PA – Capítulo 95

A Verdade por Trás dos Homens-Boina

 

Sanji colocou a mão em seu peito, tentando acalmar o coração que batia violentamente. Em seguida, cutucou Hai algumas vezes, evitando cuidadosamente sua pele. Este último abriu vagarosamente os olhos. Depois de passar a manhã inteira trabalhando junto com seus companheiros para esvaziar dez toneladas de mercadorias, até alguém tão forte quanto Hai havia adormecido há muito tempo devido à exaustão.

— Huh? O que foi? — ele perguntou baixinho enquanto esfregava os olhos cansados.

Sob a luz fraca do contêiner, ele podia ver os olhos âmbar de Sanji brilhando.

— Eu sei o que esses homens de boina são. — Sua voz estava um pouco trêmula enquanto falava isso.

Hai se sentou imediatamente. Naquele momento, já havia cerca de 100 pós-humanos no contêiner…

Durante toda a manhã, eles constantemente ouviram passos do lado de fora do contêiner, e a cada vez que a porta se abria, algumas pessoas com rostos em pânico eram empurradas para dentro do contêiner pelos boinas, se tornando os novos membros desse grupo de prisioneiros. Conforme o número de pessoas crescia, os prisioneiros se sentiam cada vez mais ansiosos.

O que os boinas e seus comparsas estão planejando, e porquê eles precisam capturar tanta gente? — Esse era o pensamento que os incomodava.

Quando o contêiner estava quase cheio, um dos boinas bateu a porta com força. Ele fechou a porta com uma corrente de metal e a trancou pelo lado de fora. Considerando que os prisioneiros eram todos pós-humanos, a corrente era apenas simbólica. A coisa que os “prisioneiros” temiam era o que eles podiam ver através das gretas no contêiner: os boinas com suas armas. O homem de meia-idade, com braços e pernas quebrados, foi exibido como um aviso para todos, para que os recém-chegados não ousassem agir de forma imprudente. Para terem sobrevivido até aquele momento, todos deveriam já ter passado por algumas experiências de vida ou morte. Vendo que as pessoas estranhas não tinham a intenção de matar, todos decidiram descansar para preservar sua energia depois de uma breve discussão.

Como Sanji e seus companheiros ainda estavam cautelosos com o [Veneno Versu] em seus corpos, eles se sentaram bem separados. Preocupada que ela pudesse acidentalmente entrar em contato com alguém quando estivesse dormindo, Sanji escolheu descansar em um espaço perto da porta onde não havia ninguém. A luz do sol penetrava através de uma abertura na porta e lançava seus raios sobre ela, era desconfortavelmente quente e brilhante, assim ninguém queria chegar perto daquele lugar.

Depois de dormir e acordar várias vezes, ela de repente ouviu passos do lado de fora. Soavam diferentes do que ouviram pela manhã. Os passos sussurrantes soavam como tropas de pessoas, provavelmente com estaturas pequenas, aproximando-se à distância. Seus pés tinham que ser muito pequenos, pois pareciam uma colônia de ratos gigantes correndo.

Sanji continuou escutando por alguns minutos, lutando para acordar completamente, mas quando espiou pela abertura da porta, ficou chocada.

Então, correu para Hai para acordá-lo.

— Acorde Changzai, eu vou acordar o coelho. Vamos nos encontrar na porta. — Sanji ordenou sem se explicar inteiramente. Ela cuidadosamente evitou os grupos desordenados de pessoas deitadas no chão e correu para onde o coelho estava. Hai se levantou e acordou Changzai antes de todos se encontrarem na porta, conforme combinado.

Havia um ponto de luz onde Sanji havia dormido anteriormente. Changzai foi para esse local, se inclinou e espreitou o lado de fora pela abertura. Como o grupo que se aproximava deles era muito grande, ainda havia “pessoas” atrás. Os quatro assistiram a cena se desenrolar diante deles.

