DS – Capítulo 61

— Você precisa ser cuidadoso quando for lutar, né? Você não precisa ser um herói, Rainzinho, só precisa sobreviver e voltar para mim, né? — Mei Lin endireita meu colarinho, arrumando imperfeições que não estão lá, seus olhos marrons grandes úmidos com lágrimas, fazendo elas escorrerem por sua pele levemente bronzeada em rios, enquanto dores de culpa se movem em meu peito. — Lembre-se de comer bem, e ficar a salvo, e de me escrever com frequência. Akanai irá mandar mensageiros para a cidade, então só mande suas cartas para Mimi, e ela mandará eles enviarem.

Afagando ela na bochecha, eu dou a ela um sorriso, triste de ver ela tão angustiada.

— Não se preocupe. Eu prometo que vou escrever pelo menos uma vez por mês.

— Uma vez por dia. — Ela dá uma pisada no chão, fazendo beicinho.

— Uma vez a cada duas decanas? — Abraçando ela bem apertado, eu sorrio com o quão adorável ela é. Suas pequenas mãos agarram minha blusa, não querendo largar para que eu me junte ao resto dos Sentinelas. Na jornada daqui até Shen Huo, Taduk a informou que eles ficariam dentro da cidade enquanto ele próprio iria ajudar com todos os feridos. Mei Lin tem implorado e implorado a ele toda noite, querendo ir para guerra com todos os outros, garotinha tola. Ela passou todo acordada, colada em mim, tentando me convencer a ajudá-la a se infiltrar, mas eu fui inflexível. Pobre anjinha doce, eu estou aliviado que Taduk teve a habilidade de manter sua decisão, porque guerra não é lugar para Mei Lin. Não importa o quanto eu goste de tê-la por perto, eu vou dormir melhor sabendo que ela estará segura na cidade.

Ela continua a chorar e oferecer conselhos, a maioria se resumindo a “não morra”, o que é justo considerando o quão frequentemente eu chego perto de morrer. É um sentimento ótimo saber que alguém te ama tanto, mas eu acho que uma separação por um tempo é bom. Talvez ela irá encontrar um jovem bonito na cidade e se apaixonar. Ela está na primavera de sua juventude e a está gastando me amando, ao invés de com alguém em uma faixa etária mais apropriada. Logo, as palavras dela são incompreensíveis enquanto ela chora no meu peito, lágrimas manchando minha camisa, seus braços em volta de mim enquanto eu afago suas costas e tento confortá-la.  

A lua nova está mais uma vez sobre nós, e depois de um dia de descanso na casa de campo de Taduk, eu agora marcho para a guerra. Bom, vou em Zabu para guerra, já que marchando seria uma merda. Pobres soldados, andando para a batalha. Eu odiaria encarar uma daquelas monstruosidades pesadas que os Corrompidos montam sem o Zabu. Bestas répteis peludas, pernas com garras, com dentes afiados e chifres mais longos que minha espada, só de ver seus cadáveres me deixa nervoso. Além disso eles têm outros monstros, e demônios parecem muito assustadores também. Eu não sei realmente como a guerra em massa funciona aqui, mas eu posso imaginar que não vai ser bonito, especialmente para aqueles no fundo da pirâmide como eu. Tipo, que caralhos eu deveria fazer se eu encontrar a contraparte Corrompida da Akanai? Matar é fácil, sobreviver é a parte difícil.

— Você tem certeza de que eu não posso ir com você? Papai vai deixar se você falar com ele. — Os olhos tristes e esperançosos de Mei Lin me encaram.

— Sim, eu tenho certeza que você não pode ir para a guerra comigo, garotinha boba, e não, eu não vou falar com ele sobre isso. Você irá ficar aqui, onde é seguro. — O resto das minhas palavras se perdem no seu pranto, conforme ela chora mais do que antes. Leva vários minutos para ela parar de soluçar, e eu gentilmente me separo dela e monto em Zabu. Aceno em adeus enquanto Taduk segura ela de perto, eu vou com o resto dos Sentinelas, ignorando seus sorrisos e zombarias. Eu já me despedi de Charok e dos gêmeos noite passada, os dois docinhos incapazes de acordar para me ver partir. Eles tiveram dois meses pesados de viagem difícil, o que não pode ser bom para o crescimento deles. Pelo menos eles ficarão na casa de campo de Taduk, onde eles podem se divertir e engordar, com muitas pessoas para tomar conta deles. Entre o exército de Akanai, todos os reforços, e dois outros exércitos por perto, Shen Huo é o lugar mais seguro onde alguém  pode estar.

