LAB – Capítulo 536

Sonho (Parte 1)

— Annie, estou cansada. — Iffy reclamou.

— Espere um pouco mais. Estamos quase lá. — Annie respondeu.

Elas estavam andando no cascalho duro. Cada passo que elas davam era extremamente doloroso, com as pontas das pedras de cascalho furando seus pés. Iffy realmente queria parar, mas Annie a puxava para a frente com força e apertava sua mão com mais força ainda. Mesmo com todos esses percalços, Annie não diminuía o ritmo, não importando se estavam atravessando os arbustos e os espinhos ou o riacho gelado. Olhando para suas costas, Iffy a enxergava tão determinada como uma montanha.

— Annie, estou muito cansada… — Iffy implorou novamente.

Ela sentiu como se as solas de seus pés estivessem em chamas, seu corpo inteiro estava em constante dor e seu peito apertava cada vez mais, não importava o quanto ela respirasse. Ela sentiu como se estivesse morrendo.

Annie suspirou suavemente, inclinou-se para a frente para escutar o chão e apontou para uma pedra erguida não muito longe e disse:

— Vamos descansar ali.

O último traço de força surgiu do fundo do coração de Iffy quando ela soube que era hora de descansar. Ela cerrou os dentes e caminhou rapidamente para a rocha gigante e desabou ali mesmo. Sua vontade naquele momento era ficar ali deitada por toda a eternidade.

Annie não se sentou imediatamente. Ela cercou ambos os lados da rocha com os galhos quebrados que encontrou por perto, camuflando o local. Parecia um ninho aconchegante com ambos os galhos e a rocha natural inclinada como teto. Infelizmente, elas ainda estavam em um terreno irregular e rochoso que machucava seus corpos. Além disso, o pequeno espaço não era grande o suficiente para ambas se deitarem.

— Agora que estamos tão longe, a Igreja não nos encontrará.

— Não abaixe a guarda, e ainda não estamos longe o suficiente.

Annie é tão alerta quanto um gato selvagem, sempre com as orelhas atentas, ouvindo e monitorando tudo ao seu redor. Não, ela era muito mais resistente do que um gato selvagem. Ela está acostumada com a dor e comparada com o cruel Exército do Julgamento, Annie é mais como um predador silencioso. — Iffy pensou e perguntou:

— A Associação Presa de Sangue… realmente existe?

Elas eram duas das cinco bruxas que procuravam a Associação Presa de Sangue. Depois de deixar a Fortaleza de Pedracinza, elas foram interceptadas pela Igreja, então decidiram agir separadamente. Iffy estava fugindo para o leste por três dias e três noites antes de esbarrar em Annie, enquanto as outras já estavam fora de contato.

— Claro. — Annie disse enquanto esfregava os dedos dos pés — Ouvi dizer que elas estão na ilha Dente de Lobo, do outro lado do mar.

— Mas, como vamos cruzar o mar?

— Basta a gente caminhar em direção à costa e procurar por um barco. — Annie tentou se consolar — Não se preocupe, apenas confie em mim.

— Tudo bem. — Iffy respondeu suavemente.

Annie pegou um pedaço de pururuca seca de sua trouxa e segurou-a nas mãos. Um pouquinho de fumaça branca surgiu instantaneamente enquanto a pururuca ficava quente e macia como a nuvem.

— Vamos comer agora e continuaremos a viagem depois. — Annie disse.

Essa era a habilidade de Annie, cujas palmas podiam incendiar os galhos e gravetos, além de cozinhar a comida. Iffy devorou a pururuca como um lobo e depois ficou salivando ao olhar a pururuca na mão de Annie.

Annie sorriu e jogou metade da sua para Iffy, dizendo:

— Pode comer. Eu não estou com muita fome ainda.

Assim que Iffy acabou de comer e lamber cada um de seus dedos, já era hora de continuar a jornada. Iffy estava lutando para se levantar, mas antes que pudesse sair da caverna improvisada, os galhos em volta começaram a tremer.

Não foi o movimento oscilante do vento de outono, mas uma série de tremores leves e acelerados, como se algo estivesse vindo em sua direção.

Os olhos de Annie instantaneamente se arregalaram de medo e ela disse:

— São cavalos! Eles estão se aproximando de nós a cavalo! Vamos!

