LAB – Capítulo 191

As presas do novo Rei

Petrov tomou um gole de chá preto. Inclinando-se na cadeira do lorde, ele exalou profundamente. Fazia dois meses desde que assumiu a gestão de Forte Cancioneiro e Petrov descobriu que gostava cada vez mais e mais da Prefeitura. Esta nova estrutura de ascensão passo-a-passo, permitia com que ele observasse os funcionários e guardas da cadeira do lorde, conferindo a Petrov uma satisfação ímpar, advinda de um certo poder e controle sobre os outros.

No início do primeiro mês, alguns nobres ocasionalmente questionaram seu governo publicamente, e outros até mesmo planejaram motins. Os nobres que estavam planejando motins, provavelmente eram de grandes Famílias como os Alce e os Lobo. Seguindo o conselho de seu pai, Petrov não enforcou os civis e Ratos envolvidos. Em vez disso, ele aprisionou os nobres menores e após suas famílias pagarem o resgate, ele os expulsaria.

Após adotar essas medidas agressivas, a situação rapidamente voltou a ficar sob controle. Afinal de contas, exceto a Família Madressilva, todos os cavaleiros das outras grandes famílias haviam sido despachados para Vila Fronteiriça, de modo que não poderiam resistir às políticas de Petrov abertamente. Ele planejava distribuir parte dos lucros de Forte Cancioneiro para compensar as perdas das grandes Famílias causadas pela última batalha, a fim de integrar os nobres como um grupo de interesse relativamente estável.

Agora, trinta por cento do lucro de Forte Cancioneiro era entregue a Vila Fronteiriça. Outros trinta por cento eram utilizados para manter a cidade funcionando. Vinte por cento era utilizado para pacificar os grandes nobres, e os vinte por cento restante eram designados para os Hull.

Neste momento, o retrato pendurado na parede atrás da cadeira do lorde não era mais de Duque Ryan, mas sim de Roland Wimbledon. Petrov esperava que um dia seu próprio retrato poderia estar pendurado, o retrato de Petrov Hull.

Se ele pudesse possuir completamente Forte Cancioneiro, o domínio que possuía como um Conde seria integrado com o território do Forte, de modo que ele se tornaria um Duque. Dessa forma, cinquenta por cento do lucro anual seria economizado para investir na estrutura e no comércio de Forte Cancioneiro, gerando, consequentemente, lucros maiores.

Claro que, para que isso se tornasse verdade, Roland teria que ser coroado, ou seja, ele teria que se tornar o Rei do Reino de Castelo Cinza.

— Meu Senhor. — Um guarda entrou no corredor e apresentou uma carta — É uma mensagem de Vila Fronteiriça.

Ao ouvir a palavra Vila Fronteiriça, Petrov instantaneamente ficou em pé. Ele pegou o envelope e retirou um frágil pedaço de pergaminho dentro dele. Pela péssima qualidade deste pergaminho, ele podia imediatamente reconhecer que era de um de seus próprios ‘olhos’ dentro dos servos que trabalhavam na vila.

A batalha aconteceu há dois meses e terminou de forma inconcebível. Embora Petrov não tivesse comparecido pessoalmente, a história que ele ouviu de seu pai era bastante bizarra. Por causa disso, a fim de descobrir a causa da derrota abjeta de Duque Ryan, ele colocou alguns confidentes entre os homens e mandou para Vila Fronteiriça. Disfarçado como artesãos, criadores de gado e servos, eles deveriam enviar informações que recolhessem de volta para Forte Cancioneiro.

Petrov acreditava que outras grandes Famílias estavam fazendo o mesmo. Mas, até agora, exceto pelos dois confidentes disfarçados de servos que ainda estavam enviando cartas todos os meses, os outros disfarçados de artesãos e criadores de gado estiveram totalmente mudos, como se tivessem desaparecido no ar.

Eles me traíram ou foram descobertos pelo Príncipe? — Balançando a cabeça, Petrov focou no conteúdo da carta confidencial.

A carta foi escrita com um pedaço de carvão. Não tinha uma única linha reta, e estava repleta de manchas de água. Parecia que o homem tinha escrito furtivamente enquanto trabalhava na terra.

O primeiro parágrafo dizia que torres de ferro estavam sendo construídas nas margens do Rio Vermelho. Estas torres de ferro eram tão grandes que eram praticamente do mesmo tamanho que as torres das muralhas de Forte Cancioneiro. Até agora, três delas tinham sido terminadas, e um grande pote de metal foi colocado no topo de cada uma delas. Parecia que as torres de ferro eram fabricadas pelos ferreiros dentro da vila, em seguida, enviadas para a margem do rio, e, finalmente, os soldados do Primeiro Exército formariam um cinturão protetor em volta do grande pote de ferro. No dia seguinte, as torres se levantavam como que por um milagre.

