PA – Capítulo 151

E Esse é o Lendário Amigo Troll.

 

— Esta forma de vida excede os humanos em todos os sentidos.

Quando as palavras de Nüwa ecoaram na mente de Sanji mais uma vez, os dois longos braços esquerdos de Aristóteles, com mais de dez articulações cada um, se estendiam como dois chicotes vivos. Eles se dirigiram rapidamente para Sanji. Embora os “Neohumes” não fossem agressivos, sua consciência situacional de combate era ainda superior à de muitos pós-humanos experientes. Sanji se inclinou para frente, planejando evitar o ataque, mas percebeu que seu inimigo tinha uma estrutura corporal única, de modo que o movimento seria fútil contra o ataque do inimigo.

Justamente quando os dois braços estavam bem na frente do rosto dela, ela se jogou ao chão e rolou para longe, evitando o ataque. Sanji sentiu um leve arranhão em sua cabeça. A onda de ar que se seguiu ao ataque de Aristóteles foi tão forte que cortou algumas mechas de seu cabelo.

Quão forte precisa ser o ataque para criar vácuos?

Antes que pudesse se levantar do chão, outra sombra deslizou para o lado dela. Ele mirou um chute em seu abdômen, mas Sanji rapidamente respondeu com ambas as mãos, esperando transformar a perna do inimigo em polpa de carne. No entanto, Montesquieu de repente gritou curto e agudo. São Pedro reagiu retraindo suas articulações. Com essa manobra que nenhum humano poderia replicar, evitou a mão de Sanji.

Esta era luta de um contra quatro. Seus oponentes não eram apenas inteligentes, fortes e ágeis, mas o trabalho em equipe também era impecável. Depois de trocar alguns golpes, o braço esquerdo de Sanji já estava ferido. Ela segurou seu braço e colocou alguma distância entre eles de maneira vergonhosa. Este foi o mesmo cena que ela viu no Glitch.

Nüwa já havia saído, no começo da luta. Segundo ela, Sanji só precisava incapacitá-los para receber o método de destruir o escudo de radiação.

— Isso não é um pouco difícil demais? — Sanji murmurou  antes de saltar para o ar. Um ataque atingiu o local em que ela estava. Concreto pulverizado por toda parte e fumaça branca subiu do chão – o ataque errou. Laozi, que de alguma forma estava atrás de Sanji, recuou os braços lentamente.

Sanji sabia que não tinha chance de vencer se dependesse do combate corpo-a-corpo. Então lembrou que ainda havia algumas descrições de habilidades muito boas no [Gravador] – mas era tarde demais.

Após a troca rápida de golpes, Sanji recuou algumas vezes. Agora, São Pedro e Montesquieu estavam entre ela e o gravador. Se olhasse além das longas e musculosas panturrilhas, ainda podia distinguir onde estava o item.

Que bom que eles ainda não perceberam…

Justamente quando esse pensamento passou pela mente de Sanji, Aristóteles caminhou de outra direção. Ele olhou para o enfeite de metal e gentilmente cutucou o gravador com a ponta dos dedos.

Apesar de Nüwa ter falado que a inteligência deles era comparável à dos humanos, era um fato que eles não tinham as mesmas experiências de vida, e aqui também não era a Terra. Para esses “sábios”, o gravador era um item novo que eles nunca haviam visto antes.

Sanji engoliu em seco já que só podia assistir enquanto Aristóteles usava a mão de seu braço secundário esquerdo para pegar o gravador. Sua boca parecia estar criando algum tipo de onda sonora de baixa frequência. Sanji tentou o seu melhor para ouvir, mas não conseguia ouvir nada.

Por outro lado, os outros três Neohumes certamente o ouviram. São Pedro vigiava Sanji para impedi-la de atacar os outros, enquanto o resto das criaturas aproximavam seus rostos do gravador. Eles cheiraram e examinaram de todos os ângulos, quase como se estivessem discutindo e tentando determinar o que era.

Sanji sentiu seu coração na garganta. Se eles destruíssem seu gravador, sua chance de ganhar efetivamente cairia para zero. No entanto, realmente não tinha coragem de tomar o item deles porque estava com medo de que, se seus oponentes soubessem o quanto isso era importante para ela, o destruiriam imediatamente.

A criatura alta de nome “Laozi” marcado em seu pescoço começou a vibrar sua boca rapidamente, falando  em alguma linguagem desconhecida enquanto segurava o gravador em frente de seus olhos. Em seguida, Sanji olhou impotente enquanto ele pressionava o botão “apagar”.

