DS – Capítulo 295

Vestido em um roupão quente e um manto de lã pesado, Nian Zu parecia exatamente um velho gagá, mas ele estava aproveitando demais o momento para ligar. De pé na proa do navio, ele assistia o litoral surgindo enquanto o deque balançava e os ventos frios fortes inflamavam seu zelo para o conflito vindouro. Apesar de sua aparência idosa, Nian Zu estava cheio de fervor da juventude, pronto para brandir a Estrela Cadente em defesa das Planícies Centrais e se redimir depois de quase escapar da morte com a emboscada brilhante de seu adversário.

Todos o informaram que ele quase morreu, mas ele não se sentia tão bem assim em mais de meio século. O Médico Celestial merecia seu título e mais, retornando Nian Zu para o seu ápice físico em questão de decanas. As dores da idade se foram, substituídas por vigor e força de um jovem. Sua visão e olfato mais afiados do que nunca, sem mencionar que ele não precisava acordar mais toda a noite para usar o penico, uma benção por si só. A melhor parte era que depois de décadas de declínio lento, seu paladar voltou com força total, trazendo não apenas um apetite renovado, mas também retornando seu gosto refinado, permitindo que ele aproveitasse um bom vinho e saboreasse delícias mais uma vez.

Só isso fez valer a pena a experiência de quase morte e se o Império não estivesse em uma situação tão séria e precisasse tanto de sua experiência e habilidades, ele teria se aposentado a muito tempo e jurado sua lealdade para o Médico Celestial. O Médico famoso não merecia nada a menos por restaurar sua saúde ao ápice, mas em vez, o homem lebre excêntrico recusou qualquer forma de pagamento além de um Juramento para guardar segredo sobre sua proeza que desafiava a lógica, um Juramento que Nian Zu fez sem exitar. Após isso, ele jurou silenciosamente oferecer qualquer ajuda que seu salvador precisasse, não importa o custo.

Era uma surpresa agradável encontrar tanta força escondida nas Montanhas da Tribulação do Santo, onde peritos eram tão comuns quanto as nuvens. Se não fosse pelos Bekhai, o Norte teria caído a meses atrás e sofrido o mesmo destino da Província Ocidental, que a Mãe tenha misericórdia das almas deles. Mas era uma pena, já que a líder deles, Akanai, não era popular com a maioria dos homens do exército devido ao caráter implacável dela, o que Nian Zu achava engraçado. Se ela fosse um homem humano, Akanai se encaixaria bem com o restante dos oficiais veteranos, mas por causa do gênero e ancestralidade dela, eles se sentiam ameaçados pela existência dela. Ela não era uma política capaz, a comandante Bekhai pisava na honra de Jia Yang a cada oportunidade que ela tinha o que desencorajava possíveis aliados. Ninguém queria ser aliado de uma bruxa e a atitude inflexível e natureza teimosa de Akanai eram detrimentos para a causa dos Bekhai, mas era difícil culpar ela por isso. Uma guerreira valente e ousada, Akanai era poderosa o bastante para fazer os céus e terra tremerem mesmo sem a força total dos Bekhai atrás dela. 

Entretanto, se fosse apenas ela, Nian Zu não colocaria tanta importância nos Bekhai. Não importa o quão fortes eles sejam individualmente, Akanai só poderia contar com 25.000 Khishigs no total e só a qualidade dos peritos deles os permitiam estar no topo da cadeia de poder do Norte. É isso que fazia os Bekhai serem tão valiosos, a riqueza de talento natural deles. Médico Celestial Taduk, Mensageira das Tempestades Akanai, o Lobo de Presas Sangrentas Baatar, Ceifador Demoníaco Gerel, esses nomes eram conhecidos por cada facção no Norte, mas poucas pessoas entendiam quão profundamente os Bekhai esconderam a força deles. Antes de apontar o homem como seu sucessor, Nian Zu contou não menos que trinta e cinco outros peritos desconhecidos na comitiva de Baatar que eram dignos de um título próprio. Um número não tão impressionante quando se considerava que a comitiva de Baatar era composta de trinta e sete fortes no total. Os dois faltando eram Gerel e Baatar que já tinham títulos próprios,  que isso significa que essa “Companhia do Estandarte de Ferro” quase conseguia rivalizar com a guarda pessoal de Nian Zu, uma unidade dos cinquenta maiores talentos sem filiação no Norte.

