DS – Capítulo 60

Akanai viajou em cima de Atir nas estradas enevoadas da cidade, indisposta quanto a ir a qualquer outro lugar depois de seu primeiro dia na cidade. Shen Yun, a cidade da Nuvem Divina, ou deveria ser chamada a cidade das Escadas Malditas. Construída na própria encosta rochosa da montanha, a cidade se estendia ao longo da cordilheira, platôs e cumes conectados por pontes de pedra e escadas, as construções talhadas da mesma rocha cinza da própria montanha. As estradas e avenidas saíam das escadas principais de maneira desorganizada, sem qualquer ordem ou lógica, enquanto a cidade se expandia para onde podia. As cores desapareceram  por todo lugar que ela olhava, uma névoa sombria permeando o ar, a vegetação e estilos de roupas monótonos e surrados. As pessoas eram rudes e sujas enquanto andavam apressadas em seus carneiros, seguindo suas rotinas diárias, navegando pelas curvas e voltas da cidade que parecia um labirinto, evitando os batedores de carteiras ágeis e mendigos doentes que preenchiam as ruas.

A coisa mais gentil que ela poderia dizer era que a cidade era defensável, mas era tão desarticulada e caótica que tornava a estadia dela aqui quase insuportável. Casas perto de forjas, restaurantes perto de curtidores, sem pensamento ou planejamento quando as primeiras fundações da cidade foram erguidas, e todos que vieram depois seguiram esse exemplo. A área abrigando seus Sentinelas era em cima de um platô que ficava a quase uma hora de viagem dos portões da frente, se movendo pelas ruas estreitas e abarrotadas, já que as leis da cidade proibiam que ela atravessasse a encosta instável com Atir. Frustrava muito ela, ter que se mover de maneira indireta, incapaz de simplesmente pular o corrimão de rocha e descer a encosta, liberta da ralé dos cidadãos sujos. Quando ela voltasse para casa, um banho longo nas termas seria necessário, com esfregadas vigorosas para remover a camada de sujeira que esse lugar deixou nela.

Ela desejava ordenar que os Sentinelas dela limpassem o caminho, atropelando todos perante ela como fez nos campos de Shen Huo, mas essas pessoas aqui não eram o inimigo. Aquela batalha foi simples, sem a necessidade de sutilezas ou táticas. O inimigo se alinhou graciosamente para Akanai, e ela simplesmente avançou por eles, matando um com cada balançar de sua arma enquanto seus Sentinelas disparavam flecha após flecha no inimigo, matando milhares deles. Mesmo assim, foram necessárias várias horas para que o inimigo se desmantelasse totalmente, múltiplos grupos escapando para as pradarias ao redor da cidade, ainda mais indo para as florestas escuras e colinas no noroeste.

Eles precisariam ser caçados, como os vermes que eram, mas isso não foi deixado para ela, infelizmente. Não, o Marechal “recompensou” ela com o comando de 150.000 soldados, a maioria deles infantaria praticamente inútil ainda por cima, assim como uma ordem para retomar a Fortaleza do Tigre Voador, a norte de Shen Huo e oeste da Ponte, um esforço para impedir a entrada de novos invasores Corrompidos.

Ela achava as batalhas de cerco irritantes, uma moeção de soldados perante as muralhas, sem ritmo ou pulso sobre elas, uma simples batalha de números. Ela preferia os campos abertos, montados em seus quins enquanto atiravam uma saraivada sem fim de flechas, evitando conflito até que o inimigo estivesse fraco e vulnerável. O Sentinelas dela não tinham lugar em um cerco, e ela não os faria tomar muralhas. Eles seriam melhor utilizados caçando os Corrompidos que escaparam, mas essa honra foi dada ao General de Brigada inútil, Cho Jin Kai, apesar das exigências dela de que ele fosse punido pelo seu manuseio incorreto na área de preparação. Um oficial tolo, se fosse ela, Akanai o teria executado por incompetência, ao não colocar sentinelas a mais de um quilômetro de distância, permitindo que os Corrompidos atacassem sem quase nenhum aviso. O General de Brigada insolente tinha melhores conexões do que ela havia pensado, e só foi repreendido por seus erros. Quando a guerra terminasse, ela iria encontrar uma razão para desafiá-lo e remover sua cabeça de seus ombros. Talvez ela a trocasse por um melão e o arrastasse pelas ruas, como uma lição para os outros oficiais. Força tinha de sobra, mas inteligência faltava muito entre eles.

