PA – Capítulo 150

São Pedro não é o Único Santo

 

— Hahaha! — Quando Aliba viu a fileira de cabeças em sua tela, não conseguiu conter sua felicidade e finalmente caiu na gargalhada. O mesmo nunca imaginou que as cabeças decapitadas de seus odiados inimigos, que o impediram em todas as oportunidades durante todos esses anos, seriam uma visão tão agradável de se ver.

— Quantos alvos a mais existem? — Ele bateu na mesa, se virando para o pálido e nervoso vice-chefe. — Não muitos, certo?

O vice-chefe rapidamente retirou uma lista e sussurrou algumas palavras para Aliba.

No outro extremo da tela, as pós-humanas estavam cobertas de sangue. Havia uma atmosfera pesada no ar e quando elas ocasionalmente olhavam um para a outra, era notável ansiedade no rostos uns das outras.

As pós-humanas já haviam sido despachadas várias vezes e o número de cabeças no chão continuava aumentando. Quando uma equipe se reunia novamente na prefeitura, a tela se iluminava com uma nova lista de ‘missões’ de Aliba. As mulheres não queriam se submeter aos caprichos do chefe de polícia de bom grado, mas muitas de seus companheiras feridas e incapacitados eram agora reféns do Departamento Policial, então elas simplesmente não tinham escolha senão cumprir as novas missões.

— Vamos. — Juli se levantou. O acompanhante se levantou ao mesmo tempo com Xueqin nas costas. — É sufocante aqui. Eu prefiro ficar lá fora, — ela comentou infeliz.

As outras duas integrantes da equipe seguiram atrás dela sem dizer nada enquanto se dirigiam para a próxima tarefa.

A localização do novo alvo era perto da residência de Guang Zhu, o lugar que ocupavam ilegalmente por uma noite. O alvo do assassinato, o chefe do Departamento de Tecnologia, provavelmente notou os envios suspeitosos, então montou muitos mecanismos e armadilhas de defesa – muitos dos quais eram claramente produtos desenvolvidos pelos Laboratórios Jardim do Éden. Foi necessário um esforço considerável antes de colocar as mãos na cabeça decepada do homem.

Xueqin olhou pela janela do quarto do homem morto e viu seu criado gritando e tropeçando enquanto corria para longe. Depois de ver isso, baixou os olhos com uma expressão branda. Ela não se importava se aquele fugitivo alertasse as autoridades ou qualquer outra pessoa. Afinal, esses eram todos os problemas futuros de Aliba.

Enquanto isso, Arielle e as outras revistaram os quartos da mansão. Normalmente, as pessoas que detinham poder com seus altos cargos no governo tinham seu próprio estoque de itens especiais. Eles definitivamente seriam úteis para elas, já que atualmente não tinham nenhum item.

Juli segurou um bastão em suas mãos depois de quebrar todo o guarda-roupas. Saiu suspirando exasperada.

— Esse cara tem poucos Itens Especiais. Só tinha essas criações inúteis dos Laboratórios.

Na verdade, os produtos dos laboratórios não eram tão ruins assim. Foram realmente eficazes e deram bastante trabalho para as mulheres. Infelizmente, a maioria dos itens que pertenciam a esse oficial eram grandes demais para serem carregados.

— Seria ótimo se a Ji estivesse por perto, ela seria capaz de armazenar tudo, — disse Juli desanimada. Quando pensou em Sanji, não podia deixar de se preocupar. Ela colocou seu bastão para baixo e tentou ligar para Lina novamente.

Quando as outras ouviram os sons do comunicador, olharam para Juli. Mas, quando ninguém atendeu, mesmo depois de alguns toques, voltaram o foco para a busca. Nem mesmo elas poderiam dizer se estavam desapontadas ou já entorpecidas.

— Droga. Deixa pra lá, — Juli xingou baixinho, estendendo a mão para terminar a ligação.

Mas o segundo antes dela encostar no botão, a chamada do comunicador parou. Momentaneamente atordoada, Juli olhou para o rosto de Lina apareceu de repente na tela. Lina sorriu, mostrando nenhum comportamento ou expressão incomum.

— Oh, é você. Como estão as coisas aí?

Ela parece diferente.

Um pensamento fugaz surgiu na mente de Juli, mas foi rapidamente esquecido. Agora, ela estava apenas animada e surpresa.

— Você finalmente atendeu! O que aconteceu? Onde você está? Você conseguiu encontrar a Ji?

Depois de fazer uma série de perguntas, Juli notou a paisagem atrás de Lina.

A mesma estava de pé em um lugar escuro que era apenas ligeiramente iluminado pelo luz da lua.

Onde ela está?