Ele, o grande Coronel-General Nian Zu o Herói da Muralha e Defensor da província, usou oitenta anos de serviço destacado para reunir cinquenta experts à sua comitiva e os mantinha por perto como um último recurso, enquanto os Bekhai enviavam casualmente trinta e sete guerreiros similares para cumprir suas obrigações contratuais militares de cada ano. Ridículo.

E isso nem era tudo. A própria Akanai era uma força a ser reconhecida e ele assumia que a comitiva dela continha um número igual senão maior de peritos sem nome. Então, havia a abundância de talento jovem, o mais visível de todos o Selvagem Imortal Falling Rain e o Lobo Devorador Huushal. Sabendo que havia outros, Nian Zu cavou um pouco mais a fundo e descobriu mais dois talentos jovens, a própria filha de Akanai, Sumila, uma duelista exímia e ferreira divina sobrenatural cujas habilidades abalariam o Império e a recém famosa neta e discípula da Tempestade Sanguínea, Du Min Yan, uma competidora forte para talento número um na Província Central.

Apesar de poucos em número, os Bekhai não estavam em falta de recursos também, como visto pela abundância de Armas Espirituais dadas a geração mais jovem. Akanai e o marido dela, um Ferreiro Divino e guerreiro poderoso por si só, só tinham uma Arma Espiritual cada, enquanto Baatar e os outros da geração dele tinham uma ou duas. Na geração mais jovem, Sumila, Du Min Yan e agora Huushal tinham duas cada e se os espiões de Nian Zu estavam corretos, o talento número Falling Rain iria receber a sua terceira logo. Apesar dele bancar a criança obediente e tímida, Nian Zu sabia que o menino abrigava uma arrogância e desdém tremendo pelos outros. Provocando abertamente um General de Brigada na frente de civis, atormentando e extorquindo seus oponentes na Competição, ameaçando estuprar e engravidar uma Magistrada enquanto duelava com o filho dela, Falling Rain era como um bezerro recém nascido que não sabia que devia temer o tigre.

Ah, se apenas o menino tivesse concordado em se juntar ao exército, Nian Zu teria amado ajustar ele. Um talento visto uma vez a cada dez mil anos, ele temia que a língua solta e temperamento impetuoso dele o fariam descer a cova mais cedo.

E de novo, mesmo com toda sua previsão, Nian Zu nunca teria imaginado que o menino teria tido um papel tão importante na defesa de Sanshu. De descobrir uma brigada Corrompida e forçar a mão do Inimigo a agir mais cedo até exterminar uma força superior de Corrompidos que teria atrasado os reforços e distrair Yo Ling para que ele levasse o golpe final, Falling Rain se provava digno de sua arrogância e mais. Infelizmente, talento era secundário. Talvez o menino ou um dos outros jovens possam surpreender ele, mas o destino do Império não dependeria desses heróis do amanhã. Com os Corrompidos correndo solto pela Província Ocidental e se aproximando da Central, era preciso que os guerreiros de hoje segurassem as pontas e possivelmente exterminar a ameaça Corrompida de uma vez por todas.

Assumindo que a supervisão Imperial não ferrasse com tudo.

Os muitos anos de experiência de Nian Zu o deixavam menos que otimista, mas independente das circunstâncias, ele era um soldado e o dever de um soldado é lutar enquanto era melhor deixar a politicagem para outros. Se o velho maldito do DuYi estivesse aqui, Nian Zu teria descansando melhor, mas seu velho amigo bateu as botas gritando com a Mãe. Se apenas o Médico Celestial tivesse usado sua mágica nele e recuperado a saúde de DuYi, então talvez o velhote paranóico teria pensado duas vezes antes de fazer o que ele fez, tornar seu próprio clã um exemplo para manter a pequena Yuzhen a salvo.

Tolo arrogante. Por que ele não engoliu seu orgulho e pediu por ajuda? Você não podia só aceitar as palavras dele e sempre tinha que vigiar os relatórios do homem, mas o velho maldito significava muito para Nian Zu. Com uma única palavra, ele teria chamado os ventos e invocado as chuvas, revirando Céus e Terra, tudo para manter DuYi e Yuzhen são e salvos, mas o velho maldito nunca perdoaria Nian Zu por aparecer do nada e salvar o dia. Um trapaceiro astuto e calculista, cada ação de DuYi era para jogar a balança para o lado dele e dever um favor a alguém, até mesmo para Nian Zu, teria entalado um osso na garganta dele.  

