DS – Capítulo 223

Sentado em cima de seu cavalo de guerra cansado, Zian estudou o Inimigo enquanto eles ficavam em posição. Vindo do sul, uma ralé imunda de infantaria formava fileiras soltas diante do portão sul-oeste de Sanshu. Cada minuto que passava a linha deles se aproximava um ou dois passos a mais, predadores e assassinos mostrando suas cores verdadeiras pela primeira vez. Trabalhando em frenesi, eles andavam em um aglomerado desorganizado, ansiosos para batalha e derramamento de sangue. Vestidos em couros sujos e roupas esfarrapadas, a maioria usava armas improvisadas feitas de ferramentas da fazenda, cheio de forcados, manguais e foices, dando uma aparência de um bando de plebeus rebeldes prontos para se espalhar diante de uma investida concentrada.

Aparências podiam enganar, uma lição aprendida do jeito difícil nas mãos Falling Rain. Não meros rebeldes plebeus, estes eram Corrompidos, cada mulher, homem e criança um traidor do Império. Vivendo no coração da Província Norte, eles eram lobos escondido entre ovelhas, aguardando o tempo deles e afiando suas habilidades em segredo. Quem sabia que tipo de poder jazia escondido debaixo do exterior grosseiro? Fosse membro de tribo montado em garo ou lacaio plebeu imundo, os Corrompidos não podiam ser subestimados. Fortalecidos pelas magias negras do Pai, qualquer um era possível um Demônio esperando para emergir. 

Em forte contraste com o bando de plebeus, os que estavam montados se moviam em formação fechada, mais de mil divididos em quadrados distintos de quatro, dois em cada flanco. Um martelo e bigorna padrão, o bando de plebeus para absorver a investida inicial enquanto os com garos avançavam em ambos os lados. Contra uma força de cavalaria como a deles, era uma defesa bem padrão. Apesar de Zian nunca ter enfrentado os Corrompidos antes, todas as histórias diziam que eles eram pouco mais do que um horda de bárbaros selvagens descontrolados, ignorantes nos pontos mais finos da guerra. A formação na frente dele dizia o contrário.

— Um exercício, jovem mestre. — Ao lado de Zian, Jukai usou o tom de um instrutor, gesticulando para o exército do Inimigo. — Se você estivesse em comando, quais ordens você daria?

Esses exercícios estavam se tornando bem comuns ultimamente, Jukai testando o conhecimento em táticas militares de Zian com exemplos teóricos, mas ele ainda não ofereceu uma resposta que satisfizesse o Coronel. Especulando alto, Zian comprou tempo antes de responder, determinado a acertar. — Apesar da composição da nossa força ser longe da ideal, o terreno está ao nosso favor. A área ao redor foi achatada pela passagem de milhares de vagões indo e vindo de Sanshu, o que significa que nós somos livres para manobrar ao redor da infantaria deles como nós quisermos. — Zian ponderou silenciosamente a situação até que Jukai tossiu, educadamente o incitando a continuar. — Eu igualaria os garos atacando os flancos com os nossos, mantendo eles ocupados na batalha. Então, eu iria enviar escaramuçadores para atrair a infantaria indisciplinada a atacar. Eles iriam recuar e esticar a linha inimiga, depois nós acertamos a infantaria espalhada com uma investida concentrada. 

— Desse modo jogando diretamente com a força do Inimigo. — Jukai concluiu, o que fez o rosto de Zian esquentar, mas não havia zombaria no tom do homem mais velho. — Tão defensivo em duelos, mas um comandante tão agressivo, que maravilha. Uma estratégia apropriada se você estivesse no comando do seu próprio exército e lutando contra uma força rebelde, mas você comanda uma miscelânia de unidades de elite de várias cidades contra um exército Corrompido, jovem mestre. Suas táticas precisam de um nível de confiança e coordenação que nosso exército misturado não tem. 

— Explique. 

A exigência o ganhou um leve suspiro, Jukai preferia deixar que Zian chegasse em suas próprias conclusões, mas o tempo era curto. — Você sabe que os Corrompidos montados em garos não podem se igualar a um número igual de soldados em cavalos. Aqueles lagartos de armadura são exímios em contra investida, usando um pulo poderosos para colidir nas linhas de frente, o cheiro deles deixando em pânico mesmo a mais bem treinada das montarias mais bem treinadas. Na maioria das lutas de cavalaria, momento é chave e os garos possuem vantagem nesse aspecto.