— É uma longa história. Eu a encontrei. — A risada suave de Lina interrompeu os pensamentos de Juli. Ela olhou em volta para as mulheres que a cercava e perguntou. — Por que suas expressões estão tão estranhas? Rápido, me diga onde estão vocês duas?

Sem pensar duas vezes, as mulheres começaram a explicar a situação atual, uma depois da outra.

— Acho que a maioria dos inimigos de Aliba já estão foram assassinados. Não sei quais as intenções dele agora… — Juli limpou o rosto preocupada. Foi só então que perceberam que ainda não tinham visto Sanji no comunicador.

— Onde está a Ji? Ela tem alguma ideia sobre como lidar com isso? Ela não estava planejando destruir o vidro? Qual é a situação agora? — Xueqin perguntou.

Lina abriu a boca como se estivesse prestes a respondê-las. Mas a tela ficou preta de repente. O grupo de mulheres continuou olhando para o comunicador enquanto a mansão permaneceu em silêncio.

— Eu já fiz o que você pediu e você já sabe como elas estão. — Lina tirou o comunicador do pulso vagarosamente. Esmagou-o suavemente entre os dedos, transformando-o em pó que se espalhou pelo chão. — O que você planeja fazer agora? — a mulher disse com um sorriso enquanto olhava para Sanji.

Sanji franziu os lábios. Quando ouviu pela primeira vez a “confissão” de Lina, a raiva e o choque a assaltaram como um tsunami. Mas, por vários motivos, depois que ouviu falar sobre a situação de suas companheiras, a raiva passou e ela conseguiu manter a calma e racionalidade.

De qualquer forma, ela só tinha uma escolha agora.

— Eu tenho algumas perguntas que eu gostaria que você esclarecesse. — Quando Sanji começou a falar, até Lina ficou surpresa com a compostura da outra mulher. A mesma sorriu imediatamente.

— Vá em frente. Se eu puder respondê-las, definitivamente o farei.

— Primeiro, qual é o propósito do seu experimento? Não acredito que você só queria ver as pessoas morrerem, certo?

Embora fosse apenas a primeira pergunta, a outra mulher franziu a testa como se tivesse problemas em responder e hesitou por algum tempo.

— Hum… Para resumir, suponho que eu poderia chamar o experimento de “Um teste da reciclabilidade humana”. Olhe, — ela colocou o dedo no vidro e bateu na área com a vista da cidade, — o estado atual do Jardim do Éden é uma demonstração clara da lei de Gresham. Objetivamente falando, só há lixo aqui.

Sanji sentiu que quando Lina usou a palavra “lixo”, a mulher realmente não atribuiu nenhuma emoção à palavra, Lina parecia realmente tratá-la como se estivesse afirmando um fato.

— Você é sentimental, justa… Mas ainda cheia de falhas. No entanto, você ainda está um pouco longe de ser lixo. Você pode desprezar e odiar os moradores do Jardim do Éden, mas você não é essencialmente diferente daquelas pessoas lá embaixo.

Sanji se sentiu ofendida, mas tentou o seu melhor para ignorar esses sentimentos negativos e continuou ouvindo.

— Se você for uma das pessoas no meu experimento, eu consigo fazer você se tornar lixo como eles em um ano. Oh! Eu não estou intencionalmente te insultando, e eu não estou te subestimando também. Isso também se aplica a mim, — Lina também disse, como se estivesse tentando explicar algum mal entendido.

— Esta é a natureza humana, afinal de contas. Um verdadeiro apocalipse não se refere ao fim da humanidade, — disse a mulher indiferente. — Ao invés disso, um apocalipse ocorre precisamente porque a humanidade está em sua idade de ouro – ou devo dizer – todo planeta que passa por um cenário apocalíptico está tratando a si mesmo… Mergulhar todos os humanos vivos na miséria é um processo necessário que o planeta tem que experimentar para se livrar do “câncer” chamado seres humanos. Eu passei por vários mundos apocalípticos ao longo dessas poucas décadas e uma coisa foi enfatizada repetidas vezes através de minhas experiências: os humanos serão extintos, mais cedo ou mais tarde, da mesma maneira que os dinossauros. Sendo assim, há alguma coisa sobre humanos que vale a pena salvar ou preservar? Depois de observar esse experimento em larga escala por 59 anos, eu ainda não achei uma coisa sequer.

Lina se virou e São Pedro deu dois passos para frente como se entendesse o que ela queria.

— Deixe-me apresentar minha criação. Usando engenharia genética e biologia sintética – NeuMensh.

Sob o fraco luar que entrava pela janela, São Pedro parecia mais alto do que antes. Sua cabeça em forma de amêndoa era embelezada por dois olhos negros e seu nariz era apenas dois pequenos buracos redondos. Parecia um humano, mas se alguém olhasse o suficiente para seus olhos negros, um humano sentiria sua aura terrivelmente calma – uma aura desumana com uma profundidade inexplicável.