— Que despedida desoladora. — Adujan zomba de mim quando eu chego ao seu lado, mãos juntas enquanto ela finge desmaiar. — A jovem dama, sentada em sua mansão, abandonada por seu amado, ainda assim esperando seu retorno. Ah, coisas de tragédias.

— Ela não é minha amada, Adujan, eu disse isso antes. Não houve abandono, ela é como uma irmã mais nova para mim. — Eu preciso ficar o mais neutro possível, ou os comentários e as provocações nunca vão acabar. Enquanto é legal que ela não me odeie mais, ela é uma fonte de gracejos zombeteiros e palavrões, especialmente longe dos ouvidos dos gêmeos e da Akanai. Rapidamente, nós alcançamos os soldados marchando, esperando a nossa vez de servir como escoltas.

— Você deveria deixar suas intenções claras para ela, Rain. Ela só está preocupada porque você não concordou ainda em casar com ela. Você não ajuda ela, a deixando de lado por prostitutas e outras serviçais. Você deveria parar com seus caminhos ruins e aceitá-la. Ela te ama tanto, mas você trata ela tão mal. — Sumila me repreende pela imoralidade das minhas ações, um sermão longo e alto que alegra os outros sentinelas ao nosso redor.

Não é justo, eu não dormi com ninguém desde que saímos da Sociedade. Eu não vejo uma anel no meu dedo, por que todo mundo sente a necessidade de comentar do quanto eu gosto da companhia de mulheres? Huushal é um inútil, enquanto ele ativamente evita me olhar nos olhos, andando a uma pequena distância de nós, ele aguentou mais de um sermão da Sumila também, o que pode ser minha culpa.

Sofrendo em silêncio enquanto ouço o sermão dela, eu vejo os Sentinelas ao redor passarem. Quem sabia que havia tantos? A vila só tinha tipo umas três ou quatro mil pessoas, com talvez trezentos sentinelas. Os outros 4.700 são das outras várias vilas nas Montanhas da Tribulação do Santo, não uma parte das Pessoas, mas aliados, eu acho. Cada vila cuida dos seus, mas todos eles trabalham sob o comando de Akanai, a única pessoa nas montanhas que tinha uma patente até a cadeia recente de promoções. Ao se juntar aos Sentinelas, suas vilas recebem permissão  para governar a si mesmas até um certo ponto, bem como proteção sob as leis do Império. Sem serviço, não haveria proteção, ou seja, qualquer um forte o bastante poderia simplesmente escravizar sua vila inteira. Eu não tenho idéia de como esses recém chegados são, mas todos eles têm arcos que parecem exatamente como o meu, assim como muitas armas espirituais bem feitas, então eles estão bem equipados, e todos montam em roosequins também. Esqueça os soldados, 5.000 roosequins são assustadores o bastante.  

Como um membro do exército, todos nós fomos organizados em pequenas unidades, 1.000 unidades de cinco homens. Parece incrivelmente desajeitado para mim, mas de novo, o que eu sei sobre guerra? Pelo que eu aprendi perguntando para Sumila, batalhas massivas geralmente seguem um padrão simples. Todo mundo se alinha, e nós avançamos, a coisa toda vira um agrupamento massivo de combate corpo a corpo do caralho. Claro, há a implementação de táticas, flechas voando, e tudo isso, mas as coisas tendem a desmoronar quando se trata de super lutadores de elite, como demônios. Quando uma criatura consegue dizimar um exército de 1.000, força nos números não significa mais tanto. Claro, você consegue matar um demônio com 1.001 lutadores, mas quem iria querer ficar para ser massacrado? Pior, o demônio pode só matar 900, então fugir, descansar, e se recuperar.  

