LAB – Capítulo 287

Fábrica de sabão

Vila Fronteiriça, Região Oeste.

As pedras de lavar compradas da Cidade da Prata encheram quatro navios e demoraram alguns dias para serem descarregadas. Agora que havia matéria-prima suficiente, o projeto de produção em massa de sabão foi formalmente colocado no cronograma.

A oficina e o depósito já haviam sido montados para o estabelecimento dessa nova fábrica que, inclusive, foi montada no mesmo molde da fábrica de motor a vapor, estando ambas dentro do parque industrial. Como o telhado, as vigas de apoio e as tábuas das paredes eram todas feitas de madeira e tinham as mesmas medidas, o trabalho de cortar e transportar a madeira eram de responsabilidade das bruxas. Por causa disso, a construção foi bastante rápida.

A fabricação de sabão precisava de uma série de reações químicas, sendo que as pedras de lavar eram uma base natural e o produto ideal para esse tipo de produção. As outras matérias-primas necessárias também eram muito comuns, pois além de carbonato de sódio, também era necessária uma enorme quantidade de cal e gordura. Depois de misturar com água, a cal assentaria no fundo do recipiente, deixando a água turva. Ao misturá-la com carbonato de sódio, a reação produz soda cáustica e, ao adicionar gordura, obtém-se sal de ácido graxo e glicerol. Sal de ácido graxo é o sabão, enquanto o glicerol é uma matéria-prima importante para explosivos.[1]

Antes de fazer sabão, Roland realizou todos os experimentos no quintal de seu castelo. A teoria era a mesma, mas precisava de químicos profissionais para fazer as adaptações apropriadas tanto de maquinário, quanto de proporções, para obter uma produção em massa com qualidade.

Logo, ele chamou seu alquimista-chefe em seu escritório.

— Vossa Alteza, eu pensei em um plano possivelmente viável sobre o seu pedido de produção em massa de ácido sulfúrico. — Kyle Sichi começou a falar em voz alta quando entrou em seu escritório — Mas precisamos de muito chumbo e ferreiros que possam fazer recipientes de chumbo. Ouvi dizer que sua bruxa pode cortar metal com precisão, e ela fez aquelas máquinas que emitem um som estrondoso. Posso…

— Sim, você pode. Basta me dar as medidas exatas e a forma do recipiente que você quer, para que eu peça para a União das Bruxas fabricar para você. — Roland deixou Kyle se sentar e continuou — Mas eu não chamei você aqui para discutirmos a fabricação dos ácidos, mas sim para discutirmos outro projeto.

— Vossa Alteza, estou deveras ocupado para me dedicar em outro projeto. — Kyle disse enquanto balançava a cabeça — A produção em massa de ácido é um grande desafio e devo dar o meu melhor para conclui-lo. Além disso, meus discípulos não estão disponíveis. Todos eles estão me ajudando nesse projeto, então nenhum deles dispõem de tempo para fazer outra coisa.

— Não se preocupe com isso. Não vai ocupar muito tempo de vocês. — Roland disse enquanto tomava chá — Eu também não preciso que seus discípulos trabalhem nesse projeto, pois pode ser feito por alguns aprendizes.

— Humm… então, que projeto seria?

— Vamos fazer sabão de baixo custo para serem vendidos no Mercado de Conveniências. Ele serve para o mesmo propósito que o sabonete, só não é perfumado, mas ainda assim pode ser usado para tomar banho e limpar roupas e louças.

— O senhor está se referindo à reação de saponificação mencionada no livro Química Elementar? — Kyle tocou seu bigode e perguntou — É a reação química entre soda cáustica e gordura, que pode produzir álcool e sal?

Tenho que admitir que é surpreendente, e ao mesmo tempo estranho, ouvir esses termos técnicos saindo da boca de um alquimista. Especialmente quando fui eu quem os introduziu. — Roland pensou enquanto demonstrava uma expressão satisfeita, dizendo em seguida:

— Exatamente, essa é reação de saponificação mencionada no livro antigo, e eu também estou fazendo sabão baseado nesse método.

— Então, o que posso fazer pelo senhor? Eu sugiro que esse projeto seja adiado, caso não seja urgente. O senhor sabe, tomar banho ou lavar roupas e louças com sabão não é muito necessário, visto que os civis podem fazer isso no rio.

— Não, isso é muito importante. — O Príncipe enfatizou — O que quero dizer é que o sabão em si não é importante, mas sim o subproduto da reação e é disso que estou precisando urgentemente.

— O senhor quer dizer… o álcool? — Kyle perguntou sem qualquer expressão.

— Sim, álcool, mas você pode chamá-lo somente de glicerol. — Roland disse — É um material extremamente necessário e possui a mesma importância dos dois ácidos.

— Tudo bem. — Kyle Sichi deu de ombros e disse — Eu gostaria de dizer que isso é pior do que a situação anterior, pois eu realmente não tenho tempo para implementar isso.

