LdM – Capítulo 156

Melissa Adota a Visão de Longo Prazo

E estou pagando o dobro pela fórmula Palhaço… E tudo isso porque originalmente queria ser recompensado em dobro pelo trabalho que fiz. Esquece, não tenho oportunidade de mencionar que já possuo a fórmula da poção Palhaço. — Klein respirou fundo e forçou um sorriso, dizendo:

— Espero que possa passar no exame sem problemas.

Ele ficou mais do que feliz com a decisão de Dunn de continuar a vigiar o Portão Chanis. Ele não somente não possuía a capacidade profissional de monitorar e investigar, mas seu combate corpo a corpo estava longe de satisfatório.

Em termos de tiro, ele era considerado decente em comparação com a polícia comum. No entanto, seus companheiros de equipe eram todos Beyonders que tinham seus atributos físicos aprimorados. Mesmo que não fossem todos ao nível de atirador de elite, eram bem próximos.

Quanto ao combate corpo a corpo, Klein era apenas um iniciante.

Mesmo com um charm do sono, um charm de sonolência e um charm dos sonhos, ele ainda era considerado um Beyonder do tipo suporte. Seria fácil lidar com pessoas comuns, mas estaria em perigo se encontrasse qualquer Beyonder que fosse adepto em combate.

Até avançar para a Sequência 8, me tornar habilidoso com as técnicas de batalha e dominar um bocado de feitiços, só posso concluir, por conta própria, missões sobrenaturais normais. Hmm, se eu roubar com sucesso o poder do Artefato Selado 3-0782 e criar charms do Sol Flamejante, será ainda melhor. Não seria impossível para mim vencer de uma posição desvantajosa… — pensou Klein com esperança enquanto voltava lentamente para a Companhia de Segurança Blackthorn.

Na manhã seguinte, quando terminou seu turno e deixou o Portão Chanis, os Falcões Noturnos ainda não haviam obtido nenhuma informação útil ao monitorar Hood Eugen. Por enquanto, eles tinham que depositar suas esperanças na investigação interna do informante.

Quando voltou para casa, Klein tomou café da manhã em silêncio e se deitou em seu quarto para dormir até o meio dia.

Ele acordou naturalmente, se lavou e caminhou até o primeiro andar, seguindo o cheiro de comida.

— Melissa está preparando almoço? — Klein olhou para Benson, que estava lendo jornal na sala de estar.

Benson abaixou o jornal e disse:

— Sim, ela tem uma visita hoje. Queria que ela conversasse com sua convidada enquanto eu preparava o almoço. Mas ela não confia nas minhas habilidades culinárias e levou a convidada para a cozinha. Que rude.

Benson, você conseguiu perceber rapidamente que Melissa detesta suas habilidades culinárias… — Klein conteve o desejo de rir e caminhou em direção ao sofá de assento único enquanto perguntava:

— Visita de Melissa?

— Sim, você deve conhecê-la. Elizabeth, nós a encontramos no banquete de jantar de Selena. — Benson se inclinou para trás e continuou a ler seu jornal confortavelmente.

Não foi só no banquete de jantar… Ela realmente veio visitar… — Klein se virou para a cozinha com uma expressão atordoada.

Nesse momento, Melissa saiu carregando alguns pratos e Elizabeth seguiu atrás, também vestindo um avental.

— Klein, você já acordou? Eu estava pensando em te acordar. — Melissa colocou os pratos na mesa de jantar animadamente enquanto dizia:

— Esta é Elizabeth. Você já a conhece.

— Olá, Klein. — O rosto adorável de Elizabeth mostrou um sorriso esplêndido quando ela o cumprimentou.

Klein respondeu gentil e educadamente.

Depois de se cumprimentarem, Melissa piscou e falou seriamente:

— Elizabeth nos seguirá para a Assistência a Servos de Família de Tingen mais tarde. Eles contratam algumas criadas em casa, então ela tem experiência nisso. Suas opiniões podem ser úteis.

