DS – Capítulo 317

Acordado por um grasnado alto emanando a centímetros do meu ouvido, eu solto um grito nenhum pouco másculo e fico de pé em um pulo aterrorizado e ansioso. Confuso com meus arredores desconhecidos, leva um momento para me acalmar e lembrar que eu dormi no lado de fora para fazer companhia para Pingping. Acordada rudemente pelas minhas ações, Mamãe Coelhin mostra seu desagrado com uma cabeçada na minha mandíbula seguida por um olhar assassino e um bocejo emburrado. Igualmente irritado, Vinte-e-um aparece para soltar uma série de bufadas e grunhidos degradados antes de voltar para o conforto do pêlo da Mamãe Coelhin, presumivelmente para voltar a dormir. Desejando que eu pudesse fazer o mesmo, sopro o delinquente responsável por esse início de dia horrível, que responde com indiferença pura. Parado no meu ombro com um olhar orgulhoso, Roc continuando grasnando como sempre, anunciando a chegada do sol em uma imitação podre de galo.

— Puta que pariu Roc. — Eu murmuro, esfregando os olhos para tirar o sono. — Por que? Por que você fez isso?

— Eh-Mi-Tuo-Fuo. — Depois de gritar uma segunda vez hoje, eu lembro da mais nova adição, nenhum pouco bem-vinda a minha comitiva um pouco tarde demais para salvar meu orgulho. Sentado com as pernas cruzadas no chão, os pés do monge descansam em suas coxas, um feito impressionante para um homem tão… gordo. Ignorante (esperançosamente) dos meus pensamentos rudes, os olhos do monge permanecem fechados em meditação relaxada enquanto ele fala através de Envio, mesmo que eu ainda não saberia disso se não estivesse olhando diretamente para ele. — Bom dia irmão SanDukkha. Permita que este aqui ilumine você em relação  a sua pergunta. A Mãe fez cada uma das criações Dela com um propósito em mente. Criado em cativeiro, o Dharma do martinho pescarote foi alterado e agora ele busca um novo propósito de vida através da imitação e experimentação. Essa é a vida, desafios e tribulações sem fim. Quanta tristeza, quanta luta. 

Uou, muito triste, que pena. — Uh, obrigado. Bom dia. — Era uma pergunta retórica, mas pelo menos agora eu sei agora a espécie do Roc. Dando um abraço em Pingping, eu continuo, — Então, você não me disse seu nome ontem.

— Este aqui abandonou seu nome secular quando ele desistiu dos Três Desejos e aceitou as Quatro Verdades Nobres. Um nome Dharmico é um assunto privado, revelado apenas para aqueles que compartilham nossos valores e enquanto você é sem sombra de dúvidas um membro da Irmandade, você ainda não aceitou seu propósito de vida, então alguns segredos devem ser mantidos.

— … tá, mas mas então como que eu te chamo além de “o monge”?

— Este aqui não pode ser chamado de “o” monge, porque ele é meramente “um” monge. Caso contrário, a denominação é apta e este aqui a usa com orgulho. — Lentamente abrindo seus olhos, ele respira profundamente como se inalasse vida em si e me cumprimentou com um sorriso, afagando o chão ao lado dele. — Venha meditar comigo irmão SanDukkha, — Ele Envia. — uma manhã nos cumprimenta o que significa que um dia longo já começou a muito tempo. Este aqui não quer ser chato, mas seria bom que você acordasse mais cedo. Preguiça e indolência são sinais de uma mente sem disciplina, a única função delas é te obstruir e atrapalhar. 