Finalmente, ela passou das massas e alcançou as escadas principais, seu pessoal logo atrás dela, rapidamente trotando para baixo em direção ao portão natural ao Sul, se apressando em direção à filha dela e os outros. Akanai só soube da infâmia deles quando retornou de Shen Huo. Todos os relatórios e rumores que ela tinha ouvido em relação à filha dela e os outros a preocupavam grandemente. Ela ficou orgulhosa com o tamanho da preocupação que eles causaram, arrasando na primeira etapa, eliminando quatro facções da Sociedade sem misericórdia, mas quando ela soube dos prêmios deles, o orgulho virou apreensão. Elixires de crescimento corporal e anéis runicos, prêmios maravilhosos se ela estivesse lá para protegê-los, mas sem a patente dela como escudo para eles, aqueles prêmios se tornaram faróis atraindo o perigo.

Pelo menos Alsantset e Charok estavam lá. Parecia que todos eles voltaram vivos, o que foi muita sorte para a Sociedade. Apesar das muralhas deles serem altas e bem defendidas, Akanai teria dado a volta ao redor delas sem obstáculos e queimado a cidade deles até o chão como uma pira funerária se eles tivessem matado qualquer uma das pessoas dela. Se o filhote tivesse perdido sua criança ou seus netos, ele teria derrubado a própria Ponte, permitido que o Império fosse sobrepujado só para acabar com aqueles que mataram sua família. Ela não era uma pessoa racional quando se tratava de família.

Um sorriso apareceu em seu rosto ao ver Mila, e ela pulou para tomá-la em seus braços. Seu marido se juntou a elas, uma família reunida novamente. O idiota pesado ficou carrancudo nos caminhos de pedra, andando para lá e para cá enquanto esperava por notícias da criança preciosa deles. Colocando Mila no chão, Akanai estudou o rosto de sua filha, notando a exaustão e a perda de peso. Franzindo as sobrancelhas, ela puxou o colar de Mila para o lado, olhando para cicatriz feia em sua clavícula, levantada e feia, uma ferida profunda curada.

— Mamãe, nós estamos em público. — Pequena Mila, tentando esconder suas feridas e sua exaustão, se contorcendo perante o olhar dela. Raiva e ódio surgiram dentro de seu peito enquanto Akanai lutava por controle. Deixando sua filha de lado, ela estudou os outros cadetes, notando suas aparências. Adujan estava orgulhosamente ereta, sem armadura, sem feridas evidentes, mas pela mancada que ela mostrou ao desmontar, devia ter um ferimento no estômago. O rosto jovem de Huushal estava marcado com cicatrizes, seus olhos mais duros do que estavam antes dessa viagem, não mais frescos e inexperientes, mas com a atitude de um guerreiro. Bom, bom, os dois saíram das chamas mais fortes do que antes.

Rain parecia o pior de todos eles, mais magro do que antes, sua pele bronzeada ainda de alguma maneira parecendo enferma. Quem sabe por quanta cura ele passou para que parecesse tão esgotado. Boa comida e um longo descanso seriam necessários, mas ambos seriam negados a eles por agora, com a província em guerra. Ele parecia abatido, segurando uma das crianças em seus braços como se fosse um escudo perante ele, parecendo ansioso e assustado. Pobre criança, talvez os ataques custaram demais para ele, sua mente quebrada novamente. Ela precisaria encontrar um jeito de consertá-lo, ou ele não seria bom para ninguém. Ele não era do tipo que prosperava em combate, pelo que ela tinha visto.

Akanai sorriu para Alsantset, que não parecia nada mal apesar da jornada difícil.

