PA – Capítulo 135

Chapeuzinho Vermelho e o Lobo Mau

 

 

Depois de ser jogada entre as três histórias várias vezes, Sanji estava exausta. Ela suspirou e deitou em cima de uma mesa de madeira. A mesa era extremamente dura. Apesar de Emma, ​​a avó de Chapeuzinho Vermelho, ter colocado um colchão fino sobre ela, Sanji podia sentir a superfície desconfortavelmente dura. Comparado a Lila, a vida de Emma era difícil demais. O pequeno chalé de madeira tinha apenas um cômodo que servia tanto como quarto quanto de sala de estar. Não tinha sequer uma cama de hóspedes e a única mobília que parecia um pouco mais cara era um espelho que o rei lhe dera como presente. Espelhos eram difíceis de produzir no passado, então eram considerados luxos raros.

A luz refletia na superfície polida do espelho enquanto Sanji rolava em sua cama improvisada algumas vezes. Enquanto a neta e a avó conversavam baixinho, a ansiedade que sentia era como um fogo que queimava qualquer chance de dormir.

Era noite em todas as três histórias.

Primeiro, Lila estava puxando seu braço, pedindo que dormisse na mesma cama grande. Então, Sanji se viu expulsa pela madrasta para um pequeno quarto. Era para dividir uma cama de palha com Cinderela. Quando abriu os olhos novamente na casa de Emma, ​​tinha perdido toda a noção do tempo.

Como tudo ao seu redor estava mudando o tempo todo, Sanji não conseguia mensurar a quanto tempo estava no Glitch.

Xueqin e o resto já tinham visto a carta? Será que elas poderiam confiar na rota de fuga providenciada por Toni? Mais importante, como ela iria sair desse Glitch?

Atualmente, mesmo sendo uma personagem extra em todas as histórias, as histórias pareciam estar progredindo normalmente. A única coisa que não aconteceu foi que o lobo mau não apareceu na história de Chapeuzinho Vermelho…

Seria esse o segredo?

Mas, Sanji não fazia nem ideia de qual era o objetivo desse Glitch. Ela suspirou novamente. A casa ficou em silêncio novamente e Chapeuzinho Vermelho perguntou baixinho:

— O que está te incomodando?

— Nada não, eu estou bem. — Sanji respondeu rapidamente, sentindo que Emma estava olhando para ela. — Eu só preciso ir a algum lugar com certa urgência, então estou me sentindo um pouco ansiosa…

Quando elas estavam dividindo o bolo que Chapeuzinho Vermelho trouxe, Emma tentou obter mais informações sobre Sanji. Talvez a avó tivesse um passado complicado, então era mais reservada que sua neta. Embora não conseguisse encontrar nada de errado com as respostas de Sanji, Emma preferiu dormir ao lado da cama mais perto de Sanji e deixar a neta dormir do outro lado. Enquanto conversavam em voz baixa por algum tempo, de repente ouviram o som da chuva batendo contra as janelas. Através delas, Sanji podia ver a chuva ficando mais forte e mais intensa. Logo, as gotas de chuva estavam violentamente atacando a pequena cabana.

Sanji não pôde deixar de pensar no que Chapeuzinho Vermelho disse sobre não ter visitantes. De repente, perguntou sem pensar:

— Emma, ​​onde você humm… dança? A chuva parece muito forte hoje.

“Pá!” Houve um som repentino na escuridão. Isto foi seguido pelo grito de Chapeuzinho Vermelho. A menina tinha levado um tapa de sua avó.

— Essa menina sempre fala besteira… — Emma parecia um pouco envergonhada. — Isso foi anos atrás. Eu parei depois que minha filha começou a me evitar. Agora, eu basicamente vendo artesanato para sobreviver. — Emma compartilhou um pouco mais, talvez considerando que Sanji também era uma mulher e não parecia julgá-la. — Depois que eu parei de dançar, meu relacionamento com minha filha está melhorando… Veja. Quando ela soube que eu não estava bem, mandou Chapeuzinho Vermelho aqui para me trazer um bolo. — Emma parecia satisfeita depois de dizer isso.

Sanji teve uma súbita vontade de perguntar se já tinham visto outros “viajantes de outras terras”, mas antes que pudesse falar qualquer coisa, foi interrompida por uma série de latidos lá fora. Cachorros latiam alto do lado de fora, e o barulho se aproximava cada vez mais da porta.

As três pessoas dentro da casa rapidamente se levantaram e correram para as janelas. Através da chuva, viram os vultos negros de alguns cachorros. Eram cachorros grandes, quase da metade da altura de um humano. Eles estavam latindo loucamente para a pequena cabana.

Chapeuzinho Vermelho ficou assustada e rapidamente segurou Sanji com sua pequena mão fria. Ela olhou para a avó e perguntou soluçante:

— De quem são esses cães? Por que estão agindo assim? É assustador.

O rosto de Emma ficou pálido.

— São os cachorros do Ive…

As palavras da avó sugeriam que o homem chamado Ive era um dos caçadores da região. Sanji não estava nem um pouco preocupada com os cachorros, nem mesmo se fossem algum tipo de cão demônio. Ela caminhou até a porta e estava prestes a dizer que poderia afastá-los quando uma voz masculina raivosa interrompeu seus pensamentos:

— Emma! Você está viva?

Emma ficou chocada. Embora estivesse um pouco confusa com a pergunta, rapidamente recuperou a compostura e gritou:

— Link, eu estou aqui. — Então, ela foi abrir a porta.

Ela mal tinha aberto a porta quando uma pessoa do lado de fora puxou a porta, fechando-a novamente. A mão de Emma pairou no ar enquanto olhava para a porta de madeira. Sua expressão ficou sombria.

— Isso é algum tipo de brincadeira? — Ela inalou bruscamente antes de gritar para a porta. — A Chapeuzinho Vermelho está aqui hoje! Você está assustando ela. Leve esses cachorros para longe!

Os homens pararam de falar quando ouviram as palavras. Os cachorros continuaram latindo loucamente como se pudessem derrubar a casa com latidos. Depois de alguns segundos, um homem finalmente falou:

— Só tem vocês duas aí dentro?

Sanji ficou espantada e olhou para Emma lentamente.

— Eu tenho outro convidado. — Emma olhou pela janela rigidamente. — Por que você fez essa pergunta?

Sanji podia ver as mãos de Emma ficarem brancas de tensão enquanto se agarrava na borda da janela.

— Ive! Richard! Traga os cachorros para o jardim!

O homem chamado Link chamou dois outros homens antes de se virar novamente para o chalé de madeira.

— Eu percebi que algo estava errado, então eu rapidamente chamei Ive e Richard para ajudar… Apesar da chuva forte, nossos cães de caça ainda estão se comportando de forma tão estranha, então minha suspeita deve estar certa.

Depois de um momento, a voz de Link soou novamente:

— Na sua casa… deve haver um lobisomem entre vocês.

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

2 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!