DS – Capítulo 245

Joelhos fracos e corpo tremendo, Mila luta para se recompor enquanto ela foge da armadilha de madeira flutuante com toda a pressa. Lutando contra a vontade de beijar a areia sob seus pés, ela agarrou um pouco mais firme o braço de Rain, se confortando no fato de ambos estarem com medo, sua pele pálida e olhos arregalados traindo seus pensamentos interiores. Esqueça ter um marido calmo e destemido, não era natural permanecer calmo depois do que eles passaram. 

Em contraste, Lin pulou do barco e foi a frente, ansiosa em explorar a ilha com seus guardas logo atrás. Como os cinco permaneciam bem depois da viagem turbulenta era impressionante. Mesmo Gerel e Tursinai pareciam um pouco verdes por causa da experiência, um oscilada leve em seus passos mostrava o desconforto. Tenjin parecia francamente miserável, abatido e doente enquanto se apoiava bastante em sua esposa. Um pescoço quebrado não foi pouca coisa e se não fosse pelos guardas de Lin estabilizando sua ferida e roubando ele de debaixo do nariz de Yo Ling, Tursinai poderia estar junto com Tanaraq como uma viúva jovem.

Com seu coração disparado sob controle, Mila finalmente pensou em checar Song. Ah, quão maravilhoso seria ver a doce de garota em aflição, Mila mal conseguia segurar sua animação. Não é que ela queria ver Song aterrorizada, mas a garota de rosto duro raramente mostrava qualquer emoção, nem mesmo dando um sorrisinho depois de dar uma surra em um Demônio, então Mila valorizava cada uma das expressões únicas de Song. Ela até conseguia visualizar, Song com suas orelhas e cabeça baixas, timidamente buscando a mão de Mila em busca de segurança e garantia…

Na realidade, Song desembarcou com sua indiferença de costume, escaneando os arredores em busca de perigo enquanto carregava um Aurie aterrorizado em seus braços. Os outros animais saíram voando do barco para explorar os arredores, quins, ursos e gatos selvagens, todos estavam curiosos com seus arredores desconhecidos, apesar de alguns buscarem o toque reconfortante de Rain.

Certo, os arredores deles. Respirando fundo, Mila estudou o esconderijo dos lendários Algozes da Baía e sua primeira impressão foi… decepcionante. Por décadas, soldados e mercenários buscaram a fortaleza escondida de Yo Ling sem resultados, então Mila imaginou algo maravilhoso e imponente. Uma cidade subterrânea, ruínas decrépitas de uma era passada, até uma fortaleza padrão teria sido aceitável, mas até agora, tudo que ela via era uma praia normal. Cercada por penhascos com musgo, era grande o bastante para abrigar centenas de barcos, uma área de encenação e pouco mais. Um punhado de prédios feios entalhados no lado do penhasco, armazéns e estaleiro de acordo com Wang Zombeteiro, todos vazios. No fundo da praia havia um caminho indo em direção às profundidades da ilha onde Lin pulava no lugar, bancando a “esposinha” dócil e obediente enquanto esperava pelos outros da delegação deles se reunirem.

Com nada de interessante para ver, Mila se sentou na praia, seus nervos forçados e músculos tensos depois de vários encontros com a morte. Apesar dela conseguir aceitar morrer em batalha, navegar por corredeiras sem controle sobre seu destino era quase demais para aguentar. Se juntando a ela, Song se sentou com Aurie em seu colo, o pobre gato selvagem ainda tremendo com o susto. Afagando seu flanco, Mila fez sua parte para confortá-lo enquanto a comitiva de Rain e os moleques da Sociedade andavam pela praia, se dividindo em seus grupos e facções separados. Assistindo os “sub-chefes” de Rain organizarem desajeitadamente seus esquadrões, Mila não conseguia não suspirar com a inaptidão deles. Fora Dastan e Rustram, era uma bagunça terrível. Os quatro ex-bandidos eram os piores, de pé sem uma preocupação no mundo e não se esforçando para organizar suas próprias pessoas. Bandidos não eram conhecidos pela organização ou disciplina deles, mas eles pareciam ter orgulho de suas falhas, dando olhares de desdém e escárnio para os soldados parados de pé organizadamente da Sociedade, enquanto eles mesmos estavam agachados e deitados em um bolo misturado.

