LdM – Capítulo 147

Visita Noturna

No escritório do investigador particular.

— Senhor, seu pedido foi concluído — disse o detetive Henry ao cavalheiro à sua frente com sua voz rouca e deu um suspiro de alívio. — Esta não foi uma missão fácil, nem muito difícil, mas consumiu grande parte de nossos recursos e energia. Para ser sincero, estou um pouco arrependido. Me arrependo de ter definido um preço tão baixo para esta missão.

Não, não importa o que você diga, não pagarei nem um centavo a mais! — Klein enfatizou em seu coração. Ele apontou para a grossa pilha de documentos sobre a mesa de café e perguntou:

— Este é o relatório da investigação?

— Sim. — Henry pressionou o relatório que tinha pelo menos sessenta páginas e suspirou. — Este é o relatório mais problemático que já completei…

Ele nem tinha terminado a frase quando viu Klein entregar quatro libras em dinheiro. Seu foco mudou para determinar a autenticidade das notas.

— Este é o restante do valor — disse Klein, segurando a pilha grossa de notas.

Henry tossiu.

— Você com certeza é um cavalheiro que mantém sua palavra. Ai ai, Não esperava que o relatório de investigação usasse tantas folhas assim. Estava completamente fora do meu orçamento.

Naquele momento, Klein pegou o grosso relatório de investigação e se levantou.

Ele fez uma ligeira reverência e imediatamente foi até a porta com a bengala na mão deixando a última frase do detetive Henry presa em sua garganta.

Ei, como você espera que eu pague pelo papel usado no relatório de investigação? Isso já deveria estar incluído nas taxas! Klein tocou as oito libras que ainda possuía e murmurou em seu coração. Ele então caminhou rapidamente para a rua Besik.

Examinando os arredores e confirmando que ninguém estava prestando atenção nele antes de deixar o local, ele encontrou uma oportunidade de remover sua máscara.

Klein não pretendia ir para casa imediatamente. Ele queria procurar um café e organizar o relatório de investigação, queria encontrar as casas que tiveram uma mudança de inquilinos depois de divinar sobre a chaminé vermelha. Ele poderia então conduzir sua busca antes do jantar.

Havia muitos cafés na área, mas nenhum deles atendia aos critérios de Klein. Desde que o vapor e as máquinas se tornaram o símbolo dos tempos, mais e mais cafés atenuaram sua decoração e se tornaram algo como restaurantes baratos. Eles forneciam bebidas, café, pão e pratos como guisado de ervilha e carneiro aos trabalhadores ocupados. Assim, senhoras e senhores respeitáveis não iam mais aos cafés para discutir coisas. Eles não viam mais essas ações como simbólicas de seu status. Vários clubes começaram a aparecer e substituíram os cafés como um local para socializar.

Depois de algum tempo, Klein finalmente encontrou um café que tinha uma atmosfera decente.

Ele se sentou em um canto isolado e tomou um gole de seu café de Southville que havia lhe custado um centavo antes de abrir o relatório da investigação.

“No burgo norte da cidade de Tingen, no burgo Sul, no burgo Leste, no burgo Oeste, no burgo Golden Indus, no burgo do Porto e no burgo Universidade, há um total de 1179 edifícios com chaminé vermelha escura… Nos arredores da cidade de Tingen, há um total de 546 edifícios com a chaminé vermelha descrita pelo solicitante. Isso não inclui edifícios em cidades ou vilas que estão relativamente mais distantes, apesar de estarem sob a jurisdição de Tingen.”

“Abaixo estão os endereços e os registros de inquilino de cada um desses edifícios. Conforme a solicitação, as atividades nos últimos três meses são registradas com mais detalhes.”

Klein folheava página após página, ocasionalmente fazendo anotações no papel que havia trazido com uma caneta-tinteiro.

Finalmente, quando encontrou o tipo de chaminé vermelha que havia visto, ele percebeu que houve uma troca de inquilinos em 25 edifícios.

Isso não é muito. Eu deveria tentar terminar minhas investigações dentro de dois dias. Afinal, vi aquela chaminé vermelha e partes da casa no meu sonho. Minha espiritualidade teria um sentimento de familiaridade quando eu visse esses sinais novamente. Sim, vou confirmar o alvo dessa maneira. Em outras palavras, eu sou uma máquina de investigação viva… — Klein assentiu. Ele dividiu os prédios com base em sua localização e planejava investigar quinze deles naquele mesmo dia.

Ele não precisava fazer uma divinação para obter uma resposta se essas investigações seriam perigosas.

Como houve uma mudança de inquilinos, isso significaria que o cérebro por trás das coincidências já havia deixado o local!

Vamos torcer para que os novos inquilinos saibam como são os inquilinos anteriores… Mas como a pessoa nos bastidores pode controlar meu destino sem que ninguém perceba a ponto de fazer as coincidências parecerem tão naturais, ele definitivamente teria uma maneira de remover quaisquer vestígios que pudesse ter deixado para trás… Hmm, só posso orar à Deusa e esperar que ele tenha deixado para trás algum tipo de pista… — Klein suspirou. Ele se levantou, colocou seu chapéu e pegou sua bengala e o relatório antes de sair do café.

Klein gastou dois soli em uma carruagem alugada e visitou quinze edifícios com as chaminés vermelhas antes do jantar. Infelizmente, nenhum dos edifícios foi o que ele havia visto em seu sonho.

Seria bastante problemático se a investigação de amanhã produzisse o mesmo resultado. Ele ainda poderia estar morando na casa com a chaminé vermelha, mesmo depois de eu tê-la visto em minha divinação. Isso poderia significar que ele está bastante confiante e não tem medo da minha investigação; de fato, ele pode nem ter medo dos Falcões Noturnos de Tingen. Ou talvez não saiba que foi exposto. Isso significaria que o poder de resistir à minha divinação era um poder que não lhe pertencia… — Klein ficou na frente da rua Narciso nº2 e analisou as várias possibilidades.

