LdM – Capítulo 106

Klein, o Artista

Depois das oito da noite, na sala de jantar da família Moretti.

Enquanto olhava para o resto de sopa deixado na tigela, Benson levantou a mão para cobrir a boca e dar um arroto, satisfeito.

— Embora tenha sido a terceira vez que comemos isso, ainda acho delicioso. A acidez e doçura do tomate e a textura al dente da rabada se misturam em um sabor perfeito e único. Klein, é uma pena que a Companhia de Segurança Blackthorn tenha feito que a Cidade de Tingen perdesse um chef tão notável.

Melissa se recostou na cadeira e assentiu em silêncio.

— Isso é porque você ainda precisa experimentar culinária de verdade. — Klein sorriu humildemente. — Se tivermos alguma oportunidade no futuro, vamos ao restaurante Bonaparte, na rua Howes, para uma autêntica culinária Intis, e também ao restaurante Costa do Mar, no burgo Golden Indus, para algumas iguarias do sul.

Tratava-se de restaurantes que sempre saíam nos jornais, onde o custo médio por pessoa era cerca de uma libra e meia.

— Prefiro muito mais a sua comida — respondeu Melissa sem hesitar.

Benson riu e mudou de assunto.

— Mas, pensando bem, sinto que falta algo na sopa de rabada com tomate. Talvez não combine com pão?

Klein assentiu, concordando.

— É melhor quando complementado com arroz.

— Arroz… — murmurou Melissa com uma expressão de desejo.

Tingen, que ficava ao norte, não era considerada uma cidade grande. Fora alguns restaurantes em particular, era difícil ter a oportunidade de comer arroz.

Para Benson e Melissa, esse tipo de comida só existia nas descrições de jornais e livros.

Olhando para a expressão de sua irmã, Klein riu.

— Espere até economizarmos mais seis meses de salário, então poderemos encontrar uma oportunidade para sair de férias para a Baía de Desi e experimentar as iguarias de lá.

A Baía de Desi estava localizada no extremo sul do Reino Loen, e um terço de seu território pertencia ao Reino Feynapotter. Tinha luz do sol em abundância e belas paisagens, e sua paella era bastante famosa.

Antes que Melissa pudesse compartilhar sua opinião sobre como economizar dinheiro, Klein disse:

— Em mais três meses, devo receber outro aumento. Então, poderemos cumprir totalmente nosso desejo de viajar como também de economizar para outras necessidades.

— Por quê? — A atenção de Benson e Melissa foi redirecionada, como esperado.

Klein tossiu levemente e sorriu enquanto explicava:

— Devido ao meu profissionalismo, o departamento de polícia que sempre colaborou com a nossa Companhia pretende me contratar como consultor de história de meio período. Eles irão pagar extra, pelo menos duas libras por semana. Se vocês me virem usando uniforme da polícia no futuro e mostrando minha documentação policial, não fiquem chocados.

— É claro que, como sabem, a eficiência do trabalho nos departamentos governamentais é tão lenta quanto uma senhora de noventa anos. Eles ainda precisam passar por um longo procedimento e precisam também fazer uma inspeção completa em mim. Por isso, nos meus dias de folga nos próximos dois meses, vou para a Universidade de Khoy com certa frequência para ver meu mentor e a equipe de professores que conheço para aprender mais.

Vendo o olhar chocado nos olhos de seus irmãos, ele parou e disse com uma expressão estranha:

— Assim como Imperador Roselle disse: “Nunca se é velho demais para aprender”.

Benson manteve alguns segundos de silêncio antes de dizer com um tom de arrependimento e emoção:

— É tarde demais para eu me matricular na universidade? Conhecimento realmente é riqueza.

E também poder… — acrescentou Klein silenciosamente.

— Benson, você precisa dos livros de gramática e de literatura clássica de Klein — Melissa disse do nada, tirando as palavras da boca de Klein.

A expressão de Benson pareceu mudar. Ele cerrou os dentes e disse:

— Klein, me passe esses livros hoje à noite.

— Mesmo que tudo o que eles façam seja me fazer dormir, estou determinado a lê-los por uma hora, não, uma hora e meia por dia.

— Juro em nome da Deusa! Se não conseguir, serei um babuíno de cabelos encaracolados!

Um sorriso imediatamente apareceu no rosto de Klein.

— Sem problema.