— Não, obrigado, eu tenho coisas que preciso fazer antes de poder meditar. — É melhor só ignorar ele, mas eu odeio a rotina “mais santo que você” dele. Cada palavra dele fede a auto-superioridade presunçosa, fingindo que não era culpa dele que eu não consegui dormir o bastante. Quem pediu para ele bancar um perseguidor e aparecer no meio da noite para me assistir secretamente enquanto eu durmo? Eu gastei horas me revirando, preocupado que ele fosse me matar ou pior e agora ele tem a pachorra de me dizer que eu não tenho disciplina? Olha o sujo falando do mal lavado. Sinceramente, eu pensei que eles deveriam ser vegetarianos. Como você consegue ficar gordo comendo comida de coelho? Esse careca gordo devia ser a definição de gordo no dicionário. Ele é tão gordo que até o queixo dele tem queixos. Ele é tão gordo, que os lóbulos das orelhas dele cedem por causa do peso extra. Ele é tão gordo… não, ódio aos gordos não é legal, mas eu estou puto sinto lhe dizer, puto. Hmph, falando sobre minha mente indisciplinada enquanto ele tem uma boca descontrolada…

Pior de tudo, como eu vou ter minha sessão de carinhos com meus bichos com a cabeça careca e gorda dele respirando no meu cangote?

Só aceitando minha recusa, o monge Envia, — Este aqui vê muita raiva dentro de você, irmão SanDukkha. Raiva vai te levar para longe do caminho certo, o caminho do Dharma. Você fez a Guardiã Divina confrontar mercadores por causa de uma vingança tola, não fez? Usar a serva da Mãe dessa maneira, quanta maldade, quanto pecado. Talvez a companhia mercantil errou com você, mas usar fogo contra fogo só deixa o mundo inteiro queimado. Não guarde rancor dos ignorantes, mas sim busque iluminá-los. Seu ódio só te faz mal. Ódio não pode te sustentar nem vai te deixar inteiro. Aprenda o poder do perdão, pois se mantendo no ódio ou raiva, você só se fere, como um carvão em brasas em…

Deixando a falação incessante dele entrar num ouvido e sair pelo outro é quase impossível, mas eu dou meu melhor para manter minha rotina matinal, acalmando meus nervos e me livrando da minha ansiedade e incerteza ao assistir meus bichos. Ainda descansando dentro de seu buraco, Pingping assiste com preguiça os coelhins correrem por aí no novo cercado deles. Irritado pelas palhaçadas de cabeçada e chutes deles, Aurie saí para se juntar ao Mafu e os outros quin que ainda estão dormindo. Se escovando com bico e galhos, o grupo do Roc está estranhamente silencioso enquanto eles se escovam em preparação para encarar o dia, desejando pegar qualquer coisa brilhante que atrair eles e trazer o fim emplumado para todas as coisas comestíveis. 

A maioria das pessoas não entenderia, mas assistir bichos é terapêutico. Eles estão me ajudando a lidar com minha ansiedade debilitante e depressão esmagadora, duas outras emoções que eu tenho aos montes. 

Pran e Saluk logo chegam com o café da manhã para os meus bichos e essa hora nunca falha em por um sorriso no meus rosto. Assim que os vegetais vem, todos os coelhins se reúnem e ficam dando patadinhas no chão com suas patinhas cheias de animação, suas bochechas gordinhas trabalhando furiosamente para devorar tudo que eu ponho na frente deles. Os coelhins estão desmamados em sua maioria e, embora eles comam muito, eles não são muito chatos com o que, então não é um problema manter eles bem alimentados. Prosseguindo para os pássaros e Vinte-e-um, eu alimento pessoalmente cada um deles, esperando quebrar o hábito deles de roubar e ensiná-los que comida vai vir se eles forem pacientes. Minha mentira sobre Roc e os outros manterem Pingping livre de pragas não vai durar para sempre e é só questão de tempo até eles irritarem a pessoa errada o que não vai acabar bem.

Além disso, quando uma Lebre Caçador das Nuvens cresce, ela vira um peludinho voador de morte e destruição, então ensinar bons modos a Vinte-e-um desde cedo parece apropriado. 

Infelizmente, o monge não gosta das minhas ações e deixa isso claro através de Envio. — Irmão SanDukkha, apesar de você ter boas intenções, você interfere com a ordem natural das coisas. Como este aqui disse mais cedo, cada criatura tem seu propósito. Qual o propósito de um gato selvagem mimado ou de um urso dançarino? Você dominou essas criaturas, quebrou elas e ao fazer isso você alterou o Dharma delas. Como eles ficariam se…

Respire fundo, Rain, respire fundo. 