— Bom trabalho, trazendo todos aqui em segurança. — A garota assentiu, uma ligeira mostra de orgulho em seus olhos, mas sem vontade de expressá-lo.

— Nós chegamos quase 12 horas atrás. Pelos visto os guardas atrasaram para te passar a mensagem. — Akanai se virou para encarar os guardas, que recuaram sob o olhar dela. Não faria nenhum bem a ela matar esses guardas da cidade. Eles só trabalhavam para o Magistrado, não era culpa deles que o cargo fosse ocupado por uma vadia conivente de um clã sem valor. A mesquinharia do ato fez ela querer ordenar as tropas dela para avançar e matar Situ Jia Ying, aquela magistradazinha de araque, acabando com seus jogos irritantes de meio-insultos e intrigas.

Deixando de lado sua raiva, ela se virou para suas pessoas.

— Venham, Taduk escolheu um restaurante, onde eles irão preparar um banquete para todos vocês. Nós iremos comer, e ouvir suas histórias. — Ela sussurrou para Alsantset, — O que aconteceu com o garoto? Ele parece diminuído, tímido. Ele foi ferido seriamente de novo?  

Balançando sua cabeça, Alsantset riu um pouco.

— Ele se feriu seriamente, mas não é por isso que ele está assim. Ele está preocupado que você irá culpá-lo por todos os problemas. Você aterroriza ele, e devia me ensinar como fazer isso. — Ela deu de ombros. — Apesar de suas ações e bravura, Rain acredita que ele causou um grande problema para nós, e é tolo e arrogante o bastante para assumir toda a responsabilidade. Por qual razão ele sente a necessidade de aceitar a culpa pelas ações dos outros, eu nunca irei entender. — Ela falou alto o bastante para o menino ouvir, sem dúvidas de propósito.

Akanai riu, atraindo a atenção de todos ao redor dela. Criança tola. Ela estava bem orgulhosa dele, embora nunca diria isso. Sem necessidade dele se achar demais, elogios demais era como todos esses jovens mestres arrogantes surgiam. É melhor que ele permaneça humilde. Ela voltou para falar com todos seus cadetes.

— A competição foi bem disputada, e foi uma pena que vocês não puderam prosseguir nela. — Ela sorriu para cada um deles. — O julgamento por combate não é algo que vocês precisem se preocupar. Todos vocês serão bem protegidos. — Todos os cadetes sorriram com as palavras dela, Rain relaxando em seu assento, mas ainda abraçando a criança em seus braços, observando Akanai de perto. No pior dos casos, ela iria ordenar os Sentinelas a ir para as montanhas, e permanecer escondidos por algumas décadas. Ele já o fizeram antes, e o Imperador não iria permitir conflito aberto na Província.

Eles chegaram no restaurante logo depois, comida imediatamente sendo colocada enquanto se sentavam, uma multitude de pratos locais. Taduk fez papel de bobo mimando sua filha e seu estudante, quase chorando com o retorno deles enquanto Akanai provava a comida, parecendo amena como o resto da cidade. Não para menosprezar a escolha do local de Taduk, era só que devido a falta de uma agricultura apropriada ou pastos para gado, a maioria da comida da cidade precisava ser importada ou caçada. A refeição consistia principalmente de carne de caça, alguns pratos de carne de carneiro, tubérculos cozidos no vapor e arroz. Nada tão grandioso quanto o que poderia ser encontrado em casa, ou mesmo em Shen Huo. Shen Yun era uma cidade que possuía poucos luxos. Se não fosse por sua localização defensável e central, Akanai duvidava que haveria uma cidade crescendo aqui.