Eles viram um grupo de mulheres cuja altura não chegava nem a um metro. Suas cabeças eram desproporcionalmente grandes em comparação com seus corpos e também pareciam ser descendentes de estrangeiros. Todos elas tinham os cabelos loiro claros, olhos azuis e eram lindas de uma maneira insondável. O coelho mexeu as orelhas e olhou para Sanji com um rosto confuso.

— Essas não são apenas um grupo de anãs do exterior? O que isso tem a ver com o que esses homens são?

Sanji sorriu ironicamente, enquanto algo de repente apareceu em sua mão.

— Olhe para isto, então olhe para fora.

Uma Elsa de 60cm imóvel em sua mão, em uma caixa transparente, olhou para eles com um sorriso.

Seus três companheiros ficaram aturdidos. Eles olharam para o brinquedo e depois para os “anões” lá fora.

— Mas, mas … Elas têm exatamente a mesma aparência, — Changzai gaguejou, — você quer dizer que elas são…

— Isso mesmo. — Sanji confirmou. — Eu encontrei um caixote cheio de bonecas faz um tempo. Quando os boinas descobriram isso, eles imediatamente guardaram o caixote e não deixaram ninguém mais chegar perto. Embora eu tivesse achado estranho, não dei muita importância a isso naquela hora. Agora, parece que… — ela respirou fundo, seu rosto estava visivelmente pálido, — alguém ou algo pode transformar essas bonecos humanoides em… humm… podemos considerá-los pessoas reais? Se eu estiver certa, isso explica por que eles são tão estranhos. Eles são estranhos porque retêm muitas das características dos bonecos, por exemplo, suas expressões não mudam, e eles andam na ponta dos pés porque foram fabricados assim.

Hai franziu a testa enquanto pensava.

— Na ponta dos pés, proporções corporais perfeitas, uma altura normal…

— São manequins de plástico expostos em lojas de roupas. — Sanji sorriu ironicamente mais uma vez. — É por isso que eles não tiveram nenhuma reação quando eu e o coelho encostamos neles… Eles nem sequer têm pele, então, naturalmente, não vão sangrar até a morte.

— Entendi! Esses manequins são feitos de plásticos com alto ponto de fusão, então são bastante resistentes à temperatura. Não admira que tenham dito que não estão com medo do calor. Eles também não se cansam, — disse Changzai depois de entender o que estava acontecendo.

— Eu me pergunto quem deu vida… a esses manequins e brinquedos? — Hai não sabia o que dizer. — Além disso, quem deu a cada uma dessas falsas pessoas uma arma poderosa como aquela?

Nenhum deles tinha como responder a essa pergunta. Eles só podiam olhar para as Elsas que estavam do lado de fora. No entanto, a diferença era realmente muito pouca, e os boinas bloqueavam sua visão de vez em quando, o que não era suficiente para que eles pudessem ter uma ideia clara do que estava acontecendo.

— Vamos fazer um buraco no teto e olhar de lá. — Sugeriu Sanji. — Dá para ver melhor do teto. Não se esqueça, agora estamos em um contêiner branco.

Ouvir isso foi como um tapa em Changzai. Um sorriso surpreso apareceu em seu rosto, que ainda estava coberto por um desenho preto de circuitos de computador.

— Isso mesmo! Eu ainda tenho essa faca de cortar queijo!

[Faca de Cortar Queijo]

Descrição: Uma bela senhora pediu a um mestre ferreiro para forjar essa faca. Esta faca pode não servir para nenhuma outra coisa, mas é perfeita para cortar queijo. Mas, com o passar do tempo, a faca pode cortar não somente queijo, mas sim qualquer coisa branca. Cortar qualquer item branco é tão fácil quanto cortar queijo com essa faca. A lógica pode ser estranha, mas é isso mesmo.

