LAB – Capítulo 167

O duelo

O duelo seria realizado na parte oeste da muralha da vila. Além de Roland, também estavam assistindo ao duelo Machado de Ferro, Brian, Titus Pinheiro e as bruxas da União das Bruxas. E um pombo que estava na torre de vigia.

Todos tinham que subir na muralha para evitar ser atingidos por balas perdidas. Os dois participantes, o Cavaleiro-chefe, Carter Lannis, e Cinzas, a bruxa Extraordinária, duelariam um contra o outro em uma área próxima à muralha.

Em vez de seu habitual traje de cavaleiro, Carter estava usando um terno justo de couro leve com um cinto e um coldre feito sob medida na cintura. Ele tinha dois revólveres em ambos os lados de sua cintura, e uma adaga curta atrás dele para fins de emergência. Mas Roland sabia que, se Carter tivesse que recorrer à adaga no duelo contra a Extraordinária, seria mais fácil ele se render.

Cinzas estava vestindo sua roupa de costume, um manto longo e escuro cobrindo todo seu corpo. Ela penteou seu cabelo preto longo em um rabo de cavalo, que caía despreocupadamente em suas costas. A única diferença era as tiras enroladas de tecido sobre sua espada-larga, que agora estava descoberta. O corpo marrom escuro da espada era monótono e seu brilho era bastante fosco. Corroborando com as expectativas de Roland, sua superfície era cheia de ranhuras e riscos. Não era uma arma bem-feita. Devido à falta de manutenção, qualquer um poderia perceber que a espada já dava indícios de estar enferrujada.

Os dois entraram no campo de duelo. Carter tentou ajustar a sua posição até que ele ficasse a quinze metros de distância de Cinzas. Ele acreditava que teria oitenta por cento de chance de desferir um tiro preciso a esta distância. Ele tirou os dois revólveres e verificou os cartuchos.

Roland fez Eco imitar e ampliar sua voz.

— As regras são muito simples. Sem golpes em partes vitais e vocês podem se render! Contanto que vocês não morram, Nana pode curar vocês imediatamente. Alguma dúvida? — Quando ele não ouviu quaisquer discordâncias sobre as regras depois de um momento de silêncio, Roland continuou — Quando o sino tocar, vocês devem começar!

Cinzas observou seu adversário. Como um Extraordinária, ela lutava prestando muita atenção aos seus instintos. Ela aprendeu suas habilidades com espada com vários mestres de esgrima no palácio depois que ela ficou sob os cuidados de Tilly, só que ela sempre achou que as lições não eram suficientes, e até mesmo eram muito básicas. Seu oponente agora era o Cavaleiro-chefe do Príncipe Roland, mas ele não carregava nenhuma espada ou lança, nem mesmo usava uma armadura. As armas em suas mãos eram bizarras, também. Com base na sua forma, elas não serviriam para uma batalha corpo-a-corpo, como uma adaga. A única possibilidade era que aquelas armas eram de longa distância, algo como uma besta de mão.

Virotes de besta não ameaçavam as Extraordinárias. Cinzas aprendeu isso por meio de inúmeros combates. Se fosse uma flecha ou virote, ela poderia até pegar com suas próprias mãos, mesmo enquanto eles estivessem voando. No entanto, percebendo a confiança do Príncipe, Cinzas acreditava que a arma não seria tão simples como uma flecha.

Seu instinto lhe dizia para se aproximar do Cavaleiro rapidamente, em vez de esperar o ataque súbito dele. Antes do duelo começar, Cinzas afundou a ponta da espada-larga no chão. Sua postura parecia inofensiva, mas era a melhor estratégia para lidar com alguém utilizando uma besta de mão.

Uma série de sinos tocaram na muralha da vila.

Cinzas agiu quase ao mesmo tempo. Ela agarrou o punho da sua espada com ambas as mãos e balançou ela ferozmente na direção de Carter. Solo, grama e pedras foram atiradas para ele, formando uma cortina de fumaça.

O Cavaleiro-chefe Carter reagiu rapidamente. Uma faísca explodiu de sua arma e um rugido surpreendente foi emitido em seguida, mas Cinzas não viu nada. Ou Carter não tinha virotes ou os virotes foram tão rápidos que ela nem mesmo sequer pôde vê-los. Ao perceber o som absurdo produzido por aquela arma, Cinzas preferiu acreditar na segunda hipótese.