Roland suspirou levemente, pois era cansativo conversar com o alquimista-chefe. Após ponderar por um momento, ele disse:

— Basta escolher alguns aprendizes talentosos e demonstrar o processo uma vez na frente deles, que isso já será suficiente. Vou recrutar alguns de meus funcionários para realizar o processo de produção, no entanto, lembre-se que nenhum deles sequer entende uma palavra de química, então tem que haver algumas pessoas para checar cada etapa do processo de fabricação. — Depois de parar por um momento, o Príncipe continuou — Você também pode tratar este projeto como um experimento químico nunca antes realizado. Pense assim, se fôssemos tratar como a oficina alquímica, essa seria uma excelente oportunidade para descoberta de novas fórmulas, podendo até conceder o título de alquimista a um de seus aprendizes.

A última frase encheu os olhos de Kyle, deixando-o convencido. Após ponderar sobre palavras do Príncipe, ele disse:

— Nesse caso, eu precisarei de uma tarde inteira para ensinar a reação de saponificação para os aprendizes, conforme o senhor deseja.

— Muito bem. — Roland sorriu — Você deve saber que a parte mais importante deste processo é fazer bastante soda cáustica.

Roland rapidamente descreveu a reação em um pergaminho. Antes da descoberta das sínteses de bases, como a eletrólise aquosa de cloreto de sódio para obtenção de hidróxido de sódio, o mais comum era utilizar o aquecimento de uma solução de bicarbonato de sódio, que se decompõem em carbonato de sódio, dióxido de carbono e água.[2] Estes eram os principais materiais de fabricação de soda cáustica, então este método ainda era utilizado nos tempos modernos.

— Ao aquecer as pedras de lavar em um recipiente com água, elas se decompõem. Então, depois de filtrar a solução, você irá obter uma solução relativamente pura de carbonato de sódio. Após aquecer esta solução com cal, você irá obter uma solução de hidróxido de sódio, para o qual você deve facilmente ser capaz de chegar a um método de purificação por si mesmo. — Roland explicou — Para ficar mais fácil, primeiro você deve destilar e depois misturar, repetindo essas duas etapas até que a concentração seja alta o suficiente. Então, depois de ter esfriado, você pode identificar se a solução está concentrada o suficiente se houver uma enorme quantidade de cristais.

Todas essas etapas estavam descritas no livro Química Elementar. As bases tinham muitos nomes, como soda cáustica, hidróxido de sódio, hidróxido cáustico, bicarbonato de sódio, álcali, dentre outros. Como a reação era, de certa forma, simples, pois só exigia misturar e aquecer, era sempre exigida nos testes que Roland fazia em seu antigo mundo. Ele só conseguia se lembrar de tudo isso até hoje porque ele precisava decorar todos os nomes e os passos para ir bem nas provas.

— Compreendo. — O alquimista-chefe olhou as reações de cima a baixo e perguntou — Mas e quanto à gordura, Vossa Alteza?

— Não se preocupe, vou mandar todos os materiais para você.

Nessa era, a gordura dos animais ainda era bastante cara, mas após os guardas encontrarem sementes de oliveira durante a última viagem, Vila Fronteiriça agora tinha um recurso excelente para a produção de óleo de oliva, que substituía perfeitamente a gordura animal para a reação de saponificação. Embora ainda houvesse uma pequena plantação de azeitonas no quintal do castelo, não seria problemas expandir a produção com o poder mágico de Ramos, de modo a acelerar o seu crescimento.

Além disso, o processo de espremer o óleo também era fácil. Quando as frutas estivessem maduras, bastava filtrar os restos e resíduos, e então poderia obter o óleo límpido.

No final, Roland não deixou Kyle Sichi sair de seu escritório até que ele pedisse a Kyle para repetir todo o processo de obtenção de sabão e todo o processo de extração e purificação de glicerol.

Dessa forma, ele já poderia estabelecer uma forma estável e confiável de fornecimento de óleo assim que a fábrica de sabão fosse inaugurada.

Por último, mas não menos importante, ele teria glicerol, o que significava que a verdadeira munição sem fumaça e explosivos poderosos estavam a caminho.


[1] Ao misturar cal, ou seja, óxido de cálcio aquoso com carbonato de sódio, ocorre a seguinte reação:

CaO + Na2CO3 + H2O → CaCO3 + 2NaOH

Já quanto a reação com a gordura, por ser uma molécula muito extensa, vou deixar esse link da Wiki para você conferir, bem como a importância do glicerol.

[2] A reação pode ser descrita como:

2 NaHCO3(s) → Na2CO3(s) + CO2(g) + H2O(g)

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

13 Comentários

    1. Na verdade, eu acho que ela é um pouco mais jovem, pois tem 19 anos, mas o artista se baseou em uma imagem da Milla mesmo para fazer essa imagem da Soraya. A descrição dela é uma mulher que tem “um cabelo marrom curto e encaracolado, com um par de olhos esbeltos. Em cima do nariz, ela tinha uma pequena sarda que não atrapalhava sua beleza, em vez disso, conferia um toque único de vitalidade juvenil”.

  1. Sabão eu sei fazer o/ já estou quase pronto p reencarnar na idade média kk
    Onde estão as fotos q o povo fala nos comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!