LAB – Capítulo 637

Plano de Desenvolvimento

Assim que acordou do Mundo dos Sonhos, Roland pulou da cama. Incapaz de conter sua animação, ele vestiu um casaco e foi direto pro escritório. Ele pegou vários papéis em branco e começou a escrever as partes que faltavam da tabela periódica de elementos e da Química Elementar.

Ele também havia entendido um pouco mais sobre o Mundo dos Sonhos. Primeiro, o tempo lá passava numa velocidade diferente. Isso era fácil de entender, pois um simples cochilo já era mais que o suficiente para se ter um sonho longo e vívido. Roland especulou que isso poderia ser causado pelo aumento da velocidade de resposta do cérebro. Num sonho, seria necessário apenas puxar todas as entradas sensoriais da memória e inseri-las no sonho em si, enquanto na realidade, seria necessário enviar e processar as informações de todos os cinco sentidos.

Tome como exemplo a última viagem de Roland ao Mundo dos Sonhos. Ele havia saído do Mundo dos Sonhos às 3:00 da tarde ao cair de uma escada tesoura direto para a cama antes que Zero voltasse. Naquele momento, ele já havia passado oito horas no Mundo dos Sonhos. Contudo, quando ele acordou no mundo real, ainda era meia-noite e a lua brilhava no alto do céu.

Segundo, seu cérebro havia ficado tão fascinado com o sonho vívido que viajar ao Mundo dos Sonhos não significava “descansar”. Esse era um problema complicado, já que assim ele ficaria ocupado vinte e quatro horas por dia. No dia, ele teria que lidar com assuntos governamentais no mundo real, e à noite, ele precisaria ganhar dinheiro para sustentar “sua família”, ou melhor, ele e Zero, no Mundo dos Sonhos. Ele ficou surpreso ao perceber que ele próprio havia se tornado um dos trabalhadores modelos da Cidade de Primavera Eterna… e também o que mais trabalhava.

Até agora, ele não havia tentado dormir no Mundo dos Sonhos. Devido à diferença no fluxo de tempo, ele supôs que dormir lá seria mais eficiente.

Terceiro, o Mundo dos Sonhos era diferente dos sonhos normais. Esse mundo era claro, estável e tinha suas próprias regras.

Será que o Mundo dos Sonhos tem algum limite de espaço? Algum fim? E quantas informações ocultas ou esquecidas eu vou descobrir lá?

Ele passou a noite em claro, esperando o sol nascer. Após tomar o café da manhã, ele convocou os oficiais de alto escalão da Prefeitura para a sala de recepção do castelo.

Ele precisava checar o progresso do trabalho de cada um, e mais importante ainda, ele queria alavancar o plano de desenvolvimento para o próximo estágio.

Agora que a Igreja não era mais uma ameaça, ele tinha que se preparar para a batalha contra os demônios e dar tudo de si na iminente Batalha da Vontade Divina.

O novo plano de Roland envolvia os outros reinos.

Barov limpou o suor da testa e disse:

— Uhnnn… O senhor quer dizer que devemos recrutar pessoas não apenas do território de Castelo Cinza, mas também de Inverno Eterno e Coração de Lobo? Vossa Majestade, esse é um projeto muito ambicioso.

Roland disse com uma voz profunda.

— A notícia de que a Igreja sofreu uma derrota acachapante logo se espalhará pelo continente. Quando isso acontecer, a Cidade Sagrada de Hermes dificilmente conseguirá controlar os Reinos de Coração de Lobo e Inverno Eterno. Vendo o sinal de fraqueza, muitos nobres locais virarão as costas e se rebelarão. Esse caos nos oferecerá uma excelente oportunidade para atrair os cidadãos desses reinos para Castelo Cinza, oferecendo-os moedas de ouro e tudo mais.

Por não serem influenciados por qualquer forma de nacionalismo, as pessoas desta era não se importavam muito para quem serviam, contanto que pudessem trazer junto suas famílias.

Roland continuou a explicar:

— Na próxima primavera, o porto marítimo da Cidade de Primavera Eterna já estará pronto para uso. Tudo o que você tem que fazer é formular um plano de recrutamento, alugar navios das câmaras de comércio dos Fiordes e encontrar alguma área na cidade que possa acomodar os novos imigrantes. Eu sei que isso custará uma grande fortuna para a Prefeitura, mas não temos outra escolha. Temos que fazer isso custe o que custar. Afinal, você sabe muito bem que a Igreja não é o nosso maior desafio.

Como a Prefeitura já possuía experiências similares, Roland estava confiante de que esse plano ambicioso de expandir a população em pouco tempo daria certo.

