LAB – Capítulo 534

O valor das bruxas

— O que você está fazendo?

— Solta ela!

Ouvindo tantas queixas, Iffy sorriu maliciosamente e levantou a mão direita. A gaiola desapareceu e Maggie caiu no chão.

— Maldita! — Uma silhueta dourada voou rapidamente em direção a Iffy. Era Raio!

No entanto, assim que Iffy levantou o punho, a gaiola mágica prendeu Raio. Era impossível para ela tocar Iffy mesmo estando a apenas um braço de distância.

— Suma daqui. Isso não é da sua conta!

Iffy lançou a gaiola com raiva para o lado, fazendo-a rolar pelo chão. Raio se debateu dentro da gaiola até que saiu da área que Iffy poderia controlar seu poder mágico, libertando-se da gaiola mágica.

Raio limpou a sujeira do rosto e estava prestes a se dirigir a Iffy novamente, quando viu Roland caminhando na direção de Iffy com a mão erguida.

*Paft!*

A bofetada deixou todos atordoados, especialmente Iffy.

Ela não se incomodou em cobrir a bochecha vermelha e olhou para Roland, incrédula. Depois de um momento, ela se abaixou lentamente sobre um joelho e disse:

— Perdoe-me por minha falta de boas maneiras, Vossa Majestade.

Roland também ficou surpreso com suas próprias ações. Ele jamais pensou que um dia daria uma bofetada em uma garota, mas ao ver Maggie cair no chão, a sua raiva chegou em tal limite, que ele deu um passo à frente inconscientemente, como se testemunhasse sua própria filha sendo intimidada por algum valentão.

— Porque você fez isso? — Roland gritou para Iffy.

— Vossa Majestade, o potencial dela irá aumentar consideravelmente durante uma crise, dando-lhe muito mais força. Eu só quis que o senhor tivesse resultados precisos. — Iffy disse em uma voz fria como se todo o ocorrido fosse algo trivial — Parece que até mesmo uma bruxa não combatente que evoluiu seu poder ainda não pode competir com uma bruxa combatente.

Roland ficou chocado, sem fala e pensou — O que a fez pensar que é razoável machucar sua própria companheira apenas pelos resultados do teste? Em que tipo de ambiente ela viveu?

Roland então se virou e olhou para Wendy, que já estava carregando a menina de cabelos brancos em seus braços.

— Como ela está? — Ele perguntou.

— Ela está bem. Ela não está gravemente ferida, exceto por algumas vermelhões e inchaço. — Wendy respondeu. Ela levantou uma das mangas de Maggie com uma expressão de ódio, revelando hematomas vermelhos no braço devido à força da gaiola mágica.

— Pruu… — Maggie enterrou a cabeça nos braços de Wendy, parecendo bastante entristecida.

— Relaxe, Majestade. — Iffy disse — Estou sempre ciente de quanto poder utilizo. Ela irá se recuperar em dois dias e esses inchaços…

— Peça desculpas a ela! — Roland a interrompeu com raiva.

Iffy abriu a boca em surpresa e corou de vergonha.

— Sinto muito, Vossa Majestade.

— Não, você não deve pedir desculpas a mim. Peça desculpas a Maggie!

Iffy mordeu os lábios e abaixou a cabeça, sem dizer uma palavra. Olhando para Iffy, que insistia em não se desculpar com Maggie, Roland sentiu-se tão aborrecido que queria rir.

Parecia que a situação em Ilha Adormecida era pior do que ele imaginava. Se as bruxas da Associação Presa de Sangue se atreviam a se comportar assim no território de um Lorde, devem ser ainda mais arrogantes em Ilha Adormecida.

Roland agora se encontrava em uma situação embaraçosa. Ele não podia mudar a atitude de Iffy em relação às bruxas auxiliares, tampouco mandá-la de volta à Ilha Adormecida. Ele acreditava que não importava o quanto ele punisse Iffy, ela nunca veria nada de errado com seus próprios atos e atitudes. Se ele simplesmente a castigasse e pedisse para ela voltar para casa, ele perderia a confiança de Tilly porque não resolveria o problema de Ilha Adormecida. Ele prometera a Tilly que ela sempre poderia contar com a sua ajuda.

Roland teria que quebrar o orgulho que Iffy tinha de seu poder, para que ela percebesse sua culpa.

— Você acha que é mais poderosa que as bruxas não combatentes, então você pode desprezá-las, não é? — Roland perguntou com uma voz fria e direta — Você não é tão forte.

Ouvindo isso, Iffy prontamente olhou para ele desafiadoramente.

— Você acha que as bruxas combatentes são superiores às bruxas auxiliares porque é você quem pode proteger suas companheiras, certo? — Roland disse — Isso é ridículo. Você não pode vencer uma luta sozinha.

