PA – Capítulo 45

Eu vou Cuidar de Você e te Proteger Mesmo que eu me Torne um Fantasma

 

 

Essa era a primeira vez que a Sanji via tamanha quantidade de degenerados desde que o Novo Mundo chegou. Griselda tinha acabado de gritar o aviso quando a voz dela foi substituída pelo intenso zunido de felicidade dos degenerados. Numerosos degenerados saíram das janelas dos edifícios ao longo dos dois lados da estrada, balançando suas bocas no ar. Suas salivas voaram por toda parte, caindo sobre o grupo como uma chuva viscosa. Para Sanji, essa cena era como um enxame de abelhas entrando e saindo da colmeia.

Era impossível contar o número de degenerados ao redor, e nem eles tinham tempo para fazer isso. A única coisa que era certa era que mesmo que os seis morressem, não haveria sangue o suficiente para todos os degenerados.

— Que merda é essa!? Isso é considerado um pequeno grupo? — Fei estava horrorizado enquanto xingava em voz baixa. E ele não era o único. Na verdade, todos os seis estavam estupefatos e ficaram sem saber o que fazer por um momento.

Sob a cacofonia dos zumbidos, os degenerados mais próximos começaram agilmente a descer das janelas.

Quando o grupo viu os degenerados descerem facilmente dois andares, Sétimo foi o primeiro a reagir, gritando:

— Que tal a gente começar a correr? — Logo em seguida, ele se virou e começou a correr. Inesperadamente, ele tinha dado apenas alguns passos quando quase colidiu na Griselda que tinha corrido para bloquear o caminho dele. Ela olhou para ele friamente e não mostrou nenhum sinal de que sairia da frente.

— Nenhum de vocês pode retornar ao Oásis! — Xiaoyang gritou por trás dele. — Se essa quantidade de degenerados nos seguir, ninguém no Oásis sobreviverá! — Xiaoyang ficou pálida enquanto falava isso. Ninguém sabia se ela estava ansiosa ou irritada, mas em todo caso ela ordenou: — Eu quero que todos vocês entrem e levem esses degenerados para longe daqui!

Fora a Griselda, nenhum dos outro quatro conseguiam acreditar no que tinham acabado de ouvir. Fei olhou para a estrada à frente e balbuciou:

— Lider… Líder, você deve estar brincando, né? Os edifícios estão todos cheios de degenerados!

Sanji podia sentir seu coração batendo furiosamente, ela olhou a área ao redor — à sua esquerda, apenas 50 metros à frente, alguns degenerados já chegaram ao primeiro andar do edifício que estavam descendo. Xiaoyang bufou, e Griselda imediatamente ameaçou todos eles:

— Se alguém tentar correr na direção oposta, terá que passar por mim!

Depois que ela falou isso, seu braço branco esbelto inchou visivelmente como um balão. Os músculos do braço rasgaram a manga da camisa, enquanto grossas veias verdes apareceram no braço, criando um forte contraste com o resto do corpo sensual dela. Mesmo quando ela jogou Dao contra a parede, Griselda não tinha mostrado essa transformação estranha — ela parecia estar levando muito a sério suas palavras. Fei engoliu seco com uma expressão horrificada. Por um momento, todos ficaram quietos. Naquele momento, eles ouviram um “baque” e notaram que um degenerado tinha pulado para o chão.

— Não importa a direção, corram! — Sanji finalmente gritou, incapaz de se segurar por mais tempo, ela arrastou Sétimo junto com ela e continuou: — Eu garanto que ele não vai correr de volta para o Oásis, ok? Os degenerados estão chegando!

Vendo que não dava para manter a situação por mais tempo, Xiaoyang olhou para Griselda e falou: — Vai! — Com isso, Griselda correu em direção a Xiaoyang. Ela pegou a menina em seus braços e continuou correndo. O resto não perdeu tempo ao seguir elas, correndo o mais rápido que conseguiam.

Griselda manteve o braço esquerdo naquela forma escandalosamente musculosa. Enquanto ela corria, ela atacou com seu braço um dos degenerados que tinha pulado no chão, mandando ele voando pelo ar. Com ela abrindo o caminho, o resto se concentrou apenas em correr. Eles não sabiam em qual direção estavam correndo, mas eles correram para fora daquela rua com a Griselda liderando o caminho. Infelizmente, tinha cada vez mais e mais degenerados na frente deles e, gradualmente, Griselda já não dava conta deles sozinha. Finalmente, até mesmo os degenerados atrás deles os alcançaram. Era como se eles estivessem presos em um pântano, seu progresso se tornou cada vez mais lento.