O gravador emitiu um zumbido enquanto as gravações eram lentamente apagadas da fita cassete. Por um momento, Sanji sentiu como se seu coração estivesse prestes a explodir. Sem pensar, gritou: — Não! — Então, correu para frente e atacou com a arma improvisada feita da boca de um degenerado.

São Pedro aparentemente estava preparado. Ele levantou dois braços e agarrou a arma de Sanji e parou o ataque. Embora sua pele verde clara fosse muito forte e durável, ainda era cortada pelos dentes afiados da arma. Seu sangue transparente escorria de suas pequenas feridas.

Sanji puxou sua arma para trás com toda sua força e percebeu que não se movia. Ela soltou a arma e decidiu apenas atacar as costas de São Pedro. No entanto, algo extraordinário aconteceu. Laozi se virou para olhá-la. Ele inclinou a cabeça e apertou o botão “Parar”.

O gravador ficou em silêncio. Parou. Naquele instante, os quatro “sábios” olharam para Sanji que estava tão aturdida que não sabia o que fazer. Ninguém se mexeu.

Definitivamente não foi uma coincidência que Laozi parou o gravador. Quando ele ouviu Sanji, ficou claro pelo olhar de seus olhos profundos que ele estava pensando em alguma coisa.

Ele quer usá-lo como moeda de barganha? Ou para me ameaçar? Talvez estava com medo de algum tipo de retaliação?

Inúmeros pensamentos percorreram a mente confusa de Sanji naquela fração de segundo.

Laozi pegou o gravador, olhou para Sanji e se abaixou. Então, o colocou na frente de Sanji.

— Seu, — ele enunciou. Parecia ser uma tarefa difícil para ele criar esse som.

Sanji olhou para os sábios que a rodeavam e ela pegou o gravador sem expressão.

Depois que pegou o gravador, as quatro altas criaturas imediatamente recuaram de maneira defensiva. Ao que parece, eles devem ter adivinhado que aquela coisa de metal era importante para Sanji porque era poderoso.

A sensação fria da superfície metálica do gravador estava desaparecendo devido ao calor das mãos de Sanji. — Os humanos teriam vergonha de sua existência se eles se comparassem a eles… — Do nada, Sanji de repente se lembrou das palavras que Nüwa havia falando antes.

Nüwa ordenou que os quatro Neohumes lutassem juntos contra Sanji. Fora essa ordem, as ações deles foram todas baseadas em suas próprias decisões.

Sanji finalmente agiu. Recuou e criou distância entre ela e seus oponentes novamente. De repente, exalou profundamente e riu amargamente.

— Como poderia haver uma criatura tão estúpida? — ela murmurou para si mesma. — Se fosse assim, eu poderia enganá-los e vencer facilmente.

Embora ela não fosse a faca mais afiada da gaveta, já havia pensado em algumas idéias. Por exemplo, poderia fazer um pedido para que eles parassem a luta e atacar sorrateiramente quando eles baixassem a guarda. Outro método era encontrar alguma desculpa sair deste lugar, e quando os Neohumes voltassem para seus “quartos”, poderia matá-los facilmente, usando qualquer meio que a satisfizesse.

Trapacear é uma habilidade inata dos seres humanos.

Sanji sentiu por um segundo algo semelhante ao riso de Nüwa em sua mente.

— Droga, — Sanji cerrou os dentes e apertou o botão “tocar”. — Eu posso ganhar mesmo se eu lutar de forma justa!

Se seus oponentes fossem humanos, não se importaria em usar algum truque, mas lutar contra esse Neohumes fez Sanji relutar em mostrar qualquer comportamento que provasse que a hipótese de Nüwa estava certa.

Sanji não tinha certeza de que habilidade dela conseguiria ganhar. Além das idéias de Sanji, seus companheiros só podiam sugerir brevemente quais eram os poderes. Se eles elaborassem mais, ativaria a gargantilha e a habilidade seria desperdiçada.

Uma voz familiar que não ouvia há muito tempo soou do gravador. Era Changzai. Sanji conteve suas emoções enquanto ouvia suas palavras silenciosamente.

— Ji, de repente pensei nessa ideia. Talvez, possa ser muito útil! — Ele ainda era um bobão. — Você sabe que eu tenho alergias, certo? Quando começa, eu realmente não consigo fazer nada… Sua nova habilidade será fazer com que seu alvo designado espirrar sem parar!

Tocando sua Gargantilha, que estava gradualmente ficando mais quente sob as ataduras de seu pescoço, ela ficou espantada. Se Changzai estivesse na frente dela agora, daria um tapa nele.

E sabe-se lá se esses Neohumes espirram?!

Ela olhou para as quatro figuras silenciosas. Já obteve sua resposta.

 

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!