Construir, construir… essa palavra de novo. — Petrov pensou — A mesma coisa da carta anterior. Basta olhar para todas estas cartas, que se percebe que o Príncipe está constantemente construindo alguma coisa naquela pequena vila. A última carta dizia que estava construindo estradas e pontes, enquanto esta carta diz que estão construindo torres de ferro. Será que o Príncipe está gastando todas as peças de ouro que ele está extorquindo do Forte? Além disso, ninguém sabe para que estas torres servem… as pessoas de minha confiança que estão disfarçadas de servos, são na verdade cavaleiros com um certo conhecimento, logo, se estas torres fossem torres de vigia, eles saberiam imediatamente. Talvez estas torres ainda não estejam completamente construídas, por isso é tão difícil julgar o seu propósito. Eu devo esperar até o próximo mês para conseguir mais detalhes.

Ele continuou a ler o segundo parágrafo. A carta descrevia que uma grande frota de comerciantes do Leste atracou no cais de Vila Fronteiriça e ficou na vila por mais de uma semana. Só que a carta não disse a quem estas frotas pertenciam. Durante o descarregamento na doca, um monte de lingotes de minério e salitre foram descarregados.

A demanda por salitre era fácil de entender, pois como o segundo mês no verão era muito quente, então o castelo precisava de uma grande quantidade de salitre para baixar a temperatura. Ele também poderia ser usado para resfriar vinho e sucos. Como um nobre real, Roland iria evitar estar suado todo o dia, pois se ele estivesse suado, ficaria fedendo feito um trabalhador do campo.

Mas a compra de lingotes de minério deixou Petrov desnorteado. Vila Fronteiriça era um local com uma mina. Petrov se lembrou de que quando foi até a vila durante os Meses dos Demônios como um embaixador, Príncipe Roland até mesmo disse de forma exagerada que iria dobrar o volume de vendas de minério. Então, por que ele parou de exportar minério e começou a importar lingotes?[1]

Quando ele associou tudo isso com as torres de ferro que estavam sendo construídas tão altas quanto às torres de vigia das muralhas de Forte Cancioneiro, Petrov achou que compreender as ações de Sua Alteza estava cada vez mais difícil.

Entretanto, o último parágrafo deixou Petrov completamente assustado.

Nas duas semanas anteriores, várias peças ao ar livre foram apresentadas na praça Vila Fronteiriça? Não havia nenhum custo como uma taxa de entrada, o título da peça era inédito e os servos foram encorajados a ir e assistir. O que deixou Petrov mais surpreso, era que a Estrela da Região Oeste que estava sumida do Teatro do Forte, Senhorita May, estava no elenco!

O que está acontecendo? — Petrov pensou, pois a ausência recente de May foi uma grande notícia em Forte Cancioneiro.

A principal atriz de várias peças teve de ser substituída devido a sua ausência. Alguns nobres saíram no meio do espetáculo em protesto, e o Teatro do Forte teve que colocar um anúncio afirmando que May tinha deixado o teatro sem explicar a ninguém, e seu paradeiro permanecia desconhecido. A notícia causou um alvoroço entre os nobres amantes do teatro.

Ela foi para Vila Fronteiriça? Mas lá nem tem um teatro! E ela ainda atuou em uma peça ao livre para civis e servos… — Petrov achou difícil de imaginar. Sua impressão da Senhorita May era que ela não era uma atriz “acessível”.

Depois de pensar sobre isso, ele decidiu escrever uma carta para Sua Alteza Roland, a fim de perguntar sobre esse assunto, dizendo que como um amante de peças de teatro, faz tempo que ele não tinha a oportunidade de ver a atuação brilhante da Estrela da Região Oeste e, além disso, seria uma excelente oportunidade para levar Shirley com ele.

Como as peças foram apresentadas ao ar livre, os comerciantes provavelmente assistiram, então, é fácil justificar como essa informação chegou em meus ouvidos. — Com este pensamento em mente, Petrov sentiu que seu espião não seria exposto.

Quando Petrov estava prestes a pedir para o guarda buscar um pergaminho para escrever a carta, um cavaleiro rapidamente entrou no salão e disse com urgência:

— Meu senhor, um guarda na torre de vigia do portão leste avistou uma tropa de cavaleiros se aproximando de Forte Cancioneiro!

— Cavaleiros? O guarda conseguiu reconhecer de onde eles são? — Petrov instantaneamente se levantou.

— Eles estavam segurando bandeiras com uma torre e dois piques. — O cavaleiro respondeu — Se eles não estão fingindo, eles devem ser uma tropa do novo Rei.


[1] Caso você queira recordar, isso aconteceu no capítulo 17.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

18 Comentários

    1. esse mapa para os capítulos atuais em inglês está um pouco desatualizado mas para Nova eu traduzida dá para se basear de boa

    2. Vlw cara! É bem próximo do que eu imaginava. A questão da cidade Taqila ser localizada em um ponto triangular com a torre e o forte cancioneiro que estava bagunçando minha cabeça mas agora foi resolvido kk

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!