Por exemplo, houve muitas vezes em que a Prefeitura enviou delegações de emissários para o Território Sul e Região Leste a fim de recrutar pessoas para a Cidade de Primavera Eterna[1].

Quanto ao trabalho de realocação, a Prefeitura também possuía muita experiência nessa área e um conjunto completo de regulamentos.

A Prefeitura da Cidade de Primavera Eterna já havia se tornado um órgão administrativo confiável e maduro.

Contudo, a Prefeitura não possuía experiência em transporte marítimo. Para isso, Roland pediria ajuda a Trovão e à Câmara de Comércio de Margarete.

— A propósito, para diminuir sua carga de trabalho, contratarei oficialmente a Senhorita Edith Kant para trabalhar como sua ajudante na Prefeitura. — Roland parou por um momento e continuou: — Eu gostei muito do desempenho que ela teve na batalha da Serra do Vento Congelante e do trabalho dela no Departamento de Conselho. Acredito que ela será de grande ajuda para você.

Com uma expressão preocupada e nervosa no rosto, Barov disse:

— Obrigado, Vossa Majestade, mas eu consigo fazer o trabalho sozin…

Roland o interrompeu:

— Eu já decidi. Faça o que eu disse.

Após isso, Roland olhou para Pergaminho e falou:

— A educação também é muito importante no próximo estágio de desenvolvimento. Como foi a capacitação dos professores de ensino médio?

Pergaminho balançou a cabeça e disse:

— Até agora, somente Ferlin conseguiu passar no teste de avaliação. Vossa Majestade, receio que esse método não vá funcionar.

— Entendo. — Roland não ficou surpreso pelo fracasso do plano. A maioria dos professores do ensino básico era composta por cavaleiros, e utilizando os materiais escritos por Pergaminho, eles não tinham nenhuma dificuldade ao ensinar os estudantes a ler e escrever.

Contudo, quando o Ministério da Educação quis melhorar a qualidade dos professores, surgiu um problema. A única razão pela qual os cavaleiros sabiam ler e escrever era porque eles tiveram acesso à educação desde a infância. Ser alfabetizado não necessariamente significava ser bom em estudar.

Para se tornar um professor de ensino médio, eles precisariam ser qualificados em disciplinas que incluíam matemática, física e química, que não eram fáceis de aprender.

Roland pensou por um momento e tomou uma decisão, dizendo:

— Bem… Já sei de onde virão os novos professores de ensino médio. Virão dos próprios estudantes. Para encorajar os melhores estudantes a continuarem seus estudos na escola, precisamos incluir um programa de bolsa de estudos já no próximo ano.

— Bolsa de estudos? — Pergaminho pensou por um momento e continuou: — O senhor se refere ao sistema de recompensa que adaptamos em Forte Cancioneiro?

Roland explicou:

— Não, não mesmo. O sistema de recompensa foi projetado para atrair mais pessoas para a escola, já esse programa de bolsa de estudos recompensa somente os melhores estudantes. O objetivo do programa é fazer com que os melhores estudantes continuem seus estudos na escola, oferecendo-os uma renda mensal como a de qualquer outro trabalhador.

Geralmente, quando um estudante concluía a educação básica universal e pegava o diploma, ele tentava encontrar um emprego para sustentar sua família o quanto antes ao invés de aprofundar seus estudos na escola. Para garantir que os melhores estudantes fossem bem aproveitados, ele tinha que criar um fundo orçamentário, nomeadamente, um programa de bolsa de estudos, para subsidiar essas pessoas.

Roland continuou a explicar seu plano para Pergaminho:

— Primeiro, você deve estabelecer uma nota de corte bem alta para selecionar apenas os melhores alunos, que serão agraciados com as bolsas de estudos. Depois, você deverá trabalhar com Ferlin para ensiná-los. A velocidade de aprendizado deles deve ser muito maior que a dos cavaleiros. Após a capacitação, qualquer um que passe no teste de avaliação estará qualificado para exercer a profissão de professor de ensino médio, cujo salário inicial será de cinquenta moedas de prata, e aqueles que não passarem no teste de avaliação poderão se candidatar para outros trabalhos na Prefeitura.

Assim que o primeiro grupo de professores de ensino médio estivesse formado, ele planejava suavizar os termos do programa de bolsa de estudos e promover o alto nível de conhecimento e educação entre as pessoas.


[1] – Na época que aconteceu isso, a Cidade de Primavera Eterna ainda não existia em nome, mas preferi colocar o nome dela mesmo assim, afinal, Vila Fronteiriça e Forte Cancioneiro já foram unidos.

Kabum
Engenheiro Mecânico. Soteropolitano.

3 Comentários

  1. Com essa nova habilidade ele pode lembrar de todo o conteúdo do ensino médio dele e repassar pra frente.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!