Segurando seu lamento e melancolia, Nian Zu encarou os Céus e rezou brevemente. — Cuide bem dele, Mãe. O arroz já está cozido, mas eu tenho algumas palavrinhas para o maldito teimoso. Ele nem se incomodou em se despedir…

Respirando fundo, Nian Zu limpou a garganta e secou as lágrimas. O que está feito está feito. Yuzhen é a Marechal do Norte agora e apesar de ainda em falta se comparada ao velho ela era uma sucessora digna ao ofício. Nian Zu ainda lembrava de pegar a moleca de orelhas de raposa e ensiná-la as formas, o tempo deles curto, só durou três dias antes dele desistir irado. Seguindo o exemplo do velho dela, Yuzhen na adolescência não mostrava o mínimo respeito a ele durante o tempo deles juntos, até murmurando sobre um “idiota da clava” que não era adequado para ensinar a ela as “complexidades da espada”.

Aquilo foi a última gota, mas depois de tantos anos, Nian Zu se arrependia de não tê-la feito a discípula dele. Na época, ele ainda não tinha percebido o quanto DuYi amava a garota-raposa, tratando ela como filha em tudo menos no nome. A recusa de Nian Zu causou uma cisma no relacionamento deles que levou anos para ser consertada. Agora, em vez de ser um segundo pai para a garota, Nian Zu era apenas o amigo distante do velho dela e ela era muito cautelosa para aceitar a sua ajuda sem reservas.

Aff. Se DuYi soubesse de seus pensamentos, ele riria e o chamaria de idiota senil, lamentando sobre tempo perdido e erros do passado. Se focando no horizonte, ele virou seus pensamentos para o que estava por vir. Depois de vinte e quatro dias de carruagem e nove e meio de barco, eles chegariam logo ao destino deles onde Nian Zu iria aproveitar mais uma vez o prazer de dormir em uma cama. Sem a elegância colorida de Yantai ou a ordem controlada da Sociedade, Nan Ping era uma cidade que só poderia existir na pacífica Província Central. Construída em cima de uma entrada que leva a uma enseada no Mar Índigo, Nan Ping estava em um estado de expansão eterna, o que levava a uma bagunça de caos e desordem se alastrando enquanto mansões imponentes ficavam lado a lado com cabanas improvisadas.

Infelizmente, o barco de Nian Zu foi parado muito antes dele avistar a cidade e por boa razão. Velas e estandartes pontilhavam o horizonte conforme uma fragata de barcos permanecia parada na baía de Nan Ping, descarregando dezenas de milhares de tropas em suas docas. Uma embarcação com a bandeira de Nan Ping estava ancorada nos paredões de entrada enquanto um barco a remo pequenino navegava em direção ao barco de Nian Zu. Depois de uma conversa breve com um estudioso miserável na qual Nian Zu ameaçou a vida do homem não menos do que três vezes, ele direcionou o capitão de seu barco para atracar na costa norte da baía como instruído. Arrogância centrista típica, reservando a cidade propriamente dita para os Nobres da Central enquanto enviava “delegados estrangeiros” e outra “plebe comum” para acampar nas planícies. Nian Zu viu seus outros barcos atracar nas praias mas negar um dos oficiais de maior patente na Província Norte um lugar dentro da cidade era de fato um insulto grave.

Bom, bom, bom. Seus rivais devem pensar que ele está fraco e frágil depois de saber de suas feridas. Nian Zu amaria ver os rostos deles depois que ele acabasse com essa ilusão.

Conforme o navio parava com um tremor angustiante, Nian Zu permaneceu parado na proa. Antes do tremor parar, ele ordenou que os trincos fossem levantados e foi até a proa onde ele caiu para a praia. Pulando no último instante, ele pousou elegantemente conforme o navio batia na areia e criava uma rama massiva para as pessoas desembarcarem. Suas ações eram adequadas para um homem mais jovem, mas com quase cem anos de idade, Nian Zu estaria mentindo se ele dissesse que não tinha nada para provar.