Tentando não deixar a falação dele arruinar tudo, eu prossigo com meu dia a dia como sempre, porém com um monge gordo me seguindo. Meu regime de treino me ganha outra lição, o monge infeliz com meus métodos “brutais”. — Quanta ignorância, quanto pecado, — Ele Envia, balançando sua cabeça com um olhar desaprovador conforme Pran e Saluk me espancam com bastões. — Isto é meramente sofrimento sem razão. Você fica parado aí e força seus subordinados a te acertarem e você os acerta em troca, mas qual o propósito disso? Nascer é sofrer, envelhecer é sofrer, ficar doente é sofrer, morte é sofrer, vida é sofrer e sofrimento é vida. Por que adicionar essa brutalidade sem sentido? Dor pode ser uma ferramenta efetiva, sim, mas como muitas ferramentas, você deve aprender como usá-la apropriadamente ou você corre risco de se ferir gravemente. Peça e este aqui te ensinará com alegria, mas você não deve abusar de suas lições, pois…

Tudo isso vindo do livreto de um membro de fanáticos que se auto-flagelam. Eu estive fazendo isso por anos e se ele não gosta disso, então por que ele me convidaria para entrar no primeiro lugar.

Não é preciso dizer, eu não perguntei ou encorajei ele, mas mesmo assim o cara continuou falando e me avisando que eu devia mudar meus jeitos a sessão de treino inteira. Depois disso, ele pirou durante o café da manhã porque eu comi carne. — Irmão SanDukkha isso não é certo. Que direito você tem para tirar a vida dessas pobres criaturas? Conforme prosseguimos pelo nosso caminho no Samsara, o ciclo da vida e da morte, todas as criaturas são iguais nos olhos da Mãe. Você deve lutar para não matar algo vivo, causar sua morte nem incitar outro a matá-lo. Este é o primeiro passo no caminho em direção ao Nirvana, uma parte da terceira verdade, a Verdade do Fim do Sofrimento, a qual você deve inevitavelmente aceitar. Acalme sua mente, elimine o desejo e escape do ciclo de Samsara…

Não há nada pior do que um vegetariano que não cala a boca sobre ser vegetariano. Só por ódio, eu comi tudo na minha tigela e voltei para pegar mais mesmo que eu nem estivesse com tanta fome assim.

Depois do meu café da manhã ocorre minha reunião diária com Rustram e Dastan, onde o monge fica sentado sem ser convidado. Enquanto repasso os gastos, eu sou sujeito a mais uma lição, dessa vez sobre como minha moeda duramente (mais ou menos) ganha. — Para que você possui tanto dinheiro irmão SanDukkha? Ganância é um dos Três Venenos e junto com Ódio e Ignorância, eles formam a raiz de todo mal. Contanto que seus pensamentos estejam condicionados pelos Três Venenos, você não pode viver uma vida moral. Este aqui ouviu dos seus atos na Ponte Boreal e te elogia pelo seu esforço de abrigar os necessitados, mas este aqui deve te lembrar mais uma vez de não alterar o Dharma. Lembre dessas palavras: “Deseje nada para si, mas faça tudo para os outros” e “Não veja o que você fez, mas o que resta para ser feito”…

Sim, claro, eu vou dar todo meu dinheiro quando você ficar magro, gordinho. 

Depois de gastar metade de uma manhã com o monge, eu finalmente entendo o motivo deles terem me nomeado como SanDukkha, que significa “Sofrimento Eterno”. Quem for a pessoa que escolheu esse nome sabia que esse monge seria meu Protetor do Dharma e saberia o que isso seria para mim. O monge nunca para de falar e isso está me matando. No lado de fora, ele parece calmo, sereno e quieto, mas na realidade, ele é um tagarela que não para de soltar críticas passiva-agressivas que está roubando minha vontade de viver para que eu não resista quando ele me arrastar de volta para o monastério dele. 

