PA – Capítulo 58

Você Achou que Conseguiria Adivinhar o que Estava por vir

 

 

Enquanto Ratinho era embrulhado como um pacote e jogado na traseira do caminhão da Sanji, Marcie se agachou ao lado do Sétimo em seu cubículo.

— Ei, acorde, — quando disse isso, deu um tapa no rosto do Sétimo.

Este rapidamente abriu seus olhos embaçados. Uma vez acordado, a dor na parte de trás da cabeça também começou a latejar. Sétimo respirou profundamente com um silvo antes de perguntar:

— O que está acontecendo? Por que estou amarrado?

Marcie olhou para ele com seus olhos de esmeralda.

— Nada. Eu só tenho um impulso repentino de falar com você.

— Por que você tem que me amarrar? Oh… deve ser a Sanji, certo? Ela está aqui? — Pensando nisso, Sétimo imediatamente olhou em volta com cautela, mas não viu mais ninguém. Marcie sorriu para ele e sentou-se de frente para ele, de modo que seus olhos estavam no mesmo nível.

— Sétimo, embora nosso relacionamento seja ruim, e nós discutimos toda vez que nos encontramos, tenho que admitir que desta vez nós estamos nos dando muito bem.

— A Sanji te falou algo? — Sétimo perguntou em resposta, então ele tossiu algumas vezes. — Eu aconselho você a ouvir o meu lado da história…

Sem dar uma resposta adequada ao Sétimo, Marcie continuou seu monólogo com um sorriso:

— De todas as outras onze personalidades, você é a penúltima pessoa que eu gostaria de encontrar.

Aquelas palavras pareciam ter algum tipo de magia já que o Sétimo de repente ficou em silêncio. Ele não perguntou quem estava na última posição.

— Não é ótimo que o sociopata não tenha aparecido? Que tipo de desordem a sociopata tinha mesmo… — Ela olhou para a pessoa à sua frente e continuou: — Você ainda deve se lembrar do que aconteceu, certo? Lutero foi enviado para um instituto mental. Muitos especialistas internacionais vieram diagnosticá-lo e confirmaram nossa presença, eles confirmaram 11 personalidades.

A voz feminina e gentil da Marcie reverberou no pequeno cubículo, mas a pessoa amarrada ficou quieta.

— Nenhum dos médicos tinha conseguido se encontrar com a última personalidade, e nós também não tínhamos familiaridade com ele. Quando todo mundo pensava que a 12ª personalidade não existia, uma médica chegou. Você ainda se lembra? Ela era muito bonita… Para entender mais sobre esse raro distúrbio de múltiplas personalidades, ela falou com o Lutero por uma noite inteira… No dia seguinte, encontraram ela completamente nua em seu próprio escritório. Eles a acharam parecendo uma mulher grávida com uma barriga protuberante. Dentro dela, eles encontraram itens de seu escritório, como sua almofada, seus arquivos… todos empapados de sangue. Eles também viram as palavras “Eu sou o 12º” costuradas em sua barriga, e tinha até um coração desenhado ao lado dessas palavras. 12º. Essa era a única coisa que os médicos sabiam sobre essa personalidade. Ninguém jamais o viu. Homem ou mulher? Quantos anos ele tinha? Qual é o nome dele? Ninguém sabia de nada. Eles só podiam concluir uma coisa a partir de seu comportamento, ele era um sociopata com um…

Sétimo abriu a boca:

— …um transtorno de personalidade antissocial.

Sua maneira de falar era um pouco estranha. Sua pronúncia carregava um fascínio vago e ambíguo, sua voz era aveludada e ele parecia pronunciar cada palavra com um feitiço retorcido que fazia os outros quererem ouvi-lo falar. Quer fosse Lutero ou Sétimo, nenhum deles falava dessa maneira.

A expressão de Marcie mudou imediatamente, já que agora ela estava tentando o melhor possível para impedir que sua mão tremesse. Ela inalou bruscamente e perguntou:

— Como você pode provar que você é o verdadeiro Sétimo?

Ele levantou a cabeça e olhou para Marcie por um momento antes de lhe dar um sorriso sincero.

— Ah, esqueça isso. Para ser honesto, é bastante cansativo imitar a maneira como o Sétimo fala. — Falou num tom leve e gentil, um pouco incerto, mas inteiramente diferente de como costumava falar.