Ouvindo Mila contar as histórias dos feitos deles, Akanai sorriu até as bochechas dela formigarem. Para ouvir ela contar isso, eles pareceram não ter tanta dificuldade, mas Akanai podia ver a tensão que isso causou nela. Mesmo com uma guerra sobre eles, uma cidade arrasada até o chão sem sobreviventes, pessoas conversavam e riam sobre a competição. Apesar de muitos falarem dos jovens heróis de Shen Huo, na maioria das vezes, pessoas falavam dos membros do clã como “selvagens” que saíram mais cedo, levando para casa alguns dos melhores prêmios vistos nas últimas décadas. Pessoas comuns adoravam ouvir sobre participantes desconhecidos vencendo, e histórias de jovens desconhecidos brutalizando seus oponentes, os deixando agredidos e inconscientes, era um belo entretenimento. Ela até ouviu histórias sussurradas alegres de jovens mestres de facções proeminentes sendo assaltados, mas Akanai atribuiu isso a rumores e pensou positivo. Seus cadetes não se rebaixariam a tanto. Irritava um pouco ela que apenas o nome de Rain era falado, os outros só mencionados por descrição. Mila e os outros precisavam a aprender como se dramatizar melhor, anunciar seus nomes antes de lutarem, e poupar alguns peixes pequenos para espalhar histórias de suas glórias. Uma pena de fato.

Seu rosto escureceu quando eles falaram da perseguição, a traição de confiança, os encontros com a morte. De novo, cada um deles minimizou seus papéis, nem um único fanfarrão no meio deles, ainda cada um quase morreu várias vezes, e, provavelmente, não teriam sobrevivido sem os conhecimentos de Rain e Mei Lin. Acenando com a cabeça para Taduk por ensinar seus estudantes tão bem, ela fez uma promessa a si mesma. Enquanto ela não tinha o conhecimento de como, ela teria sua vingança por essa afronta, ou ela não iria mais andar em dois pés.

Depois de muita alegria e celebração, eles terminaram sua refeição e voltaram para seus aposentos. Todos eles se abstiveram de beber, todo mundo ciente dos perigos que os cercavam, e foram para cama, cansados da viagem angustiante. Sentanda na mesa dela, Akanai se focou novamente nos assuntos importantes em mãos, passando pelos relatórios dados a ela. Ela já tinha enviado a maior parte de seu exército, mantendo uma cavalaria leve, assim como a maioria dos Sentinelas dela. O resto das forças dela estavam estacionados perto de Shen Huo, reunindo suprimentos para a marcha lenta em direção à Fortaleza do Tigre Voador. Se o Inimigo tivesse mais Garos, ela iria sofrer algumas casualidades no caminho até lá. Eles eram criaturas rápidas, feitos para explosões curtas de velocidade, capazes de separar linhas de suprimento e infantarias dispersas com facilidade. Ela só tinha algumas unidades capazes de se igualar a eles em termos de mobilidade, a maioria deles seus Sentinelas. 5.000 Sentinelas para proteger 150.000 soldados e linhas de suprimento, ela tinha uma tarefa difícil pela frente.

Depois de lidar com os acampamentos, passou menos de um dia quando ela recebeu notícias do ataque em ambas Shen Mu e Shen Huo, e ela tinha arriscado tudo para proteger o jovem Hai. Enquanto taticamente ambas possuíam o mesmo valor, ela só conseguiu salvar uma. Se não fosse pela mau uso de Cho Jin Kai, as tropas dentro da área de preparação não teriam sofrido tantas baixas, e ela teria soldados o bastante para fortalecer ambas as cidades. Mal havia tropas o bastante para ela salvar Shen Huo, e apenas por causa da insubordinação fortuita de Sarnai e Tokta, trazendo os Sentinelas dela para guerra apesar da falta de um oficial.

Felizmente, isso foi ignorado pelas autoridades, e ela solicitou autorização para promover suas próprias pessoas a fim de consertar tal fraqueza. Ela recebeu uma resposta insignificante. 5.000 Sentinelas, e foram dadas a ela duas posições de Capitães Seniores, suficientes para comandar apenas 2.000. Enlouquecedor. Ela imediatamente promoveu Tokta, e daria a outra para Alsantset. Isso iria irritar o Gerel, ser alcançado por seu principal rival tão rapidamente. Era bom para os jovens terem competição, algo que ela temia que as próximas gerações não tivessem se as Pessoas fossem se esconder novamente.  