Um degenerado de repente saltou do toldo de uma pequena loja de conveniência, diretamente no meio do grupo. Eles ouviram o grito alto do Changzai enquanto ele pulou para frente e rolou em direção à Sanji. Como ele não tinha o corpo aprimorado, ele podia ser considerado o mais fraco entre eles. Sanji olhou rapidamente e percebeu que o degenerado tinha arrancado um pedaço da pele no calcanhar do Changzai, deixando uma ferida profunda. Sem pensar duas vezes, ela soltou o Sétimo e jogou uma carta. A carta se transformou em um cassetete no meio do ar e caiu pesadamente no degenerado. Ele recuou e caiu no chão. Depois disso, ela puxou Changzai pelo colarinho da camisa.

— Coloque seu braço no meu ombro! Tente suportar a dor e continue! — ela gritou. O rosto do Changzai estava pálido enquanto ele tentava não colocar peso na sua perna machucada. Tropeçando e cambaleando, ele conseguiu correr por um tempo com a ajuda da Sanji. No entanto, ele era mais pesado que a Sanji, então ela percebeu, enquanto ofegava fortemente, que ambos estavam agora a uma distância longa do grupo. Eles nem conseguiam ver a Griselda que estava na frente dos outros.

Percebendo isso, um degenerado diminuiu a velocidade e de repente fez um barulho assustador. Ele se virou e foi em direção aos dois ‘cordeirinhos’ que tinham ficado para trás.

— Eu não consigo… não consigo continuar. Você deveria simplesmente correr sem mim. Obrigado… obrigado, — Changzai disse com voz rouca, fazendo um rosto corajoso, ele falou: — Eu vou cuidar de você e te proteger mesmo que eu me torne um fantasma…

— Pare de falar asneiras se você não sabe o que falar! — Sanji repreendeu com uma voz rouca. Uma grande gota de suor escorreu pela testa dela, passando pela sobrancelha e indo diretamente para o seu olho — ela sentiu de repente uma sensação de queimação em seu olho. Resistindo a vontade de limpar, ela olhou ao redor nervosamente.

Sob a escuridão da noite, as numerosas sombras se juntaram para formar um “mar” de degenerados. Ela podia ver que o número de degenerados ao redor deles estava gradualmente aumentando e um forte cheiro pútrido agora pendia no ar quente que os rodeava. Eles ainda não estavam totalmente cercados, mas também não tinham muito mais tempo.

— Nós não temos outra escolha! Vamos entrar nesse prédio! — Sanji cerrou os dentes enquanto corria arrastando Changzai em direção ao edifício cinza, não muito longe deles. Parecia que não tinha muitos degenerados nesse prédio, então ela decidiu arriscar a sorte.

Já que os degenerados desceram dos prédios, deve ser mais seguro, certo?

Em momentos desesperadores, até mesmo o menor sinal de esperança daria a uma pessoa força extraordinária para lutar pela sua sobrevivência. Olhando para o prédio pequeno, Changzai suportou a intensa dor e a perda de sangue e se arrastou atrás da Sanji. Os dois correram em frente, quase num frenesi. Sanji transformou duas cartas em duas hastes de metal e entregou uma delas para Changzai. Eles balançaram suas armas e atacaram continuamente enquanto avançavam.

Quase perdendo o senso de sua racionalidade os dois pareciam controlados pelo mais primitivo instinto de sobrevivência, cercados pelo mar de degenerados. Eles não foram guiados por seus cérebros entorpecidos, mas sim pelos puro instinto de movimento de seus músculos. Quando Sanji estava prestes a acreditar que nunca chegariam ao prédio, os dois se encontraram bem em frente à grande porta do edifício, todos cobertos de sangue.

A porta de vidro na frente deles lentamente limpou a mente embaçada da Sanji. Ela limpou o sangue do rosto e viu que tinha uma placa empoeirada, quase ilegível, ao lado da porta: Estação de Polícia de Shenghai, Subdivisão Hua.

 

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

4 Comentários

  1. Bom, porém curto. Acho q foi armação até para a Gri Hulk e a líder.
    Isso Sanji, cata as armas e estoure os miolos deles!
    Vlw pelo cap!!

      1. Sim, quero mais, fico tentado a ler em inglês, porém me cansa demais e vou deixar pra fazer isso com as q n tem tradução.

  2. Se eles não encontrarem no mínimo umas metralhadoras eles estão lançados. Obrigado pelo capítulo

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!