LAB – Capítulo 243

Serviço de Inteligência

O ar gradualmente esfriava depois que a lua se levantou. Sentado no jardim, Theo podia ver de longe várias luzes de velas ou lamparinas, através das janelas dos pubs, bordéis e cassinos. Tais luzes no meio da noite eram como as estrelas no céu, e o barulho mostrava que a cidade estava bastante movimentada.

Essa era uma cena que só podia ser vista na área interna da Cidade Real de Castelo Cinza. Mesmo após a devastação causada pela praga demoníaca, matando cerca de um terço dos civis na periferia da cidade, os nobres pareciam não se importar com isso, pois eles bebiam e festejavam no centro da cidade como se nada tivesse acontecido. Se alguém escutasse atentamente, a brisa da noite levava certos gemidos suaves.

Theo comprou uma casa com um jardim e uma pequena fonte por cento e cinquenta peças de ouro, localizada numa encosta perto da borda da área interna da cidade. O local foi escolhido a dedo, pois ninguém costumava passear nessa área durante o dia. Ele normalmente não ficava aqui a menos que encontrasse um informante ou trocasse informações. Em dias normais, ele passaria a noite em um hotel ou ficaria na Toca do Trompetista por alguns dias.

Um homem saiu da casa, segurando uma lamparina a óleo. Era Hill Fawkes, que estava fazendo um trabalho secreto para os Falanges. Ele caminhou em direção aonde Theo estava e disse:

— Senhor, todos chegaram, estão reunidos na sala de sua casa.

— Certo. Ilumine o local da reunião com algumas velas, já estou indo. — Theo o instruiu e, pouco tempo depois, entrou na casa.

Na fraca luz das velas, Hill e as outras cinco pessoas sentaram-se em volta de uma mesa de madeira. Quando viram a aparição do cavaleiro, todos se curvaram e saudaram. Theo olhou para eles sem expressão, com a intenção de determinar a confiabilidade destas pessoas, a partir de suas expressões e gestos.

É uma pena que a senhorita Rouxinol tenha ido embora com o Primeiro Exército para Vila Fronteiriça. — Theo pensou — Se estivesse aqui, ela poderia fazer um julgamento mais preciso em um instante.

Eles eram sócios de Hill e membros da trupe acrobática Pomba e Chapéu. Como Hill, todos tinham um ódio mortal em relação a Timothy, e buscavam vingança. No cerco da semana passada, foram eles que forneceram informações precisas a Theo, permitindo que ele soubesse do plano de ataque noturno dos ratos com certa antecedência. Agora que o surto da praga demoníaca havia diminuído significativamente, ele decidiu encontrá-los na própria capital do reino. Se eles fossem realmente como Hill havia descrito, então eles poderiam ser, de fato, bons espiões.

— Com exceção do Sr. Fawkes, por favor, se apresentem brevemente. — Theo disse.

O homem mais robusto da sala, com cerca de dois metros e bastante musculoso, tomou a iniciativa e disse:

— Senhor, meu nome é Rocha. Eu sempre interpreto os números que exigem força na trupe acrobática. Agora eu me juntei à organização Velas de Sangue.

— Eu sou Palhaço. Como meu apelido já diz, eu interpreto o palhaço na trupe, mas não entrei em nenhuma organização de ratos. Só faço alguns truques em vários bares. — Um homem pequeno, sentado ao lado de Rocha, disse enquanto apontava para o próprio nariz. Ele aparentava ser o mais novo da trupe, possivelmente entre os dezoito ou dezenove anos de idade.

— Eu sou Joe.

— E eu sou Neil.

Os dois seguintes eram irmãos. Não pareciam diferentes de qualquer civil da periferia da cidade, desde a aparência até as roupas. Eles doaram todo o dinheiro da venda de suas posses para o padre Ferry e eram “fiéis devotos” da Igreja.

Será que eles também estavam apaixonados pela falecida mulher de Hill? — Theo se questionava secretamente. Ele deixou suas dúvidas para lá e virou-se para a última pessoa.

— Todos me chamam de Mágico, senhor. — O homem fez uma breve saudação — Meu plano era fingir ser um perdedor frustrado e me infiltrar na organização Água-dos-sonhos, mas infelizmente a maioria deles morreu ou fugiu. Até mesmo Tannis Denteferoz morreu nas mãos do Exército do Julgamento da Igreja. O que sobrou da organização está atualmente à procura de um novo chefe.

— Morreu nas mãos do Exército do Julgamento? — Theo levantou uma sobrancelha — A Água-dos-sonhos não estava recebendo secretamente o apoio da Igreja?