O principal das batalhas é a força do indivíduo, mas indivíduos ficam cansados. Você não pode ter seus guerreiros mais fortes desperdiçando energia matando fracotes, então você pega cinco soldados, e escolhe o mais  forte, que se torna o líder. Os outros quatro protegem o líder, lutando até que eles encontrem um inimigo que é forte demais para eles lidarem. Em um mundo perfeito, o líder aparece e mata o inimigo, e você continua. Para o meu pequeno grupo, eu tenho Sumila no topo, enquanto Adujan, Li Song, e Huushal totalizam cinco. Nós não quisemos quebrar o grupo. Eu queria ficar com a Alsantset, mas ela tem o grupo dela, e eu não sou forte o bastante para me juntar a eles.

Repita o mesmo pensamento, só que em uma escala maior. Dois grupos de cinco homens se unem, criando um grupo de dez-homens, dez grupos de dez-homens se unem, e você tem um grupo de cem-homens, e assim por diante. Essencial, a estratégia é mate o que você pode, até que você encontre algo que não consiga. Então, você torce para que alguém forte o bastante note seu dilema e salve seu couro. Parece uma estratégia bem merda para mim, especialmente já que eu estou tão baixo na pirâmide. Alsantset está perto do topo, só ofuscado por um ou dois, e Akanai. Essa é a minha irmã, cão alfa. Ou lobo alfa. Tanto faz.

Não há nada que eu possa fazer exceto ficar mais forte. Ou só aprender a mirar. Arqueiros não travam combates corpo-a-corpo. Eu finalmente estou pegando o jeito de ficar em cima de Zabu enquanto ele se move. Ainda um pouco instável, e ainda com uma mira horrível, mas é um progresso. Eu preciso ser capaz de ficar em pé e atirar flechas enquanto Zabu se move em velocidade máxima, em um caminho irregular. Ordem pesada para um cara que mal consegue acertar um alvo a 50 metros de distância.

Sumila ainda está me dando sermão, já tendo passado uma vez pelos meus vícios. Prostitutas, álcool, maus modos, má postura, falta de autocontrole, e minha aparência desleixada. Ela está começando a se repetir, e faz menos de uma hora. Eu deveria começar a apostar e usar drogas pesadas, então ela vai ter mais coisa para falar. Adujan interrompe com um comentário inútil de vez em quando, reacendendo o vigor de Sumila sempre que ela parece ter acabado, sorrindo o tempo inteiro. Li Song está quieta como sempre, sua personalidade ainda em desenvolvimento. Ela é a pessoa mais chata que eu conheço, e não tenho ideia de como ela consegue. Tudo que ela faz é seguir Sumila por aí, e no seu tempo livre ela gosta de encarar o chão silenciosamente, ocasionalmente pulando quando eu tento conversar. Eu desisti de tentar ser amigável, mas ela parece estar se abrindo com Sumila pelo menos. Eu continuo a assentir em concordância com Sumila, meus olhos no horizonte, enquanto Huushal faz tudo o que pode para ignorar o processo.

Quinze dias até chegarmos na fortaleza, exceto que algo interrompa. Vai ser uma longa viagem.

Incitando seu cavalo a ir mais rápido, Fung galopava em direção ao exército Bekhai com seus guardas atrás de si. Ele viajou igual um louco assim que seu pai o informou da partida recente deles, apenas 6 horas atrás deles. Uma coincidência fortuita para a harmonização acabar tão rapidamente, permitindo que ele os alcançasse depois de meio dia de viagem. Ele avistou seus escoltas, desacelerando para mostrar seu novo distintivo de oficial, aproveitando a reação deles ao ver um Subtenente tão jovem. Ainda nem tinha vinte anos de idade e já era um Subtenente, seu pai sorriu tão orgulhoso dele. Os dois faziam um par estranho, Fung com um tufo de cabelo faltando quase escalpelado durante a competição, enquanto seu pai estava completamente careca, tendo o queimando por completo na batalha. Rain fez um creme e o presenteou a ambos pai e filho, aparentemente capaz de fazer crescer cabelo caído. Se realmente funcionasse, Rain seria um homem rico no futuro. Muitos homens matariam por tal remédio milagroso.