Hmph. Aristocratas presunçosos e políticos cegos ainda continuando com seus joguinhos enquanto a existência do Império estava na balança. Fosse decisão dele, Nian Zu enviaria cada um deles para as linhas de frente para dar utilidade aos guardas deles pagos demais e trabalhando de menos. Outra razão que ele sempre deixava as políticas com DuYi, se Nian Zu tivesse permissão para fazer o que quisesse, ele teria logo uma rebelião em suas mãos ou uma adaga nas costas.

Sua chegada foi vista por um dos auxiliares de Yuzhen e depois de desvendar as mensagens e planos dela, ele aceitou a sabedoria dela e deu um passo para o lado no assunto. Além de ser bem versada em políticas, a garota também tinha uma cabeça maravilhosa para administração e governança, tendo bolado um plano para a distribuição dos soldados, gestão dos dejetos, transporte de água e comida e mais. Enquanto ele poderia ter feito o mesmo dado o mesmo tempo, ele tinha que admitir que as habilidades dela eram superiores as suas. Ela até levou em conta as forças do Norte que ainda não chegaram, deixando algumas localizações importantes para as facções mais importantes, para impedi-las de fazer pirraça.

A maioria dos generais ignorava a importância de composição de acampamento apropriada, se focando apenas na organização das defesas, mas gestão de dejetos era uma parte integral da guerra. Com milhões pessoas cagando todo dia, isso poderia formar rapidamente uma montanha de merda senão manuseado direito, contaminando o suprimento de água e atraindo doenças ou pragas. Enquanto Soldados Marciais eram durões para aguentar um pouco de água suja, fora da batalha, um exército vivia e morria nas costas dos seus seguidores civis, pessoas bem menos resistentes a condições de vidas insalubres.

DuYi criou a filha dele bem…

Sem nada para fazer além de inspecionar suas pessoas, Nian Zu trocou suas roupas para sua armadura distinta, com detalhes em ouro e manto preto, apesar de estar um pouco quente demais para o clima ameno da Central. Andando pelo acampamento, ele se deixou ser visto pelos soldados do Norte e os mostrou que o herói deles ainda estava vivo. Um truque que ele aprendeu de Baatar na verdade, depois de ver quão rapidamente seu sucessor meio-lobo ganhou os soldados. Diga o que quiser sobre a natureza taciturna deles, os guerreiros Bekhai transpiravam carisma e exigiam respeito, nunca hesitando em apertar uma sela ou ajudar a segurar um poste de tenda até do mais baixo dos serventes sob seu comando. Gestos pequenos que falavam muito mostrava que Baatar não se sentia superior aos outros e as pessoas o amavam por isso.

Por essa única razão, Nian Zu acreditava que a estrela dos Bekhai estava em ascensão. Baatar era um líder nato diferente de Nian Zu, um homem que tinha seu posto porque ninguém mais queria. 

Horas se passaram e a tarde chegou ao fim, um mensageiro chegou invocando ele e cada comandante independente do Norte para prestar seus respeitos ao Embaixador Imperial. O mensageiro frisou que cada comandante só poderia trazer dois guardas, uma condição que irritou profundamente Nian Zu. É sério, o Embaixador Imperador estava preocupado que ele seria atacado por um desses “selvagens nortista”? Ridículo. É isso que você ganha colocando um parente sanguíneo do Imperador para tomar conta da “Primeira Grande Conferência Imperial”. Ele considerou por alguns instantes lavar suas mãos dessa farsa e ordenar que seus homens voltassem aos seus navios, mas infelizmente, ele não tinha escolha além de aceitar o insulto. Escolhendo Han BoHai e Baatar para acompanhá-lo, Nian Zu se preparou para dar umas palavrinhas para o Embaixador Imperial com seus maiores guerreiros ao seu lado.

