rosto dele, e eu não conseguia ver o que ele estava pensando. Eu podia apenas discernir fracamente um traço de decepção vindo dele.

Ele estava decepcionado comigo por que eu demorei tanto tempo para perceber que ele era um agente duplo?

Mas antes que toda a minha dor se transformasse em raiva completamente, antes que eu pudesse continuar questionando Mikal, enquanto ele ainda me olhava com aqueles olhos vazios e decepcionados, o céu claro da manhã escureceu completamente de uma hora para outra.

Tudo tinha sido consumido pela escuridão. Em alguns segundos, os sensores de iluminação se ascenderam e eu pude voltar a ver o que estava na minha frente. Mas Mikal não estava lá, ele tinha desaparecido. Ele tinha pulado para uma dimensão paralela e eu não tinha como alcança-lo. Eu senti tanto desespero naquele momento.

Por que naquele momento, o pior problema, era que alguém tinha simplesmente apagado o sol…

Nega Fulor
Leitora compulsiva. Escritora obsessiva. Artista nas horas vagas.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!