— Sim, mas o centro deles irá quebrar diante da nossa investida. — Zian interjeitou, defendendo sua decisão. — O que significa que mesmo que a gente perca nos flancos, nós vamos ter cinco mil da cavalaria para lidar com mil Corrompidos em garos. 

Em vez de repreendê-lo, Jukai assentiu. — Os Corrompidos não “quebram”, mas você está certo. Assumindo que os atacando os flancos morram até o último homem mantendo os garos no lugar, eles vão te comprar tempo o bastante para derrotar a infantaria Corrompida, mas isso traz a nós a falta de confiança e coordenação que eu falei. Você comanda elites dos arredores da província, cada um capaz de demonstrar a Pureza deles. Essas são pessoas de influência ou posição, a força deles testada e futuro sem limites. Eles vão saber que você os colocou em uma tarefa suicida e eles vão quebrar depois da investida ou falar em engajar os Corrompidos em garos e deixar seus escaramuçadores vulneráveis a um ataque. O Inimigo possui seus Corrompidos em garos separados em grupos por essa mesma razão. Além disso, eles são um inimigo astuto. É altamente provável que a infantaria deles não vai pegar a isca e ao invés se virar para os seus flanqueadores, significando que você desperdiçou mil da cavalaria por pouco ganho. Fosse Nian Zu e os soldados dele, então ele teria sucesso com sua estratégia, mas você não possuía lealdade desses “elites”. 

Enfurecedor. Major Yuzhen disse que Jukai teve uma carreira “ilustre”, mas ninguém ouviu seu nome e Zian não era cara de pau l suficiente para admitir que ele não se incomodava de investigar seus próprios subordinados. — Então, como você procederia?

Dessa vez, Jukai se recusou a responder. — Considere nossas ordens e as perguntas que eu fiz, e a resposta ficará clara. 

Olhando para as linhas inimigas mais uma vez, Zian silenciosamente repassou as coisas. Qual o melhor jeito de atacar os Corrompidos? Levar o exército inteiro para um ataque de um lado do flanco? Recuar e engajar eles nas matas? Avançar em ondas sucessivas? Não importa qual estratagema ou tática ele bolasse, o mesmo problema continuava aparecendo. Cavalaria era uma ferramenta poderosa, mas de uso limitado sem infantaria ou apoio de longa distância. 

Espera. Considere a pergunta. “Quais ordens você daria”, não “como você atacaria”. Suas tropas estavam cansadas e exaustas, encarando um inimigo ansioso e pronto para batalha. — Atrasar. — Ele respondeu, ganhando um sorriso de Jukai. — Se eles atacarem, então eles são forçados a desistir da vantagem que são as defesas da muralha e lidar com as nossas. Enquanto nós não podemos negar o Inimigo um caminho de retirada, não é vantajoso para nós engajar. Manter esse exército nos portões é tudo que podemos fazer, mas se os Corrompidos dentro da cidade recuarem, então nós estamos em posição para prender eles dentro, prendendo o Inimigo dentro do túnel com os defensores de Sanshu do outro lado. 

— De fato. Você deve considerar o grande esquema das coisas. Cada hora que se passa, traz nossa infantaria mais próxima e a evacuação dos cidadãos de Sanshu mais longe do perigo. Os defensores de Sanshu estão segurando os Corrompidos no distrito sul-oeste e agora nós ocupamos esses Corrompidos com garos, uma força que poderia causar destruição entre os evacuados ou ao longo do rio Xiangmin. — Os olhos de Jukai se estreitaram enquanto ele coçava seu queixo. — Estranho quão bem comportados eles tem sido, apesar de ser bom para os fazendeiros e pescadores. Muitas das decisões de Yo Ling são questionáveis no melhor, mas pelo menos o dano foi mínimo. — Balançando sua cabeça, Jukai deu de ombros e saudou. — Bom, então, jovem mestre, vamos. 

— Para onde?

