RN – Capítulo 79

A noite está chegando

Cidade de Carvalho estava muito animada à noite, com as pessoas andando apressadamente, e todos os tipos de comida boa emitindo aromas atraentes. E do lado da rua, muitas mulheres estavam se jogando em direção àqueles aventureiros ricos e famosos, tentando a sorte.

Estes aventureiros, provavelmente, voltaram da Floresta das Mil Folhas e poderiam ser generosos. Se elas os servissem bem, sua gorjeta poderia ser muitas vezes a quantia que geralmente ganhavam. Algumas achavam que não funcionavam, mas na verdade, prostitutas não podiam perder clientes.

Marvin andou pela rua com uma certa familiaridade. Ele tinha ido várias vezes até a Cidade de Carvalho, mas esse sentimento familiar não era por estar agora nesta cidade, mas sim, uma sensação de andar sozinho em um local desconhecido.

Marvin sempre foi um lobo solitário em sua vida anterior. Ele tinha poucos amigos, mas todos eles eram especialistas. O atual Marvin era ainda mais solitário. Ele só podia confiar em si mesmo agora. Ele ignorou algumas prostitutas que tentavam segurar em sua mão e deu um sopapo em um ladrãozinho que tentava roubar sua bolsa. Ele passou pela maior parte da Cidade de Carvalho e chegou na borda leste da cidade.

Havia uma oficina de ferreiro ali. O velho ferreiro tinha uma filha muito bonita e muito habilidosa. Ela abriu uma alfaiataria ao lado.

O pai e a filha eram muito queridos pelas pessoas de Cidade de Carvalho. As armas criadas pelo pai eram muito benquistas por todos e sua filha também era bem famosa, pela beleza e pelo trabalho. Marvin ficou parado do lado de fora da oficina de ferreiro por um momento e notou que ninguém estava lá dentro.

Ele hesitou, e então decidiu entrar na alfaiataria ao lado. Na alfaiataria, a garota estava tirando as medidas de uma aventureira. Percebendo Marvin chegando, ela o cumprimentou e sugeriu que ele esperasse um pouco.

Marvin casualmente encontrou um lugar para se sentar.

Após um curto período de tempo, a alfaiate terminou suas medições e a aventureira deu-lhe um adiantamento. Elas firmaram o acordo para terminar a negociação, entregando as roupas e o resto do pagamento, daqui a três dias.

Marvin tinha experimentado esse tipo de situação no passado. No jogo, ele também galgou o ápice, partindo de um zé ninguém, passo a passo. Mas desta vez, sua identidade era a de um nobre. Isso foi bastante difícil de se adaptar. Ainda assim, esse tipo de atmosfera fazia com que ele se sentisse especialmente à vontade.

— Você quer comprar algumas roupas ou quer algo personalizado? — A garota disse enquanto sorria.

Seu sorriso revelou duas pequenas e muito adoráveis ​​covinhas. Ela tinha cabelos castanhos e dava a sensação de ser daquela sua vizinha que você sempre vê[1].

— Eu sou Jane, como posso ajudá-lo?

— Olá, senhorita Jane, vim procurar o seu pai. — Marvin foi direto ao ponto.

— Meu pai? — Jane ficou um tanto surpresa — Você é amigo dele?

— Nós ainda não nos conhecemos, mas eu ouvi falar dele. — Marvin sorriu.

— Se ele estiver na taverna, provavelmente ele volte só à noite. Os negócios estão lentos hoje em dia, ultimamente ele teve poucas encomendas. Assim, ele frequentemente fica na taverna. — Jane explicou.

Na taverna? — Marvin pensou, antes de dizer de repente:

— Se você não se importar, posso esperar por ele aqui.

— Hã? — Jane cuidadosamente olhou para Marvin, mostrando uma pitada de vigilância.

Será que este cara quer alguma coisa comigo? — Jane pensou — Afinal, não é a primeira vez que isso acontece. Bem, de qualquer forma, se ele tentar alguma coisa, esse cara vai ter um final bem ruim.

Depois de pensar nisso, ela gentilmente sorriu, dizendo:

— Claro.

Não esperando que Marvin lhe agradecesse, uma sombra subitamente correu por trás do balcão da loja. Marvin ficou assustado subitamente e recuou.

Parecia um cachorro malvado preto. Espere, não é um cachorro malvado. Porra, isso aí é um [Cão Infernal]! — Marvin analisou — Mesmo que ainda seja pequeno, ainda tem a força de alguém no ápice do 1º ranque!

*Woosh!*

Marvin desembainhou suas adagas-gêmeas, olhando para aquele cão infernal, em guarda. Mesmo se fosse um filhote, esse bicho poderia rasgar a cabeça de um tigre!

Em sua vida anterior, Marvin só ouvira algumas informações sobre esse Andarilho Noturno[2]. Ele não esperava que essa garota aparentemente bondosa realmente criasse um cão infernal!

De repente ele entendeu.

Ah, puta merda, a garota me confundiu com um pervertido! — Marvin pensou, não sabendo se ria ou se chorava.

— Ah, o senhor não precisa ficar nervoso. — Andando por trás do balcão, ela gentilmente acariciou a cabeça do cão infernal, exibindo um sorriso astuto — O Pretinho é muito obediente. Sem minha permissão, ele não vai machucar ninguém.

Olhando para a expressão cruel do cão infernal, Marvin deu de ombros. O significado óbvio era que, contanto que ela dissesse uma palavra, o cão infernal o rasgaria em pedaços. Aparentemente, flertar com essa garota na Cidade de Carvalho não era fácil. Boa aparência provavelmente lhe trouxera muitos problemas.