Esperando para os outros comandantes se juntarem a ele, Nian Zu fervia de raiva com a demora. Como ele estava entre os primeiros a chegar, os únicos outros comandantes presentes eram Akanai e um punhado de Subtenentes, mas depois de vinte minutos de espera, eles ainda não estavam prontos. Olhando ao redor, ele passou cada rosto por uma lista de verificação. Akanai estava aqui, com o segundo dela, o Médico Tokta, e a escrava transformada em filha dela Li Song. Akanai tratava a menina bem, até dando de presente o Peitoral Rúnico de Zian, mas era uma pena os status dela. Os esforços de Li Song nunca seriam reconhecidos, mas pelo que os espiões de Nian Zu relataram, a proeza da escrava gata era segundo apenas a de Mila e de Zian, uma conquista formidável para a escrava.

Marechal Yuzhen também estava esperando por perto, compartilhando um cavalo com o amante jovem dela o Ceifador Demoníaco Gerel, enquanto o chefe da guarda dela, um dos homens de DuYi esperava ao lado deles. Han BoShui, o tão chamado “Tigre de Papel” do Clã Han estava pronto e esperando com dois guarda-costas de elite, como estava Tong Da Fung, o auto-proclamado Tormenta Imparável. Ao passo que as habilidades do menino eram mais ou menos impressionantes, sua escolha de atendentes eram a surpresa de verdade, um guardião totalmente armado e um servente meio-doninha. 

Pela Mãe esses nobres gostavam dos jogos de desorientação deles. Qualquer que soubesse de algo “sabia” que o verdadeiro protetor do jovem magistrado Fung era o servente cruel e torturador Fu Zhu Li, mas apenas Nian Zu e outros experts perceberiam que o guardião armado estava bancando a isca não era uma isca mesmo, mas na verdade um verdadeiro expert vestindo Armadura Rúnica o bastante para empobrecer um rei. Onde Tong Da Hai encontrou esse perito era um mistério, mas Nian Zu estava certo de uma coisa: o perito desconhecido não era um dos Bekhai, como tantos poderiam assumir. Os Bekhai não dominavam runas, com seus únicos itens rúnicos vindo da Sociedade.

Círculos dentro de círculos e jogos dentro de jogos, tão irritante de navegar.

O próximo era o Lobo Devorador Huushal, um jovem musculoso de postura nobre e comportamento selvagem. Com ele estava uma das membras do Estandarte de Baatar, a guerreira meia-ursa que usava machado, Ghurda, que também era a mãe adotiva de Huushal. Em uma guinada estranha, o outro atendente de Huushal estava dormindo preso nas costas do lobo jovem. Conforme Nian Zu abriu sua boca para repreender o menino por trazer um vovô dormindo para encontrar o Embaixador Imperial, os olhos do atendente idoso abriram de repente e silenciaram Nian Zu com um só olhar. Amarelos e selvagens, os olhos dele eram os de um homem que não deveria ser ofendido levianamente. Mesmo com toda sua força e experiência, Nian Zu não iria querer enfrentar esse veterano idoso em um duelo.

Quebrando contato visual, ele percebeu que Falling Rain ainda não havia chegado. Fosse qualquer outro, Nian Zu teria partido e deixado o indivíduo para trás, mas o menino era perigoso demais para ser dado rédea solta na cidade. As apostas eram altas e temperamentos quentes demais, com cada nobre arrogante e almofadinha no Império buscando fazer um nome para eles mesmos. Deixado sozinho, Falling Rain pode começar um tumulto para matar uma dúzia de descendentes nobres, então Nian Zu se sentou e esperou pela criança problemática.

Outros dez minutos se passaram até ele explodir, dirigindo sua ira para Baatar. — Por que o moleque está demorando tanto? Ele parou para pegar outra porra de bicho?

Frente a sua ira, Baatar ainda tinha a pachorra de sorrir. — Desculpas, comandante. O menino foi forçado a fazer um desvio, mas ele chegará em breve. Você pode até rastrear o progresso dele você mesmo.

Olhando para trás, o rosnado de Nian Zu saiu de seu rosto e depois de uma pausa breve, ele fechou seus olhos e suspirou. Enquanto o menino não poderia ser visto, era difícil perder a Tartaruga Guardiã de Ping Yao correndo na direção deles enquanto circulava por um mar de soldados e tendas. Pelo menos a tartaruga ainda não esmagou ninguém, mas ainda deixava um rastro de caos em seu caminho conforme deixava soldados, civis e bestas sem distinção aterrorizadas pelo seu passo frenético.

Em luz disso, Nian Zu estava disposto a perdoar Falling Rain por seu atraso. 

