LAB – Capítulo 620

Um Caminho Inevitável (Parte II)

— Diga a Roland Wimbledon sobre o nosso objetivo, a verdade sobre a Batalha da Vontade Divina e o segredo da Igreja… Não, eu digo, o segredo da Aliança. — Isabella disse sem se conter.

Desde que Zero se tornou a nova Papisa, todas as bruxas puras que pertenciam ao Templo Secreto Principal adquiriram a autoridade de acessar à biblioteca e saber sobre os verdadeiros fatos da Batalha da Vontade Divina.

— E se ele não acreditar em nós?

— Ele vai! Leve-o para a Sala de Ilusão na Igreja do Refletir. Assim ele acreditará em tudo que nós dissermos!

— Ou… ele vai achar que é uma armadilha. Você tem certeza que Roland vai dedicar todo o tempo dele para lutar contra os demônios assim que souber a verdade sobre a Aliança? — Zero disse lentamente.

Isabella ficou atônita. Ela abriu a boca, mas não sabia o que falar.

— Nós duas conhecemos os nobres muito bem. Eles só se interessam em expandir territórios, aumentar riquezas e aproveitar a vida. Talvez eles decidam lutar quando a Lua Sangrenta chegar, mas como você pode ter certeza de que um príncipe mimado lutará até o fim ao se deparar com uma situação desesperadora?

Zero segurou a mão de Isabela, caminhou com ela até uma mesa redonda ao lado e continuou:

— Isabella, ele é apenas um mortal frágil e fraco. A vida dele é curta e a força de vontade dele desaparecerá com tempo. Uma peste fria pode facilmente tomar a vida daquele príncipe.  Mesmo que ele acredite em nós e escolha lutar contra os demônios junto conosco, ninguém pode garantir que os sucessores dele farão a mesma coisa. Será que eles estariam mesmo dispostos a darem tudo de si e usarem todos os recursos do reino para participar de uma guerra tão brutal e duradoura? Somente a Igreja pode fazer isso, já que nossos fiéis possuem uma fé firme nas divindades e em nós.

— Pelo menos… Nós devemos primeiramente enviar um mensageiro para falar com ele.

Zero balançou a cabeça e disse:

— Negociações não podem resolver problemas como esse. De fato, devorar Roland custará muito caro a Hermes, mas se submeter a um lorde secular também desmoronará a fé das pessoas na Igreja e destruirá, portanto, a Cidade Sagrada. Roland não nos poupará e também eliminará o Exército da Punição Divina como uma forma de estabilizar a organização de bruxas sob o comando dele. Essas duas escolhas não são muito diferentes em termos de resultados. Dado isso, por que depositar sua esperança num mortal?

Isabella hesitou.

Ela entendeu o ponto do argumento de Zero. Lutar contra o príncipe provavelmente levaria a um cenário em que ambos os lados perderiam, mas se render a ele não o preveniria de buscar vingança pelas bruxas que foram perseguidas por anos. Se ele fizesse isso, a Igreja pagaria um preço muito caro e o resultado também seria catastrófico.

Zero continuou a falar:

— As bruxas podem aprender o conhecimento dos mortais, mas os mortais nunca poderão ter um corpo como o das bruxas. Obtendo vitória em cada Batalha das Almas, eu consigo absorver todo o conhecimento e tempo de vida dos meus oponentes. Com essa habilidade, eu posso permanecer jovem e determinada para sempre e assim evitar que nossos esforços sejam arruinados pelas futuras gerações, independentemente de quão longa seja a Batalha da Vontade Divina. Nos últimos duzentos anos, eu testemunhei muitas pessoas talentosas serem consumidas pelo tempo. Embora fossem brilhantes e bravas quando jovens, todas se tornaram pó no final. Isso por si só já sugere que eu sou muito mais adequada que Roland para confrontar os demônios.

— Mas…

— E mais importante que tudo, EU sou a escolhida das divindades, Isabella. Não importa quem seja meu oponente, eu nunca perco uma batalha. Milhares de almas absorvidas por mim podem atestar esse fato! — Zero enfatizou um fato que não poderia ser refutado.

Isabella deu um longo suspiro.

Ela foi derrotada pelos argumentos de Zero.

— Bem, qual é o seu plano? Se não conseguirmos nos aproximar muito dele, não serei capaz de eliminar o efeito da Pedra da Retaliação Divina para você.

— Não se esqueça dos Sigilos de Alto Nível deixados pela Aliança. — Zero respondeu com um sorriso.

— Ninguém pode usar o ‘Sigilo da Vontade Divina’… e o ‘Sigilo do Infinito’ só pode ser usado uma vez. Você tem certeza de que quer usar o ‘Sigilo do Infinito’ para isso? — Isabella disse, franzindo as sobrancelhas.

Esse sigilo irá virar o jogo contra Roland. Não é um desperdício usá-lo se for para garantir nossa vitória. — Zero disse, parecendo decidida.

