LAB – Capítulo 640

A Hipótese do Mundo dos Sonhos

Isabella abaixou a cabeça levemente, esperando pela sentença em silêncio.

Roland soou calmo.

— Você deveria agradecer à sua própria habilidade, não porque ela é única, mas porque não pode matar ninguém. Não importa o quão criminoso tenha sido o ato em que você esteve envolvida, você era apenas usada como um acessório pela Igreja. Eu posso poupar sua vida, mas você ainda terá que redimir-se pelos seus pecados, assim como qualquer um que tenha violado a lei.

As palavras de Roland retiraram um grande peso da mente dela. Ela não tinha medo da morte, mas também não gostava da ideia de morrer.

— Contanto que o senhor possa derrotar os demônios, estarei disposta a fazer de tudo por Vossa Majestade.

Roland disse lentamente:

— Demônios são inimigos da humanidade. Eu certamente lutarei contra eles até a morte, mas farei isso do meu jeito, e não do jeito doentio da Igreja. Eu não tentarei vencer a Batalha da Vontade Divina destruindo o potencial dos seres humanos. Por isso, você terá que mudar alguns de seus hábitos. A partir de hoje, você não é mais uma Bruxa Pura da Igreja, e sim uma bruxa que está cumprindo pena.

Zero, você estava errada. Ele sabia sobre os demônios e a Aliança há muito tempo, e até mesmo está preparado para lutar na Batalha da Vontade Divina. De fato, ele era um homem comum cuja vida e crença chegariam ao fim após décadas, mas agora, ele obteve sua longevidade ilimitada. Por causa disso, ele deve ser o verdadeiro escolhido das divindades.

Com esse pensamento, Isabella se ajoelhou com os grilhões ainda nos pés. Ela abaixou a cabeça, fazendo com que seu longo cabelo se espalhasse pelo chão, e disse:

— Sim, meu lorde.

Quando ela se levantou novamente, Roland abriu a boca e disse:

— Aqui não é a Cidade Sagrada de Hermes, e você não é minha serva. Você é apenas uma pessoa que está cumprindo uma pena, mas eu não vou te mandar para as minas para fazer trabalho pesado por vinte anos. Tudo o que você terá que fazer é cooperar com Agatha na pesquisa sobre o poder mágico.

Isabela ficou atônita, perguntando-se:

Isso é tudo o que eu tenho que fazer por ele?

Roland continuou a dizer:

— Sua pena será de cinco anos. Pedirei a Wendy que prepare uma moradia para você, e durante esse período, você não terá que usar nenhum grilhão ou algema, mas sua liberdade será limitada. Para deixar mais claro, além de sua moradia e da Torre da Magia de Agatha, se você quiser ir a qualquer outro lugar, terá que pedir permissão à União das Bruxas.

— Sim, entendo.

— A propósito, você tem certeza de que não há nenhuma outra bruxa na Cidade Sagrada? — Roland perguntou.

Ela havia respondido a essa pergunta muitas vezes desde que se tornou prisioneira. Ela pensou por um momento e balançou a cabeça, dizendo:

— Para esta batalha decisiva, Zero usou todas as bruxas julgadas inúteis para produzir Guerreiros da Punição Divina e levou todas as outras bruxas para o campo de batalha. Ainda há várias garotas nos conventos, mas o despertar de bruxas raramente ocorre perto dos Meses dos Demônios. Vanilla, Margie e eu provavelmente somos as três últimas Bruxas Puras da Igreja.

Ao ouvir o que ela disse, Roland não falou mais nada. Ele deu meia-volta e caminhou em direção à porta. A bruxa loira se aproximou e retirou suas algemas e grilhões.

Vendo suas mãos e pés livres novamente, Isabella mal podia acreditar no que havia acontecido.

Essa é minha sentença? Não preciso ficar presa, nem serei torturada ou humilhada. É isso mesmo?

Ela de repente falou:

— Vossa Majestade, e quanto a Vanilla e Margie…

Roland olhou para ela e disse:

— Elas estão numa situação melhor que a sua. Elas apenas foram influenciadas pelas ideias distorcidas dos conventos, e estão longe de serem loucas. Se elas puderem abdicar dessas ideias, poderão até mesmo se juntar à União das Bruxas.

Roland e as duas bruxas foram embora. A porta da cela se fechou mais uma vez.

— Então é isso… — Isabella se sentiu completamente aliviada. Ela se deitou na cama com a luz do sol banhando seu corpo. Olhando para a janela da cela, ela viu o céu azul por trás das barras de ferro.

Que dia adorável. — Ela pensou.

De volta ao escritório, Rouxinol expressou seu descontentamento, dizendo:

— A punição dela foi muito leve. Ela quase te matou.