Alguns minutos depois, ele deu um tapinha em seu smoking e apertou seu chapéu antes de pegar a chave e entrar na casa com um sorriso.

Ele pretendia preparar ensopado de carneiro e churrasco com mel para Benson e Melissa naquela noite.

Às onze da noite, os irmãos se despediram e voltaram para seus respectivos quartos.

Klein fechou a porta do quarto e ficou diante de sua escrivaninha, olhando para fora da janela com a luz da lâmpada a gás. Naquele momento, as ruas estavam envoltas em trevas, com apenas algumas lâmpadas iluminando o caminho. Estrelas pontilhavam a tela que era o céu noturno. Havia muitas estrelas, elas simplesmente não eram totalmente visíveis.

Me pergunto como é Backlund, com seus títulos de Terra da Esperança e Capital das Capitais… — murmurou Klein para si mesmo. Ele estendeu a mão para agarrar a cortina, pretendendo fechá-la.

Woo!

Naquele momento, um vento sinistro soprou por ele sem nenhum aviso, e a luz de sua lâmpada se tornou verde escuro.

Klein subconscientemente deu alguns passos para trás. Seus instintos o fizeram bater seus molares esquerdos duas vezes. Ao mesmo tempo, ele se inclinou para a cama e tentou pegar o revólver debaixo do travesseiro.

Na sua visão, um rosto repentinamente se projetou da parede acima da escrivaninha e sob a lâmpada a gás. Era um rosto translúcido, sem olhos nem nariz. Tudo o que ele tinha era uma boca!

— Não atire. — O rosto com a boca falou.

Ele pode se comunicar? — Klein já tinha o revólver na mão enquanto mirava.

— O que você quer? — ele perguntou em uma voz profunda.

O rosto riu.

—Sou eu, Daly.

Daly? Médium Espiritual Daly? A Médium Espiritual Daly que foi enviado à diocese de Backlund? — Klein ergueu as sobrancelhas em dúvida.

—Madame Daly?

— Eu sei que esse método de visitá-lo é um pouco rude. Eu deveria ter lhe dado um aviso prévio para que você pudesse fazer os preparativos necessários. Mas não é conveniente para mim encontrá-lo agora e, portanto, só posso me comunicar com você usando esse carinha aqui. — O rosto translúcido riu.

Embora a voz seja diferente e dissonante, a maneira de falar é realmente o estilo da Madame Daly. As habilidades de um Médium Espiritual com certeza são legais… — refletiu Klein melancolicamente. Sem abaixar o revólver, ele perguntou:

— Madame, sobre o que você quer conversar comigo?

— Se fosse você, primeiro selaria o quarto com espiritualidade. Caso contrário, os membros da sua família podem pensar em você como um louco. — O rosto translúcido brincou.

— Heh heh, você não precisa ser tão cauteloso. Voltei para Tingen em segredo por causa da carta de Dunn. Você sabe que um Falcão Noturno não pode deixar a área a que foi designado quando bem quiser.

— A carta do Capitão? — Klein não se aproximou da mesa. Em vez disso, procurou o pó de noite sagrada que tinha no bolso secreto do seu blusão preto.

— Dunn e eu somos os Beyonders que começaram com os Falcões Noturnos em Tingen. Sempre mantivemos um bom relacionamento. Quinta-feira passada… sim, quinta-feira, ele me enviou uma carta e mencionou você. Ele disse que você emulou a máxima de um Espreitador de Mistérios, criou um conjunto de regras para um Vidente e afirmou que era eficaz em ajudá-lo a entender sua poção. A partir de então, você não ouve mais vozes e murmúrios e não vê coisas que não deveria. Dunn disse que era semelhante ao que eu fiz.

— Heh heh, você não vai selar a sala? Pessoalmente, não me importo com o mal-entendido de seu irmão e irmã… — disse o rosto translúcido em ritmo adequado.

Então esse é o motivo… Ela é realmente Madame Daly… — Klein deu um suspiro de alívio, empurrando o pó de noite sagrada de volta ao bolso interno. Ele então foi até a escrivaninha e tirou da gaveta a adaga de prata que usava para os rituais.

Ele rapidamente construiu uma barreira de espiritualidade antes de se voltar para o rosto saliente.

— Madame Daly, sobre o que mais o Capitão falou na carta?

— Ele apenas expressou sua própria confusão e disse que parecia entender alguma coisa, mas ainda, não podia descrevê-la claramente. Ele esperava ter minha opinião sobre o assunto — disse Daly com a ajuda do rosto sem olhos. — E quando li a carta hoje de manhã, sabia que você não é tão ignorante quanto finge ser. Heh heh, Sr. Moretti, acho que você deduziu o “método de atuação”!

— Esse é motivo pela qual você veio me procurar? — Klein não confirmou nem negou sua declaração.

Daly claramente sabe sobre o “método de atuação”… — Ele calmamente fez o julgamento.

O rosto translúcido de Daly revelou um leve sorriso.

— Sim.

— Acredito que devemos ser honestos um com o outro. Sei que você deduziu o método de atuação, e também sabe que compreendo o “método de atuação”. Mas o que me deixa infeliz é que eu demorei quase dois anos para entendê-lo… E você é um Beyonder há apenas um mês e meio.

Klein ficou em silêncio por um tempo depois de ouvir Daly. Ele então sorriu honestamente.

— Isso é porque eu tenho você como modelo.

Ele queria dizer que se “apoiou sobre os ombros de gigantes”, mas decidiu não dar ao Imperador Roselle a chance de aparecer na conversa.

2 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!