PA – Capítulo 124

Uma Pequena Mudança

 

 

— Filhos duma puta! Por que não mandaram mais combatentes de 2º grau?

Enquanto Aliba, o chefe de polícia, gritava com uma esfera branca flutuando alto no escritório, uma grande quantidade de apetrechos de escritório caíram barulhentamente no chão, junto com a fúria do dono.

— Imprestável! Você não consegue nem lidar com uma mutante bem ali na palma da sua mão! Você é uma desgraça! — Aliba continuou xingando. A esfera branca translúcida exibia a imagem de um homem se curvando. Era o vice-chefe que usava um monóculo.

As outras bolas mais baixo rapidamente se afastaram.

— Chefe. É tudo… É tudo culpa do laboratório, o preço que eles cobram é caro demais… — Percebendo que o seu superior não tinha respondido, acrescentou cuidadosamente: — Considerando que ainda precisamos comprar mais combatentes de 1º e 2º grau e temos que contratar guerreiros deles, o custo…

A coisa mais importante era que os lucros dos ingressos, patrocinadores, etc. seriam na verdade usados ​​como bônus para o Departamento Militar e Policial. Como esperado, Aliba voltou sua raiva para seus rivais de longa data.

— Porra! Aqueles desgraçados ingratos! Se eu não mandasse aqueles itens e mutantes, com que merda eles iriam pesquisar? — Depois de receber dois golpes duros nesse curto espaço de tempo, sua expressão furiosa era suficiente para deixar os soldados inquietos. — Aqueles filhos duma égua do Departamento de Tecnologia, eu ainda vou fazer com que eles participem do torneio um dia!

Ele parou por um momento e inalou bruscamente.

— Corte os bônus este ano e compre mais combatentes de 2º grau. Precisamos matar a desafiante 97!

O vice-chefe rapidamente assentiu. Nos anos anteriores, o Departamento Militar e Policial nunca precisou de dinheiro. Itens Especiais eram extremamente raros e normalmente conseguiam trocar alguns itens por um lote de combatentes de 2º grau, mas este ano…

Quando Aliba se lembrou do roubo, caiu pesadamente em sua cadeira e suspirou.

— Você tem alguma informação sobre os dois que invadiram nosso cofre?

O vice-chefe nem sequer se atreveu a dizer “não”, apenas balançou a cabeça ansiosamente mas, antes de seu superior explodir em fúria, rapidamente continuou:

— Mas quando eu estava lidando com a mulher chamada Xueqin, me lembrei de algo…

Aliba olhou para cima e se endireitou assim que ouviu isso, esperando que seu vice continuasse.

E, de fato, eles raramente recebiam telefonemas no meio da noite, mas havia um envolvendo um civil relatando que uma mutante estava escondida na cidade. Depois disso, os itens do cofre foram roubados enquanto lidavam com ela. Isso era muita coincidência, então provavelmente os fatos estavam relacionados.

Xueqin foi jogada em uma plataforma aérea e levada para o escritório. Todo o seu corpo estava coberto de hematomas, e ela tinha sido espancada tão terrivelmente que era impossível reconhecê-la. Na verdade, ela estava surpresa por ainda estar viva. Xueqin continuou deitada no chão, observando tudo com olhos indiferentes. Seu corpo estava amarrado e ela não tinha nenhuma expressão em seu rosto.

— Onde você conseguiu essa [Esponja Estilizada Exclusiva da Lulu]? — Aliba questionou sem pressa, pois sua raiva já havia diminuído.

Xueqin ouvira essa pergunta inúmeras vezes durante o interrogatório, mas cerrou os dentes e se recusou a responder. Aliba não ficou surpreso com o silêncio da mulher. Ele olhou para o corpo ferido de Xueqin antes de pressionar alguns botões na parede. Um holograma de uma gravação de uma conversa telefônica apareceu no ar. Mostrava um homem encapuzado cujas feições não podiam ser vistas devido ao ambiente escuro, mas sua voz era perceptível.

— Sim, ela estava rua Sadema e andando para o oeste… Você enviará os guardas imediatamente? Não a deixe escapar.

Embora a pessoa tenha intencionalmente mudado a voz, Xueqin rapidamente levantou a cabeça e olhou para a imagem quando ouviu aquela voz, e então começou a tremer.