— Atrasar o inimigo, mas é claro. — Com um sorriso e uma piscadela, Jukai avançou até o alcance do Inimigo sem uma preocupação no mundo. Depois de um momento de pausa, Zian foi atrás dele, o resto da comitiva ficando para trás pelas ordens de Jukai. Dois homens indo em direção às garras do inimigo, Zian se certificou de manter suas costas retas e cabeça ereta, escondendo sua apreensão e mantendo seus olhos nas catapultas e balestras sentadas em cima do portão. 

Parando no meio do caminho entre os dois exércitos, ele seguiu o exemplo de Jukai e desmontou, entregando as rédeas a pedido do homem mais velho. Depois de um pouco de gritaria e empurradas, um Corrompido musculoso emergiu das linhas Inimigas, descendo a rua para encontrar ele e, finalmente, Zian percebeu que ele estava aqui para duelar. Vestindo uma túnica com sangue seco, seu oponente carregava um machado de lenhador de duas mãos com fio único, metal negro fixado no cabo e de madeira. Cabelo negro oleoso posto a esmo em seu rosto pálido e marcado, um bastardo feio cujo nariz mostrava vários sinais de fraturas. 

— Não precisa esperar jovem mestre, fortuna favorece os ousados. — Jukai Enviou. — Lembre-se, nós estamos aqui para comprar tempo, então não faça parecer fácil demais ou mate ele rápido demais. E sem Aura a menos que ele tenha uma também. Os Corrompidos tem seu próprio tipo de orgulho em relação a duelos, então eles não mandaram alguém forte demais a menos que você dê razão para eles. 

Com o coração batendo forte em seu peito, Zian sacou seus sabres e se aproximou, olhando cautelosamente para seu oponente. Um golpe mesmo que raspando do machado gigante do campeão iria certamente quebrar os ossos de Zian, severamente limitando suas opções. Floreando com seus sabre, Zian foi para cruzar lâminas com seu primeiro oponente Corrompido em seu segundo duelo até a morte, rezando para um resultado melhor do que o primeiro. E de novo, difícil as coisas acabarem piores do que aquela vez. Ele preferia morrer do que outra humilhação como a que ele sofreu nas mãos de Rain. 

Telegrafando sua intenção, o Campeão Corrompido correu para frente com machado levantado, golpeando Zian como se ele fosse uma árvore imóvel. Desdenhando baixinho, ele deu passo para trás a fim de evitar o golpe antes de se aproximar para encurtar a distância e negar seu oponente uma segunda chance para atacar. Uma ação ingênua que ele imediatamente se arrependeu, Zian cruzou seus sabres a fim de bloquear enquanto o Campeão socava com o pomo da arma, o cabo de madeira acertando como um chute de cavalo apesar dos melhores esforços de Zian para Defletir o golpe. 

Mal conseguindo segurar seus sabres, Zian Empuxou seu corpo e deixou o momento carregá-lo para longe, o vento passando enquanto o machado voava a meros centímetros de seu rosto. Dedos feridos, mãos entorpecidas e braços tremendo, Zian manteve sua distância do Campeão investindo, desesperado para ficar fora do alcance da besta musculosa. Um soco, mal um reflexo tardio para seu oponente, mas ainda quase foi o bastante para acabar com a luta. Poderoso demais, um ataque de frente só acabaria em miséria. 

Não deixar isso fácil demais? Desse jeito, Zian seria sortudo de escapar com sua vida. 

Depois de se recuperar da sua surpresa inicial, ele estudou os movimentos do seu oponente, buscando um padrão para explorar. Encontrando este em questão de segundos, Zian assistia o machado passar mais uma vez antes de golpear o cabo de madeira, querendo destruir o machado. Sua mira certeira, seu sabre Afiado cortou o cabo e parou um centímetro depois, rebatendo de um núcleo impenetrável. O impacto o balançou até o âmago como se ele tivesse tentado empurrar uma montanha com uma martelada, sua mão direita saindo sangrando e seu sabre preso no cabo do machado. 

