LAB – Capítulo 267

Fim premeditado

Depois de caminhar por um corredor escuro, descer ao subterrâneo a partir de uma estrutura de ferro pendurada por correntes e pisar os pés no que parecia ser uma caverna enorme nas profundezas, Mayne finalmente havia chegado ao Templo Secreto Principal.

Sua Santidade O’Brien já estava esperando-o na porta.

Para Mayne, Sua Santidade parecia mais velho que a última vez que o vira. Ele estava com olheiras profundas e as rugas em seu rosto pareciam mais proeminentes, parecendo uma teia de aranha. Seu sorriso, no entanto, permanecia gentil como antes. Mayne não pôde deixar de se ajoelhar na frente do Papa. Ele, então, começou a chorar:

— Vossa Santidade, nós…

— Levante-se, meu filho. — O Papa parecia calmo e gentil — Ouvi dizer que você está com problemas. Vamos conversar sobre isso no salão.

Apenas algumas velas estavam acesas e iluminavam o salão, pois hoje era apenas um dia qualquer, mas se fosse o dia da Cerimônia de Encarnação, por exemplo, centenas de velas estariam acesas no local, assemelhando-se ao céu estrelado. O Papa sentou-se na cadeira, ofegou um pouco e disse:

— Agora, diga-me. O que aconteceu lá fora?

Mayne sabia que Sua Santidade O’Brien era uma pessoa que cuidava de assuntos verdadeiramente importantes e que não dispunha de tempo para cuidar de assuntos triviais que aconteciam fora da Cidade Sagrada. Como um dos três arcebispos designados pelo Papa para ajudar na administração da Igreja, Mayne sabia que ele deveria fazer o seu melhor para evitar incomodar Sua Santidade com tais assuntos, mas agora ele realmente não sabia mais o que fazer.

Ele, então, informou ao Papa sobre o que havia ocorrido.

— Então Heather está morta… — O’Brien suspirou profundamente depois de um longo silêncio — Ela era uma moça muito atenta, inteligente e devota. Eu a vi crescer.

— Vossa Santidade, por favor, abstenha-se de sua dor.

— A assassina será punida. — O papa assentiu — Agora, Garcia e o Reino de Coração de Lobo formaram uma aliança. Vocês utilizaram o novo veneno?

— Sim, usamos quando atacamos o Castelo do Dente Quebrado. Após um mês de espera, todos os soldados, que estavam na linha de defesa, foram encontrados mortos. Quando o Exército do Julgamento invadiu a cidade, quase ninguém estava vivo na área residencial. No entanto, a mesma estratégia não pareceu funcionar quando atacamos a capital. A resistência do inimigo ainda é forte no momento. — Mayne relatou.

— Você cometeu dois erros. As pessoas envenenadas ficarão doentes e morrerão entre sete a dez dias. Você deveria ter lançado um ataque quando a ação do veneno estivesse em seu auge e curado os residentes da cidade para reduzir sua hostilidade contra nós, após tomá-la. Não se esqueça de que precisamos de pessoas e não de cidades vazias. Esse foi seu primeiro erro. — O’Brien disse pausadamente — O segundo erro que você cometeu foi esperar um mês inteiro para lançar um ataque. Ao esperar, você conseguiu evitar mais baixas de nossa parte, pois não se luta com mortos, mas por ter tomado essa decisão, você deu mais tempo para o seu inimigo encontrar o tratamento. O novo veneno é, na verdade, feito a partir das bestas demoníacas. Com base no que está descrito nas Escrituras Sagradas sobre a magia, existem mais de setenta tipos de habilidades mágicas que poderiam impedir a disseminação da infecção. Talvez eles tenham uma bruxa que, por acaso, dispõe de tal habilidade na cidade. Não é raro esse tipo de situação, dado que existem dezenas de milhares de pessoas lá.

— O senhor quer dizer que eles estão em conluio com as bruxas?

