TA – Capítulo 223

Mudança Inesperada

Quando o cavaleiro que estava ajoelhado e segurando um elmo em seus braços pleiteou guerra contra o Congresso de Magia, pensando que o reino de Deus estava sendo corrompido, o resto dos membros da Conferência Episcopal estavam fazendo o sinal da cruz em frente ao peito. Eles clamaram:

— Vamos purificar esses feiticeiros malignos com a luz sagrada e forçá-los a se arrependerem enquanto rastejam sob os pés de Deus. O reino de Deus não deve ser tocado pelos mortais!

O papa tinha uma expressão séria no rosto, segurava um cetro de platina na mão e estava usando a Coroa Sagrada em sua cabeça. O líder dos ascetas chamado Varantine, que usava um manto curto de linho, notou a expressão do papa e deu um passo à frente.

— Sua Santidade, o cavaleiro Stone é o representante de todos os crentes devotos. Eles estão zangados porque Deus está sendo contaminado. Por favor, não se preocupe, os hereges do norte não nos atacarão usando essa chance a menos que eles já tenham abandonado sua fé e não mais acreditem na verdade. No entanto, a base deles será destruída e eu acho que também atacarão o Congresso de Magia depois que a situação deles piorar, — sugeriu Varantine.

Varantine tinha um cabelo loiro curto e não estava usando nada em seus pés. Seus olhos azuis pareciam cheios de energia sobre suas bochechas magras.

Atrás de Varantine, havia mais de dez bispos episcopais, três membros importantes da Inquisição e também cavaleiros lendários, incluindo Stone. Eles ainda estavam tentando convencer o papa:

— Sua Santidade, por favor, nos dê a ordem e comece a Segunda Guerra da Aurora. Precisamos reunir nosso exército para pressionar o Congresso de Magia, mas ainda necessitaremos dos nobres na Cordilheira Sombria.

O Papa, Bento II, levantou o cetro sagrado para o ar. Sua voz era tão grave que soava como se ele estivesse falando do céu:

— Fico feliz que vocês sejam crentes devotos de Deus e tenho certeza que Ele está satisfeito com as palavras que acabaram de proclamar. No entanto, eu tenho uma pergunta para vocês: estão perdendo sua fé em Deus? Realmente acham que o Congresso de Magia pode descobrir os segredos de Deus? Os mortais nunca poderão manchar o reino de Deus! Já se esqueceram do que Deus nos disse?

Quase parecia que o manto vermelho do papa estava balançando com uma brisa suave enquanto ele era cercado pela intensa aura sagrada que vinha com a luz divina. A aura era tão forte que não podia ser anulada por nada.

Os membros da Conferência Episcopal não tinham certeza de como deveriam responder à pergunta do papa e estavam tentando descobrir de onde vinha sua revolta. Eles estavam com raiva porque Deus estava contaminado e todos eles eram crentes devotos, no entanto, não podiam negar que o medo estava se espalhando em suas mentes. Eles estavam preocupados que o Congresso de Magia pudesse explorar o reino de Deus como exploravam o mundo. Eles queriam parar o Congresso e estrangular os planos dos feiticeiros antes deles tomarem forma.

— Seria uma mentira se eu dissesse que não sou culpado. Minha ignorância me cegou da verdade. Deus é gentil e justo, eu devo me confessar e buscar perdão. — Os membros da Conferência Episcopal começaram a se arrepender depois de um momento de silêncio.

Bento II esperou que eles terminassem de se arrepender e então proferiu sua decisão:

— O Congresso de Magia não será capaz de explorar o reino de Deus, no entanto, não podemos perdoá-los por tais atos. Varantine e Vaharall, pegue alguns ascetas e patrulheiros noturnos para ajudar Philibell em Holm. Vamos eliminar os feiticeiros e fazê-los pagar pelo que fizeram! Além disso, você precisa agir com os druidas e elfos na Floresta Steloop e fazer os feiticeiros pensarem que estamos prestes a atacar, para que os outros druidas precisem chamar de volta os que estão trabalhando com o Congresso de Magia.

— Como desejar, Sua Santidade. — O líder dos ascetas, Varantine, e um dos três membros mais importantes da Inquisição, Vaharall o Adjudicador, curvaram-se ao papa ao mesmo tempo.

Os outros membros da Conferência Episcopal achavam que a ordem do papa era razoável, no entanto, tinham um sentimento estranho em mente. O incidente deveria evitar a guerra e a estabilidade dos poderes seria abalada, mas o papa os convenceu de que deveriam se concentrar em punir os feiticeiros que profanaram Deus.

“Foi uma decisão sábia. Somos fortes, mas somos pressionados por múltiplas organizações e a situação pode piorar se começarmos a guerra sem uma preparação adequada. Devemos nos acalmar e esperar o dia certo chegar.”

Os membros da Conferência Episcopal mudaram de ideia, fazendo sinais da cruz em frente ao peito, e saíram do Salão Brilhante.