Todos meus esforços para escapar são em vão já que ele me segue para onde eu for. Minha yurt pessoal, as tendas de cozinha e até minha tenda de cagar não oferece alívio, não hoje. Ignorando meus pedidos educados para ele calar a porra da boca e me deixar em paz, sua voz me assombra até nos confins do meu Palácio Natal. Trocando de lugar com Baledagh me conseguiu um pouco de paz que durou por um minuto antes do meu irmão de mente frágil desistir. Ele mal ficou tempo o bastante para confirmar a ausência de Espectros e agora o monge está sentado no nosso barco a remo novo, me dando uma lição através de Envio enquanto Taduk, Guan Suo, Líder da Guarda e eu acompanhamos Pingping para um passeio na baía, junto sua escolta de roosequins

Eu estaria mentindo se dissesse que não estava nervoso sobre nadar depois do ataque de ontem, mas neste ponto eu aceitaria de bom grado outro ataque de tubarão se isso calasse a encheção sem fim do monge. Eu juro pelos Céus, se ele não calar a boca logo, eu vou esfaquear a cara gorda dele. Ele é um hipócrita gigante, me falando que eu não devia matar enquanto ele carrega uma arma de haste gigante ou pregando sobre amor e perdão enquanto sofre de problemas de raiva severos. Honestamente, eu apontaria as hipocrisias dele, mas o monge me assusta um pouco. Apesar de Taduk, Líder da Guarda e Guan Suo serem todos muito fortes, tudo que ele fez é falar e eu não quero deixar alguém em perigo desnecessário por causa de uma coisa tão pequena.

Por mais forte que ele seja, até Guan Suo vai morrer se alguém cortar a cabeça dele, o que vale o dobro para o meu professor doce, com cérebro de lebre. 

Me despindo até ficar só com minhas calças de banho, eu estudo as profundidades aquáticas e retiro coragem da presença de Pingping. Bom isso e a corda resistente que eu estou prestes a me amarrar antes de dar o outro fim para Guan Suo. Segurando uma risada de nervoso, eu murmuro, — Um raio nunca cai no mesmo lugar duas vezes, então eu acho que estamos seguros, certo?

— Não seja tolo, Rain meu garoto. — Taduk diz, assistindo distraidamente Mamãe Coelhin pular por aí, seu nariz trabalhando furiosamente para apontar o local de sua presa. — Um raio pode certamente acertar o mesmo lugar duas vezes. Na verdade, sob as condições certas, ele vai acertar um único lugar, como no Arvoredo Sagrado ao redor de Sanshu. Aquelas gigantes enormes provavelmente são acertadas por raios toda hora. — Atrasadamente entendendo o que eu quis dizer, ele fica vermelho e adiciona, — Ah, não, você está absolutamente certo meu garoto. Não preste atenção nas bobagens deste tolo, você não tem nada a temer, nada mesmo. 

— Obrigado, Professor. — Pelo menos ele tem boas intenções. 

Como sempre, o monge não perde a chance de falar, Enviando, — Lembre disso, irmão SanDukkha: não é possível controlar o que acontece, mas se pode controlar como você responde ao que está acontecendo. Medo não é algo ruim, pois isso serve como uma chamada para a ação. “Remova sua mão do fogo” ou “não ande em lugares desconhecidos a noite”, mas quando se é governado pelo medo, isso com frequência te faz sair do caminho do Dharma. Não se atenha ao passado, não sonhe com o futuro, deixe o presente ir e cruze até a costa oposta da existência. Libere sua mente e se liberte do Samsara, Eh-Mi-Tuo-Fuo.

Pela primeira vez, o monge oferece um conselho útil e eu guardo suas palavras em minha memória. A primeira parte pelo menos, “não deixe o medo te controlar”. Meio que óbvio e levemente útil, mas ainda é bom manter em mente. 

