PA – Capítulo 111

Capturada

 

 

Apesar de estar completamente exausta, Sanji se esforçou ao máximo para acompanhar o gordo, caminhando pelos trechos de grama alta. Este lugar provavelmente era uma parte da cidade, pois ainda podia ver os restos das calçadas. No entanto, era evidente que o local havia sido abandonado já fazia muito tempo, já que as plantas tomavam conta de quase todo o local.

Enquanto caminhavam, o rato de estimação seguiu obedientemente atrás do gordo. Quando se movia rapidamente, o feto dentro da pústula em suas costas oscilava junto com o fluido em movimento. Sanji não teve tempo para processar seu nojo porque toda a sua atenção estava focada no que o gordo estava falando.

— Quando Dan me contou, eu pensei que ele estava mentindo! Eu não acredito que alguém como ele tinha uma amante em outro mundo que viria aqui procurar por ele… Ahem, agora eu sei que ele estava falando a verdade.

Sanji sentiu uma sensação indescritível quando ouviu que possivelmente havia uma mulher procurando incansavelmente por Dan. Ficou momentaneamente sem palavras, então simplesmente falou.

— Oh.

— Mas o que me deixa mais puto, é como o Dan pôde deixar uma mulher aqui sozinha? É muito perigoso… — O gordo parecia um pouco irritado enquanto empurrava a grama em seu caminho. — Cunhada, quando a gente chegar, você tem que trancar todas as portas e janelas. Eu vou procurar o Dan.

Momentos antes, Sanji havia mentido falando que se separou de Dan devido a uma situação perigosa. Depois de agradecer ao gordo por oferecer ajuda, se sentiu secretamente aliviada — era, é claro, impossível para aquele homem gordo encontrar Dan, então ela só precisava escapar depois de encontrar alguns suprimentos anti-radiação. Além disso, Sanji conseguiu obter algumas informações úteis dentre as coisas que o homem havia falado.

Em primeiro lugar, o evento apocalíptico neste mundo devia ter acontecido há bastante tempo e definitivamente não era como o recém-criado Inferno Hipertermal.

Era evidente que os pós-humanos que viviam fora da cidade já estavam acostumados ao modo de vida e tinham seus próprios métodos de sobrevivência. Por exemplo, aquele enorme rato repugnante era a principal fonte de carne para as pessoas do lado de fora. Embora fosse uma espécie que sofreu mutação devido à radiação, tinha um temperamento moderado e, supostamente, a textura de sua carne era bastante tenra, assim como um frango caipira, e, portanto, era chamado de “frango caipira”.

Pelo que o gordo havia falado, Dan provavelmente tinha seu próprio abrigo, então podia até ser possível que ele tivesse alguns suprimentos anti-radiação lá.

A informação mais importante que ela conseguiu obter do homem era que havia diferentes grupos de pessoas enviadas para este mundo. Como o Jardim do Éden já existia por algum tempo, haviam pessoas que viviam aqui por diferentes períodos de tempo, assim todos tinham um nível diferente de “familiaridade” com este mundo. Este podia ser o primeiro dia de Sanji, mas para outros, podia ser o último dia neste mundo. Ou seja, Sanji poderia se beneficiar da experiência dos outros e das conveniências que eles deixarem para trás.

— Ah, como eu devo chamá-lo? — Sanji perguntou ao gordo com sua voz rouca.

Este último bateu palmas e respondeu.

— Certo. Eu não me apresentei. Você pode me chamar de Yuzi. Eu sou amigo de longas datas de Dan, viemos aqui juntos do mundo anterior…

Eles conversaram enquanto caminhavam por uma hora. Depois de usar o capacete, Sanji já se sentia muito melhor. Além disso, não queria que um estranho descobrisse como estava fraca no momento, então cerrou os dentes e se forçou a andar.

Quando finalmente chegaram à casa de Dan, uma pequena construção de três andares, sua camiseta justa já estava encharcada de suor.