Dentes amarelos tortos a mostra, o Campeão Corrompido deu um sorriso desdenhoso enquanto enfiava o sabre de Zian na rua de pedras, usando nada além de pura força do músculo. Uma mostra impressionante de força, mas Zian estava mais preocupado com se xingar por subestimar seu oponente. O machado de lenhador era mais do que mero ferro e madeira, era uma arma Corrompida de poder escondido. Nem todos os Corrompidos com garos tinham uma, mas esse bandido comum brandia seu machado com uma maestria que mostrava anos de prática. Quantos mais eram como ele, guerreiros habilidosos escondidos entre a ralé imunda, suas armas indistinguíveis de ferramentas comuns?

Incapaz de se aproximar e com só um único sabre para se defender, Zian evitava golpe após golpe, tentando fazer com que seu oponente se estendesse demais, mas o Campeão era astuto demais para pegar a isca. Segurando o machado com ambas as mãos, ele dava golpes poderosos, medidos, cada um fazendo a vida de Zian passar diante de seus olhos. Depois de mais alguns golpes falhos, o Campeão abaixou seu ombro e avançou, forçando Zian a mergulhar para o lado a fim de não ser esmagado ou partido em dois pelo próximo ataque. Ficando de pé com um rolamento, ele cambaleou para longe do Campeão, tropeçando ao se afastar. Dentro de minutos, sua testa estava ensopada com suor, pulmões queimando e músculos doendo com esforço enquanto a confiança do Campeão aumentava, seu sorriso feio crescendo mais e mais com cada ataque. 

Apesar da circunstância difícil, Zian não pensou em usar sua Aura, em vez focando cada pensamento em desviar de seu oponente. Mesmo se ele ainda tivesse sua armadura Runica, ele ainda não ousaria receber um golpe de seu inimigo, os ataques do Campeão uma mistura estranha de fúria descontrolada e astúcia medida. Zian estava sendo forçado a se afastar de seus aliados, longe de seu sabre perdido, mas ainda ele continuava a desviar, desesperadamente buscando uma chance para atacar. 

Esperando. 

Torcendo. 

Rezando. 

Que patético. O que se tornou do orgulhoso Situ Jia Zian? Uma vez, ele estava na vanguarda de seus iguais, um talento inigualado por qualquer um até Falling Rain mostrar seu rosto. Agora, depois de uma única derrota, de um dragão em ascensão ele se transformou em um rato tímido. Era esse a culminação de seus anos de prática dedicada, morrer nas mãos de um bruto Corrompido sem nome?

A raiva inflamou nova vida dentro dele e acalmou sua mente frenética, o próximo curso de ação claro para ele. Plantando seu pé, ele segurou seu sabre horizontalmente com ambas as mãos na frente dele, se preparando para bloquear o próximo golpe. Os olhos de seu oponente brilhando de alegria enquanto ele levantava alto seu machado, buscando acabar o duelo naquele momento e, agora, pondo tudo nesse único ataque. Empuxando seu corpo, Zian empurrou com seus dedos do pé e deslizou para trás, evitando o golpe ao deslizar na rua de pedras como gelo suave.  O machado do Campeão acertou a pedra, seus olhos se arregalando em choque enquanto ele lutava para puxá-lo e se defender, mas era tarde demais. Revertendo seu momento, Zian voou para frente e realizou “Deslizar ao Vento”, seu sabre cortando carne e osso enquanto ele passava por seu oponente. 

Ficando ereto o máximo que podia, Zian acalmou sua respiração e guardou seu sabre, seu oponente ainda de pé atrás dele. Depois de limpar a poeira e buscar manchas de sangue, ele olhou para as linhas Corrompidas, o campo de batalha silencioso, exceto pelo barulho de madeira e metal na pedra, o machado de seu oponente caindo no chão. Depois de nove segundos, ele ouviu o baque molhado enquanto o corpo de seu oponente finalmente caía no chão. 

Só então Zian se virou para ir embora, passando pela poça de sangue crescendo ao redor do corpo sem cabeça de seu oponente. Parando para pegar seu sabre, ele Afiou o gume e o tirou da rocha, se encolhendo com o guincho dissonante. Depois de guardar a arma, Zian voltou para o lado de Jukai antes de se virar para encarar os Corrompidos mais uma vez. Mãos atrás das costas, ele estava parado orgulhosamente diante do Inimigo, silenciosamente ousando seu próximo oponente a vir a frente, usando o tempo para se Curar o melhor que podia. Apesar dele não ter a habilidade de Falling Rain, as feridas de Zian não eram importantes, com apenas alguns cortes e feridas menores. 

