LAB – Capítulo 511

Sussurros ao anoitecer

Rouxinol jazia perto da janela e observava a cidade sob o céu noturno.

Sombras escuras se espalhavam sob a escuridão e delineavam o contorno das muralhas da capital. Sob a luz, as três muralhas mostravam algumas pequenas diferenças. A muralha do palácio mais próxima era de uma cor cinza claro, iluminada por tochas de resina. De relance, parecia um cinto de joias com áreas sobrepostas de luz e escuridão.

Mais ao longe ficava a muralha interna, que era cinza misturada com preto, e parecia uma longa cobra que serpenteava a cidade. Mesmo depois de ter um novo governante, o centro da cidade ainda mantinha seu esplendor. Foi a primeira vez que Rouxinol viu um lugar mais movimentado e animado que Vila Fronteiriça. Essa guerra breve, mas feroz, não produziu nenhum efeito sobre os nobres e os ricos, de modo que eles ainda se permitiam ficar alegres e festejar à noite.

No entanto, para além, o céu ficava subitamente mais escuro, como se toda a luz estivesse bloqueada pela muralha interna da cidade. A escuridão cobria tudo, incluindo a mais esplêndida muralha, a mais distante, onde Rouxinol via apenas algumas pedras brilharem da luz da lua. A periferia se parecia como na maioria das cidades que ela havia visto antes, sempre silenciosas depois que a noite caia. Na vasta escuridão, as luzes do centro da capital pareciam um pouco parcas, mas não impedia as pessoas de dançar e cantar. Por alguma razão, Rouxinol de repente pensou em como os seres humanos estavam encurralados nesta parte do continente, e as vastas Terras do Amanhecer estavam sendo devoradas pela escuridão pouco a pouco. Havia demônios e bestas malignas que se escondiam, mas a maioria das pessoas não tinha ideia e ainda participava do pouco entretenimento disponível.

— Ufa, eu já estou pra lá de cansada. — A voz de Wendy interrompeu os pensamentos de Rouxinol, quando a bruxa ruiva esfregou os ombros e se deitou ao lado dela perto da janela.

Rouxinol perguntou:

— Elas já dormiram?

— Sim. Elas finalmente se cansaram depois de toda a comoção que causaram hoje. — Wendy bocejou — Eu não sei de onde vem toda essa energia delas. Elas voaram em volta de balões de hidrogênio o dia inteiro e ainda quiseram ouvir uma história antes de ir para a cama. — Wendy terminou.

— Você deveria agradecer a Sua Majestade por isso. — Rouxinol riu — Se ele não as tivesse posto de castigo para fazer exercícios, temo que elas sairiam para explorar a noite em vez de ouvir sua história. — Rouxinol se virou para olhar através do vão entre a sacada e o quarto e viu Maggie debruçada sobre Raio, com seus longos cabelos cobrindo todo o corpo da garotinha loira — Elas realmente se dão muito bem.

Já que os quartos do palácio real eram mais espaçosos e cada sala de estar era acompanhada por dois quartos. As bruxas que seguiram Roland nessa expedição dormiam nos quartos, sendo cada quatro bruxas em cada quarto. Estes quartos eram os lugares mais esplêndidos em todo o Reino de Castelo Cinza. Os tapetes e roupas de cama nos quartos eram todos feitos de materiais excelentes, alguns dos quais Rouxinol reconhecia, como veludo e seda. Outras coisas eram feitas de materiais que ela nunca tinha visto antes.

— Sim. — Wendy também sorriu gentilmente — Eu ouvi de Lady Tilly uma vez que Maggie costumava se transformar em um pombo e dormia enquanto se agachava no telhado. Qualquer barulho a acordaria e ela sempre manteria a forma de pombo para escapar de quaisquer possíveis perigos. Agora, ela finalmente pode ter um sono tranquilo como uma menina normal. — Wendy parou por um tempo e depois continuou, bastante emocionada — Nós realmente temos muita sorte.

Rouxinol não respondeu a ela… Afinal, ela não precisava. Todas as bruxas da Associação Cooperativa das Bruxas que sobreviveram se sentiam da mesma maneira. Quando estavam lutando entre a vida e a morte, o Lorde de Vila Fronteiriça foi quem se aproximou delas e prometeu-lhes um novo mundo. Agora, suas irmãs conseguiam ver a esperança se aproximar, como se esse novo mundo estivesse ao alcance de seus dedos. A Montanha Sagrada, que elas perseguiram por centenas de anos, tornara-se uma realidade, e a gratidão e reconhecimento que elas tinham por Roland não poderiam ser expressadas em poucas palavras.