O edifício era provavelmente um hotel barato no passado. Sanji podia ver vagamente a imagem de um conjunto de talheres e uma cama em suas paredes pretas. Havia também um tapete vermelho no salão principal que fedia a mofo.

— Este lugar é muito grande. Nós dois moramos aqui. Dan vive no segundo andar e eu moro no primeiro, — disse Yuzi brevemente e rapidamente empurrou o rato em um corredor. Um dos quartos já havia sido convertido em um ninho para a criatura, e o enorme rato entrou sem qualquer resistência.

Depois de assegurar que seu rebanho estava de volta em seu quarto, Yuzi fechou a porta e sorriu para Sanji.

— Você está com fome? Se você quiser comer, eu posso fazer alguma coisa… Você pode subir para descansar. Quando Dan voltar, eu vou xingar ele no seu lugar.

A comida e a água neste mundo já haviam sido contaminadas com um alto nível de radiação. Se Sanji realmente comesse alguma coisa, seu corpo imediatamente pereceria, então apenas balançou a mão, recusando.

— Não, obrigado por oferecer. Mas eu só preciso descansar um pouco… Onde fica o quarto dele?

Ela estava exausta e só queria procurar rapidamente o quarto de Dan por suprimentos. Yuzi a levou ao segundo andar e abriu a primeira porta. Ele disse algumas palavras antes de sair. No entanto, ele de repente riu.

— Cunhada, eu não vi seu rosto! Não se preocupe. Este prédio é muito seguro, você não precisa continuar usando o capacete…

Vendo o rosto curioso dele, Sanji hesitou por um momento antes de tirar o capacete. Se ela quisesse ficar aqui até obter mais daqueles chicletes, seria muito muito estranho continuar usando aquele capacete. Ela arrumou o cabelo e manteve a compostura enquanto olhava diretamente para Yuzi silenciosamente torcendo para que ele nunca tivesse visto a amante de Dan antes.

O olhar de Yuzi parou por alguns segundos nos desenhos floridos ao redor dos olhos dela, então ele riu.

— Essa coisa estranha em volta dos seus olhos, é bonito! Certo, você deveria descansar. Vou procurá-lo. Tome cuidado.

— Ok, obrigada, — Sanji respondeu suavemente.

Se ela continuasse se arrastando com esse corpo fraco, era apenas uma questão de tempo antes de morrer. Sanji sabia que precisava encontrar rapidamente uma maneira de lidar com a radiação. Quando entrou no quarto, Yuzi fechou a porta. Ela ficou um pouco surpresa quando inspecionou o lugar.

Havia um grande respingo de sangue na parede de cor bege. O lençol havia sido despedaçado. Havia alguns pedaços de tábuas de madeira quebradas no chão e havia uma cadeira virada no canto do quarto…

Sem chance de alguém morar nesse quarto…

Quando Sanji correu para a entrada e tentou abrir a porta, percebeu que não conseguia abri-la. Naquele instante, esqueceu seu desconforto físico porque só podia sentir arrependimento. Ela escorregou para o chão de costas para a porta enquanto ria de si mesma. Se não estivesse tão gravemente torturada por sua condição física a ponto de não conseguir pensar direito, não teria caído tão facilmente nessa armadilha.

Depois que se sentou em silêncio no chão por algum tempo, perguntou baixinho:

— O que você quer comigo?

Como não ouviu Yuzi saindo, estava certa de que ele ainda estava do lado de fora, observando a situação. Houve alguns segundos de silêncio do lado de fora da porta e, finalmente, ouviu a voz dele:

— Você é muito calma.

Sanji não disse uma palavra. Tentou quebrar a fechadura e descobriu que já havia sido muito danificada antes, no entanto, a porta não se moveu. Era como se fosse outra parede. Para piorar as coisas, ela já estava ofegante depois de socar a fechadura algumas vezes.

Yuzi esperou alguns segundos lá fora e quando descobriu que a resistência dela não passava disso, imediatamente riu e falou:

— Pare de desperdiçar sua energia. — Então, ela ouviu seus passos descendo as escadas.