Ravil e Bulat eram uma bagunça totalmente diferente, suas reprimendas altas e xingamentos imaginativos ecoavam nos penhascos enquanto eles intimidavam seus subordinados a entrarem na linha. Um rufião assassino e o outro um mestre do crime, o par feito para líderes não convencionais, mas o estilo não ortodoxo deles foi ensinado e apoiado por Rain então Mila não tinha escolha além de sofrer em silêncio. Pelo menos Rain sabia que não devia gritar com suas pessoas em público enquanto ele tomava conta, mas os dois ex-lutadores de rua tinham um prazer pervertido nisso, sorrindo com orgulho enquanto a Sociedade assistia.

Ao retornar para casa, Mila imploraria para sua Mãe para por um contingente de Sentinelas sob o comando de Rain e ensinar a eles táticas apropriadas. Apesar de Mamãe e Baatar estarem felizes em deixar Rain escolher seus próprios soldados e testar suas estratégias selvagens, como um Subtenente de Segunda Classe, agora ele era muito importante para ser dado rédea solta. Permitir um comandante novato e seus vadios delinquentes para representarem eles só traria vergonha às Pessoas. Apesar de Rain ter tido sorte com seus ex-aleijados que se mostraram um grupo de guerreiros honrado e digno, havia limite para sua sorte. Soldados aleijados eram muito diferentes de bandidos relutantes e, apesar de Rain não ter escolha além de ficar com Jorani, Mila acreditava que seria melhor dispensar a maioria da Milícia da Mãe depois de trazê-los longe de Sanshu.

Ou melhor, ela tinha uma solução mais… permanente em mente, mas Rain era gentil demais para ouvir.

Ao invés, ele gastou as últimas duas decanas fazendo absolutamente nada, correndo por aí dando cabeçadas em seus bichos enquanto discutia uma variedade de coisas bizarras e ideias sem sentido com Diyako e o grupo dele de loucos. Aqueles pássaros malditos estavam deixando todo mundo doido com seus malditos grasnasdos, mas seu noivo era teimoso demais para se livrar deles. Lamentando sua falta de habilidade, Rain praticamente desistiu do arco e Mila não conseguia culpá-lo. Levava uma vida de treino para criar um mestre arqueiro e ele já tinha mais do que o suficiente para mantê-lo ocupado. O sonho dele de criar uma balestra barata, que podia ser produzida em massa para rivalizar com os arcos de caça das Pessoas era outra coisa totalmente diferente. Os arcos recurvos duplos foram o produto de gerações de teste e experiência que Rain não conseguiria atingir em toda sua vida, muito menos ultrapassar.

Segurando um suspiro, Mila estudou seu noivo, seus lábios franzidos e sobrancelhas juntadas em irritação enquanto ele organizava sua comitiva. Apesar dela reclamar com frequência sobre suas inadequações, sua atitude gentil, ideias estranhas e fantasias selvagens eram partes do motivo dela amar ele. Quando ele a levantava em seus braços com seu sorriso contagioso brilhando mais do que seus olhos âmbar, todas as reclamações e irritações dela derretiam em uma massa pegajosa e macia de amor e afeição.

Bom, quase todas elas. Ela ainda não conseguia perdoá-lo pela cabeçada. Se ele queria demonstrar seu afeto, então por que ele não só beijou ela?

Tal era o preço a ser pago por se apaixonar por um idiota, um nariz ferido e orgulho machucado.