— Uma mostra esplêndida, jovem mestre. — O elogio de Jukai chegou por Envio e Zian mal conseguiu se parar de estufar o peito. — Mas eu gostaria de pedir para você não atuar de maneira tão convincente, meu coração velho não consegue aguentar o estresse. Eu quase corri para te salvar depois que você “tropeçou”, um puta show. 

Tossindo, Zian se lembrou de não ficar arrogante. Fama e glória não eram importantes, força pessoal tudo o que importava. É o motivo dele pretender se afastar do Clã e Sociedade, não mais querendo ser distraído por disputas sem sentido por riqueza e poder política. Seu objetivo era alcançar o ápice do Caminho Marcial e depois de lutar contra esse bruto Corrompido sem nome, ele ainda tinha um longo caminho a percorrer. 

O próximo oponente de Zian, um jovem gracioso, esbelto, lábios distorcidos em escárnio zombeteiro enquanto ele avançava com suas foices gêmeas. Graças a Mãe não era outro monstro musculoso, Zian sacou seus sabres para encontrar seu oponente. Essa era a oportunidade perfeita para treinar. Falling Rain venceu quatro duelos seguidos, então obviamente, Zian precisava vencer pelo menos cinco. 

Não, esses eram Corrompidos sem nome enquanto Rain derrotou três talentos de elite da Sociedade e um escravo caro. Melhor vencer pelo menos nove ou dez vezes.

Por mais que Fung não gostasse do almofadinha arrogante, ele não conseguia não admirar a tenacidade e proeza marcial de Zian. Seis duelos em sucessão, os primeiros contra aldeões Corrompidos, mas os dois últimos contra bárbaros montados em garos. Cada duelo terminou em uma partida apertada, mas ainda Zian estava de pé, esperando por seu sétimo oponente. Apesar dos vários encontros próximos com a morte, Fung sabia que Zian estava se segurando, só mostrando algumas habilidades de Chi e Formas, sua Aura ainda não utilizada. Fervendo de inveja, Fung sonhava de um tempo quando ele estaria confiante o bastante para lutar com Corrompidos com uma desvantagem auto-imposta, fingindo lutar a fim de comprar tempo para o exército descansar. Pior de tudo, Zian permanecia em silêncio durante todo o processo, não se incomodando de entregar seu nome ou até se vangloriar um pouco, com zero demonstrações de satisfação depois de cada vitória duramente ganha. 

Por meses agora, Fung ouviu os sussurros comparando ele com Zian, implicando como ele seguia os passos do outro. Ambos jovens talentosos nascidos em uma família de Magistrados, ambos mulherengos notórios e beberrões e ambos vencedores da Competição, eles deveriam ascender igualmente a fama, mas longe disso. Na verdade, muitos questionavam o motivo de Tong Da Fung parecer faltar em comparação, apesar de ambos andarem em caminhos similares. 

Fung detestava seu companheiro jovem magistrado muito mais por causa disso. Perder para Zian na frente de Du Min Gyu teria sido aceitável, exceto pelo fato do maldito ter tido a pachorra de estapear Fung com a parte chata da espada, uma humilhação. Assistir Rain derrotar o maldito arrogante trouxe a ele uma certa quantidade de paz, mas Fung ainda sonhava em desafiar Zian para um duelo e talvez até retornar o tapa com um dele. 

Depois de assistir seis duelos e o início de um sétimo com ainda outro selvagem do norte, Fung se preocupava que o dia nunca viria. 

— Isso é chato. — Bochechas estufadas e braços cruzados, a adorável Mei Lin sentada no quin dela, assistindo o duelo com o cenho franzido. — Eu pensei que nós iríamos lutar, né? Quando nós vamos entrar na cidade?

Mantendo sua voz baixa, Fung explicou, — Zian está comprando tempo, dando tempo para nossos soldados e cavalos cansados descansarem depois de um dia de viagem. 