Se apenas ele não enrolasse tanto para falar algo simples…

Com Paz e Tranquilidade em mãos, eu respiro fundo e saio do barco, mergulhando nas águas frias da Baía de Nan Ping. Tremendo dos pés a cabeça, eu escaneio os meus arredores em todas as direções, mantendo um olho vigilante para tubarões ou outros bichos assustadores. É fácil dizer “controle seu medo”, mas outra coisa bem diferente é fazer isso de fato. Não esqueça, eu estou 90% certo de que alguém está tentando me matar e 100% certo de que eles não só iriam guardar suas coisas e picar a mula depois de falhar uma vez. 

O problema é, eu ainda não tenho idéia de quem está tentando me matar. Eu tenho uma porrada de suspeitos, mas qual deles tinha os meios, motivo e a oportunidade para realizar o ataque. 

Já se passou um dia inteiro desde o ataque de tubarão e eu não consegui nada do Embaixador. Nenhum elogio por manter Pingping viva, nenhuma condenação por colocá-la em risco, nem mesmo uma sentença oficial falando sobre o ataque. Isso e o fato de que nenhum oficial veio checar se Pingping estava ferida me faz pensar que minhas suspeitas anteriores estavam certas, o Embaixador não liga muito para a minha tartaruga doce, ele só está usando ela para levantar a moral. Enquanto é improvável que ele esteja por trás do ataque, eu não posso excluí-lo também, mas qual seria o motivo dele?

Por mais egoístas e inescrupulosos que eles sejam, eu dúvido que os nobres do Império iriam desobedecer um Decreto Imperial dessa maneira, especialmente quando não há muitos benefícios. Claro, se o plano tivesse funcionado eu estaria morto, mas as famílias nobres envolvidas nunca poderiam admitir a parte deles nisso e ganhar honra. Nas palavras do próprio Embaixador, atacar Pingping é traição e heresia, crimes puníveis pela exterminação de nove gerações familiares. Isso significa pôr em risco cada parente vivo que você tenha e talento número um do Norte ou não, eu sou uma peça pequena nisso tudo o que significa que o risco supera e muito a recompensa, especialmente quando se considera que há jeitos mais fáceis para se lidar comigo e com os Bekhai.

O Grupo Comercial Canston é outro suspeito, mas depois de buscar pistas, eu concluí que o ramo em Nan Ping não tem a mão de obra necessária para fazer isso. A casa mercantil era um armazém, não um escritório oficial ou algo do tipo, então eles só tinham uns trinta guardas, nem perto de ser o bastante para fazer isso. Mais importante ainda, se eles são responsáveis, isso significa que eles planejaram e executaram perfeitamente um ataque de tubarão massivo em menos de vinte e quatro horas depois do nosso encontro. É possível, mas muito improvável. De acordo com Bulat, nós fomos atacados por mais de um cardume de tubarões, o que significa que alguém rastreou múltiplos cardumes e os reuniu antes de levar o cardume gigante em direção para a baía. 

Eu enviei ele para espalhar rumores e é só isso que eu consegui. Pior dez moedas de ouro que eu já gastei. Pelo menos as pessoas comuns estão do meu lado, não que seja tão útil assim. 

Sabendo o que eu sei, isso significa que ou um punhado de super peritos ou um exército de normais coordenaram seus esforços para realizar esse esquema convoluto. Julgando pelo conteúdo do estômago dos tubarões, a segunda opção parece mais provável, especialmente considerando que peritos só iriam me matar francamente. O problema é, pessoas normais demoram um tempo para trabalhar, o que significa que a menos que o Grupo Comercial Canston tinham esse plano no bolso deles esse tempo todo, isso torna bem improvável que foram eles os responsáveis pelo ataque. 

Não importa o quanto eu queira que seja eles. 