Bento II baixou o cetro e voltou para a sala de leitura, onde um cardeal esperava por ele. O cardeal deu um passo à frente e questionou:

— Sua Santidade, a informação enviada pelo bispo Philibell mencionou as informações da condecoração do prêmio Coroa Holm, e também o progresso do Congresso de Magia e dos druidas na pesquisa da magia divina.

— Mantenha a informação confidencial, já que precisaremos dela mais tarde. Devemos nos concentrar em lidar com o incidente por enquanto. — Bento II acenou com a mão. Parecia que ele não estava preocupado com coisas menos relevantes. Essa informação não era algo que precisava ser enviado para todas as Inquisições, como era a Lista de Purificação.

O papa fechou a porta depois que o cardeal partiu e olhou para os retratos dos papas anteriores com uma expressão apática no rosto.

O nome dos papas e o tempo que eles ficaram neste mundo antes de retornarem aos braços de Deus estavam descritos sob os retratos:

“Charles I, Calendário Santo 350 – 572.”

“Alfonsol, Calendário Santo 387 – 633”

“Charles II, Calendário Santo 408 – 686.”

“Bento I, Calendário Santo 474 – 745.”

“Gregório II, Calendário Santo 548 – 796.”

Um indício de um sorriso apareceu no rosto de Bento II e ele murmurou em um tom profundo:

— Como poderiam os mortais encontrar o caminho para os segredos de Deus?

O sol ainda estava nascendo no sábado de manhã enquanto, em uma mansão ao lado da cidade de Sariva, Felipe estava fazendo alguns experimentos mágicos com uma expressão séria no rosto. Apesar de ele só ter visitado duas vezes esta semana e não ter ficado durante a noite, a incrível habilidade analítica do homem ainda impedia que os druidas tentassem enganá-lo. Os druidas não conseguiram encontrar nenhuma desculpa para interromper o experimento, então tiveram que mudar os dados que Felipe obteve. No entanto, Felipe não estava preocupado com o progresso do experimento, pois estava se concentrando na criação de uma importante substância viva dentre as não-vivas.

Felipe viu o cristal incolor se formando no ambiente de baixa temperatura quando a luz apareceu no último círculo alquímico.

Ele deu tudo de si para se acalmar e começou a aquecer o cristal translúcido. O cristal derreteu e foi rapidamente transformado em líquido. Além disso, o círculo mágico detectou um gás com um cheiro irritante.

Felipe deu um passo para trás e lançou o feitiço de identificação, obtendo o resultado em segundos. O líquido era um ácido graxo que ele precisava, uma substância que só podia ser encontrada dentro dos corpos dos seres vivos.

— Não faz mais sentido apoiar a Teoria da Força Vital. — Felipe forçou um sorriso em seu rosto pálido. — Eu me pergunto quantos companheiros antigos na organização vão admitir que estão errados. Eles precisam redefinir o significado de substância viva, caso contrário, terão que aceitar essa nova descoberta. Eu acho que se eu mesmo publicasse o resultado seria mais fácil para os outros necromantes aceitarem a mudança.

Felipe provou que a teoria que ele apoiava há mais de 30 anos estava errada, e tinha emoções conflitantes sobre isso. Ele estava feliz, confuso, triste e empolgado ao mesmo tempo. O Professor sintetizou com sucesso a ureia, o que foi uma experiência reveladora para ele. A ureia sintetizada artificialmente mudou sua opinião sobre a teoria e essa foi a razão pela qual ele decidiu fazer aquele experimento sozinho.

Um homem vestindo um manto comprido bateu na porta do laboratório suavemente.

— Quem é? — Felipe ficou surpreso com a interrupção e questionou com confusão em seus olhos.

Uma voz rouca e grave veio do outro lado da porta:

— Sou eu, Traquair.

— Sr. Traquair? Por que você está aqui? Ainda é de madrugada, — Felipe respondeu e começou a abrir o círculo mágico que protegia a porta.

Traquair era um necromante de sexto círculo da Mão da Palidez, porém, seu nível de arcana era apenas três, já que ele passava muito tempo tentando avançar para o sétimo círculo. Ele foi enviado para ajudar Felipe a lidar com os druidas.

Felipe de repente percebeu algo quando abriu a porta. Ele sentiu subitamente que algo aterrorizante estava vindo em direção a ele.

— Merda!

Tentáculos negros que eram formados por poder necrótico invadiram o laboratório. As almas dos feiticeiros seriam maculadas se fossem tocadas por aqueles tentáculos, e eles não seriam mais capazes de lançar os feitiços mais fortes que conheciam.

Além disso, múmias cobertas com tiras de linho preto se ergueram em meio ao fluxo de tentáculos e começaram a atacar Felipe.

