LAB – Capítulo 548

Ludibriando os demônios

O Observador levou Wendy e Sylvie para o Mar Agitado, enquanto Raio e Maggie pairavam em cada lado do cesto, esperando para pegá-las sempre que necessário.

Como sua missão não era investigar a Comunidade de Demônios, elas não voavam muito alto. Assim que sobrevoaram a neve, Sylvie pôde olhar diretamente através das rochas e penhascos ao longo da margem e avistar o Demônio Multi-Olhos no topo da Pagoda de Pedra Negra.

De acordo com Agatha, Demônios Multi-Olhos não precisava realmente “ver” as pessoas, porque eles podiam sentir e localizar seus inimigos ao serem notados. Ninguém poderia escapar de seu escrutínio, nem seres invisíveis nem os que voavam, a menos que tivessem os olhos vendados. Por causa disso, Demônios Multi-Olhos causaram um grande número de baixas entre os comandos do Exército Abençoado na segunda Batalha da Vontade Divina.

Outra opção era evitar olhar nos olhos de um Demônio Multi-Olhos. No entanto, isso era bastante difícil, devido ao fato de que estes demônios normalmente ficavam no ponto mais alto dos acampamentos.

— Como as coisas estão? Você viu algo? — Raio voou e perguntou a Sylvie.

— Eu preciso me aproximar um pouco mais, porque não consigo focar por muito tempo. — Sylvie respondeu enquanto esfregava os olhos. Ela usava muito poder mágico para olhar através de obstáculos com o Olho da Magia. Sua visão também ficava bastante restrita. Embora tivesse cautelosamente conseguido reduzir sua visão a uma linha reta, ainda assim Sylvie sentiu um pouco de vertigem quando captou os detalhes do despenhadeiro.

— Entendi. — Wendy convocou uma rajada de vento — Aguente firme!

À medida que as rochas iam ficando mais claras, a fina Névoa Vermelha entrava lentamente no alcance de Sylvie. Embora fosse um dia claro, uma nuvem de neblina ainda permanecia ao redor do penhasco, exceto pelo fato de que era uma cor mais clara do que a última vez em que a viram.

Sylvie fixou os olhos mais uma vez na névoa. Desta vez, ela finalmente foi capaz de ver um pouco de terra através da densa névoa. Alguns edifícios em forma de torres se sobressaíam na Névoa Vermelha, e toda a cena era como uma terra deserta.

Logo ela avistou o maior pináculo, a Pagoda de Pedra Negra.

Comparado com a invasão aleatória da última vez, a operação desta vez foi cuidadosamente planejada. Elas primeiro alertariam os demônios de sobressalto e depois os induziriam a lançar um ataque. Ao contrário de Raio, que sempre era animada e cheia de energia, Sylvie queria apenas viver uma vida comum. De maneira nenhuma ela queria ser uma exploradora. No entanto, como estava destinada a lutar na Batalha da Vontade Divina, não havia como ela ficar de braços cruzados, por mais que odiasse guerras. Assim como ela havia prometido a Tilly vir à Vila Fronteiriça com o objetivo de verificar se Roland era manipulado por bruxas, ela obedeceu à ordem da mesma maneira, sem muita hesitação, quando Roland revelou seu plano de ataque.

Afinal, ela viera checar Roland em benefício de todas as bruxas da Ilha Adormecida, e agora ela lutava pela União das Bruxas e todo o Reino de Sua Majestade.

Sylvie respirou fundo e focou sua visão mais para cima.

Em um instante, centenas de olhos apareceram em sua visão. O monstro parecido com uma gelatina preta ainda estava sentado em seu local habitual. Seu corpo parecia estar fundido com o topo da torre como se tivesse crescido da própria pedra. Todos os globos oculares se voltaram para Sylvie simultaneamente. Ela podia até ter um vislumbre de seu próprio rosto naqueles globos oculares preto-gelatinosos!

Por um segundo, todos os cabelos dela se arrepiaram e um calafrio percorreu sua espinha.

— Eles estão vindo! — Sylvie interrompeu seu Olho da Magia e gritou em voz alta.

— Vamos!

— Aooooww! — Maggie imediatamente se transformou em uma besta demoníaca e pairou abaixo do cesto. Sylvie pulou do cesto e aterrissou com firmeza nas costas largas de Maggie, enquanto Raio carregava Wendy de costas e ambas voaram em direção à Floresta das Brumas. Ao contrário da última viagem em que haviam entrado em pânico e com medo, desta vez elas estavam totalmente preparadas. De acordo com o plano, Raio retornaria para onde o balão de hidrogênio vazio estava sozinho e ainda atrairia os demônios para suas armadilhas.