A horda Corrompida foi repelida devido aos guardas da cidade leais e reforços da Tenente-General Akanai, que chegaram na hora certa. Foi por pouco pelo visto, ambos seu Pai e General de Brigada Xue Chang quase sucumbiram às suas feridas. Felizmente, com o Médico Celestial Taduk por perto, os dois estavam fortes e saudáveis como sempre quando Fung chegou, se apressando para casa usando recursos militares. Uma jornada difícil, trocando de cavalos a cada 50 quilômetros, a passagem do ar que vinha com a velocidade na qual ele viajou era empolgante no princípio, mas a constância disso logo desgastou ambos seu entusiasmo e cóccix. Se não fosse por sua promoção a Subtenente por ninguém menos do que o próprio Marechal Shing Du Yi, Fung teria se encontrado em apuros. Mesmo um filho de Magistrado era jogo fácil quando carregando cinco Corações de qualidades medianas, sem mencionar seus outros prêmios valiosos, mas um Subtenente estava fora dos limites, protegido pela Justiça do Imperador.

Um estranhou o levou até onde os Khishigs estavam acampados e ele foi rapidamente guiado até Rain. Todos pareciam cientes de sua amizade com o jovem guerreiro estranho. Fung acharia difícil nomear um homem que reclamasse mais do que Rain, mas Fung conhecia seu valor. Ele sorriu com a memória de Rain lutando com os crocodursos, perdendo membros sem piscar enquanto ele lutava para sobreviver com nada além de uma faca de esfolar. Rain reclamou sem parar depois sobre ser arrastado até a ilha, e verdade seja dita, Fung se sentiu bem culpado por ter subestimado os perigos.

— Eae, parabéns por se tornar campeões! Eu ouvi que você foi premiado com um posto militar, Subtenente Fung. — Rain sorriu, pegando o distintivo em sua mão para estudá-lo, um gesto rude, mas Fung conhecia bem sua falta de modos. O entregando de volta, Rain encarou a nova arma de Fung, empolgação clara brilhando em seus olhos. Fung orgulhosamente avaliou o peso de sua nova alabarda de sua bainha de sela com ambas as mãos, o aço polido brilhando na luz do fogo, com um padrão marmorizado de metal preto e ondulado no interior. Com uma ponta afiada e larga, uma lâmina de dois gumes, assim como um machado duplo crescente como uma guarda cruzada, era uma coisa de beleza e precisão. Menor do que ele gostaria, com apenas 180 cm de comprimento, mas esse tamanho já era uma prova das habilidade dos ferreiros de seu Pai. Ele imediatamente havia sentado para vinculá-lo assim que foi forjado, e apenas emergiu quando terminou. Como diz o ditado, uma espada para duelos, mas uma alabarda para guerra.

Fung deu a arma a Rain, que deu um passo para trás e demonstrou uma série curta das formas. Guardando cada movimento em sua memória para estudos futuros, Fung ficou mais uma vez espantado com seu amigo. Eles não foram capazes de praticar combate em quase um ano desde a última vez que Rain visitou Shen Huo, e ele melhorou muito. Havia pouca cerimônia em seus movimentos, eles podiam ser diretos e simples, mas ainda eram mortais. Poder sem excesso, uma economia maravilhosa de movimento, cada movimento um golpe fatal. Não era surpresa que a Sociedade acreditou que os jovens deles foram brutalizados pelos Bekhai, mas era assim que as pessoas de Rain mostravam respeito por um companheiro guerreiro. Eles eram pessoas estranhas, parecendo curtos e hostis, mas Fung os admirava mesmo assim por suas habilidades na guerra.

Os Bekhai eram uma tribo de guerreiros, simples assim. Quando Rain falou de sua prática, Fung pensou que ele tinha mentido. Em nenhum outro lugar a não ser na Divisão de Escravos Imperiais você encontraria tantas crianças praticando as Formas. Mesmo só alimentar tantas crianças com uma dieta apropriada seria impossível para a maioria das organizações. Carne, grãos e vegetais, o suficiente para alimentar um plebeu por uma decana. Cada parte da sociedade deles parecia montada para apoiar a classe guerreira, e em troca, a classe guerreira apoiaria a vila. Em qual outro lugar você encontraria especialistas dispostos a doar seu tempo para ensinar as Formas a tantas crianças? Elas eram movimentos e métodos tão complexos, que descrever cada aspecto único delas assim como uma multitude de variações menores disponíveis, levaria uma quantidade enorme de tempo. De acordo com Rain, eles nem ao menos focam no subconjunto das Formas, aprendendo elas em sua totalidade. Era espantoso em escala e em custo. Se todas as vilas das montanhas fossem treinadas em tal maneira, então a Sociedade realmente cometeu um erro, e acordou um dragão hibernando.