— Na verdade, já definimos os requisitos para escolher uma criada. Ouça e veja se há algo que precise ser adicionado.

Melissa limpou as mãos no avental e tirou um pedaço de papel do bolso das roupas de casa. Ela o abriu e leu em voz alta.

— 1. Saudável.

— 2. Trabalhadora e responsável.

— 3. Boa em cozinhar.

— 4. Calma, não barulhenta.

— 5. Background de Família simples.

— 6. Aparência comum.

Ela leu os requisitos um por um, enquanto Klein e Benson ficaram boquiabertos com um olhar vago; eles nunca esperavam que a contratação de uma criada fosse tão problemática.

— Melissa, você não era contra a ideia de contratar uma criada? — Klein subconscientemente perguntou quando sua irmã parou.

Melissa apertou os lábios e assentiu solenemente.

— Sim, eu era contra. Mas como minha oposição foi em vão, pensei que deveríamos fazer isso corretamente. E para podermos fazer isso bem, precisamos estar bem preparados. Hmm, alguma coisa que gostariam de adicionar?

— Não! — Klein e Benson balançaram a cabeça em uníssono, fazendo Elizabeth rir.

Depois do almoço, os quatro pegaram uma carruagem pública para a Assistência a Servos de Família de Tingen, na rua Champagne.

Era semelhante às empresas de ajuda doméstica que Klein conhecia em sua vida anterior, mas também um pouco como uma instituição de caridade. Eles registravam as informações pessoais e os requisitos de trabalho de diferentes criadas, para que os clientes pudessem fazer suas seleções com mais facilidade, maximizando as chances de emprego das criadas.

Parte do financiamento da organização vinha de organizações de caridade e parte de uma porcentagem do pagamento fornecido pelos empregadores.

Ao entrar na associação, Klein e companhia foram recebidos calorosamente. Uma dama de vestido amarelo claro os levou a alguns sofás. Ela sorriu e perguntou:

— Como posso ajudá-los?

Benson, que foi empurrado por seu irmão e irmã, disse:

— Precisamos contratar uma criada.

— Voces tem algum requisito? — A jovem dama perguntou como de costume.

Benson lembrou a falta de fé de seus irmãos em suas habilidades culinárias, enquanto dizia sinceramente:

— Boa em cozinhar.

— Boa em cozinhar. — A jovem dama franziu as sobrancelhas e disse:

— Para ser sincera, não há cozinheiras excelentes entre as criadas. Por que não contratam um chef? Se voces precisam de uma chef, temos várias na associação.

— Não há ninguém que seja boa em cozinhar entre as criadas? — Melissa não pôde deixar de interromper quando encontrou um problema, tendo seu plano inicial modificado.

A jovem dama assentiu e respondeu afirmativamente:

— As criadas são filhas de trabalhadores de classe baixa ou meninas dos vilarejos. Elas têm poucas oportunidades de aprender habilidades culinárias. Mesmo após o treinamento simples fornecido pela associação, o máximo que podemos garantir é que a comida não deixará as pessoas doentes.

Melissa ficou em silêncio, finalmente percebendo o que significava ter situações superando seus planos.

— É lamentável. — Benson pensou, reorganizando suas palavras, e disse:

— Talvez possamos alterar nossa exigência para uma criada que esteja disposta e capaz de aprender a cozinhar.

Nada mal. Benson é perspicaz… Não há necessidade de eu interromper. — Klein estava sentado ao lado, segurando sua bengala e chapéu confortavelmente.

— Sem problema. Durante o treinamento de culinária, anotamos as meninas que tiveram um desempenho extraordinário — respondeu a jovem dama com um sorriso profissional. — Algum outro requisito?

— Sim. — Benson sentiu o calor do olhar de Melissa. Ele engoliu saliva e tirou o pedaço de papel do bolso, e então leu os itens um por um.