Infelizmente, sem reforços, Shen Mu caiu. Ela visitou Shen Mu uma vez, viu as florestas bonitas e arquitetura única, com seus campos vibrantes de flores e de pomares. Ler os relatórios de campos arruinados cheios de corpos torturados matava ela, sem nem um único relatório de sobrevivente encontrado ainda. Esse era o Inimigo deles, cruéis e implacáveis, matando os milhões abrigados dentro da cidade por esporte. O papel dela não era vingá-los, mas ela iria garantir que nenhuma outra cidade seguisse eles. Ela desejava ser parte da força de subjugação de Shen, retomando as terras dos exércitos Corrompidos, mas seu pedido foi negado. Ela se sentiu responsável pela queda deles, por ter escolhido ajudar Shen Huo não por razões táticas, mas sim pessoais. Culpa matava ela, mesmo que não houvesse nada que ela pudesse ter feito para salvar as duas cidades.

— Velha esposa, você vai ficar com rugas franzindo a testa dessa maneira. Venha, os dias à frente serão longos, nós deveríamos ir para cama. — O marido dela veio chegou à sua porta, um sorriso em seu rosto lindo.

— Ai, há coisas demais para se resolver, coisas demais para se preocupar. Você devia solicitar ao Marechal uma patente, eu preciso de um segundo em comando com a autoridade para realmente comandar. Venha, compartilhe os fardos de sua esposa. — As palavras saíram de sua boca em exasperação, a necessidade de sua ajuda a deixavam irritável. Um bom homem, mas preguiçoso demais e indiferente com glória. Se não fosse pelo amor pelas suas pessoas e sua família, ele iria sentar em casa o dia inteiro, bebendo e jogando xadrez.

Ele só riu em resposta, um som profundo e estrondoso enquanto ia embora, despreocupado com todos os problemas deles. Se ela fosse perguntar a ele, ele só iria dizer que eles deveriam voltar para casa. “Deixe os problemas do Império para o Imperador”. Os Corrompidos, o General de Brigada Kai, a Sociedade, tantos problemas se acumulando, sem nenhuma ação imediata para ela tomar, nem ninguém para ela matar. O que era o mais irritante.

Outra área de contenção. A Sociedade era um inimigo perigoso de se ter, especialmente já que ela não podia agir das sombras. Caso se tratasse de matar um ao outro em segredo, ela tinha confiança em machucá-los tanto que levaria décadas até eles se recuperarem. Com um julgamento por combate, essa alternativa era negada a ela, e era tolice acreditar que a Sociedade não tinha campeões que eram iguais dela. Os céus eram grandes, e quem sabe quantos especialistas escondidos estavam em suas fileiras, guerreiros habilidosos escondidos do público só para tal situação. Isso sem mencionar os guerreiros que eles comandavam visíveis ao público, como o Coronel-General Situ Nian Zu, comandante na Ponte, ou até o Marechal, Shing Du Yi. Talvez antes da recente fama de Baatar, Gerel, e ela própria, a Sociedade teria subestimado eles, mas agora quase não havia chance disso ocorrer. Havia ainda o risco do Marechal enviar ela em uma missão suicida, e ela não teria como recusar.

Suspirando em arrependimento, Akanai empacotou o resto de suas coisas, se preparando para partir de manhã cedo. Aqueles problemas estavam distantes, para serem resolvidos quando fosse apropriado. Por agora, eles se moveriam em direção à Shen Huo, então ela iria retomar a fortaleza, e uma vez que eles estivessem seguros ela iria apelar para pessoalmente caçar cada um dos Corrompidos ainda dentro das bordas do Império.

Ela devia aos cidadãos do Império não menos do que isso, até o tempo em que ela acreditasse que o Império realmente falhara com seu povo.

Worst
Worst, filho da Música, casado com os Livros, tradutor de DS, CdMD e ASdCZ, ?% Engenheiro, 1 dos 3

6 Comentários

  1. Quanto mais cidades aparecem mais eu sinto que não vou lembrar de nem uma delas. Obrigado pelo capítulo

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!