Depois de determinar que ninguém estava faltando com uma contagem de cabeças rápida, Rain marchou com BoShui e Lin ao seu lado enquanto todo o resto esperava pela vez deles. Para poupar tempo e garantir que todos estavam às claras, eles dividiram a ilha em quatro quadrantes para procurarem em pares, um representante da Sociedade junto com um do grupo deles. Huu fazendo par com ZhiLan e Fung com Ryong, o grupo mais sensível. Deixar o desregrado Fung com a ZhiLan cheia de flertes era receita para o desastre, enquanto o sucessor da Seita das Sete Estrelas se encontraria uma cabeça mais baixo se ele não parasse de comer com os olhos as esposas de Huu. Finalmente, sem um quarto Subtenente, Rain pareou Zian com Mila, presumivelmente para evitar tensão entre ele e o uma vez derrotado Subtenente, apesar de Mila estar infeliz sobre ser babá para o principezinho pomposo e almofadinha.

Depois da última pessoa de Fung e ZhiLan desapareceram na névoa, Zian se moveu para seguir. — Venha junto então. — Ele disse, nariz empinado para o céu. — Nós temos muito para fazer antes do dia acabar.

“Venha junto então”, ela zombou internamente. Pela Mãe, se Mila não soubesse que não era possível, ela juraria que Zian aprendeu a infundir sua Aura com arrogância. Não merecida ainda por cima, ela viu ele lutar e, apesar de impressionante, ela tinha confiança em lidar com ele quando condensasse sua Aura. Sua velocidade e estilo eram bonitos de se olhar, mas como Mamãe diria, ele estava focado demais em parecer elegante. Todo estilo e sem substância, deixe ele dançar o quanto quiser. Suas habilidades não eram nada se comparados com a força pura dela.

Com sua Aura Afiada, Rain era sem sombra de dúvidas o talento número um da geração deles, mas Mila se recusava a desistir do segundo lugar. Se ela pudesse aprender a como se defender contra sua Aura…

Sonhando em derrotar Rain e varrer os iguais deles, Mila liderou suas pessoas ao redor da periferia do quadrante sul-oeste desolado com Zian. Enquanto a caça ao tesouro poderia ter sido divertida com Rain e Lin ao lado dela, o entusiasmo não existente de Song e a companhia de Zian deixavam tudo insuportável. Os Sentinelas e soldados varriam a área enquanto Tursinai marchava por perto, Enviando para Mila comentários obscenos e grosseiros sobre coisas que ela queria fazer com Zian, incapaz de conversar com Tenjin já que ela o deixou na praia.

Roendo seus dentes, Mila ignorava a mulher lasciva e o bonitinho arrogante enquanto ela andava pela ilha. Esparsa e cheia de pedras com uma falta total de árvores e mato, não havia muito onde se buscar, com o chão duro demais para cavar e não havia prédios. De vez em quando eles encontrariam um punhado de tendas, contendo muitos insetos e sujeira, mas nenhum tipo de tesouro.

Mãe do Céu, se Mila sofreu aquela viagem assustadora de barco por nada além de insetos e sujeira…

Quatro horas na busca, o sol começava a desaparecer no horizonte e o mundo mergulhava em escuridão, as luzes da lua e das estrelas fracas demais para permitir a busca. Barriga roncando de fome, Mila queria encerrar o dia, mas Zian queria continuar, com fome de tesouro e indisposto a continuar. Resmungando baixinho, ela seguiu o princepezinho ganancioso por mais meia-hora antes de seu temperamento ferver. — Chega! — Ela explodiu. — Isso é idiota, andando por aí com a luz de tochas, quem sabe o que nós poderíamos ter perdido? Monte o acampamento, nós vamos continuar nossa jornada amanhã. — Zian não respondeu, mas Mila não conseguia se importar, ordenando suas pessoas para cavar. Se ele ousasse tentar ir embora, então ela não se importaria mais com as consequências e daria permissão para Tursinai fazer o que quisesse.

