LAB – Capítulo 126

Transformação do trigo

Para aldeias e pequenas vilas, o uso do sistema rotativo de plantio não fazia diferença. No entanto, para as grandes cidades onde a terra ao redor era escassa, este sistema desperdiçava muita terra, como por exemplo a Cidade da Prata, Serra do Dragão Caído e Cidade Real de Castelo Cinza. Logo, todos os meses eles tinham que importar uma grande quantidade de grãos de outras cidades.

O primeiro passo no uso de fertilizantes era juntar estrume. Esta era também a razão pela qual Roland decidiu estabelecer os banheiros públicos o mais rápido possível. Com os banheiros, ele poderia reduzir a propagação de doenças e até mesmo embelezar toda a vila. Era uma ação simples, mas proporcionava muitas melhorias.

Seu objetivo era que os banheiros já fossem construídos enquanto o resto dos novos cidadãos fossem enviados. Quanto a ensinar o povo a usar o adubo e cultivar as terras que eram cultiváveis, Roland decidiu selecionar um pequeno grupo de agricultores experientes nos próximos dias e ensinar a eles o sistema antes dos outros. Afinal, a terra ainda estava em sua fase de limpeza e preparo, e ainda precisaria de pelo menos uma semana antes de poder ser utilizada para o plantio.

Depois de terminar todo o trabalho à mão, Roland decidiu se encontrar com Ramos no jardim posterior e dar uma olhada em seus experimentos.

Ramos estava melhorando todos os tipos de sementes no jardim, de modo que podia-se ver muitas espécies diferentes. Ela também seguiu a sugestão de Roland e dividiu sua área de plantio em vários pequenos blocos, colocando um número em cada bloco. Com essa organização, Ramos podia acompanhar a melhoria de todas as espécies e observar a sua evolução.

Quando Roland entrou no jardim, ele ficou atordoado com a aparência deslumbrante do trigo dourado balançando ao vento na frente de seus olhos. Assim que Ramos, que estava agachada ao lado de um dos seus campos, percebeu o Príncipe, imediatamente levantou-se e se curvou em saudação.

— Vossa Alteza Real.

— São estes os resultados de suas melhorias? — Roland acenou com a mão tentando impedir que Ramos passasse pelo ritual de saudação e, então, pegou uma espiga de trigo, sentindo os grãos com os dedos.

Anteriormente, ele não tinha ideia de como seria o trigo, mas, em contraste com os campos de trigo nas primeiras lembranças do antigo Príncipe, além de serem menores do que as que estavam em sua mão agora, as espigas de agora também tinham muito mais grãos.

Ramos assentiu em reconhecimento:

— Deixei o trigo crescer com minha magia, colhi as sementes maduras e depois plantei as sementes mais uma vez. O que o senhor tem nas mãos agora é o resultado deste processo. No entanto… repeti este processo várias vezes, mas depois de dois ou três ciclos de plantio, fica muito difícil fazer o trigo crescer comprido e largo como antes, e eu simplesmente não consigo entender onde está o problema.

Infelizmente eu não posso ajudá-la com isso. — Roland pensou.

De acordo com o seu próprio conhecimento de biologia de um Ensino Médio feito nas coxas, provavelmente esse problema era devido ao… defeito devido ao cruzamento das mesmas plantas[1]? Na região Sul havia apenas plantações de arroz, que era praticamente o oposto do trigo[2]. Então, para aumentar a produção, eles sempre tinham que comprar novas sementes. Mas, mesmo com apenas duas gerações de plantio, ainda tinha um valor prático, afinal, uma planta de trigo poderia produzir mais de cento e trinta sementes, e se Roland deixasse Ramos transformar a geração de sementes e depois deixar os agricultores usar essas sementes, Vila Fronteiriça ainda poderia usar as sementes por dois anos.

— Por que ali está vazio? — Roland perguntou quando notou um campo com apenas algumas palhas secas.

— Foi nesta área onde eu iniciei os testes e comecei o plantio, por isso, creio que o problema esteja no fato de ter tido muitos ciclos de plantio… — Ramos estava claramente insegura — As plantas só crescem quando eu utilizo a minha magia, mas quando eu retiro a magia, elas murcham logo depois.

Parece que, mesmo quando ela usou sua magia para deixar as plantas crescerem, ela ainda esgotou o suprimento de nutrientes da terra e, sem nutrientes, as plantas não puderam sobreviver. — Roland pensou.

Roland foi ao último canteiro de flores e viu que o trigo plantado tinha uma forma muito estranha. Esta espécie de trigo, em particular, tinha um talo com várias espigas de grãos azuis, e o caule tinha vários ramos que estavam com folhas verdes. Assim, o volume de grãos por planta era muito grande, mas em todo o campo, havia apenas duas desta espécie de trigo.

Esta foi a área que Roland pediu a Ramos para criar novas plantas, como uma árvore de trigo.