— Foi Zero que quase me matou, não ela. — Roland passou um pedaço de peixe seco para Rouxinol.

Ela pegou o peixe seco com a boca e murmurou:

— Ela criou uma chance para que Zero te matasse. Caso contrário, Zero nunca teria conseguido te arrastar para a Batalha das Almas.

Roland explicou pacientemente:

— Mas você confirmou que ela realmente deseja lutar contra os demônios, não foi? Ela não cometeu um crime imperdoável, e eu ainda estou vivo. A punição dela foi o suficiente. Ao fazer isso, mostraremos às pessoas que estamos dispostos a “gastar mil moedas de ouro para comprar talentos notáveis[1]“.

— Gastar mil moedas de ouro… para o que mesmo?

— Hmmm… Eu me refiro a efeitos de propaganda. — Roland tossiu duas vezes e continuou. — Ao verem o exemplo de Isabella, mais pessoas entenderão que contanto que não cometam crimes hediondos, terão a chance de redimir-se ao cumprir uma pena. Afinal, nossos inimigos são os demônios. Para aumentar nossas chances de vencer a Batalha da Vontade Divina, fazê-los compensar seus erros com bons serviços é a melhor escolha.

Rouxinol franziu os lábios e disse:

— Bem, eu vou vigiá-la pra você.

Roland caminhou até a janela francesa e lembrou do que Isabella disse.

“Zero me disse uma vez que as memórias absorvidas podiam se dividir em dois tipos. O primeiro tipo era composto por memórias desorganizadas com a consciência residual dos perdedores. Esse tipo de memória seria capaz de afetar a própria Zero. O segundo tipo era composto por memórias completamente abertas para ela. Zero poderia acessá-las a qualquer momento que quisesse. Zero disse que o primeiro tipo de memória era mais difícil de lembrar e mais fácil de esquecer…”

Foi por isso que ela tentou me persuadir repetidas vezes para que eu me rendesse na Batalha das Almas?

Zero não sofria efeitos colaterais ao absorver as memórias daqueles que se rendiam voluntariamente.

Ela esperava que eu desistisse, assim ela poderia obter minhas memórias por completo.

Ele achou que esse processo se parecia com o modo que ele havia possuído o corpo do Príncipe Roland. Ele podia acessar as memórias do antigo príncipe a qualquer momento que quisesse e descartar as partes que ele não precisava. Eram como documentos arquivados. Ele não precisava memorizá-las; era só abrir o “arquivo” que a memória estaria lá, intacta.

Já que o antigo Príncipe Roland havia sido morto pelo assassino de Garcia e não teve força de vontade para resistir à morte naquela época, ele supôs que o antigo príncipe poderia ser considerado um “perdedor” que “se rendeu” na “Batalha das Almas”[2].

Mas e quanto àqueles que lutaram até o fim na Batalha das Almas?

Baseado no que Isabella havia dito, esse tipo de memória que continha a consciência residual dos perdedores seria capaz de afetar a própria Zero. Isso incluía mudar seu modo de pensar, sua personalidade, e até mesmo suas crenças. A absorção de milhares de almas havia transformado Zero numa pessoa completamente diferente do que era antes.

“Você vai pagar por isso!” — Roland se lembrou das últimas palavras de Zero.

Se ela quis mesmo se vingar de mim no final, ela muito provavelmente tentou colocar todas essas memórias malucas em minha mente. Ao fazer isso, ela bagunçaria minhas memórias e corromperia minha personalidade, e eu não seria mais o Roland de antes. Nesta tempestade caótica de memórias, a força de vontade de cada uma dessas almas obstinadas lutaria por predominância em minha mente. E com isso, Zero tentaria voltar novamente. Só que, para o azar dela, eu não sou um homem desta era. A quantidade de informação que uma pessoa da era moderna pode absorver num único dia é o equivalente ao que uma pessoa dos tempos antigos levaria meses ou até mesmo anos para absorver. Já que eu sou um homem moderno da era da informação, consigo ler e memorizar várias informações complexas em pouco tempo. Minha mente consegue preservar as informações úteis e eliminar as inúteis ou prejudiciais por puro instinto. Como resultado, todos os fragmentos de memória foram devorados e reorganizados pela minha mente, criando um mundo completamente novo e estranho, o Mundo dos Sonhos.

Lamentavelmente, ele não poderia confirmar sua especulação com Zero.

Ela havia perdido tudo, incluindo as memórias; e agora não passava de uma criança inocente no Mundo dos Sonhos. Criança essa que agora ele teria que cuidar.


[1] – Deve ser um ditado chinês.

[2] – Aqui foi tipo uma comparação que ele fez, considerando a relação dele com o antigo príncipe. Não levem ao pé da letra.

Kabum
Engenheiro Mecânico. Soteropolitano.

2 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!