Compreensão aparecendo em seu rosto enquanto Lin sorria timidamente, batendo levemente em sua própria cabeça. — Ah. Tá. Desculpa. — Suspirando alto, ela voltou a esperar em silêncio por um único minuto, antes de perguntar, — Quando é sua vez de lutar?

Mei Lin era perfeita para Rain, os dois totalmente não se preocupando com honra. Não havia nada malicioso no comentário, meramente como os dois eram. Sorrindo, Fung meramente balançou sua cabeça. Ele não ousava ir depois de Zian. Quem sabe que tipo de monstro o Inimigo enviaria? Ignorando o apelo silencioso de Rustram para enviá-la para longe por segurança, Fung voltou a assistir os duelos de Zian. Apesar do comportamento da garota doce despertar um desejo de proteger ela, ele sabia que Mei Lin não precisava da proteção dele. 

Ao invés, ele devotou todos seus esforços para encontrar uma fraqueza em seu “rival”, mas foi inútil. A única coisa que ele notou era uma tendência de Zian de desistir da iniciativa para lutar defensivamente, estudando seu oponentes profundamente antes de ir para a matança. Não exatamente uma fraqueza, as defesas de Zian eram top de linha, capaz de desviar, defender ou Defletir tudo menos o mais poderoso dos golpes. Como Rain derrotou ele ainda era um mistério para Fung, apesar dele ter visto a partida com seus próprios olhos. 

Depois de uma luta longa, o sétimo duelo chegou a um fim, Zian vencendo com um golpe final limpo como sempre. O maldito arrogante nem estava sujo, mal olhando para seu oponente caído antes de voltar a ficar parado esperando perto do seu segundo. Quanto tempo ele pretendia continuar? Quase trinta minutos se passaram até agora, um único homem contra o exército Corrompido, desafiando eles com ousadia de novo e de novo. Apesar de doer ver Zian ganhar mais fama e glória, esses trinta minutos duramente vencidos foram cruciais, permitindo o Exército Imperial continuar a organizar as defesas deles e descansar suas montarias. Minutos passavam em silêncio sem um oitavo desafiante e Zian meramente ficou parado e esperando, despreocupado com as várias catapultas e balestras apontadas para ele. Se apenas o maldito não fosse um cuzão insuportável, ele faria um amigo esplêndido. Com Huu e Rain ambos noivos de mulheres maravilhosas, Fung se encontrou em falta de alguém para beber e ir em puteiros junto. 

Um som baixo e retumbante de chifre ecoou no silêncio, uma nota assombrada que os Corrompidos usavam para sinalizar batalha, o comandante deles indisposto a mandar outro duelista para a morte deles. Enquanto Zian voltava para sua comitiva, o Exército Imperial dava vivas, suas vitórias sucessivas elevando a moral até o pico. Incapaz de chafurdar na inveja, Fung se preparou para a batalha. Apesar das conquistas de Zian serem impressionantes, seus sabres gêmeos eram inapropriados para guerra em massa e sua força estava gasta. Essa era a chance de Fung mostrar suas habilidades com a lança, a rainha de todas as armas. 

— Nós vamos lutar agora, né? — Mei Lin perguntou, seus olhos brilhantes e ansiosos. Assentindo em resposta, ele recebeu um sorriso brilhante e dentuço em resposta enquanto ela ficava de pé com um pulo, ficando em cima de seu quin com graça e aprumo. Com arco em  mãos, ela olhou para Fung por permissão antes de escolher um alvo, usando seu corpo inteiro para sacar o arco e soltar a flecha em um movimento fluído. Sem pausa para ver seu trabalho, ela continuou a atirar no Inimigo bem longe do alcance das catapultas, uma mostra consumada de arquearia Bekhai. Em menos de um minuto, a contagem de mortes de Mei Lin já estava nos dígitos duplos, forçando Fung a repensar sua avaliação da arma. 

 

Talvez, ele deveria pedir a Rain para ensiná-lo como atirar. Isso parecia muito mais eficiente do que lutar duelos sucessivos. 

 

Worst
Worst, filho da Música, casado com os Livros, tradutor de DS, CdMD e ASdCZ, ?% Engenheiro, 1 dos 3

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!