Depois de tudo, eles estavam sozinhos e isolados na ilha, um lugar perfeito para massacrar os jovens mais promissores da Sociedade sem testemunhas…

Depois de uma refeição fria e não satisfatória de carne seca, Mila entrou em sua tenda e suspirou. Deitando em seu saco de dormir totalmente vestida, ela lamentou seu destino infeliz como a segunda esposa. Seu noivo sem coração a trouxe para esse terreno árido só para sair com a suposta amiga dela e abandoná-la com seu maior rival. Isso era insensível e uma falta de consideração, Rain idiota e Lin idiota. Com o BoShui bêbado e sem ânimo como parceiro deles, eles provavelmente pararam de procurar a horas, sentados para aproveitar uma refeição bacana e quente feita por Rain, algum caldo ou macarrão, talvez até arroz e carne grelhada, abraçados na frente da fogueira como um par de tolos apaixonados. Eles até roubaram o par de filhotes de urso adoráveis, deixando apenas Sarankho e Song para Mila abraçar.

Como se sentisse os pensamentos dela, Song se deitou e afagou o cabelo de Mila. — Pronto. Pronto. Mila. — Song disse, estranha e não acostumada a confortar pessoas, mas o sentimento estava lá.

Rindo de alegria, Mila abraçou Song. — Ah Song, você é a que sempre me trata melhor. Quem liga para Rain e Lin, contanto que eu tenha você do meu lado então tudo vai dar certo. — Indignação substituindo a melancolia, ela continuou, — Hmph. Aquele Rain, tão ganancioso pelo tesouro que ele está disposto a me mandar para longe assim. Se ele ama tanto assim o tesouro, então eu vou gastar tão rápido quanto ele vai ganhar. Ele desperdiça dinheiro em joias extravagantes para mim e Lin ao invés de poupar para um presente de noivado, mas para te agradecer por salvar minha vida, tudo que ele consegue dar foi algumas míseras esmeraldas em um pente de jade? O avarento, eu vou te comprar um conjunto inteiro de esmeraldas em Shen Huo e usar as moedas dele para pagar. Tiara, brincos, braceletes, pendente, a coisa toda. Só espera. O que mais você quer?

Balançando sua cabeça, Song sorriu sonolenta, parecendo mais radiante do que o normal. — Não há necessidade de recompensa. Contanto que eu possa ficar ao seu lado, então eu estou feliz.

Apertando Song um pouco mais forte, Mila gravou esse momento em sua memória. Não importa as riquezas que Mila fosse encontrar nos próximos dias, ela não conseguia imaginar encontrar um tesouro melhor que este, a visão de uma Song feliz piscando sonolenta enquanto ela lutava para ficar acordada, aconchegada no ombro de Mila.

Talvez essa viagem valeu a pena no final das contas.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Zian estava ansioso para começar de novo, embora seu primeiro dia de caça ao tesouro passou sem sucesso. Acordando com o nascer o sol, ele comeu seu café da manhã e guardou sua tenda, correndo o máximo que conseguia. Ela podia ter sido uma louca, mas ele devia a Picanço por ensiná-lo como montar acampamento. Parecia uma coisa tão sem importância, mas arrumar e desmontar sua tenda o dava um sentimento de autossatisfação que ele não sabia que sentia falta.

Terminado com sua tarefa, ele olhou para o acampamento Bekhai, silencioso e parado apesar da luz matinal. Que desapontamento, ele tinha expectativas tão altas de Sumila, filha de Akanai. Quando ele pensou em como Baatar disse que Rain não era o jovem mais talentoso da vila deles, Zian pensou que ele falava de Sumila, mas parecia que ela era pouco mais do que uma inútil como tantos herdeiros da grandeza. Ver a proeza da escrava o fez acreditar que Sumila seria ainda mais forte, mas depois da mostra vergonhosa de ontem, ele percebeu que os Bekhai não eram todos guerreiros perfeitos ao nascer. Rain e a escrava eram as anomalias, gênios talentosos e trabalhadores, mas os Bekhai tinham seu grupo de preguiçosos.