Sob a proteção da cortina de fumaça, Cinzas correu a toda velocidade e fez uma leve volta, mudando de direção. A distância entre ela e Carter diminui para a metade em um instante e a fumaça ainda nem tinha baixado. As pessoas normalmente tentariam se esquivar da sujeira. Se ela pudesse interromper o disparo de Carter, ela provavelmente iria ganhar.

Mas Carter não se mexeu e nem se preocupou com a sujeira em seu rosto. Ele cerrou os olhos, que estavam focados na Extraordinária, e puxou o gatilho. A faísca brilhou juntamente com o barulho. Cinzas instintivamente se esquivou, mas ainda não viu nenhum virote. Ela nem viu Carter puxar a corda.

Esta nova arma podia disparar um tiro após o outro, no entanto, Carter já tinha errado dois tiros, então o resultado parecia claro.

Os últimos dez passos de distância diminuíram em um piscar de olhos. Cinzas levantou a espada-larga na frente dela e chutou o chão com força, golpeando o Cavaleiro. Tal golpe não iria causar uma morte instantânea, mas seria o suficiente para derrubar Carter e deixá-lo inconsciente. Mesmo se o Cavaleiro ainda pudesse resistir a este golpe, devido à sua forte resiliência, os ossos quebrados em seu peito impediriam ele de continuar o duelo. No último instante, o terceiro tiro de Carter explodiu na frente de Cinzas. Ela sentiu sua espada-larga tremer e fazer um som nítido. O lado direito do seu estômago sentiu uma dormência súbita, como se ela tivesse sido arranhada com força por algo.

Quase ao mesmo tempo, Cinzas colidiu com Carter e jogou ele para longe. Carter voou em um arco antes de cair no chão. Só agora que ela teve tempo para verificar a ferida em sua cintura. Assim que ela abaixou a cabeça, um forte sentimento de tontura a atingiu. Cinzas tropeçou e quase caiu. Seu poder mágico fluía como água corrente, mas seu corpo estava incrivelmente pesado.

Cinzas usou sua espada para suportar seu peso. A dormência em sua ferida tornou-se uma sensação de queimação e dor. Ela sentia como se tivesse perdido um pedaço de carne em sua cintura. Ela poderia até mesmo ver seu fígado vermelho brilhante. Ela só podia cerrar os dentes para não entrar em colapso.[1]

Aos olhos de Roland, todo o duelo terminou em cinco segundos. Ele viu a Extraordinária jogando terra em Carter e golpeá-lo de lado ao mesmo tempo. Ela mudou de direção uma vez e chocou-se contra o Cavaleiro. Carter, em seguida, disparou três vezes, antes de ser jogado para o alto.

Ao enfrentar Cinzas, uma bruxa com uma velocidade anormal, seria difícil para Roland até mesmo rastrear seus movimentos com os olhos. No entanto, Carter foi capaz de mirar e atirar nela, provando que ele merecia o título de Cavaleiro-chefe. Isso foi surpreendente, até mesmo para Roland. Errar os dois primeiros tiros não era um problema, era até esperado. Na verdade, como Cinzas mudou de direção e aumentou de velocidade, Carter não poderia atirar com tudo o que tinha.

A chave foi o terceiro tiro. — Roland pensou — Cinzas fez um ataque frontal com sua espada bloqueando o peito em uma curta distância de seis metros. Se fosse uma flecha ou virote, mesmo o mais pesado, no máximo atingiria sua espada e não iria causar nenhum ferimento na Extraordinária. No entanto, a munição de 12 mm, com um projétil feito de ferro, tem um impacto terrível nesta distância.

Naquele momento, Roland só conseguiu ver a poeira baixando e Cinzas coberta de sangue. Enquanto ela ainda estava de pé, ele notou que metade de sua cintura foi atingida, como se tivesse sido mordida por uma besta demoníaca. Seus intestinos saíram e estavam pendurados para fora. Havia um buraco do tamanho de um palmo na espada. A bala penetrou provavelmente a espada, acertou seu estômago e infligiu uma enorme ferida.