Na manhã seguinte, Klein pendurou seu casaco e sua cartola no cabideiro da sala de descanso. Então ele seguiu as instruções de Rozanne e caminhou até o subterrâneo, até a sala de guarda ao lado do Portão Chanis.

Capitão Dunn e os membros Frye, Seeka, Royale, Leonard e Kenley estavam todos lá.

Enquanto seus olhos cinzentos passavam pelo recém-promovido Falcão Noturno, Dunn sorriu e disse:

— Temos uma reunião de rotina toda quinta-feira para resumir as missões passadas e discutir vários outros desafios.

Sou um homem que também passou por muitas reuniões regulares… — Klein zombou internamente. Ele encontrou um assento e brincou:

— Preciso me apresentar?

Dunn sorriu e virou-se para olhar para Kenley.

— Conte-nos brevemente sobre a investigação de Sirius Arapis.

Kenley também era um Falcão Noturno que havia sido promovido de um membro da equipe civil. Ele não era muito alto, seus cabelos castanhos eram bem grossos, sua altura era mediana, seus músculos eram bastante tonificados e ele parecia alguém inteligente e capaz.

Pensando, ele disse:

— Com ajuda do Velho Neil, encontramos o esconderijo secreto de Sirius. Havia muitos livros e itens no local. A partir deles, podemos ter certeza de que Sirius era um dos membros ocultos da organização secreta, Ordem Aurora, e que ele também era um Suplicante de Segredos.

— Há evidências suficientes para mostrar que ele e Hanass Vincent venderam o caderno da família Antigonus para Welch. Quem não se lembra de Welch, pode perguntar a Klein sobre ele.

— Encontramos itens valiosos, incluindo três fórmulas de poções de sequência, que são Sequência 9 Vidente, Sequência 9 Aprendiz e Sequência 8 Palhaço…

— A tarefa seguinte é usar o círculo social de Sirius e as cartas que encontramos para localizar outros membros do círculo externo da Ordem Aurora. O foco de nossa pesquisa será direcionado ao herege que se infiltrou no departamento de polícia.

— Além disso, as pessoas que tinham contato com Hanass precisam ser reinvestigadas.

Dunn assentiu levemente e olhou para Klein.

— Como você pôde ouvir, obtivemos a fórmula da poção Palhaço, mas não podemos determinar se é real. Temos que esperar a Catedral Sagrada nos dar feedback.

— Na missão relativa à Ordem Aurora, você fez uma contribuição crucial. Além disso, considerando que você matou um membro da Ordem Secreta, não vai demorar muito até que acumule contribuições suficientes para ser promovido. Mas tenho que lembrá-lo de que nem todos são como Daly. Você precisa suprimir seu desejo e esperar três anos. Para evitar perder o controle, você não pode permitir que sua mentalidade seja afetada pela descoberta da fórmula da poção Palhaço.

Capitão, você não entende o quão mágico é “atuar”… Eu já confirmei a autenticidade da fórmula da poção Palhaço usando divinação acima do nevoeiro cinzento ontem à noite… — Klein assentiu obedientemente.

— Vou manter minhas emoções sob controle.

Então Seeka Tron, a quieta Poeta da Meia-noite, com cabelos brancos e olhos negros, disse:

— Ainda não encontramos nenhuma pista sobre o Instigador Tris. Suspeito que ele já tenha fugido de Tingen.

Depois que terminaram de trocar suas novas informações, Klein deixou a sala de guarda e encontrou Velho Neil para continuar com suas lições de misticismo. À tarde, ele foi até seu professor de combate, Gawain, para continuar com seu treinamento básico de força, resistência e coordenação geral.

Com o sol ainda alto e brilhante, às cinco.

Klein tirou o traje de treino, tomou um banho rápido e vestiu sua roupa. Ele então pegou a carruagem pública para a Rua Besik.

Ele não havia esquecido da chaminé vermelha que havia visto na divinação dos sonhos, nem do homem que suspeitava ser membro dos Alquimistas da Psicologia que havia comprado ingredientes suplementares para a poção Espectador no mercado clandestino. Essas coisas seriam inconvenientes para se investigar sendo um Falcão Noturno.

— Número 27. A Companhia de Detetives Particulares Henry… Sim, é aqui. — Klein encontrou uma empresa de detetives particulares, de acordo com as descrições do jornal. Dizia-se que era confiável.

Ele colocou uma máscara, abaixou a cartola e levantou a gola. Subindo as escadas, ele chegou na empresa, no segundo andar.