A jovem dama ouviu em silêncio e só respondeu depois de um bom tempo.

— P-primeiro vou checar os registros e recomendar algumas criadas que se encaixam nos critérios. Voces não precisam decidir imediatamente. Podem escolher de duas a quatro delas. Então, trarei cada uma para cozinhar para vocês uma vez. Depois disso podem decidir quem empregar. Claro, terão que pagar à associação algumas taxas extras e também terão que preparar seus próprios ingredientes.

— Tudo bem. — Benson dobrou o papel e assentiu educadamente.

A jovem dama se levantou e caminhou em direção ao escritório, mas se virou depois de dar dois passos. Ela sorriu e disse:

— Você pode me emprestar esse papel? Estou preocupada em esquecer algum de seus requisitos…

— Sem problema. — Benson conteve o desejo de rir quando respondeu.

Depois de um tempo, a jovem de vestido amarelo pálido saiu com uma pilha de documentos e os entregou a Benson.

As informações continham o nome real de cada empregada, data de nascimento, situação familiar, descrição facial, estado de saúde, experiência passada, características relacionadas, salário esperado e outras informações.

Aproveitando a oportunidade quando Benson e Melissa estavam lendo as informações, Elizabeth se aproximou de Klein e perguntou suavemente:

— Você não tem nenhum requisito?

— Sim, mas essa informação não é específica o suficiente — respondeu Klein superficialmente.

Elizabeth ficou ainda mais interessada.

— Como você escolheria?

Klein sorriu e apontou para o pêndulo escondido em sua manga esquerda:

— Divino a melhor pessoa para ser nossa criada, escrevendo uma declaração correspondente sobre cada candidata e eliminando-as uma após a outra.

— … — Elizabeth ficou chocada, assentindo vagamente depois de quase vinte segundos. — A maneira mais simples e eficaz… Esqueci totalmente que você é…

Ela não terminou sua frase já que Melissa, que tinha sentidos aguçados, notou que eles estavam sussurrando e olhou para eles.

Ela olhou para sua melhor amiga e seu irmão, depois mostrou uma expressão de profundo pensamento.

Ei, mana, não entenda errado! Estamos apenas conversando normalmente… — Klein tossiu e pegou algumas informações e as leu casualmente.

Muito em breve, eles escolheram três candidatas. Elas estavam pedindo de quatro soli e oito centavos a cinco soli e dois centavos por semana.

Benson não pechinchou sobre o salário das criadas, mas discutiu a porcentagem que precisava pagar à associação.

Após algumas discussões amistosas, ele negociou com sucesso o preço do pagamento de duas semanas da criada para uma semana. No entanto, ele teve que pagar uma taxa de transporte de um soli para trazerem as criadas para tentar cozinhar.

Depois disso, Elizabeth se despediu do trio e foi embora enquanto os irmãos pegavam uma carruagem pública de volta à rua Narciso.

No caminho de volta, Klein estava ficando desconfortável sob o olhar examinador de Melissa. Quando chegou em casa, foi diretamente ao segundo andar.

— Klein — Melissa o chamou em tom sério depois de cuidadosa consideração. Ela disse:

— Se você quer noivar com a Elizabeth, precisa trabalhar mais. O pai dela é um importante homem de negócios e a mãe é filha de um barão…

Espera, noivar? Quando isso aconteceu? — Klein olhou para a irmã em confusão.

Qual é o alcance da preocupação dela?

 

___________________________________________________

Falcão Noturno, em inglês “Nighthawk”, em madarim “值夜者”, significa literalmente “pessoa da noite”. xD

“Blackthorn” significa “espinhos negros”. Em mandarim, “黑荆棘安保公司”. O significado é o mesmo.

Preferem “Companhia de Segurança Blackthorn” ou “Comapnia de Segurança Espinho Negro\Espinhos Negros”?

o/

3 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!