TA – Capítulo 201

Vigiado

Segurando o periódico na mão, Lucien se perdeu em seus próprios pensamentos.

Se alguém ficasse curioso sobre ele, um jovem feiticeiro que não tinha sequer um nível de arcana, e, portanto, decidisse investigá-lo no Departamento de Administração de Feiticeiros, a pessoa poderia descobrir que Lucien veio do mesmo continente e tinha o mesmo nome do grande músico de Aalto.

Seria ainda pior se alguém em Allyn tivesse visto Lucien em Aalto anteriormente, e se ele fosse reconhecido por alguém da Mão da Palidez, definitivamente seria um problemão para ele. Por causa do que aconteceu em Djibouti, Lucien temia que muitas pessoas o conectassem diretamente ao Professor.

Pensando nesse caso, Lucien começou a se sentir inseguro. Ele estava arrependido por ter usado seu nome verdadeiro de maneira tão descuidada ao enviar o artigo, mas ele nunca teria previsto que seu primeiro artigo viesse a ser citado por um grão-arcanista, e assim recebesse tanta atenção desnecessária. Agora, ele tinha a impressão que estava sob um holofote gigante.

Ele sabia que estava excessivamente relaxado e descuidado desde que chegou a Allyn. Mais uma vez, ele aprenderia uma importante lição com isso.

Em alguns segundos, muitos pensamentos passaram pela mente dele.

— Ei, ei! — Rocha cutucou Lucien levemente. — Você está em choque?

O último feiticeiro de nível iniciante cujo artigo foi citado por um grão-arcanista foi Ulysses, quando este tinha cerca de vinte anos. Embora o artigo de Felipe sobre a relação entre a memória celular e a cura gerada por feitiços divinos tenha ganho a Honraria Trono Imortal, criada pela Academia Real de Magia de Colette e pela Mão da Palidez, depois de ter recebido o Prêmio Coroa Holm, naquela época ele já era um arcanista de segundo nível, e um feiticeiro de terceiro círculo. Como um feiticeiro sem nível de arcana, a conquista de Lucien foi definitivamente muito impressionante.

— Ah… um pouco… — Lucien forçou um sorriso no rosto. — É bastante surpreendente…

Então, Lucien apressou-se a ler o papel do Senhor da Tempestade e ficou profundamente chocado com a sagacidade do grão-arcanista:

“Resumindo todos os experimentos e estatísticas, podemos concluir que as ondas eletromagnéticas também podem ser usadas na busca e localização, e são muito mais rápidas do que ondas sonoras de alta frequência. No entanto, como a informação recebida no retorno não é suficientemente clara, uma estrutura mágica especial precisa ser produzida para filtrar e enfatizar a parte relevante. A estrutura requer muitos cálculos, e assim eu consideraria este feitiço a ser desenvolvido como de quarto ou quinto círculo, e aqui eu o nomeio de antemão: Olho do Trovão.”

“Ao mesmo tempo, também podemos ver que quando a vibração das ondas eletromagnéticas atinge uma frequência mais alta, com energia e força suficientes, as moléculas internas do alvo do feitiço começam a colidir umas com as outras e um calor elevado é produzido. Esse fenômeno experimental poderia ser transformado em outro feitiço poderoso para derrotar por dentro alguém que seja muito forte defensivamente. Minhas expectativas são que o feitiço resultante seja de quinto ou sexto círculo, e seguindo a tradição, eu o nomeio: Fundição Elétrica de Fernando.”

“Aumentando a frequência para o próximo nível, usando-se o grande calor produzido na reação, outra magia poderosa pode ser criada, que também seria um feitiço de quinto ou sexto círculo. Eu o nomeio: Crematório Invisível.”

“Se quiséssemos aumentar a frequência para um nível ainda mais alto, estaríamos entrando no campo da Luz.”

Lucien ficou muito impressionado, pois o grão-arcanista encontrou basicamente todas as principais aplicações de ondas eletromagnéticas em diferentes frequências. Se Fernando não tivesse parado quando alcançou o conceito de luz, Lucien tinha certeza de que ele teria criado ainda mais feitiços!

