LAB – Capítulo 407

O questionamento de Tilly

— Você quer dizer… uma bruxa que não seguiu com você até Ilha Adormecida? — O Príncipe logo entendeu o que Tilly queria dizer.

— Exatamente. — A Princesa Tilly balançou a cabeça, impotente — O nome dela é Speer Passi e sua habilidade é canalizar o poder mágico. Ela pode canalizar o poder mágico de várias bruxas. Em outras palavras, uma bruxa pode obter o poder mágico de outras bruxas que Speer conectar, então, acredito que ela seja a pessoa que você procura. — Tilly parou por um tempo e continuou — Ela mora na Serra do Dragão Caído.

— Como você sabe bastante sobre ela, acredito que você já tenha conversado com ela pessoalmente, certo? — Roland pediu mais explicações — Então me diga, quais são as razões para ela continuar lá? Há o risco de ela ser pega pela Igreja.

Depois de um momento de silêncio, Tilly respondeu:

— Isso é porque ela é uma Marquesa e a Lady da Serra do Dragão Caído.

— Lady? — Roland perguntou surpreso — Uma bruxa?

— Sim, seu pai, o Marquês Passi, que era o antigo Lorde, deu o título e o território a ela, em vez de seu segundo e terceiro filho. Como ela possui esse status elevado, Speer consegue esconder sua identidade de bruxa muito bem e, portanto, pode levar uma vida muito melhor do que as bruxas comuns. — Tilly disse lentamente — Foi ela quem entrou em contato comigo, além de oferecer ajuda durante as migrações. Por causa dela, pude rapidamente reunir as bruxas das cidades nas partes do sul e central do reino.

Foi ela quem entrou em contato comigo… — Roland pensou nas palavras que Tilly havia dito e percebeu que tinha algo errado, então perguntou:

— Espere… ela não pretendia dar um abrigo para suas companheiras bruxas no território dela?

— Não. — Tilly balançou a cabeça — E pior, ela também queria que as bruxas deixassem o seu território o mais rápido possível e se protegessem para não serem pegas e torturadas pela Igreja. Speer aparentemente valoriza mais seu título de Lady.

De fato, sem dúvida seu título de Lady estaria em perigo se a Igreja descobrisse que ela estava protegendo bruxas. Ao contrário das cidades na área remota da fronteira, Serra do Dragão Caído tem igrejas e sacerdotes bem estabelecidos, além de possuírem muito mais crentes que a Região Oeste. — Roland entendeu sua escolha, mas ainda assim ficou surpreso.

— Se uma bruxa em seu território é apreendida, ela vai…

— Fiz a mesma pergunta a ela. — Tilly disse com certa tristeza — E Speer Passi me disse abertamente que se uma bruxa fosse catpurada pelo povo, ela tentaria substituí-la na prisão por um prisioneiro no corredor da morte e secretamente enviá-la para longe de seu território, mas se uma bruxa fosse capturada pelo Exército do Julgamento ou julgada pela Igreja, ela não faria nada.

Pelo que entendi, Speer Passi entrou em contato com Tilly voluntariamente para acabar com o perigo de haver bruxas escondidas no território da Serra do Dragão Caído. — Roland pensou — Foi por isso que Tilly optou por partir para os Fiordes, que era um lugar novo para ela, apesar do risco de atravessar o mar, em vez de se estabelecer em Serra do Dragão Caído.

Com esse pensamento, Roland franziu a testa e perguntou a Tilly:

— Se eu a convidar para Vila Fronteiriça, ela virá?

— Não apostaria nisso, mas você pode tentar. — Tilly levantou as mãos e disse — Só estou dizendo onde você pode encontrá-la, não estou prometendo nada.

Roland suspirou profundamente e disse:

— Vou enviar um mensageiro para falar com ela primeiro.

Sem dúvida, ele escolheria Rouxinol como mensageira, dado que ela seria capaz de evitar olhos e ouvidos das pessoas enquanto entrava no castelo, além do fato de que ela também podia discernir mentiras. Contanto que ela fizesse Speer acreditar que não havia hostilidade, Speer provavelmente não reagiria de forma exagerada.

Geralmente, levava-se de cinco a seis dias para ir de Vila Fronteiriça a Serra do Dragão Caído de barco, mas Maggie poderia fazer essa viagem em meio dia. Elas também poderiam levar Raio junto, que possuía ótima agilidade e seria uma excelente ajudante. As três bruxas formavam a equipe da mais alta mobilidade na União das Bruxas, e agora equipadas com armas, elas poderiam atacar e se defender de inimigos.