O próprio Fung recebeu os ensinamentos dedicados de três instrutores desde que conseguia andar, ouvindo eles exporem as Formas, guiado por eles em seu treinamento, e ele ainda não tinha os discernimentos que Rain tinha. Uma estocada simples de duas mãos, em uma guarda vertical. Um giro da arma em uma estocada no contragolpe. Um golpe no chão, seguido por um golpe de torção. Todos movimentos muito normais, nem muito rápido ou devagar, mas com poder infundido em cada golpe, a arma reverberando com as vibrações enviadas através dela, um zumbido baixo e suave enquanto Rain continuava sua demonstração, instintivamente extraindo o poder da arma. Depois de mais alguns movimentos, a demonstração acabou conforme Rain bateu com a traseira da arma no chão, cortando abruptamente o barulho do metal. A arma deveria ter sido dele, Fung notou sombriamente.

Devolvendo a arma para ele, Rain sorriu, sem um sinal de inveja.

— É uma arma maravilhosa, mas um pouco leve. — A piada era evidente. O Coração que Fung recebeu foi um tijolo de rocha Tanglian de 15x5x5 cm, que foi minerado das profundidades do Mar Índigo. Um material famoso por sua densidade, depois de ficar mergulhado nas águas celestiais por provavelmente dezenas de milhares de anos, o pequeno tijolo pesava 20 quilogramas por conta própria. Com o aço misturado nele, uma arma pesada de fato. Apesar de facilmente transportável, balançar a arma por horas a fio na batalha seria um teste de resistência.

Batendo suas mãos nas costas de seu amigo, Fung cumprimentou os outros que ele conhecia, acenando com a cabeça educadamente para Sumila, sorrindo para Huushal, e dando seu sorriso mais charmoso para  Adujan. Uma mulher adorável, pele pálida, com pernas longas e lindas, quadris largos, e uma cintura fina. Fung riu incontrolavelmente quando Huushal contou a ele como Rain pensou que ela era um homem. Um idiota cego às vezes, um maníaco por treinamento.

— Como vai, Adujan? Pai me contou algumas histórias de suas aventuras, e ele mencionou que você foi ferida seriamente. Eu espero que você esteja bem.

Ela sorriu impertinentemente para ele com olhar sedutor.

— Eu estou bem de saúde. Taduk curou até as cicatrizes então eu não tenho nada para mostrar. — Tão audaz, ela, com esses lábios rosas, carnudos, em um beicinho sedutor, e por um momento Fung se perdeu imaginando sua pele pálida, suave como seda por baixo da armadura. Engolindo sua saliva, ele gaguejou uma resposta. Fung não estava acostumado com mulheres tão descaradas, e ele descobriu que gostava disso. Ela riu baixo, e seu cabelo curto a fazia parecer fresca e convidativa — Eu tive feridas terríveis por todo meu corpo. — Ela continuou a provocar ele, seu rosto esquentando com as descrições de suas feridas, suas mãos traçando as áreas em que ela se feriu enquanto ela falava, baixo e perto de seus quadris, no alto da coxa, do lado de seu seio.

A risada de Rain o tirou de sua imaginação e ele fechou sua boca arreganhada, rapidamente se despedindo, levando Rain junto.

— Que mulher, não é? Ela parece interessada em você. É melhor você tratar ela bem. — Rain estava provocando ele, obviamente, sempre parecendo tão mundano quando se trata de mulheres.