Apesar da qualidade dos soldados de Mila estarem um passo acima dos de Rain, a líder deles era tudo menos impressionante. Uma adolescente taciturno e temperamental, ela gastou a busca inteira ontem fazendo beicinho e tristonha, como se procurar pela ilha estivesse abaixo dela. Ele viu mais do que alguns filhos e filhas prodigiosos, mas nunca viu uma criança tão mimada que ela não conseguia pôr o tesouro dos Algozes da Baía em seus olhos. Isso era uma história para seus netos e netas, eventualmente para ser imortalizados nos anais da história, mas ainda Sumila tratava essa excursão inteira como uma tarefa, claramente infeliz de estar aqui.

Balançando sua cabeça, Zian teve um momento de pena por Rain. Apesar dela ser adorável o bastante de um jeito não tradicional, com uma mandíbula forte e sardas atraentes, ter uma esposa não motivada e preguiçosa como Sumila significava que Rain estava destinado a luta e adversidade. Ele acreditava que atrás de cada homem grande na história havia uma mulher forte, fosse uma mãe, irmã ou esposa. E de novo, ele também acreditava que muitos possivelmente homens grandes encontraram suas ruínas nas mãos de uma mulher e ele tomou a lição para seu coração. Enquanto ele não via nada de errado em aproveitar os prazeres da carne, ele tomava cuidado para não ficar preso em suas teias. Como um guerreiro talentoso e o único herdeiro do Clã e Cidade, ele tinha sua parte justa de mulheres buscando enfiar suas presas nele.

Com todos seus soldados prontos e esperando, Zian se recusava a esperar mais. Indisposto a sair de fininho e quebrar fé, ele ficou fora da tenda de Sumila e limpou sua garganta, fazendo sua presença conhecida.

Nada. Nenhuma resposta, nem mesmo um movimento dentro da tenda. Tentando de novo, ele tossiu alto e esperou, esticando seu pescoço para ouvir sinais de vida.

Ainda nada.

— Ahem. — Ele tossiu, raiva subindo. — Lady Sumila? Bom dia. O sol já nasceu e o tempo está sendo desperdiçado.

Uma risadinha o pegou de surpresa enquanto se virou para encarar um rosto adorável, mais velho de uma mulher sentada a alguns metros da tenda de Sumila. — Você vai ter que trabalhar um pouco mais se quiser a pequena Sumila. Ela ama seu sono, como ama. — Tursinai, a recém promovida Capitã Sênior dos Bekhai. Como ele não viu ela aí? Sua patente baixa não era mesmo indicação de sua habilidade. Como alguém que derrotou o Capitão da Guarda traidor Mao Jianghong e sobreviveu a uma luta com Yo Ling, ela ganhou seu respeito e vigilância. Felizmente, sua foice e corrente não eram apropriadas para combate único e seu marido igualmente habilidoso estava na praia, se recuperando de suas feridas. Caso o pior passasse, ele tinha confiança que Jukai conseguia lidar com a guerreira bela, dando sua comitiva a vantagem.

Juntando suas mãos, ele assentiu em respeito. — Capitã Sênior Tursinai, sua ajuda seria apreciada. Se você pudesse acordar Lady Sumila, nós podemos partir em questão de minutos.

— Absolutamente não. — Sorrindo de um jeito não feminino, Tursinai balançou sua cabeça. — Você é bonito, mas não bonito o bastante para mim enfiar meu nariz nessa colmeia. Nem mesmo Rain seria tão corajoso ao ponto de acordá-la no nascer do sol. Se você quiser tentar, então vá em frente.