Iffy sentiu como se estivesse sendo puxada para cima e começou a correr subconscientemente. A dor em seus pés, devido ao cascalho pontiagudo, voltou com força. Como o corpo dela realmente não se recuperou, ainda estava difícil para ela ficar de pé, quiçá começar a correr.

Ela se virou e viu mais de dez cavalos galopando ao longe da praia rochosa. A velocidade deles não era muito rápida, pois, talvez, os soldados não queriam machucar os cavalos no cascalho. No entanto, ainda era rápido o suficiente para pegar as duas que estavam correndo descalças.

Iffy pensou que elas não podiam escapar. Ou melhor, ela não podia escapar. Então, ela soltou a mão de Annie e disse:

— Vai indo na frente!

— Eu vou levar você comigo!

— Você não pode correr rápido o suficiente desse jeito!

— Fique quieta e seja rápida!

O Exército de Julgamento com seus cavalos enormes se aproximava, enquanto Iffy hesitava. Ela notou que alguns deles levantaram suas bestas de mão e outros já se preparavam para atirar suas lanças.

O cascalho irregular de repente desmoronou naquele momento e os cavaleiros que estavam à frente caíram no buraco, gritando. O pelotão se apressou em se espalhar para evitar a armadilha, mas os cavalos de repente se ajoelharam no chão, um a um. Um grupo de silhuetas vestidas de vermelho apareceu inesperadamente na frente dos soldados da Igreja como se estivessem se levantando do chão. A chuva de flechas pegou o Exército do Julgamento desprevenido, pois os inimigos estavam muito próximos. Os soldados que tiveram a sorte de evitar as flechas não puderam escapar e foram caçados na emboscada. Mais de 10 soldados da Igreja jaziam mortos na praia de pedras em questão de segundos.

Depois disso, eles rapidamente tiraram as armaduras dos soldados, levando sua comida e bagagem secas, junto com as Pedras da Retaliação Divina.

Um deles caminhou em direção a Iffy e Annie.

— Vocês estão procurando pela Associação Presa de Sangue?

— Como você sabe? — Iffy perguntou surpresa.

— Sim, meu senhor. — Annie rapidamente beliscou a mão de Iffy e continuou — Nós duas somos bruxas. As outras três de nós se perderam pelo caminho. Você poderia, por favor, ajudá-las?

— Nós não temos pessoas para ir atrás das outras bruxas. —Ao tirar o capuz, a silhueta revelou ser uma mulher de cabelo curto vermelho-fogo — Se suas parceiras não conseguirem chegar aqui sozinhas, elas não estão qualificadas para integrar a Associação Presa de Sangue. — A mulher fez uma pausa e continuou — É claro que nem todo mundo que chega aqui pode se juntar à Associação Presa de Sangue também.

Iffy podia sentir que Annie estava segurando a mão dela com mais força.

— Quais são suas habilidades? Mostrem-me.

Depois de ver suas habilidades, a ruiva olhou para Iffy e assentiu.

— Você pode ir para a Ilha do Arquiduque. — E então ela olhou para Annie e disse — Mas você não.

— Por quê? — Iffy perguntou.

— Mas, eu… — disse Annie.

— Eu vou enviar você para outra associação de bruxas, mas não para a Associação Presa de Sangue. — A ruiva interrompeu Annie com uma voz fria e dura — Você não pode se tornar uma bruxa combatente, e a Associação Presa de Sangue não precisa de uma cozinheira.

— Por que você está chorando? — A mulher ruiva impacientemente censurou Iffy — A Lady vai ficar com raiva se vir você chorando.

— Eu… quero estar com a Annie…

— Você é realmente uma pirralha sem futuro, aquela bruxa é só um peso descartável.

— Não, ela não é! Ela me salvou! — Iffy engoliu as lágrimas e disse — Annie é a verdadeira bruxa combatente que você precisa…

— Pfft… se você é uma bruxa combatente ou não, já está determinado pela habilidade que você tem ao se tornar uma bruxa, e não porque você tem membros fortes. — A ruiva disse implacavelmente — Você acha que ela é mais poderosa do que você, mas ouça bem, você só acha isso porque ela é cinco ou seis anos mais velha que você. Na verdade, você tem muito mais potencial que ela.

— Para onde… você vai mandar Annie?

— Isso não é da sua conta!

Iffy sentiu vontade de chorar de novo.

A ruiva franziu a testa e disse:

— Ouça, a Lady não gosta de covardes. Você não pode falar sobre o passado se quiser sobreviver na Ilha do Arquiduque.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

5 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!