LAB – Capítulo 413

O incidente

— Isso é ridículo, Lorde de Vila Fronteiriça? Ele é apenas um rebelde banido para uma terra selvagem!

— Timothy é o verdadeiro usurpador. — Rouxinol disse — E Príncipe Roland logo o destronará. Mas isso foge da questão principal… Sua Alteza precisa do seu poder mágico para fortalecer a habilidade de uma bruxa. Você se importaria de fazer uma viagem até Vila Fronteiriça?

Speer Passi ficou em silêncio por um tempo antes de dizer:

— Você está me ameaçando ou me convidando?

— Estou convidando você, é claro. — Rouxinol disse — Sua Alteza não coage bruxas. Na verdade, eu também não.

— Neste caso, eu me recuso. — Speer respondeu sem hesitar — Se ele realmente precisa da minha ajuda, ele pode trazer as bruxas para a Serra do Dragão Caído, conforme manda a etiqueta da nobreza. Não há a necessidade de mandar alguém se esgueirar no meu castelo. Claro, se uma bruxa atrair a atenção da Igreja, eu não posso garantir sua segurança.

A resposta foi exatamente como Rouxinol esperava. Era difícil conseguir que um estranho concordasse com um pedido tão difícil. Geralmente, havia dois meios de lidar com a situação, sendo coerção e indução, mas ela não queria executar nenhuma das duas opções. A Marquesa Passi era a Lady da cidade e seria a Protetora do Reino, caso fosse promovida.

No entanto, Sua Alteza não pretende promover tais cargos, pelo contrário, ele quer retirar o poder dos nobres. — Rouxinol pensou — Se me lembro bem, Sua Alteza chama isso de centralização da autoridade. Com essa perspectiva, aos olhos de uma aristocrata, Speer poderia entender que, estando à serviço de Sua Alteza, ela perderia todos os seus direitos e vantagens.

Em relação a seguir Roland, criar um novo mundo e defender-se na Batalha da Vontade Divina, ela não acreditaria apenas em palavras.

— Compreendo. — Rouxinol fez beicinho — Neste caso, irei me retirar.

— Espere! — Speer pareceu surpresa — É só isso?

— Minha missão era entregar a mensagem de Sua Alteza a você. Agora que a mensagem foi entregue e você me deu sua resposta, minha missão está completa. — Rouxinol sorriu — Você estava esperando que eu te amarrasse e te trouxesse de volta comigo?

— Como você soube da minha habilidade de canalizar magia? — A Marquesa hesitou — Você falou com as bruxas que planejavam ir para as ilhas dos Fiordes?

— Sim. A líder das bruxas é Lady Tilly Wimbledon. Ela está atualmente em Vila Fronteiriça, lutando junto com seu irmão contra os demônios. — Rouxinol deu de ombros — Sua Alteza ouviu falar sobre sua habilidade por meio dela.

— Elas não foram para os Fiordes?

— Sim, elas foram, no entanto, elas não sabiam que Sua Alteza havia conquistado uma posição tão firme na Região Oeste. Elas só entraram em contato depois de se acomodarem em Ilha Adormecida. — Rouxinol deu um breve resumo das alianças de ambos os lados — Assim como você, Lady Tilly foi convidada para a Região Oeste por Sua Alteza.

— O Príncipe Roland realmente estabeleceu um sistema em que bruxas e pessoas comuns coexistem em seu território? — Speer franziu a testa e perguntou. Ela estava tendo dificuldade em acreditar nisso.

— Sim, mas não é só isso. Ele também expulsou a Igreja de seu território. — Rouxinol sorriu — Atualmente, existem mais de dez bruxas que vivem em Vila Fronteiriça. Os moradores já estão acostumados com sua existência. Eu não estou mentindo sobre isso.

A Marquesa se levantou e serviu uma xícara de chá.

— Você poderia me falar mais a respeito? Como ele fez isso?

— Sim, se você quiser realmente saber… — Rouxinol virou-se e sentou-se à mesa.

Pode não mudar sua decisão, mas não estarei fazendo mal algum contando as coisas que aconteceram na Região Oeste. — Rouxinol pensou e decidiu contar a ela sobre a União das Bruxas que Sua Alteza estabeleceu, a guerra com Duque Ryan e a corrida política após a recuperação de Forte Cancioneiro. Se Speer pudesse entender a situação das bruxas, Rouxinol tinha esperanças de que ela não resistiria muito quando Sua Alteza unisse o Reino de Castelo Cinza.