Sem dúvida, os grão-arcanistas eram grandes gênios. Mesmo quando cometiam erros, não era por falta de inteligência, mas muitas vezes por terem sido enganados por suas experiências anteriores. Porém, contanto que fossem inspirados, teriam a capacidade de mudar o mundo! — Tchau tchau… meus futuros créditos e pontos de arcana. — Lucien suspirou. — O grão-arcanista não me deixou muito a explorar na aplicação das ondas eletromagnéticas.

Lucien entregou o periódico de volta a Rocha.

Quando o outro professor começou a ler atentamente o artigo, no canto, Lucien ainda estava incomodado com a ideia de que sua identidade já havia sido exposta.

Entretanto, sentir-se ansioso não ajudaria em nada. Neste momento, a melhor solução para ele era ganhar a atenção da Vontade dos Elementos. Se este grupo pudesse enxergar o grande potencial de Lucien, eles definitivamente o protegeriam contra a Mão da Palidez.

Quando Lucien voltou a si, viu que Rocha, Jerome, Vilnia e outras pessoas presentes estavam olhando para ele com uma mistura de emoções. Apenas K continuava lendo o periódico.

— Que foi? — perguntou Lucien confusamente.

Vilnia franziu a testa um pouco e depois esboçou um sorriso irônico.

— Posso imaginar o que Beetee e outros feiticeiros da escola de eletromagnetismo diriam. Eles irão orgulhosamente anunciar que o futuro do mundo está nas mãos do eletromagnetismo. No entanto, foi você que inspirou o Sr. Fernando Brastar, sendo o autor do grande artigo que possibilitou tal afirmação…

Lucien entendeu o que ela estava tentando dizer. Eles estavam com a impressão que foi Lucien quem entregou a arma decisiva para aquela escola vencer a batalha contra seus inimigos, mas Lucien não poderia ter previsto aquilo.

Os outros professores também sentiam o mesmo.

— Eu realmente não me importo, — disse K em voz baixa, tentando consolar seu colega. — Lucien fez um ótimo trabalho, e o progresso não pertence a uma determinada escola, mas a todo o Congresso. A verdade do mundo não será mudada pela arrogância sem sentido de algumas pessoas.

Jerome sorriu.

— É verdade, desculpe. Nós só não gostamos de pessoas como Beetee, e a culpa não é sua, Lucien.

— Vamos lá, galera, Lucien pode publicar mais artigos grandiosos explorando o mundo dos elementos também! — Rocha acenou com os braços e se animou.

Os professores ficaram mais relaxados agora e começaram a discutir acaloradamente alguns tópicos acadêmicos relacionados. Os aprendizes os ouviam atentamente, como se estivessem curtindo algumas novels emocionantes da 3L.

Quando chegou o começo da tarde, alguns dos professores deixaram a casa de Lucien, seguidos pelos aprendizes. Apenas Chely parecia completamente perdida em seus próprios pensamentos.

— Ei, Chely. Hora de ir. — Heidi deu um tapinha no ombro dela.

De repente, Chely voltou a si, e então disse timidamente:

— Assistir a discussão do Sr. Evans e dos outros professores me fez lembrar dos dias em que observava meu pai discutindo com seus cavaleiros na nossa casa. A conversa dos professores foi apaixonada e perspicaz, e não é nem um pouco parecido com a forma como as pessoas em Sturk descrevem os feiticeiros. Desde o primeiro dia em que cheguei em Allyn, fiquei profundamente comovida com o que vi… Este lugar é como um sonho, mas também estou com medo…

— Comunicação, — Lucien respondeu. — A comunicação é sempre muito importante quando as pessoas enfrentam dificuldades.

Lucien acreditava que, se Natasha e Silvia tivessem se comunicado de uma maneira melhor, elas não teriam terminado daquela forma.

Chely concordou com a cabeça, mas ainda se sentia bastante deprimida.