— Se eu usá-lo, todo o meu poder mágico será consumido. Não será uma sensação muito boa. — Isabella contorceu os lábios e disse.

Zero assentiu com a cabeça e adicionou:

— Sim, provavelmente você irá desmaiar. Mas isso não causará danos ao seu corpo. Quando eu conseguir entrar em Roland Wimbledon, a guerra logo terminará.

— E se você perder, estaremos acabadas.

Zero rejeitou o que Isabella disse.

— Eu nunca perco. Quando você acordar de seu desmaio, estará deitada numa cama confortável em um dos quartos da catedral.

Com essas palavras, Zero encheu uma xícara de chá para Isabella e a confortou:

— Eu sei que você ainda não está convencida, mas não se esqueça de que você foi criada por mim. Eu te escolhi como a bruxa pura de Sua Santidade O’Brien após seu despertar e te ensinei tudo o que você sabe hoje, incluindo habilidades de combate. Você conhece minha força e minha determinação para derrotar os demônios melhor do que ninguém. Em termos gerais, eu sou a candidata ideal para guiar os seres humanos na iminente Batalha da Vontade Divina.

— Bem… Eu espero que sim. — Isabella deu um gole no chá e disse. — Mas de acordo com os livros, o ‘Sigilo do Infinito’ não é realmente ilimitado, e o poder mágico só poderá se manter efetivo por pouco tempo. Se você, em sua forma de alma, não conseguir apanhá-lo durante esse tempo, não teremos mais outra chance.

— Não se preocupe com isso. Você quer ouvir o meu plano? — Zero disse com um sorriso.

— Recarregue!

— Ângulo 22, posição 13, FOGO!

Imediatamente após a ordem, o Canhão Cancioneiro[1] de 152mm cuspiu chamas alaranjadas pelo cano, e o vento forte criado pela força de disparo levantou a poeira ao redor. Mesmo com os ouvidos tampados, Roland ainda conseguiu ouvir o barulho forte de disparo do canhão.

Os soldados correram para a frente, esticaram o pescoço e olharam para as montanhas distantes, mas não conseguiram ver o ponto onde a munição de artilharia havia caído.

— Aqui é Raio falando, a munição de artilharia… caiu bem no meio da encosta da montanha. Câmbio. — O informe da garotinha chegou aos ouvidos de Roland pelo Sigilo do Ouvir.

— Ótimo, marque no mapa, — Roland respondeu.

Ele estava ocupado coordenando o exercício de disparos a longa distância dos dois novos Canhões Cancioneiros de 152mm, especialmente projetados para atirar ogivas explosivas com detonadores de impacto. Ele começou a fazer isso depois que todos os residentes da Serra do Vento Congelante foram evacuados. Roland planejava usar esses canhões de ultra-longa-distância para realizar, nesta era, o que seria o primeiro bombardeio além do campo de visão.

Roland estava ciente de que ele não poderia confiar nos soldados para corrigir o ângulo dos canhões de acordo com a posição do alvo, então ele usou o método mais básico, que era registrar os pontos nos quais as munições de artilharia caíam. Após cada tiro, ele anotava o ponto de queda e o respectivo ângulo e posição. Com esses registros, Raio indicaria em qual posição e ângulo eles deveriam atirar baseado na localização dos inimigos.

Esses dois canhões especiais conseguiriam estraçalhar os inimigos sem que nem precisassem estar visíveis para os soldados.


[1] — Aqui foi uma escolha de tradução antiga de Zanin que preferi mudar. Os Canhões Cancioneiros não são nada mais que os canhões de artilharia de campanha de 152mm que vocês conheciam antes. O nome em inglês é “Longsong Cannons”, e batizei de “Cancioneiro” por causa de Forte Cancioneiro, que em inglês é Longsong Stronghold. Não sei se Roland fez isso por causa de Forte Cancioneiro, sei lá. Então por questão de escolha e para não me confundir, decidi mudar.

Kabum: Roland para Zero: VEM QUENTE QUE EU TÔ FERVENDO!

Kabum
Engenheiro Mecânico. Soteropolitano.

6 Comentários

  1. Vai ser bem interessante a Zero cheia de confiança em seu mundo de batalha das almas puxando uma espada ou besta contra o Roland e ele convocando um pequeno tanque de guerra ou um lança foguetes

  2. Imaginando Roland no mundo da alma de Zero com tanques segurando uma M61 Vulcan com um monte de mina ao redor dele.
    Enquanto zero segura sua espadinha hahahahhaha

  3. A minha teoria é de que a Zero vai perder pro Roland na batalha das almas e, não só as memórias da Zero como tbm o seu poder, serão absorvidos pelo prota e por ter poder mágico agr ele vai poder engravidar as bruxas e vai terminar com um harem do crlh
    FODA-SE, É ISSO QUE EU QUERO BRASIL!!!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!