Toc! Toc! Toc! Ele bateu na porta que estava entreaberta.

— Por favor, entre — disse uma voz que parecia estar afetada por fleuma.

Klein levantou a bengala e empurrou a porta para entrar. Ele viu a companhia de detetives, que usava um layout quase aberto. Havia quatro funcionários sentados em seus respectivos lugares, divididos em pequenos cubículos.

— Olá, eu sou o detetive Henry. Como posso ajudá-lo? — Um homem de camisa branca e colete preto o cumprimentou.

Ele segurava um cachimbo na mão e tinha um queixo proeminente, sobrancelhas retas como lâminas e olhos azuis escuros que avaliavam seu cliente.

Klein usou a gola do casaco para bloquear metade do rosto enquanto falava.

— Eu tenho dois assuntos para confiar a vocês. Quais são suas taxas?

— Isso depende da dificuldade da tarefa. — O detetive Henry desviou o olhar e apontou para o sofá na sala. — Vamos conversar ali.

Klein o seguiu até a área semi-particionada e sentou-se no sofá de assento único. Ele não tirou o casaco, nem o chapéu ou mesmo a máscara.

Ele propositalmente fez sua voz rouca e disse:

— Primeiro, preciso que você me ajude a encontrar uma casa com uma chaminé que se pareça com essa, além de informações sobre o proprietário e o inquilino atual.

Enquanto falava, ele pegou um papel dobrado. Quando abriu, havia uma chaminé com sua cor anotada e a paisagem circundante.

Esse foi o desenho que Klein completou usando a peculiaridade da área acima do nevoeiro cinza e o método de rezar para si mesmo.

— Que desenho maravilhoso… — O detetive Henry elogiou inconscientemente. Ele então franziu as sobrancelhas e disse:

— Isso não é complicado, mas muito tedioso; exigiria muito tempo e uma grande quantidade de mão de obra.

— Compreendo. — assentiu Klein levemente.

O detetive Henry ponderou por um momento e disse:

— Sete libras. O preço desse trabalho seria sete libras. Além disso, você precisa me dar pelo menos duas semanas.

— Tudo bem. Segundo, me ajude a encontrar esse cavalheiro e descobrir sua identidade. A única coisa que sei é que ele ocasionalmente aparece no Bar Dragão Maligno, perto do burgo portuário. E ele não deve detectar nenhum homem que você enviar. Ele é bastante sensível, e possui habilidades de observação aterrorizantes. — Klein pegou o segundo desenho.

Ele pretendia entrar em contato com um membro dos Alquimistas da Psicologia para ver se encontrava informações e materiais valiosos. Por exemplo, talvez uma fórmula que pudesse ser trocada com Justiça?

— Três libras, essa missão custaria cerca de três ou quatro libras. Suas excelentes habilidades de desenho ajudarão meu assistente e eu a salvar tempo — respondeu o detetive Henry com habilidade.

— Dez libras no total? — Klein achou o preço perturbador.

Detetive Henry deu uma tragada no cachimbo e disse:

— Sim, e você precisa depositar duas libras como adiantamento. Quando houver progresso, precisará pagar outras três a cinco libras. O restante do pagamento pode ser feito quando a missão estiver completa.

— Então devo voltar semana que vem para verificar seu progresso. — Klein não pechinchou sobre o preço para impedir que o observador detetive se lembrasse de qualquer característica sua.

Depois que assinaram um contrato padrão, ele pegou duas notas de uma libra e as passou para o detetive. Agora suas economias somavam somente uma libra e dezessete soli.

Enquanto detetive Henry observava o homem usando máscara de gaze e um blusão preto com a gola levantada sair às pressas, ele tinha uma expressão desconfiada nos olhos enquanto fumava seu cachimbo.

Por que ele está procurando uma casa que tenha esse tipo de chaminé?

Ele deve ser algum artista, ou pelo menos algum tipo de desenhista profissional…

À tarde, na luxuosa mansão do Visconde Glaint.

Audrey, com sua criada atrás de si, seguiu a etiqueta e passou sua mão ao anfitrião do encontro, olhando enquanto ele beijava rapidamente sua mão.

— Sua beleza acentua o encontro — Glaint primeiro a elogiou, como de costume. Então, ele abaixou a voz e disse:

— Aquela senhora já está aqui. Ela é uma Beyonder, e também uma autora.

3 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!