Fung sentiu seu pescoço ficar ainda mais vermelho conforme ele pensava sobre “tratar ela bem”. Pai ficaria feliz se ele tomasse como esposa uma dos Bekhai, mas não era uma coisa tão simples. Ong Jing Fei não aceitaria ser a segunda esposa, e provavelmente iria aterrorizar qualquer outras esposas ou concubinas que ele tomasse. Ela até foi junto com ele na viagem, se inserindo na guarda de honra dele. Ter uma mulher daquelas como sua esposa era seu maior arrependimento, mas a aliança iria manter suas famílias próximas. Sua mãe Ong Ruo Mei era uma criatura das trevas, e somente através do noivado ela iria manter os assassinos dela sob controle. Por agora, a víbora iria manter suas adagas escondidas, até que uma criança nascesse entre ele e Jing Fei.

— Não é tão simples. Seria… difícil para mim casar por amor. Vamos falar de outra coisa.

— Claro. Por que você está aqui? Caso você não tenha notado, nós estamos indo para a guerra. Você não deveria… sei lá, não estar aqui? Eu não estou reclamando ou qualquer coisa, só preocupado com o futuro Magistrado, que também é o único herdeiro.

Sempre tão franco.

— Eu sou um Subtenente agora, tolo, e a guerra foi declarada. Eu estou aqui para servir, e eu preciso da sua ajuda para falar com a Tenente-General. Eu gostaria de servi-la, trabalhando como seu ajudante.

Franzindo a testa, Rain parecia estar pensando, quieto por alguns momentos.

— Eu posso te ajudar a falar com a Akanai, mas você precisa prometer fazer algo por mim.

Oh? Era raro para seu amigo pedir compensações, uma das razões deles se darem tão bem. Eles ignoravam posições sociais, cada um pagando o seu, ou presenteando sem expectativas de pagamento.

— Fale. — Fung temia isso, mas pessoas ficavam mais velhas e mudavam. Ele era o futuro Magistradao, como Rain tinha acabado de apontar, e favores eram uma moeda com a qual ele precisaria se acostumar em lidar. Entristecia ele um pouco que seu amigo estava aprendendo os jeitos do mundo.

— Você tem que jurar… não flertar ou comer ela com os olhos. — Fung nunca viu Rain tão sério como agora. — Eu sei que você gostaria de “servi-la”, mas fique avisado: ela é assustadora, e o marido dela também. Você precisa se comportar bem, ou não só você vai se arrepender, mas eu também vou ser repreendido por me associar com você. Ou pior, executado pelo seu pai, por deixar que o filho dele andasse cego em direção à morte certa.

Rindo incontrolavelmente, Fung pôs o braço ao redor de seu amigo.

— Eu sou capaz de me controlar perto de mulheres bonitas, diferente de certas pessoas que eu conheço. Além disso ela é velha demais para os meus gostos.

— Sério? Porém, ela ainda é linda.

— Chega, seu cachorro. Nós marchamos para a guerra, e os irmãos Tornado irão logo varrer os Corrompidos dessa terra. Eles não podem ficar de pé diante do Grande Vento e da Chuva Caindo. — Fung foi embora com seu amigo, à procura da Tenente-General enquanto eles trocavam histórias de suas aventuras recentes, cheias de perigos e embelezamentos. Como se o Rain pudesse ter matado uma dúzia de assassinos da Sociedade, lutando em cima de um platô sozinho. Ele precisava contar histórias mais acreditáveis.

Worst
Worst, filho da Música, casado com os Livros, tradutor de DS, CdMD e ASdCZ, ?% Engenheiro, 1 dos 3

11 Comentários

  1. A única coisa sem noção é que o autor faz o Rain achar que é velho o cara ta num corpo de 17 mais acha que tem os 30 ou 40 de antes meio ridículo isso
    Muito obg pelo cap

    1. Então tava achando o msm, mas ai eu lembrei q ele ta extremamente confuso com as memorias e não bate bem, pois isso n faz sentido mas e isso que ele pensa que é

      1. ele sempre fica falando da Mei Lin ser muito criança pra ele que ela deve achar alguém da idade dela como se ele fosse mais velho kkkkk, ele ta no corpo mais novo mais fica se punindo achando que deve ficar com mulher mais velha por lembrar da vida antiga dele

        1. Blasfêmia!
          Não se trata de autopunição, mas um apurado gosto balzaquiano que se refina com o passar do tempo!

    2. então, n rola saber a idade dele na vida passada, mas eu imagino q ele fosse um universitário ou tenha se formado kkkkkkkk

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!