Então talvez não seja sobre honra e sim sobre vingança. Durante meus duelos na Muralha, eu matei Ouyang Yu Jin, o jovem patriarca do Clã Ouyang e Teng Wei Chuan, um membro proeminente da Seita Baiji. Esse é o motivo. Eles também tinham muito tempo para reunir os tubarões entre Nan Ping e a Província Norte, que é o como. O problema é que o tempo não bate. A Sociedade chegou a quatro dias atrás, um dia depois de eu começar a nadar na baía. Se eles sabiam sobre meus hábitos, então por que eles esperaram outros três dias antes de realizar o plano deles? Eu suponho que seja possível que eles formularam o plano depois de chegar em Nan Ping, mas sei lá. Não parece certo. Pelo que eu vi, a Sociedade se importa mais em ganhar honra do que vinganças sobre mortes individuais. Ancião Ming estava vidrado em me matar, mas ele largou abertamente a Sociedade antes de ir atrás de vingança. Eu acho bem difícil que dois grupos menores na Sociedade iriam contra a maioria e tentariam me matar secretamente, mas não é impossível.

No fim, eu já me denominei todos meus suspeitos como improváveis, mas um deles tem que ser o culpado, o que significa que eu não sei nada. 

Aff. Resolver crimes é difícil…

O rosto virado de cabeça para baixo de Mafu entra na minha visão e põe um fim ao meus pensamentos temerosos, seu beicinho é fofo demais para ignorar. Por mais covarde que ele seja, meu quin sabe que quando minhas armas estão sacadas, está na hora do trabalho, então ele ficou do meu lado em vez de ir nada com seus amigos. Ansioso para se juntar a eles, seu olhar arregalado e apelativo acerta um nó no meu coração e eu dou tardiamente um sinal para ele ir brincar. Subjugado por pura alegria, seu rosto adorável de quin se estica em um sorriso enquanto ele vaza para curtir a vida, sem pensar no passado ou no futuro e só vivendo no agora. 

Nenhum dos animais se importou com o ataque de tubarão de ontem. Eles só sabem que estão vivos hoje, então eles tem que aproveitar a vida ao máximo. É como o monge disse, “Não se atenha ao passado, nem sonhe sobre o futuro”. Havia mais, porém não é importante. O que é importante é que ele finalmente parou de Enviar e eu tenho finalmente meu momento de paz e silêncio, então por que desperdiçá-lo pensando em coisas que eu não posso controlar? Posso muito bem me preocupar sobre meteoros caindo no mundo e apagando toda a existência que daria na mesma. 

O que acontece agora não importa. O que importa é como eu respondo ao que acontece. Eu escolhi que o medo me paralisasse, mas agora eu faço uma escolha diferente. 

Eu estou aqui para meditar e encontrar Discernimento, mas isso não significa que eu não possa aproveitar a beleza e serenidade desse mundo subaquático ao mesmo tempo. Enquanto assisto os quins e Pingping brincarem, meu corpo relaxa e minha mente se esvai, não porque estou buscando ficar calmo, mas sim porque finalmente eu estou permitindo que isso aconteça. É tão simples, eu não entendo o motivo de não ter visto isso antes. Isso volta nos básicos que eu aprendi a tantos anos atrás, de volta na vila onde alguns dos meus momentos mais felizes aconteceram. 

Naquela época, minha família amorosa me disse tudo que eu precisava fazer para me tornar forte, eu só não estava ouvindo.

 

Acalme sua mente. 

 

Se foque em nada.

 

Se volte para dentro e se abra para a Energia dos Céus. 

 

Busque nada, encontre tudo. 

 

Seja consciente de nada além da própria consciência. 

 

O tempo passa. Um minuto, uma hora, um dia. 

 

Meus nervos formigam, da cabeça até a ponta dos pés. 

 

Os poros da minha pele se abrem. 

 

Barreiras caem e a verdade entra. 

 

Uma corrente fria me alcança. 

 

Ela circula, abraça e envolve, uma espada e escudo contra o que está a frente. 

 

Desafios e tribulações, mas não sem propósito. 

 

Não sem um fim.  

 

Worst
Worst, filho da Música, casado com os Livros, tradutor de DS, CdMD e ASdCZ, ?% Engenheiro, 1 dos 3

1 Comentário

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!