Marcie ficou estupefata por um momento enquanto olhava para ele sem expressão.

— Isso é estranho. Eu escolhi especificamente agir como seu pior inimigo, Sétimo, para que você não descobrisse. Não é normal que ele ficasse contra você? Por que você ficou desconfiada de mim? — Sétimo, ou melhor, 12º,  perguntou enquanto inclinava a cabeça, perplexo.

— Seu inimigo é o que melhor te conhece. — Havia um sorriso no rosto pálido da Marcie.

12º assentiu com a cabeça como se concordasse plenamente.

— Claro. Mas sou eu que estou no comando do corpo do Lutero agora. Se eu posso fazer você aparecer, eu definitivamente posso te mandar de volta… Mesmo que possa ser um pouco problemático. Você não lembra?

Marcie cerrou os dentes e, com um estalo, estendeu as unhas enquanto eles se encaravam:

— Por que você não tenta?

12º olhou para as unhas, depois franziu o cenho levemente.

— É inútil, obviamente. No entanto, você ainda quer estender essas… Ah, é mesmo! Aparentemente, você subiu de nível… Deixe-me ver o quanto você melhorou. — De repente, ele mostrou um sorriso duro. Se um manequim de plástico pudesse sorrir, definitivamente ficaria assim.

— Deixe-me avisá-lo… — Marcie levantou-se e atacou com as unhas violentamente em direção ao corpo de 12º. O vento criado pela velocidade daquele movimento levantou as cortinas da entrada: — Não faça essa expressão com o rosto do Lutero!

Apesar de estar amarrado como um pacote, 12º se moveu agilmente como um peixe. Usando as duas pernas, ele se empurrou, rolou no chão e evitou as unhas da Marcie no último segundo. Ele começou a resistir, tentando escapar das cordas. No entanto, Marcie não iria de forma alguma lhe dar essa oportunidade. Ela atacou novamente com suas garras — 12º sentiu seus olhos se contraírem, quando então um olhar de compreensão apareceu em seu rosto.

As unhas da Marcie haviam mudado e já não tinham mais aquele brilho metálico. Agora, suas unhas pareciam ter se transformado em um material com um esmalte fosco, e elas eram perigosamente duráveis. Havia cortes profundos na parede onde as unhas haviam batido e ele podia até ver a cama do cubículo adjacente através das paredes danificadas. Ele entendeu agora…

Quando ela o atacou novamente, 12º não tentou se esquivar, mas enfrentou o ataque de frente. As unhas imediatamente provocaram uma ferida profunda em seu corpo. Sangue fresco pingava no chão acompanhado por um som repetitivo. Ele estava usando o corpo de Lutero agora — antes que a Marcie se sentisse culpada por ferir o corpo do Lutero, as cordas que amarravam 12º caíram no chão.

— Obrigado por me livrar dessas cordas, — 12º disse de uma maneira extremamente educada, enquanto saía dos pedaços de corda. — Agora, basta desaparecer e ver como eu vou me divertir.

Marcie imediatamente ficou parada. 12º riu e deu um passo à frente. Apenas quando ele estava prestes a ativar sua habilidade, ele pronunciou um suave,  — Huh?

— Sua habilidade sumiu, certo? — A mulher na frente dele falou, e ela parecia muito satisfeita, — Que azar! Até suas habilidades passivas sumiram!

12º olhou para ela em estado de choque. Não importava qual expressão estivesse sentindo, era como se uma tela invisível cobrisse seu rosto, e qualquer expressão era tão superficial que nenhuma delas parecia genuína.

Quando Marcie viu a expressão de “Lutero”, ela reprimiu o desconforto que sentia e correu para frente mais uma vez.

O sabão de lavar roupas vai ficar sujo

Introdução: Qualquer um que seja ferido pelas unhas do usuário terá suas habilidades (passivas e ativas) lavadas por 120 segundos. A unha que tenha sido contaminada pelo sangue do oponente não terá esse efeito pelas próximas 24 horas. O usuário só pode ativar essa habilidade se a unha em questão estiver limpa.