Vendo isso, Lucien foi até o piano que ficava na sala de estar. Foi a escola que mandou o piano, já que Lucien também ensinava música. A música que Lucien começou a tocar era muito familiar para a maioria das crianças chinesas: Dois Tigres¹.

— Pequena Chely, pequena Chely! Onde está? Aqui está! O sino está tocando! O sino está tocando! Venha já! Venha já!

Lucien cantou uma música fofinha para a jovem. Um sorriso surgiu no rosto de Chely, e Heidi, Layria e Anakin se comportaram da mesma maneira. Todos os aprendizes explodiram em gargalhadas.

— Obrigado, Sr. Evans. Essa apresentação foi maravilhosa, — Chely se levantou e disse sinceramente.

Depois que os aprendizes deixaram a casa de Lucien mais animados, ele caminhou até o escritório com um sorriso no rosto. No entanto, internamente, estava um pouco tenso.

Como alguns elementos aqui neste mundo eram diferentes do que ele havia aprendido em seu mundo original, Lucien agora estava tendo dificuldade em colocá-los em ordem. Como não conseguia identificar alguns dos elementos, só poderia considerá-los temporariamente como alguns isótopos estranhos, porém, atualmente ele não conseguiria ir mais longe que isso. Ele precisava se apressar. Era necessário chamar toda a atenção da Vontade dos Elementos.

Sentado em frente à pilha de cartões que representavam diferentes elementos, quando Lucien estava prestes a continuar sua pesquisa, de repente sentiu algo esquentar na frente de seu peito. Um calor estranho vinha da Coroa Solar! Ela estava alertando Lucien que alguma criatura morta-viva estava se aproximando dele!

A expressão facial de Lucien não mudou nem um pouco, mas ele rapidamente pensou: — Deve haver algum morto-vivo poderoso ao meu lado… mas por que ele não lançou seu ataque? Está tentando ver o que estou fazendo?

Ao menos ele não estava desarmado. A Coroa Solar era a inimiga eterna dos mortos-vivos!



¹Dois Tigres: essa é uma música popular chinesa, cantada para fazer crianças ninarem e coisas similares. Ouvindo a música, você perceberá que ela parece uma música que nós conhecemos muito bem, mas não é parecida na letra. Os Dedinhos, composta pela antiga apresentadora Eliana, que hoje não faço a menor ideia do que faz da vida, tem a mesma melodia, porém uma letra diferente. Entretanto, ela não copiou da canção chinesa, mas sim de Frère Jacques, uma canção francesa, que deu origem a uma multiplicidade de versões diferentes mundo afora, inclusive tendo, segundo algumas fontes, inspirado a criação da Dois Tigres chinesa, embora algumas pessoas afirmem que ela é parte da cultura original da China. Claro, muitos dizem que Frère Jacques tem partes de outras canções, sendo inspirada ou copiada de canções do século XV ou XVI, que vai saber de quem copiaram, né. Diz o ditado, nada se cria…

Vermillion
Primeiro de seu nome, Nascido do Caos, o Que a Tudo Lê, Spymaster nas horas vagas, Father of Fakes, Professor de Inglês, Um dos Três, Editor do Qidian, Tradutor de TA, Soberania e DNG, Marido Raiz.

13 Comentários

  1. Dando um chute de trivela aqui, pelo jeito q o Lucien se desenvolveu e o caminho q ele ta seguindo como musico e tal, acho q teremos farias magias usando ondas sonoras. (Que diga-se de passagem seria dahora um mago do som)

  2. Nada se cria, tudo se transforma… Então transforma esse cadáver em defunto!… OQ!?

    Essa novel está ficando sinistramente foda!

  3. Pq eu imagino a chely como uma zumbi ou os aprendizes dele como crianças?
    Obrigado pelo capítulo Vermillion

  4. Quero só ver como eles vão começar a trata-lo…
    E essa frase totalmente unica da tradução ai em? auhauahuhuahua

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!