Iffy franziu a testa com força e parecia muito zangada.

— Vossa Majestade, o senhor quer dizer que uma bruxa auxiliar pode me derrotar?

— Sim, isso mesmo. Você não acredita? — Roland zombou — A maioria das bruxas na União das Bruxas pode facilmente derrotar você, mesmo que não usem seu poder mágico. — Roland olhou para Raio, que estava de lado, surpresa por suas palavras a princípio. Ela rapidamente entendeu e acenou para ele.

— Só na sua cabeça, Vossa Majestade.

— É mesmo? Então que tal um duelo entre você e Maggie? — Roland disse em uma voz grave — Ela lhe mostrará por que você nunca deve desprezar as bruxas auxiliares.

— O quê? — Os olhos de Iffy se arregalaram de surpresa — O senhor quer dizer uma briga entre eu e essa pomba estúpida?

— O duelo está marcado para amanhã! — Roland disse cada palavra devagar — Você verá que não é tão forte quanto pensa.

Voltando ao castelo, as bruxas viram o almoço esperando na mesa da sala de estar. Havia sopa de carne, pão, cogumelos e legumes cozidos. Aparentemente, elas não precisavam ir ao saguão para almoçar.

— Uau! Temos carne e pão? — Pluma disse surpresa, enquanto olhava para os pratos — Eu pensei que só iríamos tomar água gelada.

— Será que isso é para o duelo? Ele não quer que eu lute com fome? — Iffy zombou — Ele tem muita fé naquele pássaro estúpido.

— Talvez os pratos estejam com algum veneno ou algo do tipo, como laxantes. — Pluma sugeriu.

Completamente ignorando as palavras de Pluma, Iffy pegou um pedaço de pão e enfiou-o na boca.

— Se você está realmente preocupada com isso, então não coma.

— Eu não me importo. Não sou eu quem vai duelar. — Pluma revirou os olhos, subiu para se sentar em um banquinho e pegou um prato de cogumelos assados — Ei, você tem mesmo que fazer isso? Lady Heidi nos pediu para investigar a situação por aqui, mas ela nunca lhe disse para irritar o Lorde.

— É uma oportunidade excitante! — Iffy disse.

— É mesmo? — Pluma perguntou com grande interesse — É por essa razão que você está fazendo isso?

Iffy virou-se e olhou para Pluma friamente até a menininha abaixar a cabeça e murmurar.

— Tudo bem, deixa pra lá.

Desde que um certo grupo de bruxas de Ilha Adormecida retornara da Região Oeste, a atmosfera ficou péssima para a Associação Presa de Sangue. De acordo com as bruxas que retornaram, o irmão mais velho de Lady Tilly havia estabelecido um domínio onde as bruxas podiam viver como pessoas comuns e até mesmo as bruxas auxiliares eram bem tratadas. Essa história deixou as bruxas auxiliares inúteis de Ilha Adormecida muito animadas. Lady Heidi pensou que foi Tilly quem inventou essa história para ganhar o apoio das bruxas auxiliares, que eram muitas. Um Lorde naturalmente valorizaria mais as bruxas combatentes, elas poderiam conquistar e trazer terras e poder para ele.

Durante o teste de hoje, no entanto, Iffy ficou realmente surpresa ao descobrir que este Lorde, em particular, parecia tratar todas as bruxas igualmente. Mas isso não foi o que mais a surpreendeu. Ela ficou mais surpresa com Maggie.

Iffy não pôde acreditar que um pássaro estúpido que mal conseguia falar como gente normal fosse tão popular entre as bruxas e apreciado pelo Lorde, e que todos estivessem realmente radiantes com um sorriso no rosto quando viram aquela bruxa estúpida. Em Ilha Adormecida, Maggie era apenas um animal de estimação, uma bruxa completamente dispensável!

Ao ver Maggie, Iffy se encheu de raiva e ciúmes. Ela achava que o fato de Maggie ter saído de Ilha Adormecida era uma traição, e o pior foi vê-la vivendo feliz junto com as bruxas daqui.

Essa foi a verdadeira razão pela qual Iffy havia sugerido o nome de Maggie.

No entanto, as coisas realmente saíram do controle.

Iffy ainda achava difícil de acreditar que Sua Majestade tivesse feito uma sugestão tão ridícula e organizado um duelo entre ela e uma pomba. Obviamente que ela precisava aceitar o duelo. Afinal, obter informações sobre a Região Oeste era uma de suas tarefas. A outra tarefa era atrair a atenção do Lorde mostrando seu valor e habilidade.

Ela estava confiante de que poderia deixar claro a Sua Majestade que havia uma enorme lacuna entre as bruxas combatentes e as fracas bruxas auxiliares.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

2 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!