LdM – Capítulo 162

Intensa Luz Solar

Uma luz fraca brilhava através da estreita janela do alto, tornando o interior da Catedral de Morse um pouco mais visível.

Klein colocou a cartola no joelho enquanto encostava a perna na bengala. Ele sentou em silêncio no banco da primeira fileira da esquerda e olhou para o altar diante dele.

Não havia nenhuma estátua da Deusa, exceto um enorme Emblema Sagrado das Trevas. Sua base era preta, com uma meia-lua carmesim cercada por pontos radiantes de luz.

Na parede atrás do emblema sagrado havia algumas aberturas que permitiam a luz do sol entrar, iluminando os arredores através de pequenas partículas focadas de luz pura que combinavam com o ambiente escuro para formar uma cena que lembrava um estrelado céu noturno.

Nenhum dos Deuses tradicionais jamais deixou para trás uma imagem real. Somente seus símbolos são adorados e glorificados pelas pessoas… Isso parece ser uma manifestação da ordem: “Não olhe diretamente para Deus”… — Klein deixou seus pensamentos vagarem. Ele não estava com pressa de fazer os Charms do Sol Ardente assim que teve a oportunidade de ficar sozinho com o Artefato Selado 3-0782.

Ele sentiu que tinha que ser cuidadoso, paciente, e que precisava esperar. Nos primeiros quinze minutos, era possível que Leonard e Kenley entrassem a qualquer momento para lembrá-lo dos pontos que deveria tomar nota.

Nesta atmosfera extremamente tranquila, o tempo passou rapidamente. De repente, Klein voltou aos seus sentidos e pegou o relógio de bolso prateado de folhas de videira, o abriu e deu uma olhada.

Vinte minutos se passaram… — murmurou ele para si mesmo. Colocando a cartola de seda e a bengala preta com detalhes em prata ao lado, ele se levantou e caminhou em direção a um canto escondido perto do altar.

A princípio, ele ficou de frente ao lado do altar, mas depois que viu o grande Emblema Sagrado das Trevas e o cenário sagrado que lembrava a representação de um céu noturno, se sentiu culpado e desconfortável, então ele acabou virando as costas para o altar.

Então, Klein pegou o Artefato Selado 3-0782 do bolso interno do smoking preto e se abaixou para colocar o emblema dourado sem adornos no chão.

Klein olhou para o símbolo do Sol, cheio de significados abstratos, depois pegou uma pequena vela com sândalo e a colocou abaixo do artefato selado 3-0782.

Esse era o ritual dualista que ele aprendeu com o Eterno Sol Ardente. Ele usou um item que estava intimamente relacionado à divindade para representar “Ele”, enquanto usava a vela para representar a si mesmo.

Ele respirou fundo para aliviar suas emoções tensas. Klein pegou os itens necessários para o ritual, um após o outro, incluindo uma adaga, duas finos pedaços de ouro, óleo essencial de Sol extraído da combinação de girassol de borda negra, girassol de borda dourada e girassol de borda branca, pó de cidra mãos de ouro e pó de alecrim.

Depois disso, Klein usou habilmente a adaga de prata de ritual para guiar o fluxo de espiritualidade. Ele o fez fluir ao redor do simples altar e criou uma barreira selada e disforme.

Agaixando, colocou a adaga no chão e estendeu a mão direita. Ele acendeu a vela que o representava usando sua espiritualidade para criar atrito.

Sob a fraca luz, Klein pegou o óleo essencial de Sol e pingou uma gota na chama.

Com um puff, uma névoa ilusória se espalhou com o leve aroma da luz do sol.

Depois de queimar o pó de cidra e o pó de alecrim, Klein segurou a adaga e os pedaços de ouro. Ele se levantou, deu um passo para trás e depois recitou em Hermes:

— Ó sangue do Eterno Sol Ardente.

— Você é a Luz inextinguível, a Personificação da Ordem, o Deus das Ações, o Guardião dos Negócios.

Luz Inextinguível, Personificação da Ordem, Deus das Ações e Guardião dos Negócios faziam parte dos títulos honoríficos do Eterno Sol Ardente. Se não houvesse o prefixo do sangue do Eterno Sol Ardente, o ritual exigiria a resposta do deus para prosseguir. Nesse caso, Klein suspeitava que o Eterno Sol Ardente o reconhecesse como a pessoa desrespeitosa que olhou diretamente para “Ele”. Então, Leonard e Kenley só encontrariam uma pilha de cinzas negras quando fosse hora de trocar de turno.

Além disso, o ritual tinha que ser conduzido em antigo Hermes, uma linguagem ritualística que se originava da natureza. Somente um idioma sem proteção, mas com efeitos extraordinários, poderia permitir que um encantamento contornasse o Eterno Sol Ardente e apontasse para o Emblema Mutado do Sol Sagrado.