Enquanto isso, Sylvie se virou e olhou para trás.

Cinco pontos negros surgiram no penhasco. Esse número era maior do que o previsto por Agatha, mas ainda estava dentro do limite seguro.

No entanto, ela notou algo incomum com a ajuda do Olho da Magia.

Dos cinco inimigos, apenas quatro montavam bestas demoníacas aladas, e dois destes quatro eram bem diferentes dos habituais Demônios Frenéticos. Eles não eram corpulentos, nem tinham braços fortes. Eles não estavam usando peles de animais ou armaduras, como os Demônios Frenéticos normalmente usavam, mas usavam uma toga colorida que brilhava como um arco-íris. Sylvie não conseguiu identificar do que a toga era feita à primeira vista. No entanto, ela podia ver algo enxameando e contorcendo-se debaixo da toga como numerosas víboras.

As cabeças dos dois demônios eram maiores que as dos Demônios Frenéticos, mas ela não conseguia ver nem olhos nem narizes. Seus rostos eram os tipos mais arrepiantes que ela já vira, como se tivessem sido chamuscados. Pareciam duas grandes cicatrizes, com sulcos vermelhos que se estendiam do meio para fora do rosto.

Quando ela focou seus olhos no último demônio, Sylvie ficou atordoada.

O demônio estava usando uma armadura pesada, mas delicada, com uma espada pesada gigante nas costas. No entanto, ele não ficava para trás, pois voava logo atrás das quatro bestas demoníacas aladas.

Seu rosto estava totalmente coberto por um elmo. Ao contrário do elmo de caveira que os Demônios Frenéticos normalmente usavam, esse elmo em particular era feito de metal, em perfeita combinação com sua armadura. Em ambos os lados do elmo estavam gravados símbolos sofisticados. Vários chifres afiados, que pareciam com as Pagodas de Pedra Negra à primeira vista, saíam de cima. A parte onde seus olhos deveriam estar, na verdade estava brilhando com luz vermelha, fazendo o demônio parecer cruel e agressivo.

Que tipo de demônio ele é? — Sylvie pensou.

Sylvie foi tomada de medo e pavor. Como Agatha nunca lhe disse como lidar com essa situação, ela se perguntou se deveria seguir o plano original.

Sylvie se sentiu terrivelmente desconfortável e seguiu Wendy até a floresta profunda. Quando desceu das costas de Maggie, ela viu uma silhueta dourada surgindo no ar e voou em direção ao balão a uma tremenda velocidade.

Era impossível para ela parar Raio.

Depois de alguma hesitação, Sylvie achou necessário informar Agatha do que descobriu. Ela deu um tapinha nas asas de Maggie e disse:

— Leve-me para a área de emboscada!

— O que há de errado? — Wendy trotou até ela e perguntou — Não deveríamos nos encontrar com o Primeiro Exército?

Elas foram instruídas durante a manobra a deixar o campo de batalha principal e se encontrar com o Primeiro Exército o mais rápido possível após atrair demônios para a emboscada, já que as duas não eram fortes o suficiente para lutar contra os demônios.

— Eu vi alguns demônios estranhos. — Sylvie balançou a cabeça — Os inimigos não são apenas Demônios Frenéticos. Tenho que contar a elas!

— Mas a área de emboscada é bem grande, aooow! — Maggie pousou no chão e se abaixou, aproximando seu rosto de Sylvie — Pode demorar um pouco para encontrá-los, mesmo que você vá.

— Tudo bem. Apenas me leve até lá. — Sylvie pulou para as costas da besta demoníaca e virou-se para Wendy — Você vai se encontrar com o Exército na margem do rio. Eu já volto.

Raio voou o mais rápido que pôde. O vento assobiava em seus ouvidos. Ela viu a terra, os bosques, os rios e as praias logo encolherem e obscurecerem, transformando-se em vários blocos coloridos e linhas distorcidas.

Ela deveria voltar para onde o balão de hidrogênio estava antes que os demônios o fizessem. A fim de atrair a atenção dos inimigos, ela precisava fingir que estava fugindo loucamente.

Quando o vasto oceano gradualmente entrou em sua visão, ela finalmente avistou o Observador, bem como os demônios.

JZanin
Professor de Química, mestre em Ensino de Ciências, jogador de RPG sem tempo e Deodoro Aliguieri nos tempos vagos que não existem mais. ~Strong alone, stronger together!~

3 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!