As duas bruxas caíram em um longo silêncio até que o sino da meia-noite soou ao longe, e Wendy disse:

— Você quer voltar e fazer uma visita?

Rouxinol perguntou confusa:

— Voltar para onde? — Rouxinol estava um pouco sonolenta.

— Para a Cidade da Prata, sua cidade natal. — Wendy apontou para o sul — Está a apenas meio dia de viagem daqui. Se você deixar Maggie te levar, não demoraria nem uma hora. Você tem um irmão mais novo vivendo lá, certo?

Rouxinol não pensou que Wendy traria esse assunto à tona, e depois de um pouco de hesitação, ela balançou a cabeça e explicou:

— Enquanto restauramos a ordem da cidade, há potenciais inimigos em todos os lugares. Então eu não posso deixar Sua Majestade agora. Além disso, quando todas as coisas no Reino de Castelo Cinza estiverem resolvidas, vou ter muitas oportunidades de visitar a Cidade da Prata. Não tenho pressa.

— Eu pensei que você diria que já não faz mais parte da Família Gilen, assim como disse no passado. — Wendy disse aliviada — Parece que… você não odeia mais o seu irmão mais novo, não é?

— Pensando bem, se ele não tivesse me traído, eu não teria te conhecido, muito menos Sua Alteza. — Rouxinol sorriu — Você sempre me disse que se livrar dos pesadelos do passado não significa separar-se do passado. Agora eu finalmente entendi a segunda metade da frase. Mas está tudo bem, desde que eu viva uma vida melhor do que antes.

— Realmente… belo provérbio. — Wendy levantou a sobrancelha — Eu não sabia que você decorava essas frases.

— Então não precisa ficar preocupada, eu não vou sair de fininho, tudo bem? Pode dormir em paz. — Rouxinol disse enquanto segurava as mãos de Wendy — Já está tarde.

— Uhum. — Wendy suspirou enquanto ambas engatinhavam na grande cama, e Wendy convocou uma leve brisa para apagar a vela — Boa noite. — Ela disse baixinho.

— Boa noite. — Rouxinol respondeu.

Depois que Rouxinol teve certeza de que Wendy estava dormindo, ela levantou-se da cama, entrou na névoa e caminhou até o quarto de Roland.

Agora era a vez dela.

A escuridão estava ao seu lado.

No dia seguinte, Roland recebeu boas e más notícias de Machado de Ferro. A boa notícia era que, após uma noite de interrogatório, o sacerdote Ferry finalmente admitiu o plano de Hermes de substituir secretamente Rei Wimbledon III e emitir o Decreto Real sobre a Seleção do Príncipe Herdeiro.

A má notícia era que a Igreja tramara essa guerra há muito tempo, para que pudessem enfraquecer o potencial militar do Reino de Castelo Cinza e ocupá-lo mais rapidamente. Eles realmente ocuparam muitas áreas, como as duas províncias no sudeste do reino. Se Cheng Yan não tivesse atravessado o espaço-tempo para se tornar o príncipe Roland, este plano provavelmente já teria destruído o Reino de Castelo Cinza.

— Gravou tudo isso? — Roland perguntou a Theo, que estava ao lado dele — Então espalhe essa notícia, especialmente sobre as verdadeiras intenções da Igreja e a colaboração de Timothy com eles. Quanto mais detalhes você divulgar, melhor. Eu quero que todos os cidadãos da capital saibam o que eles fizeram.

— Sim, Vossa Majestade. — Theo respondeu

Então Roland virou-se para Machado de Ferro e ordenou:

— Mande um navio trazer Barov e Kyle Sichi para cá.

Machado de Ferro ficou um pouco envergonhado, o que era incomum da parte dele, mas mesmo assim respondeu:

— Vossa Majestade, trazer o Primeiro-Ministro não será um problema, mas o Alquimista… Será que ele realmente concordará em deixar o laboratório e desperdiçar seu precioso tempo no caminho? — Machado de Ferro questionou.

— Eu vou escrever para o Kyle. — Roland franziu a testa — Há um ditado que diz que se você não voltar e visitar sua cidade natal quando ficar rico, é como usar um terno preto no meio da noite. Qual é o sentido se as pessoas não conseguirem vê-lo? Quando Kyle estava na Cidade Carmesim, sempre competiu com a Oficina Alquímica da capital. Como se costuma dizer, dois bodes de chifre não bebem água na mesma cumbuca, e agora Kyle tem a chance de enfrentar o seu rival, então eu não acredito que ele não venha para cá.

Esta também é uma boa oportunidade para alistar todos os alquimistas da capital de uma só vez e fazê-los me servir. — Roland pensou.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

6 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!