Ao mesmo tempo, como estava roubando o poder de uma divindade, Klein não tinha como divinar com antecedencia se seria bem-sucedido. Ele sentiu que isso resultaria em ele lidar diretamente com a divindade novamente. Então, ele só pôde recitar o resto do encantamento com o coração tenso:

—Eu rezo a você,

— Eu rezo para que você me dê força,

— Me dê força para completar o Charm do Sol Ardente.

— Sangue do Eterno Sol Ardente, por favor, transfira sua força para meu charm…

— Ó cidra, uma erva que pertence ao Sol, por favor, conceda seus poderes ao meu charm…

Quando o encantamento se aproximava do fim, Klein de repente sentiu algo acender diante de si.

O simples emblema dourado irradiou uma luz intensa, como se o sol tivesse descido sobre a terra.

De repente, Klein se viu envolto em um calor extremo. Seu cabelo estava esquentando rapidamente e estava quase à beira de pegar fogo.

Seus pés pareciam estar descalços na areia amarela que havia sido exposta ao sol do meio-dia, e seu rosto e corpo foram recebidos com um vento quente que soprava de todas as direções.

Nesse caso, ele sentiu que precisava fazer algo para liberar as energias ardentes. Caso contrário, ele se transformaria em uma vela humana.

Isso não exigiu que ele sequer pensasse, imediatamente levantando as duas mãos. Enquanto seus pensamentos ferviam como mingau, ele confiou na combinação de sua espiritualidade e dos ventos fortes, bem como de seus instintos e orientação ritualística, para começar a gravar símbolos, números de caminho correspondentes, características mágicas e encantamentos antigos em ambos os lados dos pedaços de ouro com sua faca de entalhar.

Do lado de fora da igreja, Leonard estava parado nas sombras para se esconder da luz solar direta.

De repente, a luz do sol se intensificou, como nos dias mais quentes do ano no início de julho.

Ele cemicerrou os olhos e olhou para o céu azul e viu que não havia nuvens nem poeira. Estava tão puro que fazia as pessoas suspirarem de admiração.

— Que tempo estranho. — Ao lado dele, Kenley também notou as mudanças na luz do sol.

Leonard respondeu com um sorriso e de repente virou a cabeça.

Ele franziu levemente as sobrancelhas e olhou para a catedral.

— Felizmente, Rozanne não está aqui. Caso contrário, ela estaria reclamando que o sol bronzearia sua pele — Leonard desviou o olhar e disse com um sorriso.

A ardente luz do sol permaneceu intensa por alguns minutos antes de voltar ao normal.

Na catedral, a faca de Klein havia terminado o ultimo movimento.

Quando terminou a característica mágica que representava a luz, a espiritualidade nos dois lados dos pedaços de ouro se fundiram repentinamente, à medida que a luz convergia para o metal.

Não, isso é ainda mais próximo de divindade… — Klein ficou finalmente aliviado das sensações de ebulição e queimação. Ele examinou os dois charms do Sol Ardente em suas mãos com a mente clara.

O brilho dourado na superfície dos charms havia escurecido, e a gravura parecia antiga, mas complexa. Havia uma sensação quente e úmida que penetrou na pele de Klein pouco a pouco.

Nada mal. Finalmente tenho uma carta na manga mais impressionante — suspirou Klein emocionalmente.

Ele estabeleceu o encantamento de ativação para os charms do Sol Ardente como a palavra “luz” em antigo Hermes.

Eu quero luz e haverá luz… — Ele brincou, divertido. Em seguida, colocou os charms do Sol Ardente em outro bolso. Ele não os colocou com os charms de sonolência, pacificador e sonho, porque os charms do Sol Ardente diminuiriam seus períodos de eficácia.

Sim, o poder dos charms do Sol Adente pode ser mantido por pelo menos um ano ou até mais. — Klein reprimiu seus pensamentos e olhou para o Emblema Mutado do Sol Sagrado no chão.

Não parecia diferente na superfície e ainda emitia sentimentos de calor e pureza. Klein finalmente relaxou e rapidamente completou o ritual e removeu a barreira espiritual.

Nesse ponto, ele pensou em se examinar. Ele percebeu que suas roupas estavam quase encharcadas e que ele estava coberto de suor. As pontas de seus cabelos também estavam levemente encaracoladas.

Ainda bem… — Klein suspirou de satisfação. Ele guardou as coisas e voltou ao seu lugar original. Ele estava tão exausto que dormiu no momento em que se sentou, até ser acordado por passos.

Seus olhos se abriram e ele tocou inconscientemente nos charms do Sol Ardente para ver se ainda estavam lá.

— Você não parece bem? — perguntou Leonard ao entrar na catedral.

Klein massageou as têmporas, se levantou e sorriu.

— Estou chegando ao meu limite.