Franzindo em irritação, Zian pesou suas opções. Era quase cinco da manhã e eles concordaram em só gastar dois dias explorando a ilha, nem perto de ser tempo o bastante. Bom, se os Bekhai se recusavam a se conduzir civilizadamente, então ele agiria de acordo. Gesticulando para sua comitiva se aproximar, ele disse, — Lady Sumila está tendo problemas para acordar de manhã. Vamos ajudá-la com um grito de guerra despertador?

Entendendo sua intenção, seus quase cinquenta soldados sorriram e elevaram suas vozes em um grito desafiador, alternando entre pisotear e bater em seus peitorais. Seguindo a liderança de Jukai, seus gritos se elevaram em ambas intensidade e volume, seus estampidos e batidas evoluindo em um clamor trovejante, ressoante enquanto eles buscavam acordar a preguiçosa Sumila de seu saco de dormir.

Isso foi por quase um minuto quando um grito ensurdecedor emanou da tenda. — QUIEEEEEETOOOOOOOOOS!!! — Veio o ecoante rugido gutural, silenciando a comitiva de Zian em um instante. Saindo de sua tenda, com suas roupas desalinhadas e cabelo bagunçado, Lady Sumila encarou com vontade de matar para os soldados reunidos, o coração de Zian congelou frente a sede de sangue desenfreada. A dama com sardas, de nariz de botão, fazendo beicinho sumiu, substituída por uma tigresa temível com fome de retribuição. Se movendo mais rápido do que ele podia reagir, ela o agarrou pela garganta com uma mão e o levantou como se fosse um saco de farinha, seus pés pendendo do chão apesar da massiva diferença de altura deles. Agarrando o antebraço dela de ferro, ele lutava para se livrar da pegada de víbora sem sucesso, seus socos e chutes ignorados enquanto os dedos atarracados dela o negavam ar nos pulmões e cérebro. — Que negócios você tem nessa hora maldita? — Ela perguntou com um rosnado, seus olhos sedentos de sangue selvagens e violentos. — É pedir demais por uma noite inteira de descanso? Por que você quer tanto esse tesouro? Se você não é a pessoa mais rica dessa ilha, então eu vou comer minhas botas! ME RESPONDA!!

A Aura de Zian colidia inútil contra a de Tursinai enquanto a guerreira escondia sua alegria. — Garota tola, ele não consegue responder com sua mão agarrando o pescoço dele. Por que não põe o jovem magistrado no chão antes que o velho tenha um aneurisma?

Largado sem aviso, Zian ficou de joelhos, tonto e arfando por ar. Enquanto o mundo rodava ao seu redor, ele ouviu Sumila murmurar, — Eu vou voltar a dormir. Me acorde a uma hora decente e nós vamos começar a procurar.

Visão aparecendo e desaparecendo, Zian sentiu uma sensação estranha enchê-lo por dentro. Se Rain ou Fung ou qualquer outra pessoa tivesse tratado ele assim, então ele não teria parado por nada para matar o maldito e vingar sua honra. Entretanto, quando seus pensamentos se viravam para Lady Sumila, não havia ódio ou raiva. Bem o contrário na verdade, ele se perguntava como ele poderia ter sido tão cego a ponto de não ver sua beleza verdadeira. Além dela, todas as outras mulheres empalideciam em comparação, coisas frágeis sem valor além de suas aparências.

Ela era tudo que ele queria em uma esposa, capaz e poderosa por conta própria enquanto feminina e recatado quando necessário. Essa era uma mulher para ficar ao seu lado, andando de mãos dadas nos anais da história, juntos.

Se existia um homem mais abençoado com sorte do que Falling Rain, Zian não poderia conhecê-lo, pois seu ego se quebraria, para nunca mais se recuperar.

 

Que Filho favorecido do Clã Situ o que? Sua sorte era nada se comparada a um selvagem de uma vila “sem nome”.

Worst
Worst, filho da Música, casado com os Livros, tradutor de DS, CdMD e ASdCZ, ?% Engenheiro, 1 dos 3

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!