Correndo com um olhar tímido, arrependido, Falling Rain chegou com uma desculpa apressada. — Desculpe Coronel-General Situ Nian Zu… éee… comandante… senhor…?

Suspirando mais uma vez, ele ignorou as risadas mudas das pessoas ao redor, enquanto encarava o grupo de pássaros estranhos circulando acima deles. Eles eram parte do zoológico de Rain ou a presença deles era uma mera coincidência? Pelo menos, o menino não trouxe seus gatos, ursos e coelhos. — Me chame de Coronel-General, ou Coronel-General Nian Zu. Apenas guerreiros sob meu comando meu chamam de comandante. — Um arranjo que ele não estava muito feliz. Esse menino poderia ser mais problema do que ele vale a pena. Apesar da maioria das pessoas no norte idolatrarem a Tartaruga Divina, nobres de outras províncias poderiam ver apenas um Coração Espiritual vivo. — Deixe a tartaruga para trás, nós vamos prestar nossos respeitos, não entreter o Embaixador Imperial.

Se encolhendo, Falling Rain deu de ombros impotente. — Com todo o respeito Coronel-General, se eu soubesse como fazer ela ficar para trás, ela ainda estaria em Ping Yao. Você é bem-vindo para tentar convencer ela do contrário, mas eu devia avisar o senhor: ela cospe quando se sente ameaçada.

Não pela primeira, Nian Zu se arrependeu de dar a patente do menino. Não era surpresa que Akanai e Baatar foram tão hesitantes quando ele sugeriu. Cuidadosamente pesando suas opções, Nian Zu percebeu que ele não poderia arriscar ser cuspido por uma tartaruga na frente de seus soldados, divina ou não. Suspirando, ele olhou para a escolha de atendentes do menino e quase caiu de seu cavalo. Um era um guerreiro Bekhai de pouca importância, um mulher velada coberta dos pés a cabeça em preto, enquanto o outro era alguém que Nian Zu reconhecia e temia. Desmontando de seu cavalo apressadamente, Nian Zu juntou suas mãos e se curvou enquanto os soldados sob seu comando o seguiam e ficavam de joelhos. 

O que Nian Zu achava mais irritante era que Rain não teve a cortesia comum de desmontar e se ajoelhar, ou pelo menos sair do caminho para que Nian Zu não fosse forado a saudar uma criança oitenta anos mais nova e seu júnior em sete patentes. Deixando a irritação de lado, ele cumprimentou a Divindade mal vestida ao lado de Rain. — Venerável Guan Suo, este aqui se desculpa por não te cumprimentar antes. 

Sem dar permissão para Nian Zu levantar sua cabeça, a Divindade perguntou, — Nos conhecemos antes?

— Não, ó Venerável, mas este aqui já viu desenhos de sua aparência. — E leu sobre os relatórios em relação a destruição que você trazia. Nian Zu não esperava que Falling Rain trouxesse uma Besta Ancestral para Nian Ping, especialmente não uma tão temperamental como Guan Suo. Quando ele se juntou aos Bekhai? Por que Akanai não avisou ele? Que se foda o Tratado, trazer uma Besta Ancestral para encontrar um membro do Clã Imperial sem aviso poderia ser tratado como intenção de se rebelar ou traição, então Nian Zu Enviou rapidamente mensagens explicando seu dilema. 

Recusar uma Divindade? Esqueça o cuspe, ele preferia que a tartaruga cagasse em sua boca.

— Então, por que se desculpar? De boa, de boa. Eu sou parte da comitiva do garoto, mas você pode fingir que eu não estou aqui. Venha, vamos acabar com isso. — Indiferente aos problemas acarretados por sua presença, a Divindade cutucou Rain para ele se mover. Preocupado que o menino possa obedecer e descuidadamente tomar a liderança, Nian Zu se apressou de volta para seu cavalo e partiu, se movendo o mais lento que ele ousava para dar o máximo de tempo possível para o Embaixador.

Mãe Amada, tenha misericórdia do seu pobre servo. O que um homem pode fazer nessa situação?


Esboço mapa da cidade de Nan Ping, link

 

Worst
Worst, filho da Música, casado com os Livros, tradutor de DS, CdMD e ASdCZ, ?% Engenheiro, 1 dos 3

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!