Quando ouviu que ele havia se afastado, Sanji se aproximou da cama e se deitou. Sua pele e cada músculo e osso em seu corpo estavam doendo.

Com o estado atual de seu corpo, Sanji sabia que não havia nada que pudesse fazer, então basicamente foi descansar como havia planejado. Ela sentiu uma súbita tontura, então se beliscou para não desmaiar. Enquanto tentava recuperar suas forças, ouvindo atentamente os sons do lado de fora da porta. Não sabia quantas horas haviam se passado, mas só ouviu a voz de Yuzi novamente quando as estrelas haviam começado a aparecer no céu azul-escuro do lado de fora da janela.

Ele parecia estar falando com outra pessoa.

— A qualidade é superior, você não precisa se preocupar… — Enquanto ele falava, ela podia ouvir vários passos subindo as escadas. Definitivamente, mais de uma pessoa. — Eu vi o rosto dela. Ela é muito bonita e tem um desenho florido em volta dos olhos…

— Desenho florido? São tatuagens? — Ela ouviu outro homem estalando a língua em desaprovação. — Se cobrirem a maior parte do rosto, não há como eu oferecer um preço alto.

— Claro que não! — Yuzi explicou ansiosamente. Ele segurou um objeto na mão e acenou para a porta. A porta respondeu ao item e abriu. — Você pode entrar e ver por si mesmo.

Um homem alto, careca e musculoso lançou um olhar de lado para ele e soltou uma risada desdenhosa.

— Quantas vezes você já fez isso? E mesmo assim, nunca se atreve a entrar primeiro?

Yuzi abaixou a cabeça.

— Hehe. Eu só estou sendo cuidadoso. Como você sabe, você é definitivamente melhor do que eu em combate.

O careca não falou muito. Ele apertou sua cintura e todo o seu corpo brilhou fracamente por um momento. Muito rapidamente, o brilho desapareceu e foi como se isso nunca tivesse acontecido.

Assim que ele entrou no quarto, franziu a testa. Qualquer um com bom senso poderia dizer que sua preparação foi em vão. Era óbvio que a mulher em pé no canto da sala estava extremamente fraca.

Como estava usando um capacete, ele não podia ver rosto dela. Ela estava suando profusamente mesmo que a temperatura estivesse apenas um pouco acima de 20 graus e estava armada com uma arma longa e esquisita. Ele podia ver que o corpo dela estava tremendo e definitivamente não estava saudável. O careca deu a Yuzi um olhar insatisfeito.

— Esta é a mulher? Ela está doente? — o homem examinou Sanji da cabeça aos pés como se estivesse verificando uma mercadoria. Quando a viu colocando a mão em um gravador de voz antigo, não deu muita importância, — Eu não consigo nem ver o rosto dela. Isso é um desperdício do meu tempo!

Yuzi ficou ansioso quando ouviu isso e rapidamente brincou.

— Ela não está doente. Talvez seu Valor Potencial de Crescimento seja um pouco baixo…

Antes de terminar a frase, a voz de um homem soou do gravador.

— Que tal uma lâmina afiada? A habilidade de invocar uma afiada…

Antes que Yuzi pudesse reagir, o homem careca o chutou para o chão com uma velocidade relâmpago. Em seguida, o gravador voou para as palmas de suas mãos como se tivesse vivo. A voz parou instantaneamente. A ativação da Gargantilha Pigmalião de Sanji foi interrompida antes que pudesse se aquecer.

Foi só nesse momento que o bruto careca olhou para o gravador espantado. Ele olhou para Sanji e certamente havia excitação em sua voz séria quando exclamou.

— Eu realmente não esperava, mas você ainda tem algumas cartas na manga. Até conseguiu ativar minha “Consciência de Crise”!

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

4 Comentários

  1. Legal esse negócio de voto aí em cima. Finalmente conseguir descobrir que não sou o único leitor dessa obra. Obrigado pelo capítulo

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!