Ele pegou seu relógio de bolso prateado e deu uma olhada. — Bem na hora. É a sua vez de cuidar do Artefato Selado 3-0782.

Antes de terminar de falar, Klein tirou o Emblema Mutado do Sol Sagrado e o passou para Leonard.

Leonard observou Klein sair da catedral. Então, ele abandonou sua atitude frívola e examinou o Artefato Selado 3-0782 com atenção e seriedade. Ele ficou confuso e pareceu perplexo.

Depois que os turnos terminaram, os três Falcões Noturnos começaram sua jornada de volta.

Antes disso, eles disseram ao Sacerdote Siur para tomar nota da situação da cidade. Se houvesse algum incidente paranormal, ele deveria enviar imediatamente um telegrama à Catedral de Santa Selena.

Às sete e vinte da noite, eles finalmente chegaram à rua Zouteland e retornaram o Artefato Selado 3-0782.

Quando se certificou de que o Capitão não havia notado nada de incomum, Klein deixou a Companhia de Segurança Blackthorn e chegou em casa antes das oito.

Ele pegou as chaves e abriu a porta, apenas para ver uma figura desconhecida.

Era obviamente uma donzela que nem tinha vinte anos de idade. Ela usava um vestido velho branco-acinzentado e estava limpando a sala de jantar com todas as suas forças.

Ela tinha cabelos pretos e olhos castanhos. Seus olhos eram pequenos, o nariz não era empinado e suas feições faciais eram bem comuns.

Quem é essa? — Klein ficou aturdido no começo, mas percebeu que ela provavelmente era a criada que havia vindo para um teste.

Naquele momento, Benson abaixou o jornal e olhou para o irmão. Ele sorriu e disse:

— Uma companhia que não permite que os funcionários saiam do escritório na hora certa é chata.

— Mas fornece um salário que pode neutralizar qualquer tipo de insatisfação — respondeu Klein rindo.

Quando as 300 libras da srta. Justiça chegarem, informarei Benson e Melissa sobre meu aumento para seis libras por semana, para que se preocupem menos com as finanças de nossa família… — pensou Klein enquanto colocava a bengala de lado e tirava a cartola. Ele caminhou até a sala de estar e perguntou em voz baixa:

— Voces escolheram?

Ele divinou informações das três criadas no dia anterior e descobriu que todas as três eram adequadas. Portanto, a decisão foi deixada para seu irmão e irmã.

— Sim, Bella. Salário semanal de cinco soli. Ela é muito disposta e também capaz de aprender a cozinhar. Espera poder se tornar uma chef de cozinha, a ponto de que seu salário semanal dobre. Seu pai é funcionário na Fabrica da União Metalúrgica de Tingen e sua mãe é funcionária de lavanderia — respondeu Benson com uma risada. — Claro, outra coisa que levou Melissa e eu à decisão é que as outras duas criadas acreditam no Senhor das Tempestades, e ela é crente da Deusa. Pessoalmente, não me importo com os crentes do Senhor das Tempestades, mas Melissa não gostou muito da ideia.

Não que Melissa não gostasse, uma descrição mais precisa seria “lamento o infortúnio deles e fico furiosa com sua recusa em resistir”. Sim, foi dito por Lu Xun! — Klein lembrou o comportamento de sua irmã e revelou um sorriso.

Benson não deu mais detalhes. Ele guardou o jornal e se levantou.

— Já que você voltou, vamos jantar.

No dia seguinte, Klein entrou na Companhia de Segurança Blackthorn de bom humor.

— Bom dia. — Rozanne olhou para a esquerda e depois para a direita, e então disse:

— Velho Neil está doente, vamos visitá-lo ao meio-dia? O que me diz?

— Velho Neil está doente? — perguntou Klein, surpreso.

Será que o ritual para tratar a diarréia causou constipação grave?

Bem, pela maneira como ele agiu depois de aprender sobre o “método de atuação”, não é impossível ele ficar repentinamente doente… Ele está ficando velho, então, quando sua mente se torna frágil, seu corpo também sofre com tais ramificações…

Rozanne assentiu e disse:

— Sim, ele enviou alguém ao Capitão para pedir uma folga.

Klein assentiu levemente. — Vamos visitá-lo ao meio-dia. Ai ai, Velho Neil com certeza é deplorável. Sua esposa faleceu cedo e seu filho está ocupado em outra cidade. Quando ele está doente, tudo o que pode fazer é ficar em casa, em solidão e desamparo.

Essa foi a primeira coisa que ele lembrou de sua primeira visita à casa do Velho Neil.

Ouvindo o suspiro de Klein, Rozanne arregalou os olhos e perguntou em choque:

— Quando Velho Neil se casou?

3 Comentários

  1. Será que essa condição so velho Neil têm a ver com aquela escama de peixe, que cortou o braço esquerdo dele e ficou lá?

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!