Este também era um item que eles haviam ganhado do Desafio Coxinha vs. Mortadela e era inesperadamente útil nessa situação. Alcançar o teto não foi um feito difícil, Sanji pisou em Hai e pulou para cima. Alcançou o teto e apunhalou-o com a faca criando uma pequena abertura. A faca de cortar queijo funcionava como descrito, e cortou facilmente o teto de metal como queijo sem qualquer resistência. Sanji fez isso algumas vezes e finalmente criou uma abertura quadrada no teto enquanto uma peça do metal caia. Com medo de fazer barulho, Changzai pegou o pedaço de metal antes dele cair no chão.

Mesmo ele tendo agido muito rápido, algumas pessoas próximas ainda assim acordaram por causa da comoção. Percebendo o que estavam fazendo, as pessoas os cercaram e olharam para Sanji, que estava agarrado às bordas do buraco no teto.

— Qual é a situação do lado de fora?

— Esses esquisitos ainda estão por aí? Quantos deles estão patrulhando esse lugar?

— Já faz tanto tempo. Eles deveriam estar dormindo, né?

Essa pessoas tinham bem menos ideia do que estava acontecendo do que Sanji e seus companheiros, então eles faziam muitas perguntas.

Sanji rangeu os dentes, incapaz de dizer uma palavra. Como a borda da “janela” era muito afiada, ela sentiu que as palmas das mãos estavam prestes a sangrar, especialmente porque estava apoiando todo o seu peso usando apenas as mãos.

O resto deles a observou ansiosamente. Sanji era a única que conseguia pular tão alto por causa de seu Aprimoramento Físico Completo. Hai percebeu que ela estava com problemas, então ele rapidamente tirou a camiseta, enrolou-a em uma bola e jogou para cima.

— Ji, use isso para proteger suas mãos!

Sanji se esticou para agarrar a camiseta, mas seus dedos apenas passaram por ela. Apenas quando os outros pensaram que ela tinha errado, uma boca de degenerado apareceu em sua mão, e ela usou para puxar a camiseta em sua direção. Então, a boca desapareceu. Sanji protegeu suas mãos com as roupas e firmou seu corpo com a força de seus braços.

As pessoas embaixo suspiraram aliviadas.

— Senhorita, qual a situação lá fora? — Alguém debaixo dela perguntou nervosamente.

Sanji ignorou a pergunta e olhou para fora aturdida.

Desde que o inferno hipertermal havia chegado neste mundo, ela não tinha visto tantas “pessoas”. Havia cabeças por toda parte, no píer, nas estradas e ao redor dos contêineres. Eles preenchiam todos os espaços livres, como uma mancha preta de nuvens cinzentas, fortemente agrupadas. A multidão estava muito quieta e extremamente organizada, como se todos estivessem seguindo um comando inaudível.

Enquanto olhava através do mar de cabeças, ela viu manequins como os boinas e brinquedos como as Elsas. Viu até algumas mulheres que pareciam anormalmente magras. Quando elas se viraram para os lados, revelaram seus corpos planos. Elas provavelmente eram os cartazes de papelão usados ​​para publicidade.

Vendo os sorrisos duros e sem vida nos rostos da maioria dessas “pessoas”, Sanji estremeceu levemente.

Bem quando ela estava atordoada pela cena diante dela, a multidão de repente se separou, criando um caminho. Ela seguiu o caminho com os olhos e finalmente viu um homem normal de carne e ossos.

O homem estava vestindo um traje estranho. Ele caminhou devagar e relaxadamente até o píer.

Sanji enfiou a cabeça ainda mais para fora e olhou fixamente para o homem, sem afastar os olhos dele. Ele continuou andando, depois parou, virando-se para dizer alguma coisa para as “pessoas” ao seu redor.

Em seguida, como se alguém tivesse dado uma ordem, milhares de rostos se viraram lentamente, e cada par de olhos sem brilho agora olhava para Sanji, que ainda estava espiando pelo buraco.

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.

3 Comentários

  1. Caraca, a Habilidade que permite alguém fazer isso é muito roubada! A ansiedade pelos próximos caps é grande. Obrigado pelo capítulo!

    P. S.: Vim ler o capítulo ainda meio sonolento e me assustei em ver meu coment no post kkkkk.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!