Mesmo gravemente ferida, Cinzas não desmaiou e persistentemente permaneceu de pé. A aptidão física de um Extraordinária era surpreendente. Se Carter estivesse usando balas de chumbo ou balas menores, Cinzas provavelmente sobreviveria sem problemas. Maggie correu até Cinzas e tentou segurá-la. No entanto, ela era tão pequena que só conseguia agarrar sua perna, parecendo extremamente ansiosa.

Nana correu para curar Carter, enquanto Roland foi rapidamente até Cinzas. Este momento parecia ser o que ela estava esperando.

— Eu ganhei… — Cinzas desabou em Roland assim que ela disse estas palavras, sem dar a ele qualquer chance de reagir.


[1] Caso vocês queiram ver uma arma disparando em câmera lenta, este vídeo é muito bom. Notem, no caso, que ele está usando uma pistola, não um revólver. A pistola ejeta o cartucho automaticamente, enquanto no revólver o cartucho permanece no tambor.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

26 Comentários

    1. Mas anão não existe. Anões são crianças que estão sendo obrigadas a trabalhar. Também tem os anões espiões que trabalham para o governo.

      1. São pequenos, parecem inofencivos e entram em qualquer lugar né kkkkkkkkkkk
        Facilita pra revelar os segredos dos inimigos

    1. Mas anão não existe. Anões são crianças que estão sendo obrigadas a trabalhar. Também tem os anões espiões que trabalham para o governo.

  1. Maldito clichê de merda. A mulher marrenta desmaia em cima do protagonista. Carter devia ter vencido e humilhado ela, isso sim, e fazer ela voltar com o rabo entre as pernas.

    1. Calma jovem, respira fundo. kkkkkkk Roland não quer fazer inimigos, ele precisa de aliados. O duelo não era para ser até a morte e se ele humilhasse Cinzas desse jeito, dificilmente ela ficaria do lado dele depois. E ela não desmaiou em cima do protagonista para ‘se apaixonar depois’, na verdade, ela estava próxima da morte, mas ainda orgulhosa o suficiente para manter-se lúcida. Além de tudo isso, Roland sabia que ele só tinha chance por conta da surpresa, e o duelo provou isto a ele. Clichê seria se ela desmaiasse e se apaixonasse pelo cara, ou, depois de ser humilhada, voltasse como de cabeça baixa, como as miríades de novels chinesas por aí. 😉

      1. Eu sei meu chapa.
        Mas eu não gosto dessas coisas, não sei se você vai me entender, mas em quase todas as novels tem essas coisas. Uma das únicas novels que eu lembro o nome que não tem disso, é King of Gods. Essa merece total respeito e admiração meus. Não que eu não goste dessa aqui, só não gosto desses clichês. O que aconteceu aqui foi tipo um clichê nível médio. O que vc disse é um nível máximo. Felizmente, essas coisas que vc disse geralmente só acontecem em novels de poder e de cultivo.
        Não gosto desse tipo de coisa cara, essas coisas que o pessoal fala “mais uma pro harém”. Não gosto mesmo. Não sou contra harém, tudo tem sua medida conforme a história. O que eu não gosto mesmo, é protagonista zé buceta. Talvez seria mais adequado dizer, AUTOR zé buceta. O mc é assim por que o autor escreveu ele assim. Vamos ver, se não vai ficar (duvido muito) um babaca

        1. Hehehe, bem, até onde eu li, o Roland não é coração-mole com os inimigos. Ainda mais que ele tem Rouxinol que sabe quando alguém diz a verdade, né? Fica muito mais fácil confiar nas pessoas assim. Mas, para além disso, ele cresce bastante e até próximo do final da história, como está lá na China, o desenvolvimento dele para um líder é muito bom. Eu acredito que você vai gostar. 😉

          1. Nops. Sem spoiler. O final da história como está sendo publicado lá na China, não que ele volta pra China. ^_^

          2. Se não me engano ela está terminando lá, mais de 1200 capítulos já ou perto disso.

          3. Ahhh, tá de boa então…
            Achei que ia ter só uns 400 cap…

            Pareceu que tinha sido encerrada nas coxas

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!