Aliba sorriu quando viu a reação dela.

 

Trinta minutos depois…

Lei moveu seu corpo com um pouco de relutância enquanto sussurrava para a pessoa ao lado dele.

— Vamos assistir a próxima partida? Eu ainda estou preocupado com elas… Eu não sei o que esses caras farão com a desafiante 97.

— Não vamos mais, venha, — a pessoa respondeu com um tom alegre que ironicamente parecia muito frio. — O que acabou de acontecer foi só sorte. Se continuarmos assistindo, ficaremos desapontados.

Os dois homens não atraíram muita atenção quando se levantaram e deixaram seus lugares VIP. Isso porque todos estavam mais focados em discutir sobre a partida que tinha acabado de terminar. Os eventos que acontecem eram agora o tema de discussão em todas as notícias de entretenimento, talk shows e mídia social no Jardim do Éden. Nos últimos 28 anos, houveram outros casos em que as pós-humanas venceram. De fato, contanto que uma desafiante sobrevivesse à partida, ela seria considerada a vencedora daquela partida. No entanto, esta era a primeira vez que uma desafiante ousava permanecer bravamente na arena e desafiar todo o Jardim do Éden.

— Superior a nós? Ela está sonhando… Olhe para onde estamos sentados e onde elas estão!

— Bem, ela não sabe que as partidas depois da 50º desafiante são muito mais difíceis do que as anteriores… Eu mal posso esperar para ver como a desafiante 97 vai chorar e implorar para sair na próxima partida…

— Você bebeu o sangue daquele degenerado para nos ameaçar?

Quer fosse no telão na arena ou na pequena tela projetada dos relógios, figuras públicas de todas as aparências e vozes estavam comentando sobre o mesmo assunto. Depois de andar pela comoção, Toni parou de repente antes mesmo de chegar à saída. Ele comprou um cachorro-quente de uma pequena barraca nas proximidades e começou a voltar para seu lugar. Lei estava prestes a perguntar sobre aquilo quando olhou rapidamente para a saída e imediatamente entendeu. Naquele momento, percebeu que de repente alguns soldados apareceram para vigiar a saída. Aqueles soldados estavam exigindo que cada pessoa que passasse revelasse seu rosto e cada um deles tinha um retrato nas telas de sua pulseira que parecia muito similar a Toni.

— Ah, sério. Eu não achei que eles descobririam tão rapidamente. — Toni voltou ao seu lugar segurando um cachorro-quente, mas não sabia como comeria com a máscara, então deu o cachorro quente para Lei. — Deve ser aquela mulher.

Lei segurou o cachorro-quente e franziu a testa.

— Merda. O que faremos agora?

— Vamos ver o que acontece. Como não podemos sair agora, vamos assistir à próxima partida… Se for decepcionante, é o destino e não foi minha escolha assistir… — Lei não pôde ver a expressão de Toni por causa de máscara, mas ouviu o homem resmungar.

Lei realmente não conseguia entender a lógica de Toni às vezes, mas uma vez dito isso, a única coisa que podia fazer era se sentar novamente.

— Hum, como eu como isso?

— Se eu soubesse, teria dado para você?

Lei ficou espantado. Queria olhar em volta, mas uma voz severa no telão rapidamente chamou sua atenção. Em seguida, o chefe de polícia, Aliba, apareceu na tela. Isto foi seguido por aplausos da platéia.

— O Comitê acha a camaradagem que a desafiante 97 mostrou muito interessante. Para que todos possam desfrutar desta experiência, decidimos fazer uma ligeira mudança…

Quando Sanji ouviu a palavra “mudança”, seu coração disparou. Ela estava com medo de que o que mais temia fosse acontecer.

As regras do torneio eram decididas pelos organizadores, afinal de contas. Já que eles faziam as regras, também tinham o direito de mudá-las sempre que quisessem. Se eles realmente o fizessem, o destino das desafiantes restantes seria novamente imprevisível.

Sanji só podia contar com uma coisa — que o comitê seria orgulhoso demais para admitir seus erros e teimoso demais para mudar as regras. Ela podia sentir que as mulheres nas cápsulas ao lado a olhavam ansiosamente. Sanji mordeu os lábios e prendeu a respiração enquanto ouvia o anúncio de Aliba.