Depois de 12º perder toda as habilidades do Lutero, ele não era diferente de uma pessoa comum. Não conseguiu nem durar dez segundos. Foi empurrado para o chão pela Marcie, que o prendeu ao chão com uma perna. Ela puxou os braços dele para as costas dele e o amarrou com força com o lençol. Em seguida, ela se desculpou com o Lutero em seu coração, revertendo suas unhas para a forma normal e acertou um golpe pesado na parte de trás da cabeça do 12º. O outro imediatamente desmaiou novamente.

Esta era a primeira vez que ela usava a sua habilidade e foi capaz de subjugar uma pessoa assustadora como 12º. Com isso, Marcie deu um suspiro aliviado enquanto seu corpo ficava mole ao finalmente relaxar.

Quando ela viu 12º deitado no chão com os olhos fechados, franziu as sobrancelhas. De repente, sentiu que as coisas poderiam ficar um pouco complicadas. Depois de pensar por um momento, decidiu que tinha que informar Ji… Marcie suspirou e empurrou 12º para debaixo da cama antes de sair do cubículo.

Quando a Ji saiu, Marcie se esqueceu de perguntar onde a outra estava indo. Exatamente quando tinha passado pelo portão do subsolo preocupada, sem saber onde procurar pela Sanji, de repente ela ouviu alguém chamando-a:

— Marcie!

Depois de se virar e ver uma mulher com longos cabelos negros, ela percebeu que não conhecia aquela mulher. Se Sanji estivesse por perto, ela teria apresentado a Dani. No entanto, devido à personalidade dividida do Lutero e habilidades de metamorfose, a situação agora tinha se tornado bastante complicada.

Durante os poucos dias em que 12º se disfarçou de Marcie, ele encontrou com a Dani várias vezes por causa da Sanji, então Dani conhecia a Marcie. No entanto, no dia em que a Sanji conheceu a Dani, Marcie desapareceu, resultando nesta situação onde a Dani era uma total estranha para a verdadeira Marcie.

— Quem é você? — Marcie olhou para a mulher cautelosamente. Após os eventos com 12º e Jinfeng, Marcie ficou inconscientemente desconfiada sobre os outros.

Dani parecia querer falar algo, mas ela parou. Ela olhou para Marcie como se a  mulher fosse uma doente mental, não fazendo ideia do que aquela outra estava pensando.

— Se você está procurando pela Ji, ela está ajudando a equipe de manutenção da cisterna!

Depois de falar isso, ela foi embora. Antes de saírem para a cantina, Sanji disse a Dani que ela deveria dizer a Marcie que estava com a equipe de manutenção da cisterna. A coisa era que a falsa “Marcie” não lhe fez essa pergunta, mas Dani manteve isso em mente. Já que a verdadeira Marcie parecia estar procurando alguém, Dani decidiu seguir as instruções da Sanji com base em seu próprio julgamento.

Marcie ficou intrigada, mas seguiu essa pista e foi até a equipe de manutenção da cisterna. Eles trabalhavam em um prédio muito longe do prédio 46. Devido à infeliz combinação de eventos, Marcie levou algum tempo antes de concluir que a Sanji não estava lá e que quarenta minutos já haviam passado.

De alguma forma, elas finalmente se encontraram. Depois que Sanji ouviu as palavras da Marcie, ficou espantada. Não esperava que essa complicação surgisse. Depois que superou o choque, pensou cuidadosamente por um momento e de repente ficou pálida:

— Você deixou ele debaixo da cama? E se ele acordar e fazer você desaparecer?

— Não se preocupe. Não é tão fácil usar Separação de Personalidade para fundir uma persona de volta ao corpo do Lutero, não é uma questão de um único pensamento… — Marcie consolou Sanji com um sorriso. — Mas como devemos lidar com ele em seguida é a maior dor de cabeça.

Mesmo depois de falar isso, as duas voltaram para o subsolo e se dirigiram ao cubículo da Marcie. Sanji informou a Marcie sobre a identidade do Ratinho:

— Como já encontramos um cônsul, não há motivo para permanecermos aqui. Vamos colocá-lo em nossos veículos e ir embora…  — Ao mesmo tempo, Sanji levantou as cortinas e entrou no cubículo. Ela se inclinou e olhou debaixo da cama. Marcie olhou para as costas da Sanji e riu: — Eu machuquei ele muito?

Sanji virou lentamente a cabeça para olhar para Marcie. Seu rosto estava mortalmente pálido:

— Mas… não há ninguém debaixo da sua cama…

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

2 Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!