— Eu também ouvi isso por aí. — Mágico deu de ombros — Depois que Tannis foi derrotado na batalha de cerco no píer, ele também foi atacado pelos Falanges enquanto retornava para a área leste da cidade. No final, somente algumas dezenas dos integrantes da organização conseguiram sobreviver. Na noite desse mesmo dia, ele deixou a base mais uma vez acompanhado de seus lacaios e, já enfurecido, foi direto para a igreja. No dia seguinte, apenas dois ou três acabaram voltando. Eles me disseram que Tannis brigou com o padre Ferry e foi golpeado no peito pelo Exército do Julgamento. Em outras palavras, a organização Água-dos-sonhos acabou.

Bem compreensível essa raiva dele, já que, com muita dificuldade, ele havia desenvolvido essa organização e, de uma hora para outra, ela foi reduzida a nada. — Theo pensou.

Já que sua posição como líder de uma organização estava ameaçada, ele tentou buscar ajuda da Igreja, mas, obviamente, a Igreja jamais ajudaria os ratos abertamente, e foi aí que a briga começou. Mas isso tudo era irrelevante para Theo, o que importava era que a organização Água-dos-sonhos havia caído por terra. Isso era uma ótima notícia. Talvez ele pudesse se aproveitar dessa situação e, de alguma forma, conseguir alguns desses ratos que estão à procura de um novo chefe para expandir sua rede de inteligência.

— Hill já deve ter contado a vocês quem eu sou e o que eu faço. — Theo bateu na mesa — Eu sou o guardião de Sua Alteza, Roland Wimbledon, responsável por adquirir informações de todo o reino. Como vocês se dispuseram a vir até aqui, de certa forma, posso inferir que vocês estejam interessados. Contudo, preciso ser franco e perguntar mais uma vez: vocês estão dispostos a trabalhar para Sua Alteza, Roland Wimbledon?

— Estamos dispostos! — Eles responderam.

— Estou disposto a fazer qualquer coisa, desde que possa fazer justiça à minha esposa. — Hill disse.

— Muito bem. De agora em diante, nos reuniremos aqui semanalmente. Caso haja alguma informação urgente, vocês podem vir até mim antes do nosso encontro semanal, mas vocês devem me sinalizar primeiro. O sinal é um vaso de flores roxas na frente da porta desta casa. —  Theo disse — Assim que eu perceber o sinal, vou esperar por vocês nesta sala à noite. Lembre-se de bater na porta com três toques com pausas longas e três toques com pausas curtas. Entenderam?

Theo assentiu com satisfação quando todos concordaram e continuou:

— Um oficial de inteligência qualificado nunca irá se expor facilmente. A primeira coisa que vocês precisam fazer é ocultar sua identidade. Vocês devem ter isso em mente quando estiverem investigando algo pessoalmente ou ao contratarem um assistente para coletar informações suspeitas. Se vocês precisarem de algum dinheiro, podem vir e pedir diretamente para mim. Lembrem-se, não ajam precipitadamente. Timothy cairá, e isso foi uma promessa de Sua Alteza Real, o 4º Príncipe, Roland Wimbledon. — Ele parou por um momento antes de continuar — Há mais alguma coisa que vocês queiram perguntar?

— Senhor, Timothy acabou de voltar da Região Leste. — Hill disse — O senhor já deve ter recebido a notícia.

Muitos cidadãos da capital testemunharam a cavalaria do novo Rei adentrando à cidade pelo portão leste, cavalgando em direção ao centro. Isso era algo que estava na boca do povo e todos já sabiam. Theo não comentou nada a respeito, pois queria saber até onde Hill iria chegar e deixou que ele continuasse a falar.

— Agorinha, quando estava anoitecendo, eu ouvi de Martelo Negro que Timothy talvez esteja planejando recrutar um grupo de ratos para se juntar à sua força militar, com a promessa de os tornarem homens livres. Vários líderes de organizações de ratos foram para o palácio. Não soa como um boato.

Recrutando ratos? — Theo fingiu estar calmo, apesar de estar bastante preocupado — Está claro que esses ratos não podem lutar como soldados oficiais, então o propósito principal deve ser dar a eles as pílulas para transformá-los em bombas ambulantes, assim como o último ataque em Forte Cancioneiro. Qual é o objetivo deles dessa vez?

— É uma notícia interessante. — Theo disse — Lembre-se de prestar muita atenção ao movimento dos ratos. Depois de obter alguma informação, relate-me imediatamente.

Bem, espero que Timothy não esteja pensando em atacar a Região Oeste novamente por enquanto. — Theo pensou.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

13 Comentários

  1. As expectativas estão lá em cima para esse grupo heheh
    Theo Bond já iniciou seu treinamento para com os novos recrutas da AFIN – Agência Fronteiriça de Inteligência haha

  2. Finalmente uma CIA da vida. Só espero que eles não inventem de querer traí-lo no meio do caminho.
    Obrigado pelo capítulo mestre JZanin

  3. Se o Timothy organizasse esse exército de Zés Droginha em motos de dois em dois não tinha nação que conseguisse resistir.

  4. O Roland tá precisando inventar logo o celular o para melhorar a comunicação,
    eu imagino a reação das pessoas ao verem um celular pela primeira vez.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!