Roland havia imaginado transformar uma planta de trigo em algo semelhante a uma bananeira, onde ele poderia colher o fruto dos galhos, com a possibilidade de uma colheita regular, eliminando a necessidade de semeadura e, se pudessem crescer ainda mais, as plantas teriam mais folhas verdes, melhorando a fotossíntese e reduzindo os requisitos de terra. Entretanto, observando essa espécie com os talos de trigo espessos e densos, juntamente com seus ramos, Roland viu que estas plantas ocupavam muito espaço. Além disso, as espigas só cresciam no topo dos talos e dos ramos. Claramente, não era isso que Roland havia imaginado.

Talvez, eu devesse pedir a Ramos para transformá-las em algo semelhante às videiras? — Roland pensou — Afinal, Ramos nunca viu uma bananeira antes, mas as uvas não eram um produto raro dentro do Reino de Castelo Cinza. Assim, ela teria uma imagem para seguir e seria mais fácil de imitar.[3]

— As sementes dessas três plantas de trigo não podem ser usadas para semear. — Ramos explicou – Já tentei, mas as sementes não germinam depois de serem plantadas. No entanto, elas ainda podem ser colhidas várias vezes, aqui estão os grãos da segunda colheita.

O fato de não pode germinar significa que cada planta seria uma árvore de trigo única e que Ramos teria que criar pessoalmente cada árvore. Logo, para a situação atual, esta planta não tinha nenhum valor real.

— Você fez um ótimo trabalho. — Roland disse — A planta de trigo com a espiga grande será chamada de dourada. Eu criarei um campo de teste para você ao sul do Rio Vermelho, com cerca e telhado, para esconder você e seu trabalho da vista das outras pessoas. Lá, espero que possamos colher em breve uma grande porção das sementes deste trigo dourado. Quanto ao jardim, você pode continuar a usá-lo para melhorar e criar novas variedades de trigo. Eu também estou com muitas ideias novas, não só para as culturas de trigo, mas também para as de uvas.

Infelizmente, Ramos possui apenas um nível macro de compreensão das características de uma cultura — Roland pensou —, então ela só pode manipular as plantas para obter mais frutas, deixá-la com gosto mais doce, ramos mais densos e assim por diante… Se ela pudesse entender isso em um nível micro, será que ela seria capaz de manipular os genes e fazer ajustes específicos? Se ela conseguisse isso, as plantas poderiam até mesmo absorver luz diferente do espectro visível, como ultravioleta, raios-x e até radiação ionizante para a fotossíntese, obtendo uma produção direta de amido, glicose, sacarose e outras substâncias de armazenamento de energia. Nós poderíamos colher diretamente tudo o que precisássemos!

Durante a noite, o 4º Príncipe acendeu uma fogueira perto do Rio Vermelho e deixou Carter e seus guardas juntarem todos os servos. Um enorme caldeirão com mais de 128 litros de capacidade foi trazido e colocado em cima de um forno de lama simples e improvisado, para fazer um ensopado.

Os servos estavam de costa para a fogueira, enquanto Roland estava na frente dos servos, de modo que eles só podiam ver a imagem estreita de seu novo Lorde. No momento em que tomaram consciência dele, os servos baixaram suas cabeças com medo. Apenas alguns deles foram ousados ​​o suficiente para olhar secretamente o Príncipe de vez em quando.

Roland, que estava de pé em frente aos servos e à fogueira, começou a anunciar suas novas regras para a multidão de mais de mil pessoas.

— Eu sou Roland Wimbledon, o 4º Príncipe do Reino de Castelo Cinza, o Lorde de Vila Fronteiriça e o Governante do território Oeste. Hoje vocês foram convocados aqui, e o dia em que vocês pisaram o pé no meu território é o vosso dia de sorte! Se vocês trabalharem com afinco, vocês poderão lançar mão de seus status como servos e escravos. É isso mesmo, eu concederei a vocês a chance de se tonarem pessoas livres!

Ao ouvirem isso, uma comoção surgiu dentre os servos. Eles sabiam claramente o que era ser uma pessoa livre. Eles não seriam mais abusados ​​cruelmente por seus donos, não seriam mais forçados a continuar a plantar e colher sem parar, e eles não teriam mais que entregar todo o produto de seus campos para seus donos. Além disso, seus filhos e filhas não seriam mais transformados na próxima geração de servos.

Roland esperou por um momento para que os servos se acalmassem, e então continuou:

— A partir de amanhã, cada um de vocês receberá um campo único, o qual somente vocês poderão plantar. Ao mesmo tempo, alguém guiará vocês no processo para obter uma melhor colheita. No primeiro ano, trinta por cento da sua colheita irá pertencer a você, enquanto os outros setenta por cento pertencerão a Vila Fronteiriça. As pessoas que obtiverem os melhores resultados da colheita serão promovidas para pessoas livres! Depois de se tornar um liberto, sua família estará isenta da escravidão, e então você poderá decidir se deseja continuar o plantio ou se quer encontrar outra ocupação na vila. Isso será sua própria decisão. Se você optar por continuar com a agricultura, vinte por cento da sua colheita pertencerá a Vila Fronteiriça como aluguel, enquanto os outros oitenta por cento pertencerão a você. Mais tarde, você poderá comprar a terra do Lorde e então você não terá mais que transferir comida para o castelo!

