LAB – Capítulo 606

Pai e Filha

Vila do Vale Profundo, Região Norte do Reino de Castelo Cinza.

Edith já estava esperando no salão quando o Duque Calvin entrou no Castelo da Floresta-de-Jade.

— Minha filha querida…

Ela interrompeu ele impiedosamente.

— Por que você está tão atrasado? A carta que te enviei há um mês dizia para você ajudar o Primeiro Exército com as preparações de guerra. Nós temos que fazer o nosso máximo para atender a todos os requisitos.

— Sim, assim que recebi a carta, notifiquei o Conde Haier e enviei nosso mordomo pra cá para supervisar as coisas. Não foi o suficiente? — O Duque disse com os braços ainda abertos no ar, esperando pelo abraço.

— Claro que não. — Cruzando os braços, Edith disse em desagrado. — Teria sido muito melhor se você estivesse aqui pessoalmente. A guerra contra a Igreja é muito importante. Nós devemos tratar isso com muita seriedade.

— Mas aqui é o domínio do Conde Haier, seria inapropriado…

— Me poupe, pai, o que conhecemos como nobreza está prestes a acabar, e você ainda se importa com essas questões de domínios e feudos? Eu pensei que você havia se tornado mais decidido após a rebelião das famílias Hawes e Lista.

Constrangido, o Duque Calvin disse:

— Eu pensei que minha filha iria pelo menos me abraçar e dizer que sentiu minha falta, ao invés de falar sobre outros assuntos.

— Sério? — Edith riu. — Então não foi o senhor que deu um chilique um dia desses, me chamou de desgraçada cruel, e disse que eu era uma filha ingrata por ter mordido a mão que a alimentou? Se eu não me engano, você até quis quebrar uma xícara, mas desistiu porque ela era muito cara[1].

O Duque engasgou:

— Eu…

Droga, quem disse isso a ela? — O Duque pensou.

Enquanto o Duque ainda pensava numa resposta, Edith se aproximou dele e o abraçou.

— Bem-vindo à Vila do Vale Profundo, pai. Satisfeito?

A fúria do Duque se dissipou instantaneamente. Um misto de sentimentos o invadiu quando ele acariciou a cabeça de sua filha.

Às vezes ele se perguntava como Edith havia se tornado tão talentosa e bonita. Ela era a filha de sua primeira esposa, mas a personalidade dela era bem diferente da de qualquer um da família. Ele até pensaria que Edith não era sua filha se ela não parecesse tanto com a mãe dela.

Ao se abraçarem, contudo, o Duque sentiu novamente a conexão que eles tinham pelo sangue. Ela ainda era a Pérola da Região Norte, que ele havia criado desde menininha.

Após um momento, Edith o empurrou com cara feia e disse:

— Você está fedendo. Sugiro que tome um banho primeiro. Eu trouxe alguns sabões perfumados da Cidade de Primavera Eterna. Tente usar um no banho. É melhor que essência de cássia[2].

— Depois eu faço isso. — Calvin olhou ao redor. — Bem… Onde está o Conde Haier? Por que ele não veio me receber no salão?

— Eu mandei ele voltar pra mansão dele no subúrbio.

— O quê? — O Duque olhou para a sua filha, chocado.

Edith deu de ombros e disse:

— Ele não dá a mínima para a vontade de Sua Majestade, e nem mesmo te obedece, pai. Se eu não tivesse chegado a tempo, muito provavelmente ele teria irritado as tropas avançadas. Nem todo mundo consegue enxergar claramente a situação atual. Muitos deles se recusam a abrir os olhos. Com esse tipo de gente, eu não quero desperdiçar um segundo do meu tempo. A melhor opção é mandá-los para longe.

— Mas ele entregou o castelo e a vila tão obedientemente assim?

— Claro que não, mas eu tenho o Primeiro Exército. — Ela sorriu. — O mesmo exército que conquistou a Cidade Real de Castelo Cinza em um dia, então o que você acha que meia dúzia de cavaleiros podem fazer?

Eu não sei se estou imaginando coisas ou não, mas Edith mudou muito nesses dois meses. O sorriso dela é mais sincero, totalmente diferente daquele sorriso falso que ela dava em público. E também tem um brilho nos olhos dela; coisa que eu não vejo desde que ela era uma criança. — Calvin pensou.