— Quando se trata de vida ou morte, quem vai se importar se as bruxas são demoníacas ou não. Essa bruxa pode ter se apresentado para tratar as pessoas porque simplesmente quis ou foi forçada a fazê-lo quando alguém descobriu sua habilidade. Nenhuma dessas duas hipóteses é uma boa notícia para nós. Se eles realmente resistirem ao nosso ataque com a ajuda de uma bruxa, com o tempo, eles inevitavelmente rasgarão nossos ensinamentos, aceitando a bruxa ou até mesmo adorando-a como um herói. — O Papa disse com calma.

— É tudo minha culpa. — Mayne disse, abaixando a cabeça em agonia.

— Sim, é tudo sua culpa. Mas não é um erro muito sério. Afinal, minimizar as baixas para com o Exército do Julgamento e o Exército da Punição Divina foi o motivo para você definir essa estratégia. — O’Brien deu um tapinha no ombro de Mayne com o cetro — Mas essa é uma boa oportunidade para nós, já que a Princesa Garcia e o Rei de Coração de Lobo estão ambos na capital.

— Op-oportunidade? — O arcebispo ficou perplexo.

— Sim, é como matar dois coelhos com uma única cajadada. — O’Brien levantou-se e disse a Mayne — Siga-me.

Guiado por guardas, Mayne seguiu o Papa. Eles saíram do Templo Secreto Principal e foram mais fundo dentro da caverna. No começo, Mayne podia ver seu caminho iluminado pela luz fraca emitida pela Pedra da Retaliação Divina imensa que estava abaixo de seus pés, mas a luz foi gradualmente diminuindo à medida que avançavam. Quando Mayne virou-se para olhar, ele descobriu que o Templo Secreto Principal e a Pedra da Retaliação Divina já estavam muito atrás deles. Neste momento, os guardas acenderam as tochas, para que ninguém tropeçasse.

— Vossa Santidade, para onde estamos indo?

— Já chegamos, meu filho. — Sua Santidade O’Brien parou e respirou com muita dificuldade — Oh, bem, eu estou muito velho. Quem diria que andar por uma distância tão curta já me deixaria sem fôlego.

Um guarda se aproximou para apoiá-lo e disse:

— Vossa Santidade, deixe-me levá-lo.

— Não, obrigado. Eu ficarei bem após descansar um pouco. — O’Brien ficou parado por um momento e depois disse — Acenda os braseiros.

O arcebispo não notara até agora que, além dos guardas que seguravam as tochas, também havia várias estruturas altas de ferro distribuídas uniformemente pelos cantos da estrada de pedra. Era difícil para qualquer um ver essas coisas de metal na escuridão. Depois que os guardas ergueram suas tochas e acenderam as bacias cheias de resina no topo de cada estrutura, chamas deslumbrantes surgiram de repente. Mayne demorou um pouco para se acostumar com a luz intensa, mas aos poucos ele pôde distinguir o que via à frente.

Na luz bruxuleante dos braseiros, ele viu algo enorme coberto por um tecido empoeirado.

— Como as bestas demoníacas estão ficando cada vez mais fortes, eu planejava usá-las mais tarde, mas agora parece que eu tenho que usá-las antes da hora. — O’Brien acenou com a mão — Retirem o pano.

— O que é is… — Mayne não podia acreditar em seus olhos. Em sua frente estava um enorme veículo de quatro rodas de ferro que tinha uma aparência feroz. Não era uma carruagem, pois cada uma de suas rodas era mais alta que ele e a prancha de ferro, logo acima das rodas, tinha o formato semelhante ao de uma bigorna. Havia também uma estrutura de ossos que tinha o formato de um escudo enorme acima da prancha de ferro, e ela estava coberta com farpas. Duas hastes de ferro pontiagudas estavam saindo de dois buracos que haviam no escudo de ossos, parecendo flechas prontas para serem atiradas. Em ambos os lados do veículo de quatro rodas de ferro, havia uma dúzia de lanças de ferro como aquelas. Cada lança era grossa como sua coxa, com brilho metálico opaco.