— Eles geralmente não são agressivos, a menos que eu lhes dê um comando. — Lina acalmou Sanji depois de perceber seu nervosismo. — Eu tenho esperanças que eles substituam os humanos e povoem todos os planetas.

— Você deu uma resposta mais detalhada do que eu esperava. — Sanji acalmou seus batimentos cardíacos e observou enquanto São Pedro retornava à sua posição anterior. Apesar de sua estatura, ele caminhou silenciosamente, quase – pensou Lin Sanjiu – como um gato.

Para Sanji, as coisas eram bem claras. A mulher à sua frente era, sem dúvida alguma, uma louca misantropa.

A lua que ficava atrás das nuvens era como gelo derretendo, ficando cada vez mais e mais fraca no céu azul escuro. Como o sol ainda não havia surgido no horizonte, o momento anterior ao amanhecer estava escuro sem a iluminação da lua.

A única luz que restava no céu noturno era das estrelas, que projetavam um reflexo branco na parede de vidro do andar superior da torre. A conversa das duas mulheres que estavam na parede de vidro já tinha durado algum tempo.

Sanji, que ainda estava pálida após ser bombardeada por uma enorme quantidade de informações perturbadoras, se esforçou consideravelmente para começar a respirar normalmente. Depois disso, lançou um olhar à Lina e de repente riu.

— Uma última pergunta. Lina não é o seu nome verdadeiro, certo. Então, o que eu deveria te chamar?

— Você pode me chamar de… Nüwa. — A mulher perto da janela respondeu suavemente. Usando este nome não era um exagero. Sua capacidade de criar vida estava definitivamente similar ao de uma divindade.

Seu oponente é uma “deusa”…  — Sanji pensou vagamente.

— Nüwa, — Sanji repetiu e assentiu. — Você pode pedir ao São Pedro para me dar uma xícara de chá? Esta noite foi bastante tumultuada e eu realmente estou com sede.

Nüwa provavelmente não esperava o pedido de Sanji. Ela hesitou por um momento e se virou olhando para São Pedro. A criatura estranha, alta e silenciosa parecia compreender seu olhar. Ele se virou e caminhou para o fundo do corredor. Depois de alguns minutos, voltou com uma xícara de chá.

Um aroma agradável emanou com o vapor da xícara de chá quente, flutuando entre os dedos longos de São Pedro. Sanji engoliu um gole de saliva e agradeceu a criatura antes de pegar a xícara.

Quando estava prestes a encostar na xícara, Sanji reuniu suas forças e jogou a xícara de chá na direção de São Pedro. O chá quente e os fragmentos de porcelana da xícara voaram no ar, enquanto Sanji apontava seu soco oculto para a cabeça da criatura.

São Pedro apareceu surpreso e enrolou o corpo desajeitadamente. O ataque de Sanji não acertou. Ele desenrolou seu estranho corpo no ar, que agora estava na forma de uma fita métrica. No entanto, o mesmo não retaliou, mesmo depois de voltar ao chão.

— O que você está fazendo? — Nüwa perguntou com uma voz que não era nem muito alta nem muito suave. Isso impediu Sanji de impulsivamente continuar com seus ataques. — Você acha que São Pedro não sabe se defender sem o meu comando?

Isso foi exatamente o que a Sanji pensou.  Ela fez uma careta, se culpando por acreditar que tinha encontrado uma oportunidade. Já que as circunstâncias já eram assim, ela decidiu ser sincera sobre suas intenções, — Desculpe, mas eu não tenho interesse em seus planos. No entanto, para a segurança de minhas companheiras e dos pós-humanos que virão aqui no futuro, o Jardim do Éden não pode continuar a existir. Se eu não puder destruir o escudo protetor de uma só vez, eu vou quebrá-lo pouco a pouco. Se vocês tentarem me impedir, eu vou ter que lidar com todos vocês primeiro.

Ela fechou os dois punhos firmemente, já havia ativado [Censura Mosaico] e o [Gravador] estava agora aos seus pés.

O que Sanji não esperava, era que Nüwa fosse cair na gargalhada.

— Claro, — Nüwa respondeu em um tom amigável. — Você pode tentar.

A parede atrás dela de repente se abriu, revelando quatro nichos. Um deles estava vazio, enquanto três criaturas altas, semelhantes a São Pedro, saíram dos três restantes.

— Se você conseguir derrotar este primeiro lote de “protótipos”, eu lhe direi o método para desabilitar o escudo de radiação. — Nüwa colocou a mão direita sobre a esquerda, casualmente, enquanto olhava para Sanji. A testa de Sanji agora estava coberta de suor frio.

 

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!