Só que, de repente, elas ouviram um barulho na janela, como se fossem bicadas.

— Mas o que…  — Speer olhou para Rouxinol em choque.

Rouxinol abriu a janela. Era Maggie agachada do lado de fora.

—  Perigo, pruu! Raio detectou um problema, pruu!

— O que houve?

— Uma tropa de soldados do Exército do Julgamento está correndo em direção ao castelo, pruu! — A pomba batia as asas enquanto dizia — Há pelo menos vinte deles, pruu!

— O Exército do Julgamento da Igreja? — Rouxinol se virou e franziu a testa — Você convocou eles?

— Não… eu não tenho compromisso com o padre da igreja hoje. — A Marquesa parecia particularmente intrigada — Será que vocês foram descobertas?

— Isso é impossível. — Rouxinol balançou a cabeça — A menos que a Igreja tenha a capacidade de monitorar todos os pássaros no céu.

— Que estranho. — Speer murmurou — Se eles estivessem vindo até mim, não precisariam de tantos guerreiros assim. É praticamente todo o destacamento!

— O que você está esperando? Eles estão quase na entrada! — Uma figura dourada disparou pela janela e pousou levemente ao lado de Rouxinol. Era Raio.

— Não sei bem o que está havendo, por isso sugiro que você os evite. — Rouxinol disse — Ou peça aos guardas que os detenham fora do castelo e descubram por que estão aqui antes de prosseguir.

— Este é o meu castelo. Onde eu me esconderia? Não se preocupe, essas pessoas não podem entrar sem minha permissão. Caso contrário, eu não teria sido capaz de proteger as bruxas. — Speer suspirou — No entanto, esta reunião já pode terminar por aqui… se você não estiver com pressa, eu acho…

Antes que ela pudesse terminar a frase, uma série de passos caóticos foi ouvida logo abaixo do castelo. O som das espadas lutando podia ser ouvido claramente ecoando nas montanhas. A expressão facial da Marquesa se alterou.

— Quem os deixou entrar? Guardas!

Speer chamou alguns nomes, mas ninguém respondeu do lado de fora. Sons de passos ficavam cada vez mais próximos.

— Parece que eles estão aqui para capturá-la. — Rouxinol fez um gesto para Raio, indicando que ela deveria sair primeiro — Você ainda tem tempo para sair, nós podemos te proteger.

— Eu não vou a lugar algum. Este é o meu território, como eles poderiam ser tão presunçosos…

Ela mal terminou de falar quando a porta foi derrubada por um grupo de guerreiros do Exército do Julgamento fortemente armados. A Lady foi cercada por guerreiros segurando suas espadas e escudos.

Rouxinol se escondeu na névoa, dando um passo para o canto, onde era conveniente para escapar e adequado para observar a situação. Ela notou que nem Raio nem Maggie foram embora. Raio estava espiando com a cabeça para fora do topo de uma janela, e Maggie estava simplesmente agachada em uma viga, limpando suas asas.

Mas essas duas pirralhas imprudentes! Quando voltarmos, vou pedir a Sua Alteza para dar uma boa lição disciplinar… — Rouxinol balançou a cabeça impotente e desviou os olhos para os guerreiros do Exército do Julgamento. Cada um deles usava uma Pedra da Retaliação Divina. Os buracos escuros estavam entrelaçados e totalmente obscurecidos pela lança. Ela só podia ouvir a repreensão irritada da Marquesa.

— Redwyne, você está louco? Você os deixou entrar no meu castelo sem permissão?

— Claro que não, cara irmã. — A voz de um homem se elevou dentro do grupo de guerreiros — Nosso pai estava errado em dar o título a uma serva do diabo. Estou simplesmente corrigindo o erro dele.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

4 Comentários

  1. Só não gosto dessas reviravoltas mentirosas! Se ele ia trair ela que seja em um momento diferente do encontro com as bruxas

  2. Com certeza a Rouxinol vai matar esse cara, afinal ela também foi traída pelo irmão, o que não pode ser uma coisa boa de se presenciar uma segunda vez…

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!