Pensando no plano por um bom tempo, Roland se decidiu.

Assumindo que a Marquesa não concordasse em vir, ainda era uma questão de tempo para ele investigar a situação de seu território. Como uma passagem importante no caminho para a região mais ao sul, Serra do Dragão Caído estava incluído em seu plano de ataque na primavera.

— Ouvi dizer que há uma bruxa recém-evoluída no castelo? — Tilly de repente mudou o assunto.

— Ah, você também ouviu sobre Lunna? Sim, ela consolidou seu poder mágico. — Roland acenou com a cabeça e contou a Tilly sobre o processo de evolução dela — Mas usar o método das bruxas antigas para evoluir não é muito eficaz em aumentar o poder mágico. Para se tornar alguém como Anna, ainda requer um amplo conhecimento e profunda compreensão.

— Mas o caminho antigo ainda é um método válido. — Tilly disse com interesse — Além disso, há um ponto que achei muito interessante no que você disse agora há pouco. O que você quis dizer com “não são fenômenos naturais, mas apenas manifestações concretas de poderes mágicos”?

— Essa é uma especulação pessoal minha. — Roland pegou sua xícara e tomou um pouco de chá — Por exemplo, nem o Coração de Fogo ou a Chama-negra de Anna podem ser encontrados na natureza, então não é difícil vê-los como formas concretas de poder mágico.Entretanto, antes de evoluir sua habilidade, ela conseguia usar somente fogo comum, então, qual seria a explicação? Por isso, presumo que o fogo comum de Anna também é criado pelo poder mágico, e isso refletia, na época, o que Anna compreendia como “calor”. À medida que sua percepção se tornou mais completa e profunda, sua compreensão de “calor” também mudou. Isso explica exatamente o que Agatha experimentou. Muitas bruxas têm habilidades similares antes de evoluírem porque observam o mesmo fenômeno natural. Após o alto despertar, suas habilidades variam porque o entendimento do fenômeno possui grandes diferenças.

— Parece bastante razoável. — Tilly respondeu sem dizer sim ou não — Mas de acordo com sua especulação, as bruxas do mesmo tipo irão evoluir de modo semelhante suas novas habilidades se tiverem a mesma compreensão do fenômeno, certo?

— Sim, basicamente isso, mas sob a condição de que elas tenham exatamente as mesmas habilidades e o mesmo nível de compreensão.

Roland não lhe contou outra ideia que tivera, algo relacionado a evolução do poder mágico.

Como o poder mágico forma a base de todos os tipos de habilidades, posso inferir que é elementar e universal. Isso significa que, caso uma bruxa entenda tudo na natureza, ela seria capaz de manifestar todos os tipos de habilidades? — Ele pensou.

— Então você… veio de um mundo sem poder mágico? — Tilly perguntou de repente.

*Puffft!*

Roland quase cuspiu todo o chá que estava tomando. Limpando o canto da boca, ele perguntou:

— O que, o que você disse?

— Eu li todos os livros escritos por você durante este mês e sempre senti que algo estava errado. — A Princesa Tilly olhou nos olhos de Roland e continuou — Eu finalmente compreendi qual é o problema depois de ouvir o que você disse agora. Você separa o poder mágico da natureza… Nem Fundamentos Teóricos da Ciência Natural ou Física mencionam qualquer coisa sobre o poder mágico, e você disse que a manifestação concreta de poder mágico não é algo existente na natureza, mas… o próprio poder mágico é uma parte da natureza.

Roland ficou chocado.

De repente, ele percebeu que esqueceu completamente que Tilly vivia em um mundo onde o poder mágico existia naturalmente, da mesma forma como o antigo Roland, mas o Roland de agora, que viera de um mundo sem poder mágico, colocou esse tipo de poder em uma posição oposta aos fenômenos naturais e pareceu se acostumar com isso.

Ele deveria usar a mesma desculpa de antes, sobre o excesso de memórias que de repente adquiriu? Provavelmente não iria funcionar desta vez. É aceitável dizer que o Príncipe Roland escreveu esses livros baseados inteiramente em suas memórias, mas como explicar que ele acredita firmemente neles e que subconscientemente separa o poder mágico da natureza? Ou talvez dizer que era assim que ele sempre pensou?

Roland engoliu em seco.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

7 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!