— As Escrituras Sagradas o chamam de Besta de Cerco. — O papa foi até o veículo de quatro rodas de ferro e deu um tapinha em uma haste de ferro robusta encostada na estrutura — É controlado pelo poder mágico. Três a quatro bruxas são necessárias para operar essa coisa. O alcance da Besta de Cerco é muito maior do que uma manganela ou balista. De modo geral, muralhas dificilmente resistiriam ao seu poder ofensivo. Um navio construído com troncos gigantes de árvores será tão frágil quanto um pedaço de papel ao se deparar com seu ataque. Ela destruirá facilmente as muralhas da Cidade Real de Coração de Lobo e as Frotas das Velas Negras.

— É… uma arma criada pelo Templo Secreto Principal?

— Não. — O’Brien balançou a cabeça — Você já deve ser capaz de adivinhar. Isso vem de nossos inimigos, os demônios. É por isso que a Igreja precisa escondê-lo nas profundezas da caverna. Quando você o usar, lembre-se de tentar o seu melhor para escondê-lo dos civis, tudo bem?

— Entendi. — Mayne respondeu enquanto abaixava a cabeça.

E como as bruxas são capazes de manipular a arma dos demônios? Os demônios também têm poder mágico? — Em vez de levantar essas questões, Mayne guardou suas indagações em seu coração, pois sabia que não tinha o direito de saber disso até se tornar o próximo papa.

— Além disso, para evitar que Garcia e o Rei de Coração de Lobo fujam desta vez, enviarei duas bruxas purificadas para ajudá-lo na batalha. Ninguém pode escapar da ira delas… Vá em frente, use o sangue daqueles blasfemadores para velar Heather. — O Papa disse solenemente.

Bruxas purificadas do Sumo Pontífice! — Mayne ficou emocionado.

Todas as bruxas do Papa tinham habilidades incríveis o suficiente para serem registradas nas Escrituras Sagradas, pois o Papa sempre escolheria as bruxas mais fortes para serem criadas e controladas pela Igreja. Heather, Tayfun e Mayne também possuíam bruxas purificadas, mas as bruxas purificadas do Papa estavam fora de seu alcance. Agora que Sua Santidade dissera que os inimigos não podiam escapar, certamente eles estavam condenados.

— Sim, Vossa Santidade. — Mayne disse animadamente.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

23 Comentários

  1. Então quer dizer que a raça que está mais avançada em relação a magia e suas tecnologias é a que parece menos evoluída? Oloco.

    1. Ou será que a raça dos demônios foi criada pelos humanos desse mundo que tinham poderes de “bruxas”?

      1. Talvez fossem humanos que entenderam os princípios da magia e tentaram adquirir a habilidade de manusear o poder mágico, deu merda e sofreram alterações em suas constituições assim sofrendo represália da Igreja nos “Anos Perdidos”.

        1. Rapaz, o duro é que não posso comentar sem dar spoilers. Mas a ideia é essa mesma. Como no antigo mundo de Roland não tinha poder mágico, ele ainda não é familiar com esse tipo de força, mas este instrumento prova que existem humanos, bruxas ou outras civilizações, que possuem tecnologia para fabricar armas que utilizam o poder mágico e esta (aí vem um spoilerzim de leve) é uma das mais básicas. 😉

  2. Agora até eu fiquei com medo desse papa e da “besta de cerco” dele. Mas estou ansioso pra saber que tipo de bruxas vão aparecer. 😈😈😈
    Obrigado pelo capítulo Mestre JZanin

  3. Os wimbledon guerreando entre si pensando que o verdadeiro inimigo é a igreja, mas na verdade são os demônios! Com maiores poderes mágicos e tecnologia…
    Essa novel é demais
    Muito obrigado mestre

  4. Enquanto o cara se acha fodão por ter uma besta de cerco, o Roland tem fodendo canhão, balão (que pode bombardear pelo ar) e mais uma caralhada de coisas.. Pobres coitados husahsuahs

  5. Obrigado pelo capitulo!
    Se as coisas continuarem assim, ate o próximo ano o Roland já terá construído tanques de guerra.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!