Ele percebeu que sua filha amava a vida que tinha agora. Pelo menos ela estava mais feliz do que era na Região Norte.

A mudança fez ele ficar com um pouco de inveja, além de outros sentimentos complicados.

Talvez justo como sua filha havia dito, eles de fato perderam alguns de seus direitos após serem privados de seus status como nobres, mas isso também os libertou de seus territórios.

Agora havia um grande futuro à frente dela. Ela poderia visitar outros lugares além da Região Norte e experimentar uma vida diferente.

Após entrar na sala do lorde, Calvin bebeu duas xícaras de chá preto e respirou fundo.

— Então agora nós devemos ficar aqui e esperar por Sua Majestade?

Edith abriu o livreto de anotações e disse:

— Não exatamente, há muitas coisas que devemos fazer. Precisamos entregar todos os materiais, como comida, cavalos, vestimenta, ervas medicinais e outras coisas para a Vila do Vale Profundo. Na nova carta que eu recebi de Sua Majestade, ele disse que lingotes de cobre e ferro também teriam que ser entregues aqui. Quanto mais, melhor.

Então ele quer pilhar toda a Região Norte? — O Duque pensou. — Você realmente acha que Sua Majestade pode derrotar a Igreja?

— Ele pode não ser capaz de atacar a Cidade Sagrada de Hermes e erradicar totalmente e Igreja. Mas não será um problema para ele deter a invasão da Igreja na Serra do Vento Congelante. — Ela parou por um momento. — O que Sua Majestade mais precisa agora é tempo.

— Tempo?

— Você não viu as fábricas dele, então você não entende o quão poderosa é a Cidade de Primavera Eterna. — Edith olhou para o pai dela e disse. — E não importa quem você seja, um cavaleiro, um mercenário, o Exército de Julgamento ou um fiel fervoroso da Igreja, todos perecem quando confrontados pelas armas de fogo. E as fábricas mantém uma produção contínua de balas. Além disso, leva somente alguns minutos para ensinar um cidadão comum a como manusear uma arma de fogo para matar os inimigos. Após um mês de treinamento, eles podem se tornar soldados e ir para o campo de batalha. E após três meses, eles se tornarão um exército indestrutível.

— O que… você quer dizer?

— Pai, a produção de balas é bem mais rápida que o crescimento de um ser humano comum. É diferente das espadas e armaduras. Um ferreiro com dez aprendizes consegue fazer, por ano, dez conjuntos de armadura e trinta espadas. Por outro lado, uma fábrica consegue produzir milhares de balas em um único dia. Com tamanha produção, não demoraria muito para que todos os cidadãos de uma cidade pudessem usá-las, sendo que uma única bala poderia matar um cavaleiro com a armadura mais pesada.

Calvin abriu a boca, mas não sabia o que dizer.

— É normal que você não acredite em mim. Afinal, essas coisas podem soar um pouco absurdas. Mas eu vi com meus próprios olhos como eles lidaram com os inimigos quando eu participei da Operação Extração de Presas liderada pelo Primeiro Exército. — Edith disse lentamente. — Portanto Sua Majestade irá obter a vitória cedo ou tarde contanto que o Primeiro Exército consiga manter a linha defensiva. E após três meses, a Cidade de Primavera Eterna terá treinado um novo grupo de soldados e produzido as armas que eles precisam. Mas o mesmo não acontecerá com o Exército de Julgamento, que ficará cada vez mais fraco com o passar do tempo.

— … — Após um pequeno momento de silêncio, o Duque abriu as mãos e disse. — Bem, eu vou acreditar no que você disse. Mas por que você não responde às minhas cartas já que tem uma impressão tão boa assim de Sua Majestade? Eu digo… casar com ele.


[1] – Lá no capítulo 571.

[2] – São flores amarelas, conhecidas mundialmente pelo seu aroma especial.

Kabum
Engenheiro Mecânico. Soteropolitano.

4 Comentários

  1. Espera aí, ela leu os pensamentos do pai ou algum mordomo contou a ela que ele xingou e ameaçou quebrar a xícara?

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!