Na taverna Raiz Draconiana, Lucien estava lendo o relatório do programa. As perguntas que os arcanistas encontraram ao tentar simplificar o procedimento foram listadas no papel. Eles descreveram os problemas não resolvidos que os impediam de progredir, sem esconder nada. Eles seriam capazes de obter os pontos de arcana depois de publicar seus resultados de pesquisa, desde que o relatório ainda estivesse aqui.

“Os elementos podem ser encontrados nas fezes e fertilizantes usados ​​pelos agricultores, mas o resultado não foi bom o suficiente. Teremos que cuidar de muitos animais se quisermos obter fezes suficientes para produzir tais elementos em massa. No entanto, os animais iriam consumir muita comida…”

“As experiências anteriores provaram que as plantas precisam de água e luz do sol para crescer, e com a ajuda da análise da magia divina, descobrimos que também precisam absorver os elementos do solo. No entanto, o pó mineral que foi espirrado no solo não foi eficaz.”

Depois que eles terminaram de analisar a estrutura dos feitiços divinos, os feiticeiros começaram a fazer experimentos com a ajuda dos druidas. No entanto, o pó mineral dos elementos que poderiam ser produzidos em massa era inútil, e eles decidiram fazer experimentos com os produtos alquímicos que continham esses elementos.

— Com a base dos feitiços divinos e a ajuda dos druidas, acho que os arcanistas encontrarão os produtos alquímicos que precisam mais cedo ou mais tarde. — Lucien baixou o relatório e vestiu um casaco. Ele queria voltar para Allyn e ensinar os aprendizes depois do café da manhã.

Lucien viu Iristine e Arcelion caminhando em direção a ele com sorrisos em seus rostos quando abriu a porta.

— Sr. Evans, lamentamos que não possamos mais ajudá-lo com os experimentos. Os anciões do palácio real ordenaram que voltássemos imediatamente à floresta, pois precisamos ajudar na defesa contra o ataque da Igreja. — Arcelion fez uma reverência para Lucien com elegância, pois já estava ciente de toda a armação por trás do ataque.

Lucien sabia que não era uma emergência, já que os dois druidas não pareciam estar com pressa, então ele sorriu e respondeu:

— Está tudo bem. Eu já encontrei o caminho correto depois de verificar os dados do experimento.

— O que? — Iristine e Arcelion ficaram surpresos. Foram eles que mudaram os dados.

Lucien ainda tinha um sorriso no rosto.

— Com a ajuda das substâncias solúveis em água e da magia divina que ajuda as plantas a crescer, a aveia está indo muito bem. Além disso, comparei o resultado com o das outras equipes de pesquisa e eliminei alguns dados que não faziam sentido.

Com o resultado da análise, Lucien descobriu facilmente que os dados foram alterados por alguém.

— Bem… — Os dois druidas pareciam um pouco desapontados.

Lucien pegou o artigo que havia terminado há muito tempo, chamado “Conclusões extraídas na comparação dos dados da aveia que foi fertilizada com rocha fosfática tratada com ácido sulfúrico” e disse:

— Eu preciso apresentar esse relatório aos arcanistas de alto nível que estão fora da mansão. Príncipe Arcelion e Princesa Iristine, vocês querem vir comigo?

— Não, vá em frente, nós precisamos voltar. — Iristine parecia cansada. Ela queria destruir o artigo, mas temia o poder de Lucien. Além disso, Tyrel e Urin haviam aparecido do outro lado do corredor.

A carruagem avançava lentamente pela estrada esburacada do lado de fora da cidade. Era inverno, então a luz do sol nascente ainda não havia iluminado a área.

De repente, Lucien notou calor vindo da Coroa Solar em seu peito e sua Estrela do Destino começou a avisá-lo sobre um perigo iminente!

Lucien não teve tempo para pensar. Ele pulou da carruagem e ativou o feitiço de quinto círculo contido no anel, Escudo Flamejante Superior.

O vulto de algo sombrio e cercado por um gás podre apareceu no céu e caiu sobre a carruagem de Lucien com força, destruindo parte dela. As tiras metálicas e as tábuas de madeira da carruagem começaram a apodrecer rapidamente com aquele gás.

— Hmm? Eu não esperava que você escapasse desse ataque, — no céu nublado, uma voz rouca misteriosa ecoou.

Vermillion
Primeiro de seu nome, Nascido do Caos, o Que a Tudo Lê, Spymaster nas horas vagas, Father of Fakes, Professor de Inglês, Um dos Três, Editor do Qidian, Tradutor de TA, Soberania e DNG, Marido Raiz.

15 Comentários

    1. Tô começando a achar que o papa e alguns necromantes tem alguma ligação, ainda mais quando ele falou em “mortais”.

  1. Não achei que eu diria ou pensaria isso, mas espero que o Felipe sobreviva e se junte ao Lucien para sobreviver.

  2. Pelo visto Bento II é bem ambicioso
    Quantas subfacções sera que existem dentro do congresso, ou melhor, o que a Mão Pálida ganha interferindo no progresso da ciência

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: O conteúdo deste site está protegido!