Depois que Roland disse estas últimas palavras, apenas o som da respiração das pessoas podia ser ouvido, até que alguém gritou:

— Vossa Alteza Real, o que o senhor disse é realmente verdade?

— Claro. — Roland respondeu, dando ênfase a cada palavra — Como um Lorde, eu jamais enganaria meu próprio povo.

— Vossa Alteza Real é misericordioso! — Algumas pessoas não podiam mais aguentar e começaram a gritar, então o som rapidamente se tornou mais alto — Viva Vossa Alteza Real, o Príncipe!

De repente, o primeiro servo na frente de Roland se ajoelhou, seguido pela segunda pessoa, depois a terceira pessoa… Até que todo o grupo de pessoas se ajoelhasse em frente a ele, ainda clamando seu nome, ficando cada vez mais alto.

Neste ponto, milhares de vozes se transformaram em uma mesma melodia:

— Viva Vossa Alteza Real, o Príncipe! Viva o Príncipe!

Ouvindo a multidão expressar de forma tão clara que entendeu suas intenções, o Príncipe percebeu que não havia mais necessidade de arrastar as coisas por mais tempo.

Roland bateu as mãos e disse ao seu guarda que estava atrás de si.

— Sirva a refeição!


[1] A ideia que o autor quer passar nesse ponto é quando você faz o cruzamento entre parentes muito próximos, como pais com filhos, o que leva a uma alta probabilidade de desenvolver mutações genéticas maléficas.

[2] O trigo possuiu muito mais proteína e micronutrientes que o arroz, por exemplo.

[3] Como esse assunto é muito interessante, eu deixo para vocês dois links. Este link mostra um estudo da Empaer com enxertia de castanheira. Os pés de castanha são muito altos, difíceis de colher, então se faz o enxerto destas mudas em plantas menores. Aqui no Mato Grosso se usa muito enxertia. Este outro link trata de um experimento em que um professor conseguiu fazer uma árvore produzir 40 tipos de frutos diferentes.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

16 Comentários

  1. Obrigado pelo capítulo! O que Ramos precisa é da Embrapa, afinal ela está criando plantas transgênicas, interessante ao autor tocas nesse ponto, realmente é algo que quando passamos pelo ensino médio não é dada quase atenção, pelo menos comigo foi assim.

    1. Sim, é uma pena Vagner. Um dos problema se dá ao fato de que biologia não trabalha genética no mesmo ano que química trabalha química orgânica. E vice e versa. A compreensão da química orgânica é essencial para entender os micronutrientes e ter uma boa ideia do Ciclo de Krebs, por exemplo, e muitas vezes acaba se resumindo em AA aa da cor dos olhos, da experiência de Mendel e de nomenclatura de compostos orgânicos.

  2. Será que a garota que tem poder de cura também pode curar o solo ou fazer alguma coisa com plantas? Afinal as plantas também são desss vivos.
    Obrigado pelo capítulo

    1. Acredito que o poder de Nana funcione somente em seres vivos, Antonio. O autor ainda não explorou a diferença entre ser humano, animal e planta, mas… digamos que assim como a magia de Nana funcione nos seres humanos e animais, e a magia de Ramos funciona nas plantas, pode ser que existam bruxas cujo poder funcione em bactérias, fungos etc. 😉

    2. Boa pergunta, não se sabe muito sobre os poderes dela, mas se me lembro bem ela já curou, gato, “galinha” (não lembro se é exatamente galinha ou outra ave), coelho e humano, como tem essa ave no meio sabemos que não se restringe a mamiferos, mas vai que se restringe a vertebrados por exemplo… Ou então ao reino animal inteiro… Ou ela talvez evolua para curar plantas quando ela tiver o conhecimento adequando do reino vegetal como ser vivo…

  3. Esse será o arco da Ramos? Até agora só a Anna e a outra da cura (esqueci o none da garota) que brilharam… Até a Rouxinol que participou bastante não teve seu “momento de gloria”…

    1. Nana. Bom, na verdade, cada uma vai brilhar à sua maneira. Anna é essencial para a industrialização, Rouxinol é vital para a proteção, Nana para o exército e e Ramos para a agricultura. Então, cada uma brilhará de seu jeito e com todo o seu esplendor. ^_^

    1. E olha que me policio para não usar piá e guri, porque no norte do MT há muita influência do PR, SC e RS.

  4. Gosto muito dessa novel, pq ela apresenta muito conceitos bacanas que eu desconhecia, ou conhecia mais era tão leigo que não era muito melhor do que não conhecer…. Também vale ressaltar as anotações de referência no final do capítulo, ajuda d++++. No todo, a novel é muito boa em apresentar esses conceitos, mas a equipe de tradução me ajuda a entender ainda mais.. então, só tenho a agradecer essa Scan maravilhosa

    Obrigado pelo capítulo

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!