— Igual ao que a desafiante 97 declarou, as dez mutantes se unirão na próxima partida. Isso não é comovente? Dessa forma, o Comitê decidiu que adicionaremos uma mutante com dificuldades de se movimentar à próxima partida. Vamos torcer para que a desafiante 97 e suas companheiras consigam se decidir sobre como elas lidarão com essa mutante especial…

Antes de Aliba terminar sua frase, Sanji sentiu suas pernas ficarem fracas e ela caiu no fundo da cápsula. Seus músculos estavam começando a doer e sua visão estava embaçada. Ela estava muito familiarizada com essa sensação. Invocou sua carta de Nostradamus ansiosamente e transferiu a radiação em seu corpo para a carta. Sanji absorveu com sucesso a radiação no corpo do degenerado bebendo o sangue.

O símbolo de bateria pequena na carta mostrou um sinal de raio por um tempo e o número na bateria aumentou para 16%. Os degenerados eram de fato produtos da radiação. Sanji só bebeu um pouco de sangue, mas a radiação naquela pequena quantidade ia muito além do que humanos normais poderiam suportar, mas talvez não fosse o suficiente…

Depois que sentiu sua fadiga desaparecendo, Sanji se apoiou nas paredes da cápsula enquanto observava a nova pós-humana que os organizadores trouxeram.

Os restos sangrentos na arena haviam sido removidos, talvez para aliviar os medos que os moradores sentiram depois de ver os espíritos na partida anterior, mas ainda havia manchas de sangue no chão. Um soldado entrou na arena com uma mulher imóvel em seu ombro, jogou o corpo parecido com um trapo no chão e saiu.

Os braços e pernas da mulher estavam todos torcidos em algum ângulo estranho, definitivamente quebrados. Ela parecia inconsciente, mas seu rosto e corpo estavam tão inchados que um de seus olhos estava entreaberto.

A segunda partida do dia estava começando. A mulher no chão estremeceu um pouco quando ouviu as cápsulas sendo transportadas para a arena. Sanji saiu de sua cápsula e olhou para as outras nove mulheres.

Em comparação com as mulheres das partidas anteriores, o estado mental das cinco mulheres adicionais parecia visivelmente melhor. Uma mulher com olhos gentis assentiu em gratidão para Sanji. Enquanto isso, uma adolescente de 14 anos se aproximou de Sanji. Embora a menina parecesse muito assustada, havia uma brilho de esperança em seus olhos. As nove mulheres inconscientemente se reuniram em volta de Sanji, esperando que ela dissesse alguma coisa.

— Eu não vou falar nada desnecessário. — Depois que Sanji reviu o que aconteceu na partida anterior, ela finalmente concluiu. — Vocês só precisam se lembrar, todas vocês devem ficar após o final da partida para ajudar as desafiantes a lutar amanhã.

Com o número de desafiantes aumentando a cada partida, poderia não ser suficiente para ameaçar os moradores, mas pelo menos ajudaria a garantir que as demais mulheres sobrevivessem e não terminassem como Xinyi e as outras.

Uma garota com um cabelo parecido com um ninho realmente chorou depois de ouvir o que Sanji disse, muito provavelmente porque percebeu que tinha a chance de sobreviver agora pois as pessoas da partida anterior mantiveram sua promessa. Ela assentiu tão vigorosamente que os outras temiam que sua cabeça fosse cair.

Enquanto as mulheres choravam, riam e concordaram, Sanji ficou um pouco surpresa e emocionada porque nenhuma das mulheres sequer sugeriu abandonar a pós-humana desconhecida. Talvez, experimentando esse pesadelo, a tenacidade delas tenha sido revelada. Até Juli sugeriu:

— Eu posso pedir para o meu acompanhante protegê-la…

Porém, uma voz fraca de repente a interrompeu:

— Não preciso da sua ajuda…

Sanji se virou e percebeu que a mulher no chão havia aberto os olhos. Lágrimas rolaram pelo rosto enquanto ela cerrava os dentes e continuava:

— Todas vocês, mutantes, são pessoas más! Eu não preciso da sua ajuda!

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

2 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!