— Sem ofensa, mas eu realmente vim procurar por seu pai. Mas, já que não sou bem-vindo aqui, vou esperar na oficina aqui do lado. — Marvin guardou as adagas-curvas e partiu.

Jane olhou para as costas de Marvin enquanto ele saía, aturdida.

— Ele realmente estava procurando pelo meu pai? Que cara estranho, por que você está procurando por um velho bêbado? Você não concorda?

Ela acariciou a cabeça do cão infernal, falando sozinha.

O interior da oficina de ferreiro estava uma bagunça e havia poeira por toda parte. As palavras da garota não estavam erradas, o responsável não trabalhava há dias. Ninguém precisava de armas, então o velho ferreiro naturalmente não tinha trabalho.

Marvin sentou-se casualmente em um canto e começou a esperar silenciosamente. O tempo passou rapidamente e o céu escureceu gradualmente. Logo, o interior da oficina de ferreiro ficou escuro como breu.

Marvin ainda estava esperando.

Jane se aproximou uma vez e disse a ele que o velho ferreiro poderia passar a noite na taverna, dizendo a Marvin que seria melhor que ele voltasse amanhã. Mas Marvin agradeceu e ficou ali para esperar.

Um Andarilho Noturno só mostraria sua verdadeira natureza durante a noite.

Na escuridão, passos leves podiam ser ouvidos.

Marvin usou silenciosamente Esconder-se.

Os passos de um velho desconcertante podiam ser ouvidos vindo de uma fraca fonte de luz. Ele carregava uma lamparina enquanto voltava para sua casa. Ele entrou pela porta e pendurou a lamparina ao lado. Ele, então, trancou a porta da oficina.

Marvin parou de respirar, enquanto seu coração batia mais rápido. Avançar nesta classe era a parte mais importante e mais desafiadora, e isso aconteceria esta noite.

O corpo do velho cheirava a álcool. Ele parecia bêbado e estava tropeçando até o suporte de armas, agarrando convenientemente uma espada de ferro. Seus movimentos pareciam muito lentos.

Errado! — Sob a luz fraca, Marvin notou imediatamente que o ombro do velho tremia ferozmente!

Este era sinal de que ele estava usando Força.

Sem pensar, ele fez um rolamento muito estranho, escapando de sua localização original!

*Clang!*

A velocidade do velho foi rápida como o vento. Uma espada havia golpeado exatamente onde Marvin estava!

Ele não parecia bêbado.

Mesmo que o quarto tivesse uma iluminação muito fraca, ele ainda olhava para Marvin. Marvin engoliu em seco, olhando em silêncio para o lugar em que estivera parado.

Havia uma marca profunda no chão. Essa era a espada de ferro mais comum, mas na verdade tinha tanto poder nas mãos daquele velho homem… Ele definitivamente se conteve, pois se Marvin não tivesse saído no momento certo, ele nem queria imaginar o que teria acontecido!

— Nada mal. Você encontrou a falha que eu mostrei de propósito. — O velho homem disse com o rosto indiferente — Mas isso não é suficiente. Por que você está procurando por mim?

— Avançar. — Marvin foi direto ao ponto.

— Poucas pessoas sabem da minha identidade. Quem te contou? — O velho jogou sua arma para longe e imediatamente deitou em uma cama de madeira em um canto da casa.

—Boatos. — Marvin já havia preparado suas desculpas de antemão, mas era um pouco incerto.

— Boatos? — O velho zombou — Se você pode me encontrar por meio de rumores, então como é que esses caras que querem que eu morra não apareçam na minha casa todos os dias?

— Eu simplesmente quero me tornar um ranger ainda mais notável. — Marvin deu de ombros.

— Há muitas classes avançadas de ranger. A Floresta das Mil Folhas está bem próxima daqui, talvez você possa experimentar algumas das antigas classes avançadas élficas.

O velho era indiferente.

— As outras classes vão declinar. — Marvin lentamente pegou duas adagas e disse seriamente — O senhor sabe que a noite está chegando.

[A noite está chegando]. A máxima de um Andarilho Noturno.

De repente, o velho levantou-se da cama e observou Marvin com firmeza.

— Quem é você?

— Eu vi um pouco do que está por vir. — Marvin calmamente continuou — A mesma coisa que Hathaway. Essas velhas profecias estão prestes a acontecer.

— Hathaway, como esperado… — O velho ficou um pouco aliviado — Outro vidente. Este mundo está realmente ficando cada vez mais caótico. Entretanto, ter um vidente entre os Andarilhos Noturnos não é uma coisa ruim. Siga-me jovem.

Assim que ele terminou de falar, ele abriu uma porta na parte de trás da oficina e Marvin o seguiu.


 

 

[1] A ideia dessa expressão é esta cena aqui.

[2] Pessoal, estaremos alterando a classe que Marvin está tentando conseguir para Andarilho Noturno.

Gabriel
O Rei dos Undeads!

11 Comentários

  1. Primeiro ela reclama que vieram atrás dela, quando descobre que tão nem peidando pra ela, já vem de ‘sujeito estanho’

  2. Quando ele falou [a noite está chegando] só veio isso na minha cabeça:
    No dia mais claro,
    Na noite mais densa,
    O mal sucumbirá ante a minha presença
    Todo aquele que venera o mal há de penar
    Quando o poder do Lanterna Verde enfrentar

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!